Reavivados por Sua Palavra


O Livro de Rute by jquimelli
28 de fevereiro de 2016, 15:00
Filed under: Sem categoria



Juízes 21 by jquimelli
28 de fevereiro de 2016, 5:26
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

No capítulo anterior (20) os israelitas vencedores haviam tomado a decisão de proibir qualquer israelita de dar sua filha como esposa a um benjamita e selado esta decisão com um juramento. Esta decisão foi inteiramente deles, não do Senhor, e criou um problema aos próprios israelitas para encontrar uma maneira de salvar o que restou da tribo de Benjamim.

Eles então decidem destruir a cidade e os habitantes de Jabes-Gileade – homens, mulheres e crianças, mas encontraram 400 virgens que mantiveram vivas para se tornarem esposas para seus irmãos benjamitas.

Em tudo isso, os israelitas estavam mais preocupados com as conseqüências de quebrar um juramento que tinham feito, do que com o bem-estar de seus irmãos. De maneira hipócrita, violaram o espírito do juramento sem realmente quebrá-lo. Seu temor do Senhor era cego, centrado apenas em seus próprios interesses.

Muitos professos cristãos de hoje têm uma “fé” egoísta. Eles fazem apenas o necessário para satisfazer os requisitos mínimos da Lei e nada mais. É uma obediência superficial, legalista, sem obedecer ao espírito de amor da Lei.
Você já se percebeu pensando e agindo desta maneira?

Você obedece a Deus porque você deve ou porque você O ama? O Senhor deseja “misericórdia, e não sacrifícios; conhecimento de Deus em vez de holocaustos” (Os 6:6 NVI).

Justo Morales
Southern Adventist University

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/jdg/21 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jdg/21 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jdg/21/
Texto original expandido em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/12/03/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Juízes 21
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 12



Juízes 21 Comentários selecionados by jquimelli
28 de fevereiro de 2016, 5:15
Filed under: Sem categoria

Esta seção de Juízes, dos capítulos 17-21, termina com as já conhecidas declarações: “Naquela época não havia rei em Israel” (18:1, 19:1 e 21:25); e “cada um fazia o que lhe parecia certo.” (17:6 e 21:25). Os israelitas tentaram resolver seus problemas por si próprios sem uma liderança espiritual e moral como a que Moisés e Josué forneceram e erraram feio. Embora o Senhor concedesse a vitória aos israelitas nas guerras, eles não buscaram a orientação de Deus nos acontecimentos subsequentes e trilharam um caminho que era direito apenas aos seus próprios olhos….

Os israelitas sentem-se agora obrigados a manter seu voto a todo custo, para não trazer uma maldição sobre si mesmos (21:18). A solução cruel a que chegam é totalmente irrazoável [legalista] e revoltante. Justo Morales, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/12/03/

 

[A razão apontada por muitos comentaristas para que Jabes-Gileade não tenha atendido à convocação marcial para lutar contra os benjamitas seria porque a tribo de Manassés, da qual faziam parte, tinha fortes laços com os benjamitas, por serem todos descendentes de Raquel e porque também não haviam comparecido à festa espiritual especialmente convocada  em Siló para oferecer sacrifícios ao Senhor.]



Não desista! by jquimelli
28 de fevereiro de 2016, 4:44
Filed under: Sem categoria

Prezado leitor,

se você,como nós, também ficou um tanto abatido e teve o estômago embrulhado pelas atrocidades e desvios relatados nas leituras bíblicas de Juízes deste final de semana, não desista!
Logo em frente, na inspiradora história de Rute, o Redentor é anunciado.
Por mais que não seja algo agradável de se ver, a época de Juízes reflete bem o caminho do homem quando afastado de Deus.
Faz parte da “plenitude do tempo” anunciada por Paulo em Gal:4:4-5, que mostrou claramente a desesperada necessidade que o mundo tem de Jesus.
Do mesmo modo, se a tua vida está turbulenta, não desista!
Confie na soberania de Deus e em Sua capacidade em transformar a sua vida num livro inspirador e de ânimo para os que estão carentes de Deus.



Juízes 21 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
28 de fevereiro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

JUÍZES 21 – Nota-se nestes últimos capítulos que, infelizmente, a espiritualidade pura do povo de Deus foi contaminada pelo lixão teológico dos pagãos.

A cultura do Céu instituída por Deus ao Seu povo, revelada em Sua Palavra, fora suplantada pela ideologia reinante da cultura secular. O sincretismo religioso era positivo porque, ainda que misturada com tradições humanas restavam ideias de um Deus verdadeiro.

A igreja nunca precisou de críticos para reformá-la, mas de exemplos positivos para influenciá-la. A frase citada três vezes (17:6; 18:1; 19:1;) no livro, “Naquele tempo, não havia rei em Israel. As pessoas faziam o que bem entendiam”, encerram as últimas palavras de Juízes.

Não havia quem guiasse o povo na lei de Deus. “O pecado humano precisa de governos que imponham a moralidade” (Kenneth A. Mathews).

• Neste último capítulo, o autor demonstra como soluções humanas para o pecado podem trazer maiores problemas; que fazer justiça com as próprias mãos pode resultar em terríveis desgraças; e, o que resta será lamentar o caos perante Deus, O qual não é responsável pela desgraça causada pelo pecado de ninguém (vs. 1-5).

• Sobraram 600 homens e nenhuma mulher da tribo de Benjamim – era o fim dessa tribo; os restantes dos israelitas tiveram pena. Por isso, criaram uma estratégia estranha para lograr que a tribo não fosse extinta de uma vez. A parte positiva é que deu certo! (vs. 6-24).

Analisado Juízes com oração e atenção, nota-se que, “justamente aqueles que Deus Se propõe a usar como Seus instrumentos para uma obra especial, Satanás, empregando seu máximo poder procura transviar” (Ellen G. White). Contudo, “a salvação é o alvo para o qual Deus dirigia e dirige a história. Como Senhor da história, Deus era livre para escolher qualquer pessoa para atuar como libertador” (Mathews).

Salvação? “Sexo, violência, estupro, massacre, brutalidade e fraude não parecem material adequado ao relato da história da salvação”. “Por isso, de certo modo, ficamos chocados sempre que lemos o livro de Juízes, pois deparamos com uma situação caótica” (Eugene Peterson).

Talvez, a maior lição de Juízes seja esta:

NÃO IMPORTA SE HOMEM OU MULHER, SÁBIO OU FORTE, LÍDER OU NÃO… INDEPENDENTE DE JESUS – O JUSTO JUIZ – JAMAIS HAVERIA SOLUÇÃO PARA O PECADO, NEM SALVAÇÃO AO PECADOR!

Assim, poderás reavivar-te estudando Juízes! – Heber Toth Armí.

Quero conhecer tua reação ao dedicar 21 dias meditando no livro de Juízes. Escreva aqui:




%d blogueiros gostam disto: