Reavivados por Sua Palavra


I Coríntios 9 by jquimelli
23 de março de 2015, 1:00
Filed under: evangelismo, liderança, serviço | Tags: , ,

Comentário devocional:

Depois de lidar com uma série de questões que vão da sexualidade à alimentação, o apóstolo Paulo agora fala aos crentes de Corinto sobre as  motivações para o comportamento. Por trás das ações deve haver um padrão de auto-negação. Isso é importante porque erram aqueles que simplesmente fazem valer os seus “direitos” (v. 4). Em vez de fazer valer os seus direitos individuais, eles devem suportar “tudo para não colocar obstáculo algum ao evangelho de Cristo” (v 12 NVI).

No cerne da questão está o evangelho: “Contudo, quando prego o evangelho, não posso me orgulhar, pois me é imposta a necessidade de pregar. Ai de mim se não pregar o evangelho!”(v 16 NVI). Esse serviço deve ser feito de boa vontade. Como um líder cristão, ele lhes lembra que ele tem uma responsabilidade sagrada de não abusar de sua autoridade (v 18).

Nos versos 19 a 23 o apóstolo Paulo recorda seus leitores que um verdadeiro líder é focado no serviço. Como servo demonstra um espírito flexível, pois servir não tem a ver com ser líder, mas com Jesus! “Para com os fracos tornei-me fraco, para ganhar os fracos. Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns” (v 22 NVI).

O espírito de sacrifício e serviço descrito pelo apóstolo Paulo é o mesmo espírito que exibiu o presidente da Associação Geral William A. Spicer. O que muitos adventistas provavelmente não têm conhecimento é que uma das mais incomuns sessões da Conferência Geral na história denominacional ocorreu em 1922. A igreja estava tentando decidir se reelegia A. G. Daniells como presidente da Associação Geral ou se elegia W. A. Spicer que, durante a sessão da Conferência Geral prometera à esposa que iria se aposentar. Um dos documentos mais fascinantes da história adventista é a carta que ele escreveu a sua mulher explicando como ele se tornara presidente eleito da Conferência Geral. Ele encerrou a carta com as palavras: “No reino de Cristo não há posições de honra, mas [apenas] posições de serviço.” Estas são as palavras que devemos viver ao buscarmos lembrar o verdadeiro espírito de sacrifício do cristianismo.

Em conclusão, o apóstolo Paulo nos lembra de exercer o controle em todas as coisas, como o “atleta em tudo se domina” (v 25 ARA). Quando as nossas prioridades estão na ordem certa, estamos dispostos a nos disciplinar para servir (v 27). Assim, alcançamos o equilíbrio que inicia com nossas motivações e transforma todos os aspectos de nossas vidas para Cristo.

Michael W. Campbell, Ph.D.
Professor Assistente, Estudos Históricos / Teológicos
Instituto Adventista Internacional de Estudos Avançados
Filipinas

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1co/9/

Traduzido por JAQ/GASQ           
Texto bíblico: I Coríntios 9 
Comentários em áudio 



Atos 28 – Comentários selecionados by jquimelli
26 de fevereiro de 2015, 0:00
Filed under: Evangelho, evangelismo, influência, testemunho | Tags: , , ,

1 Malta. Conhecida por Melita pelos gregos e romanos. Fazia parte da província da Sicília, estando localizada 92 km ao sul dessa grande ilha. Bíblia de Estudo NVI Vida.

2 bárbaros (ARA; NVI: habitantes da ilha). Do gr. barbaroi, palavra originada de uma onomatopéia, aplicada a povos cujo idioma soava como grunhidos rudes aos ouvidos gregos e romanos (ver com. de Rm 1:14). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 499.

Os gregos davam esse nome a todos os povos que não falavam o grego. Longe de ser membros de tribos sem civilização, eram de antecedência fenícia e falavam um dialeto fenício, mas também tinham sido totalmente romanizados.

A ilha de Malta era governada por romanos desde a Segunda Guerra Púnica (ver vol. 5, p. 13).  CBASD, vol. 6, p. 499.

Singular humanidade. Ou seja, com uma humanidade ou gentileza “fora do comum” (ver At 19:11), texto em que a mesma expressão grega é traduzida por “extraordinários”. CBASD, vol. 6, p. 499.

estava chovendo e fazia frio. Era fim de outubro ou início de novembro [início do inverno no hemisfério norte]. Bíblia de Estudo NVI Vida.

3-5 uma víbora prendeu-se-lhe á mão. Por terem sangue frio, as cobras podem tornar-se rígidas e sem movimento no clima frio, e Paulo deve ter pego a serpente junto com os gravetos. Alguns sugerem que a serpente não era venenosa, mas a palavra grega traduzida por “víbora” no v. 4, é usada para designar animais perigosos e cobras venenosas, e há pouca razão para duvidar da identificação dos ilhéus da cobra como sendo venenosa. Bíblia de Genebra.

5 sacudindo. Paulo permaneceu calmo e sereno diante desse novo perigo. Deus não prometera que ele compareceria perante César? CBASD, vol. 6, p. 500.

6 nenhum mal. Assim foi cumprida a promessa de Cristo em Lc 10.19. Bíblia Shedd.

mudando de parecer, diziam ser ele era um deus. Correspondente à tentativa dos habitantes de Listra de adorar a Paulo e a Barnabé (14.11-18). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Os pagãos na antiguidade atribuíam divindade aos homens com a maior facilidade, muito contrário aos judeus. Bíblia Shedd.

mudando de parecer. Existe alguma ironia na reavaliação que os ilhéus fizeram do caráter de Paulo – de um assassino destinado à morte para o de um deus. Isto relembra os eventos de Listra, onde primeiro o povo aclamou Paulo e Barnabé como deuses e, então, apedrejaram Paulo quase até à morte (14.11-20). Bíblia de Genebra.

7 homem principal. Do gr. protos, “primeiro”, isto é, líder. CBASD, vol. 6, p. 500.

A arqueologia confirma que este era o título oficial do governador de Malta. Bíblia Shedd.

11 Passados três meses. Isto é, depois que a temporada de tempestades passou e voltou a ser seguro seguir viagem. CBASD, vol. 6, p. 500.

Foram obrigados a permanecer ali até o início da estação, em fins de fevereiro ou início de março. Bíblia de Estudo NVI Vida.

navio alexandrino. Provavelmente, outro navio com grãos egípcios (cf. At 27:6, 38). CBASD, vol. 6, p. 500.

emblema. Uma provável referência à figura de proa no navio, abaixo do gurupés. CBASD, vol. 6, p. 500.

Dióscuros. Do gr. Dioskouroi, literalmente, os “gêmeos”, os lendários filhos de Júpiter [Zeus, para os gregos] e Leda. Os nomes latinos dos dois eram Castor e Pólux, chamados de Gemini. CBASD, vol. 6, p. 500.

Algumas traduções [como a NVI] tem Castor e Polux, adorados como protetores dos marinheiros. Bíblia Shedd.

De sua experiência recente (27:1-44), Lucas conhece muito bem a identidade do Guardião real dos navegantes. Andrews Study Bible.

12 Siracusa. A principal cidade [e porto] da Sicília, na costa sudeste da ilha. No passado, fora uma colônia grega e cenário de um grande desastre naval ateniense durante a guerra do Peloponeso. É provável que o grupo tenha passado três dias ali à espera de ventos favoráveis. CBASD, vol. 6, p. 500.

13 bordejando. Do gr. perierchomai, literalmente , “ir em volta”, “fazer um circuito”; neste caso, uma provável manobra em zigue-zague, a fim de progredir em face de ventos desfavoráveis. CBASD, vol. 6, p. 500.

vento sul. Era possível singrar para o norte, em vez de fazer movimentos de ziguezague, como fora necessário de Siracusa até Régio. CBASD, vol. 6, p. 500.

Putéoli. Atual Pozzuoli, a quase 320 km de Régio. Estava situada na parte norte da baía de Nápoles, sendo o porto principal de Roma, embora dela distasse 120 km. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Já existia igreja ali. Bíblia Shedd.

15 Tendo ali os irmãos ouvido notícias nossas. Paulo escrevera sua carta à Igreja de Roma uns três anos antes. Conhecidos e convertidos de Paulo também chegaram antes dele (Rm 16). Bíblia Shedd.

A semana de intervalo em Putéoli dera tempo para que a notícia da chegada de Paulo passasse ao conhecimento dos cristãos em Roma. A capital estava em constante comunicação com Putéoli, por causa de seu porto. A chegada de navios era relatada prontamente, com informações tanto da carga quanto da lista de passageiros. CBASD, vol. 6, p. 501.

A Praça de Ápio (Apii Forum) estava a 65 km de Roma e Três Vendas [Pousadas, Tabernas] a 48 km. Paulo muito apreciou o apoio e amizade dos cristãos, assim como nós também deveríamos apreciar. Andrews Study Bible.

Deu origem ao nome da famosa Via Ápia, que levava de Roma a Brindisi. … Ali uma delegação de Roma aguardava Paulo. CBASD, vol. 6, p. 501.

dandograças a Deus. Todos os cristãos que já passaram por experiências de provação se identificam prontamente com a gratidão de Paulo pela viagem segura. CBASD, vol. 6, p. 501.

sentiu-se mais animado. Paulo era hábil em encontrar motivos para ter grande esperança em meio às circunstâncias mais desanimadoras (ver 2 Co 4:7-10; AA, 449). Era um cristão otimista, convicto e inabalável. CBASD, vol. 6, p. 501.

16 Uma vez em Roma. O leitor do último capítulo de Atos fica com o ávido desejo de que houvesse um relato mais completo da experiência de Paulo e m Roma. Talvez Lucas tivesse a intenção de acrescentar mais detalhes ou de começar um novo livro com a chegada de Paulo à cidade. CBASD, vol. 6, p. 501.

Um dos motivos principais de Lucas é historiar o avanço do evangelho desde Jerusalém até os “confins da terra” (1.8) que seria Roma, uma vez que lá havia representantes de todo o mundo. Bíblia Shedd.

morar por conta própria. “…na casa que havia alugado”. Não cometera nenhum crime flagrante, não sendo rival político perigoso. Por isso, foi-lhe permitido ter moradia própria, sempre, porém, com um guarda a acompanhá-lo (Ef 6.20; Fp 1.13, 14, 17; Cl 4.3, 18; Fm 10.13). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Sem dúvida, consideração demonstrada no tocante à moradia de Paulo se deveu, em parte, ao centurião Júlio, que ainda estava com a custódia do apóstolo quando este chegou a Roma. Paulo fora responsável, em grande parte, pelo sucesso da parada de emergência em Malta, junto com outras evidências de seu caráter nobre, sabedoria assinalada e poder espiritual, isso lhe conquistara o favor e a gratidão do centurião. Sem dúvida, tudo foi incluído no relatório a seu respeito, junto com a declaração enviada por Festo. CBASD, vol. 6, p. 502.

Note que Paulo está preso por cadeias. Andrews Study Bible.

que o guardava. O soldado ficaria acorrentado a Paulo (ver verso 20), com o grilhão indo de um dos pulsos do guarda até um pulso do apóstolo. O apóstolo faz alusões frequentes a estas cadeias nas epístolas escritas durante o período em que ficou preso em Roma (Ef 6:20; Fp 1:7, 13, 14, 16; Cl 4:3, cf. At 28:20). Qual deve ter sido o efeito, sobre um soldado pagão, de ficar acorrentado, hora após hora, ao apóstolo Paulo? Qual seria o efeito sobre um pagão que ficasse acorrentado, desta mesma maneira, a um de nós? À medida que os guardas eram trocados, os efeitos da vida de Paulo sobre eles durante os dois anos de prisão devem ter se difundido amplamente por toda a corporação (ver com. de Fp 1:13). CBASD, vol. 6, p. 502.

17 os principais [NVI: líderes] dos judeus. O decreto do imperador Cláudio (ver 18.2) [anterior a Nero] tinha caído em desuso, e os judeus tinham voltado a Roma com os líderes deles. Bíblia de Estudo NVI Vida.

A regra de Paulo sempre fora “primeiro do judeu e também do grego” (Rm 1:16; 2:9; cf. At 13:5, 14, 46; 17:1, 2, 10; 18:4; etc). Então, ele convidou os anciãos dos judeus a ouvirem um relato direto sobre como ele fora parar em Roma. CBASD, vol. 6, p. 502.

irmãos. Epíteto [qualificação] que reconhecia o sangue judaico que Paulo tinha em comum com eles [os judeus]. Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 quiseram [os romanos] soltar-me. Ou, “colocar-me em liberdade” (comparar com At 25:25; 26:32). Se o corrupto governador Félix houvesse recebido suborno como esperava, sem dúvida teria libertado Paulo (At 24:26). Todos os oficiais perante os quais o apóstolo comparecera tinham certeza de sua inocência, assim como os tribunos da guarda. CBASD, vol. 6, p. 502.

19 nada de que acusar. Paulo amava o povo judeu (ver Rm 9:1-3; 10:1) e o afeto que sentia por seus compatriotas não diminuíra depois de sofrer nas mãos deles. A despeito da injustiça que enfrentava, Paulo não os culpava. CBASD, vol. 6, p. 504.

Paulo quer que fique bem claro que não apelara para César com a intenção de acusar os dirigente da nação judaica. Bíblia Shedd.

20 esperança de Israel. Isto é, a expectativa da vinda do Messias. Paulo cria que Jesus fora o cumprimento completo desta expectativa. Sua fé era a mesma de todos os judeus. O único e grande problema era a aplicação desta fé a Jesus, o nazareno. CBASD, vol. 6, p. 504.

é pela esperança de Israel que estou preso com esta cadeia. Na verdade, fora sua firme crença no judaísmo que o levara a ser preso. Ele preferia sofrer com as cadeias e até a morte a desistir da esperança de Israel. CBASD, vol. 6, p. 504.

21 Nós não recebemos nenhuma carta. Isto não era estranho. Seria improvável que um navio partindo de Cesareia, depois de Paulo apelar a César, chegasse a Roma antes dele. Logo, a mente daqueles judeus não se encontrava cheia de preconceito contra ele. Lucas não dá indícios da chegada de qualquer carta de Jerusalém contra o apóstolo durante os dois anos (v. 30) que ele passou em Roma, nem de providências que os líderes judeus tenham tomado contra ele (cf. AA, 453). CBASD, vol. 6, p. 504.

22 queremos ouviro que você pensa. Os judeus de Roma estavam bem conscientes da controvérsia em torno de Jesus ser ou não o Messias. Queriam ouvir do próprio Paulo, e ele estava bem disposto a fazer sua exposição antes que chegassem as ideias adversas dos líderes judaicos de Jerusalém. Bíblia de Estudo NVI Vida.

a respeito desta seita. Cf 24.5. O cristianismo já chegara em Roma (talvez levado pelos romanos presentes no Dia de Pentecostes, 2.10). A expulsão dos judeus por Cláudio (cf 18.1n) tornou os judeus ignorantes do evangelho de Cristo. É igualmente possível que os líderes não quiseram admitir quanto sabiam de Cristo esperando uma exposição de doutrina pelo grande Paulo. Bíblia Shedd.

por toda a parte, é ela impugnada. Entre os judeus devia haver muitos relatos nada lisonjeiros sobre os cristãos. Tácito escreveu os maiores disparates sobre a nova seita (Annals, xv.44), e Suetônio (Nero, xvi.2) é igualmente condenador. Justino Mártir (morte c. 165 d.C.) falou de calúnias contra os cristãos, provindas, com certeza, de fontes judaicas (Diálogo com Trifo, 17). CBASD, vol. 6, p. 504.

23-29 O segundo encontro, no qual Paulo apresenta e debate sobre Jesus, “desde a manhã até a tarde” (v. 23 NVI). A cena é uma conclusão apropriada para Atos ao ilustrar a estratégia evangelística consistente de Paulo (“primeiro aos judeus e depois aos gregos”; Rm 1:16), sua mensagem consistente (Jesus como Messias e Salvador; ver At 9:22), e a resposta usual (mista; 28:24). Paulo cita Is 6:9-10 (comparar com Mt 13:14-15). Como antes (At 22:21-22), a menção à salvação dos gentios interrompe o encontro (vv 28-29). Andrews Study Bible.

23 fez uma exposição. Embora preso, Paulo ainda assim conseguiu pregar o evangelho aos ouvintes judeus. Ele deve ter feito uma apresentação teológica bem pensada, comparável à de Estêvão (At 7:2-53) e ao sermão que ele próprio pregara em Antioquia da Pisídia (At 13:14-41). CBASD, vol. 6, p. 504.

testemunho. Ele testemunhou da esperança messiânica, então personificada em Jesus, e da certeza do retorno de Cristo. CBASD, vol. 6, p. 504.

reino de Deus Jesus. A esperança sobre o Reino se baseou na vida do messias conquistador. Através das profecias do AT Paulo tenta corrigir o conceito errado e persuadi-los que Jesus é o verdadeiro alvo da esperança dos judeus. Bíblia Shedd.

Lei de Moisés e nos Profetas. O Antigo Testamento (ver Lv 24.17, 44). Bíblia de Estudo NVI Vida.

24 algunsficaram persuadidos. Reação costumeira à pregação de Paulo (ver At 14:4; 17:4; 19:9). Na verdade, esta é a experiência de todo evangelista cristão. Ciente de que a consciência de cada ser humano é livre, ele deve dar graças a Deus pelos que creem e nunca se desanimar pelo fato de alguns não crerem. CBASD, vol. 6, p. 504.

25 bem falou o Espírito Santo a vossos pais. Paulo reconhece plenamente a inspiração dos autores humanos das Escrituras, neste caso Isaías. Bíblia Shedd.

26, 27 Esta citação de Is 6.9, 10, utilizada contra os judeus por Jesus (Mt 13.13ss e paralelos; Rm 11.8; Jo 12.39, 40) é frequente. Confirma que a rejeição de Cristo por Israel cumpre as profecias. Bíblia Shedd.

28 esta salvação de Deus é enviada ao gentios. O pensamento principal de Atos. O evangelho é para todos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

E eles a ouvirão. Paulo se dirige, em particular, aos judeus que se recusaram a ouvir (ver com. dos v. 24-26). Quando os judeus recusavam a mensagem desta forma, Paulo se voltava para os gentios. CBASD, vol. 6, p. 505.

É notável o fato de que a partir desta data os cristãos se preocuparam muito pouco com a evangelização dos judeus até os nossos dias. Bíblia Shedd.

30 dois anos inteiros. O mesmo termo técnico usado em 24.27. Paulo foi detido pelo período máximo legal, o que sugere que seu caso não foi ouvido pelo tribunal de César (talvez por falta de acusadores). Fm 22 revela a esperança que Paulo alimentava de logo ser liberto. Bíblia Shedd.

Parece que Lucas não foi guiado pelo Espírito ou pela própria inclinação a registrar os acontecimentos desses dois anos. Talvez ele planejasse escrever uma terceira obra para complementar Lucas e Atos. A única informação sobre esses dois anos vem das quatro epístolas do cárcere, as quais devem ter sido escritas em Roma nesse período: Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemom. Sabemos que o apóstolo sentiu o preço da prisão, tanto psicológica quanto fisicamente (Ef 3:1; 4:1; Fp. 1:16; Cl 4:18; Fm 1:9, 10). Ele se preocupava com o resultado de seu julgamento (Fp 2:23, 24). Sabemos que Lucas e Aristarco (At 27:2) estavam com ele, assim como Tíquico (Ef 6:21), que levou a epístola a Éfeso e a Timóteo, cujo nome é citado junto com o do apóstolo nas cartas, a Filipos (Fp 1:1), Colossos (Cl 1:1) e ao convertido senhor de escravos, Filemom (Fm 1). Epafrodito levou auxílio a Paulo, de Filipos (Fp 4:18). Onésimo, que fugira de seu senhor Filemom, fizera amizade com o apóstolo enquanto estava em Roma (Cl 4:9; Fm 10). Marcos, parente de Barnabé, e o converso Jesus, conhecido por Justo, além de Epafras de Colosso, também estavam com ele (Cl 4:10-12). Demas também estava lá (Cl 4:14; cf. 2 Tm 4:10). Embora fosse prisioneiro, o testemunho de Paulo foi tão eficaz durante esses anos que, no fim de seu encarceramento, pôde declarar: “as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho” (Fp 1:12). CBASD, vol. 6, p. 505.

sua própria casa, que alugara. Deve ter chegado apoio financeiro dos amigos de Roma e de outros lugares, em especial de Filipos (Fp 4:18), uma vez que Paulo não podia mais trabalhar manualmente para custear suas despesas pessoais. CBASD, vol. 6, p. 505.

recebia todos. Paulo desfrutava liberdade de comunicação. CBASD, vol. 6, p. 505.

31 sem impedimento algum. Nem imperador, tribuno ou guarda, nem judeu proibiram Paulo de proclamar o evangelho. O evangelista estava preso, mas a mensagem do evangelho, não. CBASD, vol. 6, p. 505, 506.

referentes ao Senhor Jesus Cristo. Este era o centro e o tema das conversas de Paulo. Este é o encerramento da história bíblica da igreja apostólica. Caso Lucas tenha escrito mais um relato, ele não se encontra mais disponível. Durante os anos que se seguiram à libertação de Paulo e em seu segundo período encarcerado, só encontramos pistas nas chamadas epístolas pastorais (1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito) e na tradição da igreja apostólica (ver também p. 88-90, 94, 95). CBASD, vol. 6, p. 506.

Paulo serviu ao Senhor (v. 31) enquanto esperou que seus acusadores levassem adiante o processo em Roma. Há vários indícios de que foi solto desse encarceramento: 1. Atos cessa abruptamente nessa ocasião. 2. Paulo escrevia às igrejas na expectativa de visitá-las em breve, de modo que deve ter previsto sua soltura (v Fp 2.24; Fm 22). 3. Vários pormenores das epístolas pastorais não se encaixam no contexto histórico de Atos. Depois do encerramento desse livro, esses pormenores mostram uma volta à Ásia Menos, a Creta e à Grécia. 4. Reza a tradição que Paulo foi até à Espanha. mesmo que não tenha ido, a própria existência da tradição faz supor um período em que possa ter feito essa viagem. Bíblia de Estudo NVI Vida.

30-31 Atos se encerra triunfantemente. Paulo havia expresso seu desejo, “Eu devo ver Roma” (19:21; Rm 15:23). O caminho foi difícil, mas Deus respondeu às orações de Paulo de ministrar em Roma. apesar de preso, Paulo, no coração do império romano, “ensinava a respeito do Senhor Jesus Cristo, abertamente e sem impedimento algum” (v. 31 NVI). O evangelho havia penetrado no centro do mundo. Dali, ele se espalharia para todo o mundo. Andrews Study Bible.

De 60 a 62 d.C., Paulo esteve sob prisão domiciliar pregando e ensinando a qualquer um que quisesse ouvir. Seu assunto pode ser resumido como o reino de Deus e Jesus cristo. No final de Atos, Paulo ainda não tinha sido julgado perante Nero, como o Senhor disse que iria acontecer (27.24). Parece que Paulo esperava ser inocentado e solto (Fp 1.25; 2.24; Fm 22). Isto deve ter ocorrido antes de 64 d.C., quando Nero incendiou Roma e acusou os cristãos desse crime. Quando solto, Paulo parece ter retomado seu ministério, indo até a Grécia (Nicópolis, Tt 3.12; Tessalônica, 2Tm 4.10), Grécia (Tt 1.5) e Ásia Menor (Éfeso, 2Tm 1.18; 4.12; Trôade, 2Tm 4.13; Mileto, 2Tm 4.20). Possivelmente ele foi até a Espanha (Rm 15.23-24, 28), como o escrito do século I de Clemente parece indicar. Em cerca de 67 d.C., Paulo foi preso novamente por Nero e executado. Em 2Tm 4.6-8, Paulo prevê o fim de sua vida. Bíblia de Genebra.



Atos 20 by jquimelli
18 de fevereiro de 2015, 1:00
Filed under: evangelismo, Trabalho de Deus | Tags: , , , ,

Comentário devocional:

O plano de Paulo para sua terceira viagem missionária era ir até Roma (Atos 19:21). Ele tinha estado em Antioquia, Atenas, Corinto e Éfeso (as grandes cidades do mundo Mediterrâneo), mas Roma era a maior e mais importante de todas. Ele não foi a Roma imediatamente, mas realizou muita coisa nesse meio tempo. Em Éfeso, ele escreveu cartas aos Coríntios, com muitas lágrimas, expressando sua preocupação para com eles (1Co 2:4). Além disso, ele decidiu ficar em Éfeso um pouco mais de tempo, tendo em vista o surgimento de novas oportunidades para o evangelismo (1Co 16:9). Neste momento, ocorreu em Éfeso o motim liderado por Demetrius (Atos 19:21-41) e Paulo voltou para Macedônia (Atos 20:1). Em Filipos, ele se encontrou com Tito, que retornava de Corinto trazendo a boa notícia da reação positiva à carta [1Co] que Paulo lhes escrevera (2 Cor 7:6-10). Mais à frente, o apóstolo foi a Corinto, onde permaneceu por três meses (At 20:2, 3). Enquanto ainda estava lá, ele escreveu aos Romanos, antecipando sua jornada para lá. 

Paulo iria navegar de Corinto a Jerusalém. Mas em vez disso decidiu retornar por terra, através da Macedônia, depois que tomou conhecimento de uma conspiração para matá-lo (Atos 20:3). Depois de uma semana com Lucas em Filipos, ele se reuniu com os outros homens em Trôade, onde ele ressuscitou Êutico no meio de um sermão que durou toda a noite (Atos 20:7-12)! Na parte da manhã, os companheiros de Paulo embarcaram em um navio que ia para Assos, mas Paulo decidiu ir a pé. Ele queria privacidade para pensar e orar (Atos dos Apóstolos, p.392). 

Novamente num navio, Paulo e sua equipe finalmente atracaram em Mileto, a 30 km de Éfeso. De lá, ele enviou uma mensagem para os anciãos para virem vê-lo. Quando chegaram, o apóstolo lhes disse: “Vocês sabem que não deixei de pregar-lhes nada que fosse proveitoso, mas ensinei-lhes tudo publicamente e de casa em casa” (v.20), proclamando “toda a vontade de Deus” (v.27 NVI). Ele lhes advertiu que “dentre vocês mesmos se levantarão homens que torcerão a verdade, a fim de atrair os discípulos. Por isso, vigiem! … ” (vv.30, 31 NVI). Então ele disse-lhes: “Cuidem de vocês mesmos … para pastorearem a igreja de Deus, que Ele comprou com o seu próprio sangue.”(v.28 NVI). 

O grande apóstolo focava nas duas funções do ancião, de acordo com o Novo Testamento. A primeira, ensinar a Palavra (1Tt 1:5, 9), para o rebanho crescer espiritualmente e não se extraviar. A segunda, liderar (Atos 20:28), isto é, pastorear o rebanho com sabedoria e habilidade, fazendo referência ao ministério dos pastores de hoje de pastorear e supervisionar, que também se aplica aos anciãos. 

Muitos que leem esse blog são líderes em sua igreja. Lembrem-se, vocês, de sua responsabilidade: ser um mestre da Palavra, e um pastor do rebanho. Estas são as duas principais responsabilidades de pastores e anciãos na igreja. Isto é o que Paulo fez, e, oh!, como ele amava o seu rebanho! (Atos 20:36-38). 

Ron E. M. Clouzet 
Diretor de Evangelismo do Instituto NAD
Professor do Ministério e Teologia do Seminário da Universidade Andrews

 

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/act/20/
Traduzido por JAQ/GASQ
Texto bíblico: Atos 15 
Comentário em áudio 



Atos 18 by jquimelli

Comentários devocional:

Corinto era “o mercado da Grécia.” A cidade foi construída em uma estreita faixa de terra [o Istmo de Corinto, que liga a parte norte à parte sul do país, o Peloponeso] onde todos os navios do leste e do oeste poderiam vir e realizar comércio. Todos das terras do norte e do sul trafegavam pela Grécia e também por Corinto. Sendo rica e cosmopolita, a cidade atraiu todos os tipos de pessoas. Era uma colônia de Roma, e por isso muitos cidadãos tinham nomes latinos, como Áquila e Priscila, Cláudio e Justus. A corrupção e a imoralidade em Corinto rivalizavam com seu mercado e comércio. A divindade principal era Vênus ou Afrodite, a deusa da beleza e do sexo. Mil sacerdotisas, prostitutas do templo, exerciam o seu comércio nas ruas da cidade todas as noites.

Quando Paulo foi a Corinto ele pensou muito sobre a sua experiência em Atenas. Ele estava indo para uma cidade igualmente cosmopolita e pagã como Atenas, porém menos sofisticada e mais imoral. Ele tomou uma decisão: iria se concentrar na cruz. Pregando na sinagoga, “seus ouvintes não podiam deixar de compreender que ele amava com todo o coração o Salvador crucificado e ressurgido.” Os Coríntios viram “que sua mente estava centralizada em Cristo, que toda a sua vida estava unida a seu Senhor.” (Atos dos Apóstolos, pp.247, 248). A maioria dos judeus rejeitou a mensagem da cruz, assim Paulo virou-se para os gentios (v.6). Ele começou a dar estudos bíblicos na casa de um romano, crente em Deus, e “dos coríntios que o ouviam, muitos criam e eram batizados.” (vv.7, 8 NVI).

Mas a cidade era tão imoral, tão voltada para o mal, que Paulo temia pelo tipo de igreja que esses crentes edificariam. Ele considerou mudar-se para “pastos mais verdes.” Foi quando Jesus interveio em nome dos Coríntios. Ele assegurou a seu servo, numa visão de noite, que tudo ficaria bem, e que Paulo deveria manter a pregação do evangelho, porque “muita gente nesta cidade” (v. 10 NVI) iria responder a seus labores. Paulo continuou lá por um ano e meio (v.11). Então, “uma grande igreja se alistou sob a bandeira de Cristo” naquele lugar (Atos dos Apóstolos, p.252).

Aqueles que trabalham para Deus encontrarão grandes desafios. O inimigo é poderoso. No entanto, Deus é maior e mais poderoso e ama infinitamente. Ele é capaz de salvar  “de um extremo a outro.” 

Nunca desista de fazer a vontade de Deus. Com Ele, todas as coisas são, de fato, possíveis. Depois da decepção em Atenas, e da falta de maturidade espiritual que era a perspectiva em Corinto, Deus usou os coríntios e os seus problemas para inspirar Paulo para escrever algumas das instruções mais importantes em todo o Novo Testamento.

Ron E. M. Clouzet
Diretor de Evangelismo do Instituto NAD
Professor de Ministério e Seminário Teológico da Universidade Andrews
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/act/18/
Traduzido por GASQ/JAQ
Texto bíblico: Atos 18 
Comentário em áudio 



Atos 18 – Comentários selecionados by jquimelli
16 de fevereiro de 2015, 0:22
Filed under: cuidado de Deus, evangelismo, imoralidade, testemunho | Tags: , , ,

1 Corinto. Capital da província da Acaia, centro de comércio e transporte marítimo, famosa pela baixa moralidade. Bíblia Shedd.

Desde 27 a.C., esta cidade tinha sido a capital da província romana da Acaia. … Corinto tinha mais de 200.000 habitantes, incluindo gregos, ex-escravos da Itália, veteranos do exército romano, empresários, oficiais do governo, gente do Oriente Próximo, um grande número de judeus e muitos escravos. Corinto era completamente pagã e imoral. A cidade era cheia de templos pagãos e, na parte sul, havia uma alta acrópole com um templo de Afrodite [deusa grega do amor]. A partir do século V a.C., a expressão “corintianizar” significava ser sexualmente imoral. Bíblia de Genebra.

A cidade de Corinto ficava no istmo e tinha um ancoradouro nas duas praias: um em Cencreia, a leste, e outro em Lecaion, a oeste. Tinha importância comercial desde o início da era grega. O comércio levava o povo à luxúria e ao vício. Ali Paulo começou a trabalhar, com resultados muito mais frutíferos do que em Atenas. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 379.

A cidade controlava o comércio movimentado por terra, do norte para o sul e por mar, do leste para o oeste (pequenos navios eram transportados em roletes de madeira; navios maiores eram descarregados e sua carga transportada atravessando o istmo. Andrews Study Bible.

2 Áquila. Nome latino que significa “águia”, cujo equivalente em grego é Akylas. …Era uma tendência comum dos judeus, quando moravam em países pagãos, dar nomes derivados de animais. CBASD, vol. 5, p. 379.

Priscila. … o casamento de Áquila e Priscila pode ser exemplo da influência de um judeu instruído com uma mulher da classe alta de Roma. A citação do nome de Priscila antes (At 18.18; Rm 16:3; 2Tm 4:19) se explicaria caso ela fosse uma nobre romana. O fato de ter participada da instrução de Apolo (ver At 18:26) sugere que era uma mulher culta. CBASD, vol. 5, p. 380.

Cláudio. Seu decreto expulsando os judeus de Roma foi baixado em 49 d.C. Suetônio (Claud, xxv 4) nos informa que o motivo foram os tumultos relacionados com um Chresto (conflitos entre judeus e cristãos). Bíblia Shedd.

Uma possível explicação para o decreto de Cláudio é que os cristãos foram para Roma após o Pentecostes e ocorreram tumultos li, como os de Antioquia da Pisídia (At 13:50), Listra (At 14:19), Tessalônica (At 17:5-8) e Bereia (At 17:13). O nome de Cristo estava nos lábios tanto daqueles que O aceitavam quanto dos que rejeitavam Sua afirmação de ser o Messias. … Áquila e Priscila estavam com o apóstolo em Éfeso quando ele escreveu a primeira epístola aos Coríntios (1Co 16:19). CBASD, vol. 5, p. 380, 381.

3 fazer tendas. Melhor, “trabalhar em couro”. Bíblia Shedd.

Paulo teria aprendido a profissão já na mocidade. Era costume dos judeus, que ricos, quer pobres, dar treinamento manual aos filhos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Tarso era célebre, tanto na época, como depois, pelos tecidos resistentes de pelo de cabra, do qual havia grande demanda para velas de navio e tendas. … Os indícios de que Paulo tivesse uma origem rica e o fato de ter recebido elevado grau de instrução não influem em haver aprendido um ofício manual, pois o provérbio rabínico “quem não ensina ao filho um ofício, o ensina a ser ladrão” tornava tal ensino quase que universal entre as famílias hebreias. Por exemplo, o grande Hillel era carpinteiro. CBASD, vol. 5, p. 381.

4 discorria. Paulo sempre ia primeiramente aos judeus (ver com. De At 13:5, 14). Mas em Corinto, assim como posteriormente em Éfeso (At 19:8, 9), ele não recebeu permissão para continuar pregando na sinagoga durante toda sua permanência na cidade (cf. At 18:7). CBASD, vol. 5, p. 381, 382).

5 É provável que dádivas oferecidas pelos crentes macedônios aliviaram a necessidade de trabalhar manualmente (2Co 11.7, 8). Bíblia Shedd.

6 Sobre a vossa cabeça, o vosso sangue. Eles eram responsáveis por seus próprios pecados. Bíblia de Genebra.

8 Crispo. Um dos poucos batizados por Paulo. Bíblia Shedd.

Crispo foi um dos primeiros a quem o próximo Paulo batizou em Corinto (1Co 1:14). Sua posição de liderança entre os judeus antes da conversão e a aceitação do evangelho por toda sua família o notabilizaram entre os cristãos. CBASD, vol. 5, p. 383.

9-11 Paulo parece perder sua coragem e talvez tenha estado tentado a emudecer seu testemunho por jesus. O Senhor aparece a ele em visão e o encoraja. Paulo guarda esta promessa em seu coração e permanece em Corinto por 18 meses. Andrews Study Bible.

9 Ânimo celestial. 1) Encorajamento – “Não temas … fala … não te cales” – Deus está no comando. 2) Segurança – “eu estou contigo” – ninguém poderá fazer-te Mal. 3) Promessa – “Tenho muita gente” – sucesso divino. A visão convenceu a Paulo que devia ficar em Corinto, não sair logo, como fizera nas cidades anteriores. Bíblia Shedd.

Não temas. Ou, “pare de temer”. As palavras subentendem que, no momento, Paulo estava sentindo temor e depressão, sofrendo com o pesado fardo da tarefa que tentava realizar por seu Senhor. A maior parte de seus conversos pertencia à classe dos escravos ou libertos; aqueles cuja cultura correspondia à sua, fossem gregos ou judeus, pareciam lentos em aceitar sua pregação (cf 1Co 1:26, 27). Sem dúvida, ele também corria perigos pessoais físicos. Já tinha visto a hostilidade dos judeus se transformar em violência física. Não seria difícil isso se repetir. Cheio de graça, o Senhor dirigiu ao apóstolo as palavras: “pare de ficar com medo”. CBASD, vol. 5, p. 384.

Não te cales. Ou, “não comece a ficar em silêncio”. A tentação, num momento de fraqueza, era de partir para a segurança do silêncio, quando as palavras não pareciam dar resultado. Mas o apóstolo recebeu a exortação de pregar com constância ainda maior. Nada deveria deter o testemunho de Paulo. CBASD, vol. 5, p. 384.

12 A promessa (9-10) foi testada quando Paulo foi arrastado perante Galio, um destacado jurista romano. Uma inscrição encontrada em Delfos menciona Galio e permite que este incidente seja datado em 51-52 d.C. Andrews Study Bible.

13 contrário à lei. Isto é, contrário à lei romana que proíbe a prática de religiões não legalmente reconhecidas por Roma. O judaísmo era legalmente reconhecido e o cristianismo, como um ramo do judaísmo, também era uma religião lícita (religio licita). Bíblia de Genebra.

Os judeus queriam provar que Paulo renunciara ao judaísmo, “religião lícita” no Império, portanto não merecia a proteção de Roma. Gálio percebeu a sutileza da acusação, julgando questões de divergência religiosa entre os judeus sem importância. Bíblia Shedd.

Se [Paulo] tivesse recebido oportunidade de falar, teria sustentado que o evangelho que pregava era a fé de seus pais (ver 24.14, 15; 26.6, 7), sendo, portanto, autorizada pela lei romana. Bíblia de Estudo NVI Vida.

14 ia Paulo falar. Fórmula comum para introduzir um discurso formal. (cf Mt 5:2; 13:35; At 10:34). Paulo estava prestes a iniciar uma defesa formal, mas isso acabou não sendo necessário. CBASD, vol. 5, p. 385.

17 Então, todos agarraram Sóstenes, o principal da sinagoga. Parece que Sóstenes se tornou o principal da sinagoga depois da conversão de Crispo (v. 8). É possível que estivesse ansioso por mostrar seu zelo contra os cristãos e, por isso, se apressou em acusar Paulo perante o procônsul. Por ser o porta-voz, seria alvo dos olhares da multidão em redor, composta de muitos gregos. Com certeza, essas pessoas notaram o tom de desprezo de Gálio e, após a decisão contrária do governante, decidiram dar ao contestante uma dura lição. CBASD, vol. 5, p. 386.

E o espancavam.  Ou, “começaram a espancá-lo”. CBASD, vol. 5, p. 384.

Foi espancado numa primitiva demonstração de antipatia contra judeus. Bíblia Shedd.

Raspado (melhor, “cortado o cabelo”). Paulo … fez um voto de nazireu que durava no mínimo 30 dias. O fim do voto foi marcado cortando o cabelo. Bíblia Shedd.

19 Éfeso. Maior centro comercial, religioso e político na Ásia menor. Bíblia Shedd.

Deixou-os ali. O casal extraordinário adiantaria o trabalho de evangelização espiritual enquanto Paulo viajava durante vários meses à distância de uns 2.500 km até Jerusalém, ida e volta. Priscila (mencionada primeiro por pertencer a uma família nobre) e Áquila permaneceram em Éfeso até 55 d.C. Estavam em Roma no início de 57 d.C., quando Paulo escreveu sua carta aos Romanos (Rm 16.3). Bíblia Shedd.

24-28 Lucas interrompe brevemente a narrativa do ministério de Paulo para trazer á luz o trabalho de Apolo, cujo conhecimento do cristianismo foi expandido pelo contato com Aquila e Priscila. Andrews Study Bible.

24 Alexandria. Depois de Roma, a cidade mais importante do Império Romano, com numerosa população ode judeus. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Grande colônia judaica que adotara pensamento helenístico alegorizando o AT. Bíblia Shedd.

25 batismo de João. Não era em nome de Jesus (ver tb 19.2-4). Apolo sabia algo a respeito de Jesus, mas basicamente, assim como João Batista, ainda esperava a vinda do Messias. Seu batismo baseava-se no arrependimento, não na fé na obra consumada de Cristo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

26 Priscila e Áquilalhe expuseram o caminho de Deus. Eles “expuseram” a Apolo o que haviam aprendido com Paulo e talvez antes, por meio do contato com o cristianismo em Roma (ver com. Do v. 2). A instrução incluiria as doutrinas da salvação pela graça, justificação pela fé, o dom do Espírito Santo após a conversão e o batismo, o sentido e a necessidade da Ceia do Senhor. Com certeza, depois disso, Apolo, que antes só conhecia o batismo de João, seria rebatizado “em o nome do Senhor Jesus”, como aconteceu com os doze homens apresentados em Atos 19:1 a 7. CBASD, vol. 5, p. 392.



Atos 17 by jquimelli
15 de fevereiro de 2015, 1:00
Filed under: Bíblia, Evangelho, evangelismo, trabalho | Tags: , , , ,

Comentário devocional:

Tessalônica, Bereia e Atenas: três cidades gregas, três diferentes abordagens usadas para seu evangelismo.

Em Tessalônica, Paulo falou durante três semanas na sinagoga para os judeus e gregos tementes a Deus. Ele contou sua história de conversão, com foco na lei de Deus, e explicou o verdadeiro significado dos ritos e cerimônias vinculados ao Templo. Ele conectou tudo isso com o ministério e sacrifício do Messias. Alguns judeus acreditaram, mas o número dos gentios que acreditaram foi maior, incluindo algumas mulheres influentes da cidade. Alguns judeus que se recusaram a acreditar na pregação se irritaram com Paulo, um ex-membro do Sinédrio que estava virando seu mundo de cabeça para baixo em três semanas! Eles não só perderam a fidelidade de seus compatriotas que estavam se tornando cristãos, mas mais importante, perderam seus patrocinadores gentios! Eles criaram tantos problemas na cidade que Paulo e Silas tiveram que sair à noite para Bereia.

Em Bereia, quase 60 quilômetros a oeste, Deus lhes deu nova oportunidade. Aqui, Paulo passou pela mesma situação, exceto que os bereanos estudaram “diariamente” (v.11). Quando eu faço evangelismo público, vejo a grande vantagem de ser exposta a Palavra de Deus em todas as noites. O Espírito de Deus se move claramente para mudar os corações. Em contraste com Tessalônica, “muitos” dos bereanos acreditaram, e homens proeminentes também abraçaram o evangelho (v.12).

Mas o verdadeiro teste seria Atenas. Os “Anos Dourados” de Atenas – época de Platão e Sócrates, tinham acabado. Mas os atenienses consideravam-se intelectualmente superiores ao resto do país. Os epicuristas acreditavam no naturalismo (oportunidade) e não tinham um Deus pessoal. Os estoicos eram panteístas, para eles tudo era Deus. Além disso, Atenas tinha mais santuários de variados deuses que qualquer outra cidade, até mesmo um altar ao “DEUS DESCONHECIDO.” Paulo citou um de seus poetas antigos para apresentá-los ao Deus que eles não conheciam. Seiscentos anos antes uma terrível peste surgiu na cidade. Ovelhas foram trazidas, a ovelha que deitasse perto do altar de um deus, era sacrificada para este deus. Se uma ovelha não deitasse perto do altar de nenhum deus, eles construíam um altar ao “DEUS DESCONHECIDO”, e a ovelha era sacrificada para este Deus. Assim, Paulo apresenta-lhes ao Deus que eles não conheciam, Aquele que dá a vida e a respiração a todos, ressuscita os mortos, e julga todas as nações. Poucos ouvintes acreditaram, mas alguns O aceitaram, mesmo entre os mais influentes.

A abordagem de Paulo variava de acordo com o público. A história era a mesma, mas o ponto de partida era diferente. Poderíamos aprender com Paulo: procurar entender os outros, enquanto oramos para encontrar uma entrada para seus corações.

Ron E. M, Clouzet
Diretor de Evangelismo do Instituto NAD 
Professor de Ministério e Teologia no Seminário da Universidade Andrews



Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/act/15/
Traduzido por GASQ/JAQ
Texto bíblico: Atos 17 
Comentário em áudio 



Atos 17 – Comentários selecionados by jquimelli
15 de fevereiro de 2015, 0:00
Filed under: bom senso, evangelismo, testemunho | Tags: , , , , , , ,

1 Tessalônica tinha uma população de 200.000 habitantes e era a capital da província da Macedônia. Bíblia de Genebra.

Atual Salônica. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica. A via Egnácia atravessava toda a atual Grécia do norte, de leste a oeste, passando em seu percurso por Filipos, Anfípolis, Apolônia e Tessalônica. Em várias localidades como Kavália (Neápolis), Filipos e Apolônia, a estrada ainda hoje é visível. Se uma pessoa viajasse uns 48 km por dia, cada cidade podia ser alcançada com um dia de viagem. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Embora a distância de quase 50 km por dia pudesse ser um fardo muito grande para homens que haviam sido açoitados recentemente, os missionários não permaneceram nas cidades, talvez porque tivessem poucos judeus ou mesmo nenhum. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 357.

2 segundo o seu costume. O costume, ou hábito, de Paulo era adorar na sinagoga no sábado (ver Lc 4:16). Andrews Study Bible.

três sábados. Essas duas semanas representam o tempo passado na sinagoga arrazoando com os judeus, não o tempo total que Paulo passou em Tessalônica. Bíblia de Estudo NVI Vida.

As epístolas paulinas [1Ts 2.1, 2, 9 p. ex.] sugerem que Paulo ficou em Tessalônica muito mais do que três semanas. De acordo com Fp 4.16, a igreja de Filipos repetidamente lhe mandava ajuda, e a epístola aos Tessalonicenses indica que Paulo tinha podido dar extensa instrução doutrinária aos cristãos tessalonicenses. Bíblia de Genebra.

4 distintas mulheres. É possível que fosse econômica e socialmente independentes, como Lídia (At 16:14) ou as esposas dos principais homens da cidade. CBASD, vol. 6, p. 358.

5 malandragem. Agitadores, ociosos. Bíblia Shedd.

A casa de Jasom. É provável que Paulo estivesse hospedado ali. Bíblia de Estudo NVI Vida.

6,7 A descrição de que Paulo e Silas tinham transtornado o mundo (v. 6) e pregado que Jesus Cristo … rei (v. 7) nos inspira a sermos testemunhas mais dedicadas de Cristo como o verdadeiro rei de tudo. Andrews Study Bible.

7 agindo contra os decretos de César, dizendo que existe outro rei. Para os judeus, a blasfêmia era a acusação mais grave, mas para os romanos era pior a traição – apoiar um rei rival de César. Bíblia de Estudo NVI Vida.

9 fiança. Jasom deu garantia, em bens (cf Mc 15.15), às autoridades de que Paulo deixaria a cidade sem mais retornar (1Ts 2.18), Mesmo assim a pregação continuou (1Ts 2.13, 14; 3.3). Bíblia Shedd.

Jasom foi forçado a garantir a paz e a tranquilidade na comunidade, senão seus bens seriam confiscados e talvez até mesmo arriscasse passar pela pena da morte. Bíblia de Estudo NVI Vida.

10 Logo os irmãos enviaram. Paulo e Silas haviam sido os benfeitores dos novos crentes, mas a situação se invertera, e os cristãos tessalonicenses cuidaram muito bem dos missionários. Paulo nunca se esqueceu da bondade deles e, muitas vezes, disse que ansiava por revê-los. Em pelo menos duas ocasiões, tentou fazer uma visita à igreja de Ressalônica, mas precisou se contentar em enviar Timóteo em seu lugar (1Ts 2:18; 3:1, 2). CBASD, vol. 6, p. 361.

10-15 Um padrão agora familiar se demonstra: Paulo e Silas pregam nas sinagogas; eles experimentam sucesso, conseguindo conversos ao evangelho; segue-se perseguição; eles partem. Andrews Study Bible.

Bereia. A atual Verria, 80 km a sudoeste de Tessalonica, no sopé dos Montes Olímpios. Bíblia de Genebra.

11 nobres. Literalmente, “bem-nascidos” (ver 1Co 1:26). Aqui a palavra significa o temperamento generoso e leal que idealmente deveria caracterizar aqueles de nascimento aristocrático. Era essa qualidade de bondade e mente aberta que o apóstolo e Lucas admiravam nos judeus da Bereia. CBASD, vol. 6, p. 361.

Examinando as Escrituras todos os dias. Os bereanos comparavam o ensinamento ode Paulo com a Palavra escrita de Deus, estabelecendo um bom exemplo para a igreja através da história. Bíblia de Genebra.

Igreja nobre – 1) Recebe a Palavra com avidez; 2) Examina as Escrituras sem demora; 3) Verifica a verdade de toda doutrina na Bíblia. Bíblia Shedd.

14 Timóteo. De 1Ts 3.1 deduzimos que Silas e Timóteo permaneceram muito pouco tempo; Paulo pediu que viessem para Atenas donde novamente foram mandados para Macedônia (Tessalônica e Filipos?). Encontram-se com Paulo em Corinto donde mandou as cartas aos tessalonicenses (51 d.C.). Bíblia Shedd.

16 Atenas. A principal cidade da Grécia, servida pelo porto de Pireu, no mar Egeu. Atenas atingiu seu ápice no século V a.C. sob Péricles (495-429 a.C.), quando o Partenon e outras magníficas estruturas foram construídas. Os poetas clássicos Ésquilo, Sófocles, Eurípedes e Aristófanes floresceram neste templo. Embora conquistada pelos romanos em 146 a.C., Atenas continuou a ser um grande centro intelectual e cultural. Bíblia de Genebra.

18 epicureus. Seguidores de Epicuro (341-270 a.C.) que criou a filosofia ética que faz do prazer o ideal da vida. O maior prazer seria paz, ausência de dores, paixões e temores. Estóicos. Seguidores de Zeno (340-265 a.C.) que criou a filosofia em que a vida ideal se conformava com a natureza, da qual a maior expressão era a razão (logos). Estoicismo era panteísta. Tagarela. Lit “ave que bica sementes”, “papagaio”. Significa quem propaga ideias de somenos importância e mal digeridas. deuses. Pensaram que “Jesus” e “ressurreição” (anaistasis é feminina) seriam um casal de deuses. Bíblia Shedd.

tagarela. Um termo depreciativo significando um catador de fragmentos ou um camelô de ideias variadas. Bíblia de Genebra.

19 Areópago. O nome significa “Colina de Marte”. É uma colina perto da Acrópole onde, em tempos antigos, um conselho tinha se reunido. O conselho tornou-se o conselho de Atenas e, nos tempos romanos, era a corte que supervisionava a moral, educação e religião. Bíblia de Genebra.

22, 23 religiosos. Pausânio afirmou que Atenas tinha mais imagens que o resto da Grécia. Estima-se que tinha mais de 30.000. Petrônio diz que em Atenas era mais fácil achar um deus do que um homem. Bíblia Shedd.

23 AO DEUS DESCONHECIDO. Possivelmente uma referência ao Altar dos Doze Deuses em Atenas, erigido para assegurar que nenhum deus tivesse ficado fora de sua adoração. Paulo usou este ponto de contato para começar seu discurso sobre o Deus que fez o mundo, que não é esculpido em pedra ou confinado a algum templo, e que controla os tempos e os lugares onde as pessoas vivem. Bíblia de Genebra.

24 o Deus que fez o mundo. Portanto, um Criador pessoal, em oposição às opiniões do estoicismo panteísta. Bíblia de Estudo NVI Vida.

26 tendo determinadoos lugares exatos em que deveriam habitar (NVI). Planejou, também a área específica que cada nação devia ocupar. Ele é Deus, que planejou tudo (as coisas não eram deixadas ao acaso – como pensavam os epicureus). Bíblia de Estudo NVI Vida.

27 para buscarem a Deus. O propósito da bondade de Deus é criar o desejo no homem de O buscar (Rm 2.4). tateando. Platão usou esta palavra para indicar as melhores conjeturas sobre a verdade (Phaedo, 99). Bíblia Shedd.

28 nEle vivemos, e nos movemos, e existimos. Paulo diz que Deus trouxe todas as pessoas à existência e que elas só existem por Sua providência. No mundo antigo, os três grandes mistérios da filosofia e da ciência eram as questões de vida, movimento e existência. Bíblia de Genebra.

Alguns dos vossos poetas. Paulo sabia que os atenienses não conheciam o Antigo Testamento, e ele fez citações de três de seus próprios poetas. Embora suas palavras originalmente se referissem a Zeus, o chefe dos deuses gregos, Paulo aplicou as citações ao Deus vivo do céu. Os poetas são Epimênides (c. 600 a.C.), Cleanto (331-233 a.C.) e Arato (c. 315-240 a.C.). Bíblia de Genebra.

30 arrependam. Não apela para acrescentar um Deus novo ao panteão, mas que abandonem toda falsa religião para encontrar em Cristo a plena revelação. Bíblia Shedd.

31 julgar. Isto chocaria epicureus e também estóicos. Bíblia Shedd.

Um dia em que há de julgar por meio de um varão que destinou. O dia do juízo final (Ap 20.12-15). A rejeição pelos atenienses do homem a quem Deus designou resultará em jesus rejeitá-los definitivamente com toda a justiça, no dia do juízo. Paulo enfatiza que o chamado de Deus ao arrependimento e fé não é um convite, mas uma ordem. Bíblia de Genebra.




%d blogueiros gostam disto: