Reavivados por Sua Palavra


Romanos 15 by jefersonquimelli
13 de março de 2015, 1:00
Filed under: gentios, prudência, religião viva, restauração | Tags: ,

Comentário devocional:

Este capítulo dá continuidade aos pensamentos do capítulo anterior. Aqueles que são fortes devem “suportar as fraquezas dos fracos”, em vez de agradar a si mesmos. Devemos procurar edificar nossos irmãos e irmãs e não fazer nada que possa confundir a sua fé. Cristo não agradou a si mesmo e de bom grado levou sobre si as nossas culpas. 

A seguir, somos lembrados que as Escrituras foram escritas para a nossa paciência e aprendizado para que nos tornemos de um só pensamento para a união do corpo de Cristo, trazendo glória ao Pai e a Jesus Cristo (vs. 3-7).

Em seguida, Paulo passa a mostrar que Jesus Cristo veio para ministrar aos judeus, em confirmação das promessas das Escrituras (v. 8). Ele começa citando o Antigo Testamento para mostrar que os gentios deveriam também fazer parte do plano de salvação. Ele cita 2Sm 22:50, Sl 18:49, Dt 32:43 e Salmos 117:1, mostrando que os gentios são incluídos na expressão “povo”. Isso deixa claro que Deus veio para todos, não apenas para os judeus. Por fim, ele cita Isaías 11:10,11 para mostrar que a raiz de Jessé brotaria para reinar sobre o remanescente, preparando-o para a vinda do Senhor (vs. 9-12). 

Paulo explica que, por serem os gentios tão importantes para o plano de salvação, Deus o chamou para ser o ministro para os gentios a fim de pregar o evangelho a eles. E declara que os sinais e prodígios foram efetuados por intermédio dele para demonstrar que Deus estava por trás de seu trabalho. Ele cita Isaías 52:15 para mostrar que sua pregação do evangelho de Jesus Cristo aos gentios era um cumprimento da profecia. 

Paulo explica também que planeja estar com os crentes em Roma em seu caminho para a Espanha. No entanto, ele deve primeiro ir a Jerusalém para levar aos cristãos judeus o dinheiro arrecadado pelos gentios como uma demonstração do seu amor para com eles (vs. 23-33).

Infelizmente, Paulo seria preso em Jerusalém antes desta viagem planejada, o que acabaria por levá-lo a Roma, porém não como um homem livre, mas como um prisioneiro. No entanto, em meio a tudo isso, Deus fez com que todas as coisas contribuíssem para o bem (Rom. 8:28). A epístola que Paulo escreveu a Roma permanecerá até o fim do tempo preparando os crentes para receber a justiça de Cristo.

Norman McNulty
Neurologista, TN, EUA




Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/rm/15/
Traduzido/adaptado por JAQ/JDS
Texto bíblico: Romanos 15 
Comentário em áudio 



Atos 26 by jefersonquimelli
24 de fevereiro de 2015, 1:00
Filed under: gentios, testemunho, Trabalho de Deus | Tags: , , , , ,

Comentário devocional:

Paulo nunca poderia arranjar um encontro com o governador e o rei para lhes apresentar o evangelho. Mas Deus pode qualquer coisa. O rei Agripa estava bem informado sobre todas as questões judaicas, então Paulo poderia ter falado aberta e diretamente sobre as questões jurídicas que supostamente o trouxeram a julgamento. Mas em vez disso, Paulo contou sua história de conversão desde que era um membro do Sinédrio, enviado para caçar e destruir os cristãos, até se tornar um apóstolo de Jesus, comissionado a buscar e salvar o que estava perdido.

Paulo procurou impressionar o rei e os presentes mostrando a mudança radical de um homem que uma vez estava cheio de ódio hipócrita para alguém cujos olhos se abriram ao vasto oceano do amor de Deus. Os presentes tinham ouvido falar de Jesus e de Seus seguidores, mas nunca tinha ouvido uma história que os deixasse extasiados como esta, da mudança radical na vida de um homem. Uma luz mais brilhante que o sol? Uma Voz se dirigindo a ele pelo nome? Uma ordem para alcançar os gentios, “para abrir-lhes os olhos e convertê-los das trevas para a luz, e do poder de Satanás para Deus, a fim de que recebam o perdão dos pecados e herança entre os que são santificados pela fé” em Cristo? (v. 18 NVI) Que história notável!

Então, Paulo chegou ao ápice do seu discurso. “Assim, rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial” (v. 19 NVI), disse ele. Após receber a visão, Paulo começou a compartilhar Jesus imediatamente, onde quer que fosse. É por isso que os judeus queriam vê-lo morto. Mas tudo o que ele fez foi ajudar a cumprir aquilo que “o Cristo haveria de sofrer e, sendo o primeiro a ressuscitar dentre os mortos, proclamaria luz para o seu próprio povo e para os gentios” (v 23 NVI). Em outras palavras, Paulo não havia inventado tudo aquilo. Séculos antes Deus já tinha planejado que a história de Cristo fosse contada ao redor do mundo, para que todas as pessoas “se arrependessem e se voltassem para Deus” (v.20 NVI).

No crescente da oratória e apelo de Paulo, Festo interrompeu, provavelmente um pouco envergonhado pelo poder deste prisioneiro de dominar a atenção de todos. Paulo educadamente disse ao governador que o que estava dizendo era “verdadeiro e de bom senso” (v.25). Então, Paulo, voltando-se para o rei, fez seu último apelo: “Rei Agripa, crês nos profetas? Eu sei que sim”(v. 27 NVI). Quando o rei disse que Paulo quase o fizera um crente em Jesus, o apóstolo, com genuína paixão, articulou seu desejo de que todos dentre seus ouvintes daquele dia, se tornassem tão livres e alegres em Cristo como ele era, apesar de suas correntes.

O rei Agripa II foi o último da dinastia dos Herodes [e aparentemente não aceitou a Cristo como seu salvador pessoal]. Nunca mais um rei judeu teve a grande chance de se arrepender.

Jesus certa vez disse: “vocês serão levados à presença de governadores e reis como testemunhas a eles e aos gentios. Mas quando os prenderem, não se preocupem quanto ao que dizer, ou como dizê-lo. Naquela hora lhes será dado o que dizer, pois não serão vocês que estarão falando, mas o Espírito do Pai de vocês falará por intermédio de vocês”(Mt 10:18-20 NVI). Isto é o que aconteceu naquele dia.
Ron E. M. Clouzet
Diretor do Instituto de Evangelismo NAD
Professor do Ministério e Teologia
Seminário da Universidade Andrews

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/act/26/
Traduzido por JAQ
Texto bíblico: Atos 26 
Comentário em áudio 



Atos 13 – Comentários selecionados by jefersonquimelli
11 de fevereiro de 2015, 0:00
Filed under: conversão, Espírito Santo, gentios, testemunho | Tags: , , ,

1 Profetas e mestres. Esta é a primeira menção a pessoas com dons específicos do Espírito atuando de forma administrativa na igreja. Não há indício específico de uma organização formal da igreja em Antioquia, embora, sem dúvida, isso existisse. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 285.

2 Separai-me. No texto grego, a partícula  vem depois deste verbo, indicando o aspecto definitivo da ordem e a necessidade de executá-la imediatamente. Paulo e Barnabé deveriam ser separados para uma nova obra. CBASD, vol. 6, p. 288.

5 João. Isto é, João Marcos, primo de Barnabé (Cl 4:10). CBASD, vol. 6, p. 289.

7 Procônsul. As províncias do império romano, sob a organização de Augusto, eram divididas em duas classes. Aquelas que requeriam controle militar eram sujeitas ao imperador em sua função de comandante das legiões e governadas por procuradores. Já as mais pacíficas ficavam sob o domínio do Senado e eram governadas por procônsules. CBASD, vol. 6, p. 289.

8 Procurando afastar. Sérgio Paulo ainda não havia aceitado a doutrina de Cristo, embora seja provável que tanto Elimas quanto ele tivessem ouvido bastante os apóstolos desde a chegada deles a Salamina. O feiticeiro percebeu o interesse do procônsul e desejava desviar a atenção dele, para que não mandasse buscar Barnabé e Saulo. Mas o procônsul estava determinado em seu propósito e convocou os apóstolos. CBASD, vol. 6, p. 290.

11 Ficarás cego. Um juízo bem adequado pois Elimas estava lutando contra a luz da verdade. O castigo de Elimas se contrasta com a experiência anterior do apóstolo. Paulo ficara cego à luz externa, mas fora iluminado por uma luz celestialCBASD, vol. 6, p. 291.

12 O procônsul. Ele viu o milagre e ouviu as palavras que o acompanharam. Ele creu que os apóstolos tinham mais poder e aceitou a mensagem de Cristo, muito superior ao que Elimas fazia. CBASD, vol. 6, p. 292.

13 João, porém, apartando-se. Isto é, João Marcos. Não há pista sobre por que ele se foi. Talvez temesse os perigos e dificuldades da viagem pelo interior. É provável que João Marcos seja o mesmo que escreveu o segundo evangelho. Mais tarde, ele se tornou um diligente obreiro na causa de Cristo. CBASD, vol. 6, p. 292.

27 Não conhecendo. Paulo subentende que pregava a gentios e judeus da diáspora porque a oferta de salvação fora rejeitada por aqueles que deveriam tê-la aceitado e, caso o tivessem feito, se tornariam testemunhas aos que estavam geográfica e espiritualmente “longe” (Ef 2:17). CBASD, vol. 6, p. 295.

42 Ao saírem eles. “Enquanto eles estavam saindo, suplicaram”, subentendendo-se que tanto judeus quanto prosélitos pediram mais instruções. CBASD, vol. 6, p. 301.

45 Inveja. Do gr. zelos, “zelo” e, num sentido negativo, “inveja”. Parece que dois fatores provocaram este sentimento. Sem dúvida, os judeus de Antioquia estavam incomodados com o fato dos recém chegados Paulo e Barnabé despertarem tal interesse entre os gentios. Eles também perceberam que os gentios eram convidados a desfrutar os mesmos privilégios religiosos que eles, e isso os aborrecia. CBASD, vol. 6, p. 302.

46 Indignos. Há certa ironia nas palavras de Paulo. Os judeus se consideravam dignos das mais elevadas bênçãos de Deus, e os apóstolos estavam, levando a eles a maior bênção de todas: a vida eterna em Jesus. Mas, em seu exclusivismo, rejeitaram a mensagem e se revelaram “indignos”. Logo, pela própria recusa, os judeus atraíram juízo sobre si mesmos. CBASD, vol. 6, p. 302.

51 Sacudindo […] o pó. Em obediência à ordem do Senhor (Mt 10:14), isso mostra que esses missionários tinham conhecimento do que Jesus ensinara aos doze. Este gesto não foi feito contra os pagãos, mas contra os judeus incrédulos. Por rejeitarem o evangelho, até mesmo o pó da rua onde pisavam era imundo para os apóstolos. CBASD, vol. 6, p. 304.

52 Transbordavam de alegria. A forma verbal usada indica que se tratava de uma experiência contínua. Tal “alegria” é um resultado da conversão. CBASD, vol. 6, p. 304.

 



Atos 11 by jefersonquimelli
9 de fevereiro de 2015, 1:00
Filed under: Evangelho, gentios, testemunho | Tags: , , ,

Comentário devocional:

Em Atos 11 somos lembrados do poder de um testemunho pessoal, apenas dois capítulos depois da poderosa história da conversão de Paulo, em Atos 9. Este capítulo começa com o retorno de Pedro a Jerusalém, onde ele foi imediatamente denunciado pelos companheiros judeus por comer com Cornélio , um gentio. Em vez de discutir, Pedro simplesmente explica detalhadamente sua visão sobre as carnes impuras (Atos 10). Ele concluiu dizendo aos “apóstolos e outros irmãos” reunidos que Jesus queria que o Espírito Santo fosse outorgado para os gentios como para os judeus. 

Os corações irritados então se acalmaram. Os ouvintes rapidamente abandonaram seus preconceitos de longa data contra os gentios e “não apresentaram mais objeções e louvaram a Deus, dizendo: ‘Então, Deus concedeu arrependimento para a vida até mesmo aos gentios!'”(verso 18). 

Esse é o poder do testemunho pessoal! A reação dos apóstolos nos é também um lembrete de que a visão de Pedro não cancelou as restrições alimentares do Antigo Testamento como algumas denominações religiosas ensinam hoje. Se assim fosse, os apóstolos teriam dito “Agora podemos comer todos os tipos de carne! ” 

O capítulo termina com o estabelecimento da primeira agência cristã de socorro e apoio social. Mas, em vez de organizar a distribuição de alimentos para uma área de desastre como a Agência Adventista de Recursos Assistenciais (ADRA) faz hoje, esta organização em Antioquia tomou conhecimento por uma profecia de uma crise que estava para ocorrer na Judeia. Então eles prepararam carregamentos de ajuda humanitária: “Um deles, Ágabo, levantou-se e pelo Espírito predisse que uma grande fome sobreviria a todo o mundo romano, o que aconteceu durante o reinado de Cláudio. Os discípulos, cada um segundo as suas possibilidades, decidiram providenciar ajuda para os irmãos que viviam na Judéia.”(versos 28, 29 NVI). Como seria útil se pudéssemos nos preparar com antecedência para os desastres de hoje! 

“Querido Deus, eu posso não ter uma visão como a de Pedro para compartilhar, mas compreendo o poder dos testemunhos pessoais. Ensina-me a partilhar a minha experiência de fé mais eficazmente de forma que os ouvintes Te glorifiquem, dizendo: ‘Que maravilha, Deus concedeu arrependimento para a vida até mesmo a [seu nome]!’ Amém “. 

Andrew McChesney 

Editor de notícias da Adventist Review

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/act/11/

Traduzido por: JAQ/JDS

Texto bíblico: Atos 11 

Comentários em áudio



Atos 11 – Comentários selecionados by jefersonquimelli
9 de fevereiro de 2015, 0:00
Filed under: Evangelho, evangelismo, gentios, liderança | Tags: , , , ,

1-18 A repetição em substância da narrativa da conversão de Cornélio revela a importância que a admissão dos gentios à plena comunhão da Igreja tinha para Lucas e a Igreja primitiva. Bíblia Shedd.

1 Na Judeia. Ou, “por toda a Judeia”. O contexto indica que, enquanto Pedro ficou em Cesareia, a notícia de seu contato com “Cornélio se espalhou bastante, provavelmente primeiro para Jope e Lida e depois para Jerusalém. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 262.

Os gentios. A nova situação deve ter sido um choque para a igreja de Jerusalém. Foi a primeira vez que gentios incircuncisos foram batizados e aceitos como povo de Deus. CBASD, vol. 6, p. 262.

2 Osda circuncisão. Os crentes judaicos que se opuseram à admissão de gentios incircuncisos na Igreja, logo se constituíram num partido da circuncisão ou judaizantes. Bíblia Shedd.

… cuja influência causava divisão aberta dentro das congregações. CBASD, vol. 6, p. 262.

Arguiram. Do gr. diakrinõ, “separar”, “duvidar”, “discriminar”, “opor-se” ou “contender”.  Neste caso, significa que eles se separaram de Pedro de maneira hostil, opondo-se a ele e discutindo. Os interlocutores insistiam que as diferenças entre judeus e gentios permaneciam, e os cristãos deviam aceitar a comunhão só dos prosélitos do judaísmo que obedeciam à lei cerimonial. O fato de Pedro ser abertamente contestado demonstra que ele não era considerado o cabeça da igreja, nem “chefe dos apóstolos”, muito menos infalível. CBASD, vol. 6, p. 262.

12 seis irmãos.Juntos com Pedro, seriam um total de sete testemunhas que, no conceito da época, garantiria a veracidade de um relatório (cf Ap 5.1). Bíblia Shedd.

16 batizados com o Espírito Santo.Os judeus interpretavam exclusivamente como promessa a Israel. No derramar o Espírito Santo sobre os gentios, Deus mesmo tinha incluído a todos os homens. Bíblia Shedd.

17 opor-me a Deus. Os crentes judeus viram-se obrigados a reconhecer que Deus salvaria os gentios da mesma forma que os judeus. Mediante a atuação divina, não por escolha humana, a porta estava sendo aberta aos gentios. Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 arrependimento para a vida. Mudança de atitude que nos volta contra o pecado e em direção a Deus, resultando na vida eterna. Bíblia de Estudo NVI Vida.

19 os que foram dispersos. … se espalharam. Perseguição resulta em avanço. Bíblia Shedd.

Antioquia. No rio Orontes ao norte da Síria; era a terceira cidade do Império com cerca de 500.000 habitantes. Este velho baluarte do judaísmo se tornou centro do avanço da igreja gentia. Bíblia Shedd.

Ficava 24 km afastada do litoral, no canto nordeste do Mediterrâneo. Aqui se localizava a primeira igreja constituída na maior parte de gentios, sendo que dela partiram as três viagens missionárias de Paulo (13.1-4; 15.40; 18.23). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Fenícia. O moderno Líbano. Bíblia Shedd.

Chipre. Paulo e Barnabé evidentemente não foram os primeiros missionários em Chipre (13.4-12). Bíblia Shedd.

20 até Antioquia. É de notar que os fundadores das Igrejas de Roma e Antioquia eram leigos.Bíblia Shedd.

helenistas. Judeus de fala grega. Andrews Study Bible.

26 cristãos. A palavra “cristão” ocorre três vezes no Novo Testamento: aqui, em 26.28 e em 1Pe 4.16. Bíblia de Genebra.

Esse título, quer adotado pelos crentes, quer inventados por inimigos como termo de censura, é título bem achado para os que “pertencem a Cristo” (significado do termo). Bíblia de Estudo NVI Vida.

27 profetas. A primeira menção do dom de profecia em Atos. Os profetas pregam, exortam, explicam ou, como neste caso, predizem (v. 13.1; 15:32; 19.6; 21.9, 10; Rm 12.6; 1Co 12.10; 13.2, 8; 14.3, 6, 29-37; v tb notas em Jo 3.2;Zc 1.1; Ef 4.11). Bíblia de Estudo NVI Vida.

28 Ágabo. Posteriormente, prediz a prisão de Paulo (21.20). Em Atos, os profetas estão ocupados em prenunciar (v 27; 21.9, 10) tanto quanto em anunciar (15.32). Bíblia de Estudo NVI Vida.

grande fomenos dias de Cláudio. Reinou de 41-48 d.C. A fome veio entre 44-48, sendo 46 a data indicada. Bíblia Shedd.

Todo o mundo. Refere-se ao Império romano. Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: