Reavivados por Sua Palavra


Juízes 12 – Comentários selecionados by jquimelli
19 de fevereiro de 2016, 7:08
Filed under: Sem categoria

os homens de Efraim. Do oeste do rio Jordão. Desta vez, os efraimitas foram mais odiosos e agressivos do que com Gideão, que lhes deu uma resposta branda, para evitar uma guerra civil (8.1-3). Bíblia de Estudo Andrews.

Assim como Gideão, Jefté teve problemas com Efraim (8.1-5); diferentemente de Gideão, deixou resultar em guerra civil. Havia lastimável falta de união em Israel. Bíblia de Genebra.

O ressentimento da tribo de Efraim não teve razão de ser. Gileade e Jefté teriam rogado aos efraimitas o seu auxílio para a expulsão dos amonitas, sem sequer receber resposta. Mas, depois da grande libertação do Senhor, indignaram-se, ao perceberem que a sua posição de tribo principal passara para os gileaditas. Bíblia Shedd.

A tribo de Efraim é mostrada de forma desfavorável tanto em Juízes 8:1-3 como neste verso. Eram passivos em tempos de opressão e arrogantes quando outras tribos tomavam a iniciativa e obtinham vitória. Gideão foi conciliador e ignorou a grosseria deles, mas Jefté não estava disposto a se tornar subserviente. A reclamação resultava do desejo de ser considerada como a tribo israelita líder. O orgulho levou a tribo a se ressentir de não ter tomado parte na glória da vitória. Além disso, eles negavam a Gileade o direito de ação independente, e mais ainda o de escolher um governante. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 392.

Fugitivos sois de Efraim. Toda a força da provocação se perdeu no tempo devido á falta de detalhes. Pode ter surgido um ciúme feroz entre os manassitas que viviam a leste do Jordão, e o resto de Manassés e seus parentes próximos, os efraimitas, no oeste da Palestina. Os manassitas no leste permitiram que a proximidade do clã e as ligações familiares definhassem e passaram a se identificar cada vez mais com as tribos pastorais de Rúben e Gade, entre as quais viviam. Por causa desse cisma na ligação entre os membros de uma tribo, os efraimitas os provocavam, chamando-os de fugitivos, isto é, a escória e a classe mais baixa dos parentes tribais no oeste. CBASD, vol. 2, p. 393.

os gileaditas tomaram os vaus do Jordão. Eliminando a rota de fuga de volta para o território efraimita. Bíblia de Estudo Andrews.

Gileade estava a leste do Jordão e Efraim, ao oeste. Bíblia de Genebra.

fugitivo de Efraim. No hebraico, estas são exatamente as mesmas palavras com as quais os efraimitas insultaram os homens de Gileade pouco tempo antes. Nesse momento, os efraimitas eram os fugitivos. CBASD, vol. 2, p. 393.

És tu efraimita? Havia uma considerável movimentação através dos vaus do Jordão. O objetivo era distinguir os fugitivos dos inocentes viajantes e comerciantes. Os homens que pouco antes se gabavam de sua tribo, estavam dispostos a negar qualquer relação com ela a fim de salvar a vida. CBASD, vol. 2, p. 393.

chibolete. A palavra significa “espiga de milho” ou “inundação”, mas não é o sentido que importa, pois a pronúncia gileadita servia de senha. Bíblia de Estudo Andrews.

Os efraimitas falavam um dialeto hebraico com pequenas divergências na pronúncia. No seu falar, o som ch se pronunciava em s de um modo tal que não conseguiam evitar serem descobertos. Aquela derrota invalidou definitivamente as esperanças de Efraim ser a tribo líder. Bíblia Shedd.

Jefté… julgou a Israel seis anos. O governo de Jefté foi o mais curto de todos os juízes. CBASD, vol. 2, p. 393.

Os juízes anteriores ficavam na liderança durante quarenta ou oitenta anos e a paz durava uma ou duas gerações. O governo abreviado de Jefté, o aumento de deuses sendo adorados e a guerra civil com Efraim contribuem para a decadência moral cada vez maior de Israel. Bíblia de Genebra.

Ibsã e Abdom (v.13) exibiram riqueza e poder nas tribos (cf 10.1n). Bíblia Shedd.

Belém. Não a cidade de Judá onde Jesus nasceu, mas outra do mesmo nome, na Galiléia [na tribo de Zebulom, a atual Beit Lahm] (Js 19.15). Bíblia Shedd.

Provavelmente a Belém no oeste de Zebulom. Bíblia de Estudo NVI Vida.

casou fora. Isto é, fora do clã, ou até da tribo. Isto indica o destaque da família. Bíblia Shedd.

Ibsã tinha uma política definida quanto a fortalecer sua posição através dos casamentos mistos. ele casou as 30 filhas com homens de outras tribos e também tomou 30 filhas de outras tribos para seus filhos. Esta informação foi registrada para mostrar que Ibsã foi um grande homem e tinha muita influência. Além disso, o fato de que viveu para ver os 60 filhos casados indica que teve vida longa e próspera, apesar de ter governado Israel por somente sete anos, possivelmente os seus últimos. Talvez ele tenha alcançado a posição de juiz por causa da política de construir relacionamentos amigáveis com outras tribos através de casamentos mistos. Houve paz durante a sua liderança. CBASD, vol. 2, p. 393, 394.

11 Elom. O nome significa”um terebinto”. Os orientais geralmente adotavam nomes de árvores. CBASD, vol. 2, p. 394.

13 Abdom… quarenta filhos. São mencionados somente os membros da família do sexo masculino. Sem dúvida ele teve muitas filhas também. Novamente, a família numerosa é citada como evidência de riqueza e posição. Também demonstra a difusão da poligamia entre aqueles que podiam custear várias esposas. CBASD, vol. 2, p. 394.

de Hilel. Significa “adorando”. Esta é a primeira ocorrência de um nome que, mais tarde, se tornou famoso entre os judeus e que aparece somente neste verso. O Hilel que aparece posteriormente foi líder de uma das escolas de pensamento judaicas, pouco antes do tempo de Cristo, e é considerado como o maior de todos os rabis judeus. CBASD, vol. 2, p. 394.

14 setenta jumentos. Abdom tinha poderes e riquezas virtualmente como uma realeza (10.4). Bíblia de Genebra.

15 região montanhosa dos amalequitas. Desconhece-se o fundo histórico dessa referência; a não ser nessa passagem, os amalequitas estão associados ao Neguebe (Nm 13.29). Bíblia Shedd.

Os amalequitas fixaram residência no Neguebe, ao sul de Judá. No entanto, o nome desse local indica que, em certa época, eles avançaram para o norte até a região de Efraim, numa incursão que fez com que seu nome fosse atibuído a essa área particular. Eles podem ter sido derrotados lá, ou um pequeno número deles pode ter sido autorizado a estabelecer-se na região, em épocas anteriores. CBASD, vol. 2, p. 394.



Tema 2º Dia 10 DIAS DE ORAÇÃO by jquimelli
19 de fevereiro de 2016, 1:31
Filed under: Sem categoria



Juízes 12 by jquimelli
19 de fevereiro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Em vez de agradecer a Jefté por derrotar os opressores de Israel, os efraimitas ficaram com inveja do sucesso que Jefté obteve sem eles. Previamente, vimos que os efraimitas tinham um senso exagerado de auto-valorização (Jz. 8:1) e desta vez, seu orgulho ferido os levou a um confronto desnecessário. Jefté ajuntou o exército gileadita e foi à guerra contra Efraim. Os efraimitas não foram apenas derrotados na batalha, eles foram abatidos aos milhares a sangue frio (vs. 5-6).

É tentador pensar que os efraimitas receberam o que mereciam. A questão, entretanto, não é o que mereciam, mas se era vontade de Deus que eles fossem punidos. Como Jefté, muitas vezes somos rápidos em condenar nossos irmãos quando eles nos prejudicam e não hesitamos em acertar as contas com o nosso irmão ou irmã que nos ofendeu.

Quando seguidores de Cristo brigam, Satanás ganha. Quando permitimos que o orgulho governe nossos corações, não importa quão certo pensemos estar, somos um tropeço para o testemunho de Jesus. A entrega pessoal diária do eu não só protege nossos corações do pecado, mas também impede de nos tornarmos uma arma usada por Satanás para atacar a nossos irmãos e irmãs.

Justo Morales
Southern Adventist University

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/jdg/12 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jdg/12 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jdg/12/
Texto original expandido em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/11/24/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Juízes 12
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 8-9



Juízes 11 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
19 de fevereiro de 2016, 0:18
Filed under: Sem categoria

JUÍZES 11 – Um grande homem não depende das circunstâncias, depende da dependência que ele tem de Deus. Ninguém é tão grosseiro, traumatizado e marginal que Deus não possa operar através dele e fazer história que culmina em vitória.

Deus atendeu as necessidades do povo quando este abandonou suas iniquidades, arrependeu dos pecados e buscou a Deus de todo coração. Então, “levantou-se um libertador na pessoa de Jefté, gileadita, o qual fez guerra contra os amonitas, e destruiu eficazmente o seu poderio” (Ellen G. White).

• Nossas angústias podem ser expulsas de nossa vida se tivermos a atitude correta diante de Deus; entretanto, preferimos apegar aos pecados que nos destroem.

Note este alerta de White. “Semelhantes a Israel, muito frequentemente os cristãos se rendem à influência do mundo, e conformam-se a seus princípios e costumes, a fim de obter amizades dos ímpios; mas no fim achar-se-á que tais professos amigos são os mais perigosos adversários”.

Por 18 anos o povo esteve sob a pressão de inimigos que os atormenta por negligência à oração. Se o povo reclama, não clama; se apenas chora, não ora. Entretanto, ao orar e clamar, coisas incríveis acontecem:

• Deus levanta alguém mesmo quando não tem ninguém com o perfil adequado (vs. 1-3);
• Deus mostra o nível de comprometimento de um líder para libertar Seu povo de mãos inimigas (vs. 4-11);
• Deus concede dons, sabedoria e habilidades ao líder para alcançar o sucesso almejado por Ele (vs. 12-40).

Cuidado com pré-julgamentos. Quem parece cristão pode ser ou tornar-se pagão; em contrapartida, quem parece não ter perfil para realizar planos divinos pode tornar-se poderoso instrumento de Deus.

Cuidado com interpretações impróprias. Jefté já foi considerado por intérpretes como assassino sem escrúpulo de sua filha; entretanto, creio ser inadmissível tal conclusão. Jefté conhecia os princípios divinos, estava cheio do Espírito Santo, etc. portanto, sua declaração designava oferecer a Deus um sacrifício e consagrar a Deus à primeira pessoa que lhe saísse ao encontro após obter a vitória dependo de Deus.

A verdade é que seguir a vontade de Deus traz prosperidade. A capacidade humana vinculada ao Espírito Santo alcança alturas inimagináveis. Jefté experimentou isso. Tanto é que ele fez uma promessa caso obtivesse a vitória que talvez pensou que nunca precisaria cumpri-la.

Entendeu? Então, compartilhe! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: