Reavivados por Sua Palavra


Rute 1 by Jeferson Quimelli
29 de fevereiro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Não há uma curta história melhor do que a de Rute no mundo. Este simples relato é um testemunho da providência de Deus e do verdadeiro amor. Seus três personagens principais vão da desesperança individual à abundância compartilhada em quatro capítulos curtos.

A história começa com três viúvas sem filhos – e portanto, totalmente desamparadas – em Moabe. Esta dura situação leva Noemi, cujo nome significa “agradável”, a desejar mudar seu nome para Mara, ou “amargo”.

Como Jó, Noemi perdeu a sua família – marido e os dois filhos -, mas também como Jó ela não culpou a Deus como Satanás gostaria que ela fizesse. No entanto, a situação a levou ao desespero. Ela parece ter perdido a esperança no futuro e diz a suas noras que elas devem buscar a sua esperança em outro lugar. Rute, porém, desenvolveu a fé que Noemi apresentara anteriormente, e esta fé a leva à escolha de compartilhar o futuro da Noemi, desanimador o quanto pareça.

O capítulo termina com uma dica do que está por vir – “Belém” [Beit-Lehem] significa “a Casa do Pão”, e eles chegam “no início da colheita da cevada.” O amor de Deus não mudou; e existe segurança em Seu plano para elas.

Jan Haluska
Southern Adventist University

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/rth/1 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/rut/1 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jdg/21/
Texto original expandido em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/12/05/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Rute 1
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 12



Rute 1 – Comentários selecionados by Jeferson Quimelli
29 de fevereiro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“O livro de Rute não é um romance, mas a história de amor reverente de uma jovem viúva pela mãe de seu falecido esposo. O tipo de amor demonstrado por Rute é o mais puro, altruísta e extraordinário” (CBASD, vol. 2, p. 445).

“O relacionamento entre sogra e nora é tema de muitas comédias, mas entre Rute e Noemi houve um relacionamento de natureza bem diferente. … A nora Rute mostrou uma devoção que revelava os belos traços de caráter tanto dela quanto de Noemi, rompendo com todos os laços familiares e étnicos para acompanhar a estimada sogra. Ao contemplar pela última vez os campos férteis de sua pátria, com profunda demonstração de afeto, Rute exclamou: ‘O teu povo é o meu povo; o teu Deus é o meu Deus’ (Rt 1:16). Então, pôs-se rumo a uma terra estranha, unindo-se com o verdadeiro povo de Deus e tornando-se Sua fiel adoradora. … Definitivamente, é uma história repleta de magníficos exemplos de fé, piedade, humildade, diligência e amabilidade, reveladas em eventos comuns da vida. … Os israelitas, pelo estudo dessa narrativa, deveriam ter compreendido o plano de Deus para a salvação de pessoas de todas as nações, que aceitariam, como a moabita Rute, o Deus cujo caráter lhes teria demonstrado pelo testemunho de Seus servos. Dessa forma, era plano de Deus que muitos alcançassem uma transformação de caráteer que os tornasse individualmente preparados para ser cidadãos do eterno reino de Cristo” (CBASD, vol. 2, p. 448, 449).

“O fato de Rute, a bisavó de Davi, ser moabita provavelmente explica por que Davi tenha colocado seus pais sob a a proteção do rei de Moabe quando fugia de Saul (CBASD, vol. 2, p. 445).

Tempo da história e da escrita e autor: Embora Rt 4:22 leva a crer que o livro foi escrito durante o reinado de Davi, o v. 21 indica que ela ocorreu no início do período dos juízes (Boaz era filho de Raabe). O tempo, o estilo de escrita e outros elementos literários indicam que o autor do livro foi Samuel, assim como o de Juízes, provavelmente fazendo conexão entre o tempo de Josué com o da monarquia judaica.

Os nomes de Elimeleque e de Noemi (v. 2) são muito significativos. Elimeleque, “meu Deus é rei”, reflete a vida piedosa dos pais de Elimeleque e podem indicar até um reconhecimento a Deus como único e legítimo rei de Israel, numa época em que muitos israelitas já cogitavam um rei humano. Noemi, “agradável”, ou “meu deleite”, indicava que seus pais tiveram muita alegria no nascimento da filha, em uma época que os pais hebreus se regozijavam no nascimento de filhos homens (cf. CBASD, vol. 2, p. 451, 452).

7 saiu, pois, ela A atitude do cristão deve ser a mesma de Noemi: sair do lugar inadequado e trilhar o caminho que conduz aonde Deus quer que ele vá. Como Noemi se dirigiu para a Canaã errestre, o povo de Deus precisa pôr-se a caminho da Canaã celestial; e, ao empreender essa viagem, levar outros que, à semelhança de Rute, dirão: “Teu povo é o meu povo, teu Deus é o meu Deus” (v. 16) (CBASD, vol. 2, p. 452).

9 que sejais felizes. A ARC traduz “que acheis descanso”, como a KJV. O descanso, ou felicidade, a que Noemi se referiu não deveria ser encontrado no lar de suas mães, mas em seus próprios lares – “cada uma em casa de seu marido”. Quando os judeus falavam de uma mulher encontrando descanso, estavam se referindo ao casamento (ver tb Rt 3:1) (CBASD, vol. 2, p. 453).

14 Rute se apegou Feliz é a sogra que conquista suas noras, em vez de afastá-las (CBASD, vol. 2, p. 454).

16 não me instes A resposta de Rute se destacou como a nota tônica de todo o livro. … Não é simplesmente o amor de Rute por sua sogra que a levou a se apegar a ela. Rute se deu conta de que era a fé de Noemi que a tornara uma mulher notável. Rute, com determinação, decidiu-se pelo Deus verdadeiro: “…o teu Deus é o meu Deus”. É difícil encontrar declaração mais sublime de amor e devoção (CBASD, vol. 2, p. 454).

o teu Deus é o meu Deus. O único conhecimento do verdadeiro Deus que Rute possuía era o que ela havia testemunhado na vida de Noemi e dos demais membros de sua família. Esta é a maneira pela qual Deus sempre se revela aos seres humanos: mediante a demonstração do poder de Seu amor operando na vida de pecadores arrependidos e transformados. O poder transformador do amor divino é o melhor argumento em favor da verdade. Sem ele, a religião não passa de “bronze que soa ou […] címbalo que retine” (1Co 13:1) (CBASD, vol. 2, p. 454).

19 não é esta Noemi? …quando seus conterrâneos indagaram “Não é esta Noemi?”, o que queriam dizer era: “Esta é Noemi, voltando sozinha e viúva?” Parecia inacreditável que tanto o esposo quanto os dois filhos tivessem morrido (CBASD, vol. 2, p. 455).

Deus te abençoe a ter um amor verdadeiro, profundo e fiel como o de Noemi e Rute. Este é o amor eterno.



Rute 1 – Comentário Pr Heber Toth Armí by Jeferson Quimelli
29 de fevereiro de 2016, 0:17
Filed under: Sem categoria

RUTE 1 – Alguma vez você já enfrentou situações em que tudo estava bem e, de repente, tudo pareceu desmoronar rapidamente? Como você reagiu?

Como você lida com…

• …crises sociais?
• …crises econômicas/financeiras?
• …crises políticas?
• …crises religiosas?
• …a fome, perdas, mortes e tantas outras coisas desesperadoras?

Você sente angústia? Estresse? Depressão?
Você enfrenta, ou foge?
Onde você busca solução/ajuda?

• …No dinheiro/trabalho?
• …No governo?
• …Em parentes?
• …Em tua experiência, forças ou sabedoria?

Foque tua atenção totalmente neste primeiro capítulo do livro de Rute. Tenha em mente, primeiramente, o contexto desta história. Quando ocorreu? Em uma “era mais pacífica dos dias em que governavam os juízes” (Samuel J. Schultz). Lembrando que, o período dos juízes foram os momentos históricos mais críticos de Israel!

O contexto era de total crise moral, social e espiritual. Consequentemente, Deus cumpriu os regulamentos dos documentos das escrituras da terra em Deuteronômio 27 e 28. Houve fome na terra que manaria leite e mel. Resultado? Outras crises, econômicas/financeiras, políticas, etc.

Com isso, a próspera família de Noemi…

1. Fugiu de Belém para livrar-se da morte;
2. Procurou refúgio em Moabe;
3. Pai e filhos morreram tentando ganhar a vida;
4. Noemi ficou viúva, sobraram apenas as noras;
5. Noemi despediu-se de Moabe e das noras, também viúvas desprovidas de filhos;
6. Noemi recebeu a graça de uma companhia para a viagem de volta: Rute;
7. Noemi voltou amarga para Belém! Perdera tudo: Bens, família, e até a alegria…

Crises e mais crises… Apenas com a graça de uma companhia em meio a tantas crises sufocantes! Você já se sentiu assim?

O livro de Rute tem sido considerado “há muito tempo como uma história maravilhosa que mostra pessoas superando as tragédias da vida mediante a devoção e o caráter forte” (Paul R. House). Antes, porém, da superação, foi necessário reconhecer a fraqueza:

• Fugir de uma situação complexa nem sempre será uma boa solução;
• Procurar refúgio onde Deus não está nunca trará prosperidade, vida, nem bênçãos;
• Intentar salvar-se sem auxílio divino implica cavar a sepultura com as próprias mãos;
• Deixar tudo para trás para recomeçar a vida pode parecer uma ideia atraente, mas será decepcionante.

A única solução real, concreta e viável para situações complexas da vida está em buscar a Deus e esperar nEle!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



O Livro de Rute by Jeferson Quimelli
28 de fevereiro de 2016, 15:00
Filed under: Sem categoria



Juízes 21 by Jeferson Quimelli
28 de fevereiro de 2016, 5:26
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

No capítulo anterior (20) os israelitas vencedores haviam tomado a decisão de proibir qualquer israelita de dar sua filha como esposa a um benjamita e selado esta decisão com um juramento. Esta decisão foi inteiramente deles, não do Senhor, e criou um problema aos próprios israelitas para encontrar uma maneira de salvar o que restou da tribo de Benjamim.

Eles então decidem destruir a cidade e os habitantes de Jabes-Gileade – homens, mulheres e crianças, mas encontraram 400 virgens que mantiveram vivas para se tornarem esposas para seus irmãos benjamitas.

Em tudo isso, os israelitas estavam mais preocupados com as conseqüências de quebrar um juramento que tinham feito, do que com o bem-estar de seus irmãos. De maneira hipócrita, violaram o espírito do juramento sem realmente quebrá-lo. Seu temor do Senhor era cego, centrado apenas em seus próprios interesses.

Muitos professos cristãos de hoje têm uma “fé” egoísta. Eles fazem apenas o necessário para satisfazer os requisitos mínimos da Lei e nada mais. É uma obediência superficial, legalista, sem obedecer ao espírito de amor da Lei.
Você já se percebeu pensando e agindo desta maneira?

Você obedece a Deus porque você deve ou porque você O ama? O Senhor deseja “misericórdia, e não sacrifícios; conhecimento de Deus em vez de holocaustos” (Os 6:6 NVI).

Justo Morales
Southern Adventist University

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/jdg/21 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jdg/21 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jdg/21/
Texto original expandido em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/12/03/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Juízes 21
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 12



Juízes 21 Comentários selecionados by Jeferson Quimelli
28 de fevereiro de 2016, 5:15
Filed under: Sem categoria

Esta seção de Juízes, dos capítulos 17-21, termina com as já conhecidas declarações: “Naquela época não havia rei em Israel” (18:1, 19:1 e 21:25); e “cada um fazia o que lhe parecia certo.” (17:6 e 21:25). Os israelitas tentaram resolver seus problemas por si próprios sem uma liderança espiritual e moral como a que Moisés e Josué forneceram e erraram feio. Embora o Senhor concedesse a vitória aos israelitas nas guerras, eles não buscaram a orientação de Deus nos acontecimentos subsequentes e trilharam um caminho que era direito apenas aos seus próprios olhos….

Os israelitas sentem-se agora obrigados a manter seu voto a todo custo, para não trazer uma maldição sobre si mesmos (21:18). A solução cruel a que chegam é totalmente irrazoável [legalista] e revoltante. Justo Morales, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/12/03/

 

[A razão apontada por muitos comentaristas para que Jabes-Gileade não tenha atendido à convocação marcial para lutar contra os benjamitas seria porque a tribo de Manassés, da qual faziam parte, tinha fortes laços com os benjamitas, por serem todos descendentes de Raquel e porque também não haviam comparecido à festa espiritual especialmente convocada  em Siló para oferecer sacrifícios ao Senhor.]



Não desista! by Jeferson Quimelli
28 de fevereiro de 2016, 4:44
Filed under: Sem categoria

Prezado leitor,

se você,como nós, também ficou um tanto abatido e teve o estômago embrulhado pelas atrocidades e desvios relatados nas leituras bíblicas de Juízes deste final de semana, não desista!
Logo em frente, na inspiradora história de Rute, o Redentor é anunciado.
Por mais que não seja algo agradável de se ver, a época de Juízes reflete bem o caminho do homem quando afastado de Deus.
Faz parte da “plenitude do tempo” anunciada por Paulo em Gal:4:4-5, que mostrou claramente a desesperada necessidade que o mundo tem de Jesus.
Do mesmo modo, se a tua vida está turbulenta, não desista!
Confie na soberania de Deus e em Sua capacidade em transformar a sua vida num livro inspirador e de ânimo para os que estão carentes de Deus.



Juízes 21 – Comentário Pr Heber Toth Armí by Jeferson Quimelli
28 de fevereiro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

JUÍZES 21 – Nota-se nestes últimos capítulos que, infelizmente, a espiritualidade pura do povo de Deus foi contaminada pelo lixão teológico dos pagãos.

A cultura do Céu instituída por Deus ao Seu povo, revelada em Sua Palavra, fora suplantada pela ideologia reinante da cultura secular. O sincretismo religioso era positivo porque, ainda que misturada com tradições humanas restavam ideias de um Deus verdadeiro.

A igreja nunca precisou de críticos para reformá-la, mas de exemplos positivos para influenciá-la. A frase citada três vezes (17:6; 18:1; 19:1;) no livro, “Naquele tempo, não havia rei em Israel. As pessoas faziam o que bem entendiam”, encerram as últimas palavras de Juízes.

Não havia quem guiasse o povo na lei de Deus. “O pecado humano precisa de governos que imponham a moralidade” (Kenneth A. Mathews).

• Neste último capítulo, o autor demonstra como soluções humanas para o pecado podem trazer maiores problemas; que fazer justiça com as próprias mãos pode resultar em terríveis desgraças; e, o que resta será lamentar o caos perante Deus, O qual não é responsável pela desgraça causada pelo pecado de ninguém (vs. 1-5).

• Sobraram 600 homens e nenhuma mulher da tribo de Benjamim – era o fim dessa tribo; os restantes dos israelitas tiveram pena. Por isso, criaram uma estratégia estranha para lograr que a tribo não fosse extinta de uma vez. A parte positiva é que deu certo! (vs. 6-24).

Analisado Juízes com oração e atenção, nota-se que, “justamente aqueles que Deus Se propõe a usar como Seus instrumentos para uma obra especial, Satanás, empregando seu máximo poder procura transviar” (Ellen G. White). Contudo, “a salvação é o alvo para o qual Deus dirigia e dirige a história. Como Senhor da história, Deus era livre para escolher qualquer pessoa para atuar como libertador” (Mathews).

Salvação? “Sexo, violência, estupro, massacre, brutalidade e fraude não parecem material adequado ao relato da história da salvação”. “Por isso, de certo modo, ficamos chocados sempre que lemos o livro de Juízes, pois deparamos com uma situação caótica” (Eugene Peterson).

Talvez, a maior lição de Juízes seja esta:

NÃO IMPORTA SE HOMEM OU MULHER, SÁBIO OU FORTE, LÍDER OU NÃO… INDEPENDENTE DE JESUS – O JUSTO JUIZ – JAMAIS HAVERIA SOLUÇÃO PARA O PECADO, NEM SALVAÇÃO AO PECADOR!

Assim, poderás reavivar-te estudando Juízes! – Heber Toth Armí.

Quero conhecer tua reação ao dedicar 21 dias meditando no livro de Juízes. Escreva aqui:



JUÍZES 20 – Comentário Pr. Heber Toth Armí by Jeferson Quimelli
27 de fevereiro de 2016, 21:29
Filed under: Sem categoria

JUÍZES 20 – Se Israel tivesse sido fiel a Deus… Se os levitas tivessem se comprometido com sua função sacerdotal… Se a busca pelos princípios espirituais fossem levados mais a sério… o livro de Juízes não existiria!

Após o levita espalhar os pedaços de sua esposa-prostitua às doze tribos de Israel, a situação ficou complicada. Observe o esboço deste capítulo extraído do Comentário Bíblico Adventista:

1. O levita declara sua afronta em uma assembleia geral (vs. 1-7);

2. A declaração da assembleia (vs. 8-11);

3. Os benjamitas resistem contra os israelitas (vs. 12-17);

4. Os israelitas perdem quarenta mil soldados em duas batalhas (vs. 16-25);

5. Por meio de uma tragédia, destroem todos os benjamitas, exceto seiscentos (vs. 26-48).

A depravação da religião resulta em depravação da sociedade. A depravação da sociedade gera um ambiente perigoso. Uma corruptela da moralidade torna as pessoas cruéis, agressivas e corrompidas. Não há outra explicação para uma nação em conflito e rebelião, confusão e exacerbada corrupção.

Pequenas concessões aos pecados resultam em grandes confusões. Uma guerra civil no povo de Deus nos dias dos juízes deixou claro como o pecado é vil. Desgraças e caos social promovem reavivamentos, mas não verdadeiros. Observe:

“Uma vez arrefecida a fúria, as onze tribos deram-se conta que haviam praticamente exterminado uma tribo de Israel e caíram em pranto […]. Ofereceram sacrifícios ao Senhor, mas não há registro algum de que o povo tenha se humilhado, confessado seus pecados e buscado ajuda do Senhor” (Warren W. Wiersbe).

Enfim,

· Nem toda contrição, tristeza e arrependimento resulta em humilhação, restauração e perdão divino.

· Nem todo movimento coletivo em prol da justiça é um reavivamento justo perante Deus.

· Reavivamento que não resulta em reforma de vida, de coração e que leve a um compromisso com Deus e Seus sagrados princípios não passa de uma fraude do verdadeiro reavivamento.

· Compromisso insuficiente com Deus gera espiritualidade deficiente, fé decadente e fervor deprimente.

Os últimos capítulos de Juízes são como apêndice apresentando as condições religiosas, políticas e sociais do povo de Deus nos dias dos doze juízes apresentados nos capítulos 3 a 16, imediatamente à conquista da Terra Prometida. Após Deus ter feito tanto e cumprido o que havia prometido a eles, é assim que eles reagiram. E quanto a nós? – Heber Toth Armí.



Tema10 – 10 Dias de Oração – VERDADEIRA ADORAÇÃO by Jeferson Quimelli
27 de fevereiro de 2016, 10:04
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: