Reavivados por Sua Palavra


OSÉIAS 4 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
24 de fevereiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO OSÉIAS 4 – Primeiro leia a Bíblia

OSÉIAS 4 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

OSÉIAS 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



OSÉIAS 4 by Jobson Santos
24 de fevereiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/os/4

Desde o início da história da salvação, encontramos a imagem de Deus como Aquele que é incansável em Sua busca pela humanidade. Quando Adão e Eva pecaram, Deus não os ignorou; Ele veio em busca deles. Ele também foi em busca de Caim, apesar de seus pecados hediondos. Os filhos de Israel também testemunhariam essa graça de Deus em Sua busca incansável por eles.

Neste capítulo, entretanto, algumas das palavras mais tristes nas escrituras são registradas. “Efraim aliou-se a ídolos; deixem-no só!” (4:17, NVI).

A prática rebelde da adoração de ídolos eventualmente entorpece os sentidos. A pessoa fica surda à voz suplicante do Espírito Santo; ela se torna cega ao trilhar o caminho da autodestruição e ignora os avisos razoáveis de Deus. Isso é o que mais tarde levou Jesus a dizer para os fariseus que eles também deveriam ser deixados em paz, pois haviam ido longe demais (Mateus 15:14).

Como podemos evitar que isso aconteça conosco? Permitindo que Jesus examine nossos corações e nos resgate da ilusão do pecado. Ele chamará à nossa atenção modos pelas quais podemos estar nos unindo a ídolos que amortecem a nossa sensibilidade ao Espírito Santo. Deste modo podemos cooperar com Deus a fim de nos livrarmos destes ídolos.

Você, consciente ou inconscientemente, tem se aliado a algum ídolo?

Moses Njuguna
Pastor, Associação do leste de Allegheny, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1112
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



OSEIAS 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
24 de fevereiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

818 palavras

1 Ouvi a palavra. Parece evidente, a partir de seu conteúdo, que as mensagens dos cap. 4 a 14 ocorreram muito mais tarde que o tempo de Jeroboão II (ver Os 1:1). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 988.

O Senhor tem uma contenda. Oseias apresenta o caso contra Israel, vindicando a justiça divina ao lidar com a nação. CBASD, vol. 4, p. 988.

3 Com os animais do campo. Devido ao seu pecado, o homem trouxe sofrimento ao mundo animal. CBASD, vol. 4, p. 989.

4-10 Esta seção mostra a profundidade do problema que Deus abordou por meio do profeta Oseias. As instituições que ele havia estabelecido em meio a seu povo com o objetivo de mediar sua liderança careciam do componente essencial que justificava sua existência: o conhecimento de Deus. Bíblia de Estudo Andrews.

4 Como os sacerdotes. Aqueles que se recusam a obedecer e reverenciar os verdadeiros sacerdotes de Deus merecem a severa condenação de Oseias. CBASD, vol. 4, p. 989.

Destruirei a tua mãe. Ou seja, a nação de Israel. CBASD, vol. 4, p. 989.

Porque lhe falta o entendimento. O conhecimento específico que lhes faltava era o de Deus, o mais essencial de todos os saberes. Isaías atribuiu o cativeiro a essa falta (ver com. de Is 5:13). Embora Deus possa relevar certos tipos de ignorância (ver At 17:30), Ele não tolera em Seu povo eleito a ignorância das coisas espirituais (ver com de Êx 4:21). … Os homens são responsáveis não só pelo que eles sabem (Jo 9:41; 15:22, 24; Tg 4:17), mas também por aquilo que poderiam ter conhecido se tivessem se aplicado a conhecer os conhecimentos essenciais (cf. 2Pe 3:5). Muitos temem um investigação mais profunda da verdade porque isso pode exigir uma mudança de conduta, algo que o coração amante do pecado não está disposto a realizar. … Deus não pode desculpar essa ignorância voluntária. CBASD, vol. 4, p. 989.

Não sejas sacerdote. Isso indica que, possivelmente, a causa principal dessa ignorância por parte das pessoas estava na porta dos sacerdotes infiéis, que rejeitaram o conhecimento do verdadeiro Deus e de Sua lei, que deveriam ter ensinado ao povo (Dt 33:10; Ml 2:1-9, ver com. de 2Cr 15:3). CBASD, vol. 4, p. 989.

Diante de Mim. Ou seja, para Deus. Os sacerdotes que Jeroboão nomeou quando ele separou o reino de Israel de Judá (ver 1Rs 12:25-33) não eram servos do Senhor, mas dos bezerros de ouro. CBASD, vol. 4, p. 989.

Pecado. Esta passagem descreve provavelmente os sacerdotes gananciosos que incentivavam o pecado, exortando o povo a fazer mais e mais ofertas pelo pecado, já que comiam a carne desses sacrifícios (Lv 6:26) e, sem dúvida, montaram um esquema de tráfico de carnes (ver com. de 1Sm 2:12). Mais pecados, mais sacrifícios e, assim, mais lucro e prazer. CBASD, vol. 4, p. 990.

Assim é o povo, assim é o sacerdote. O povo e seus sacerdotes se uniram em pecado. Os sacerdotes apóstatas se envolveram nas próprias iniquidades que deveriam ter repreendido. Por sua vez, o povo, observando o mundanismo e a autoindulgência dos sacerdotes, se escondeu atrás de seu exemplo. CBASD, vol. 4, p. 990.

10 Não se multiplicarão. Apesar da adoração à deusa da fertilidade, a população não iria aumentar, pois a bênção do Céu havia sido removida de Israel. CBASD, vol. 4, p. 990.

12, 13 Estes versículos especificam ritos idólatras. O espírito de prostituição fizera o povo se voltar para adivinhação e sacrifícios nos altos. Bíblia de Estudo Andrews.

12 Pedaço de madeira. isto é, imagens de madeira. CBASD, vol. 4, p. 990.

A sua vara lhe dá resposta. Provavelmente, uma haste empregada para adivinhação. CBASD, vol. 4, p. 990.

Espírito de prostituição. Oseias compara ao adultério espiritual esse irreprimível e enfeitiçante desejo de adorar ídolos. CBASD, vol. 4, p. 990.

13 A sua sombra. Nesses locais, as vítimas de sacrifício eram mortas e o incenso era queimado em honra aos deuses (ver com. de Jr 7:31). CBASD, vol. 4, p. 991.

14 Meretrizes. Isto é, prostitutas cultuais. Eram mulheres que se dedicavam à prática de sexo no culto aos deuses. CBASD, vol. 4, p. 991.

15 Não se faça culpado Judá. Oseias, como que sem esperança por mudança na atitude ímpia de Israel, faz apelos de advertência ao reino de Judá, no sul (v. 15-17). CBASD, vol. 4, p. 991.

Nem venhais. Aqui temos uma acusação específica proibindo peregrinações aos centros de idolatria, como Gilgal e Bete-Áven. CBASD, vol. 4, p. 991.

Nem jureis. A confissão hipócrita de adoração ao Senhor não deve ser feita por aqueles envolvidos em idolatria (ver 1Rs 12:28). CBASD, vol. 4, p. 991.

17 Efraim. Efraim era a principal tribo do reino do norte, e seu nome era frequentemente aplicado a todo o reino (ver com. de Jr 7:15). Da mesma forma, o nome de Judá era aplicado ao reino do sul. CBASD, vol. 4, p. 991.

É deixá-lo. As dez tribos [do norte] foram tão longe na idolatria que não lhes foi feita nenhuma promessa de restauração completa (ver PR, 298). Evidentemente apenas alguns membros dispersos das dez tribos no exílio, mais tarde, se juntaram a Judá para voltar à Palestina depois do cativeiro. CBASD, vol. 4, p. 992.

19 O vento os envolveu. Talvez uma metáfora, referindo-se à tempestade do juízo divino que dispersaria Efraim, varrendo-o para o cativeiro. CBASD, vol. 4, p. 992.



OSEIAS 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
24 de fevereiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“O Meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque, tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também Eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de Mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também Eu Me esquecerei de teus filhos” (v.6).

O relacionamento entre Oseias e Gômer tornou-se um símbolo do que Deus desejava realizar no meio do Seu povo. O procedimento do profeta em receber de volta sua esposa e preservá-la em um tempo de purificação de sua prostituição era exatamente o que o Senhor desejava operar na nação apóstata. A verdade, o amor e o conhecimento de Deus foram apresentados como inexistentes em Israel, “porque ao Senhor deixaram de adorar” (v.10). A verdade representa a liberdade que há no relacionamento com Deus. “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo.8:32). O amor é símbolo de uma aliança eterna: “Com amor eterno Eu te amei” (Jr.31:3). E o conhecimento de Deus é a intimidade que nos aproxima dEle e que nos faz desejar prosseguir em conhecê-Lo cada vez mais, ansiando por Sua vinda (Os.6:3).

Foi dentro do contexto de líderes e liderados destituídos desta tríplice comunhão, que Deus levantou Oseias com uma mensagem muito clara e direta. Os sacerdotes viviam uma espécie de sacerdócio de fachada. Sua função ainda era mantida, mas haviam perdido o respeito do povo que os acusava, mas que também refletia a insensatez da liderança. E nessa troca de ofensas e acusações, seus corações estavam tão distantes do Senhor e de Sua Palavra, que pela sensualidade e pela prostituição espiritual e física, “abandonaram o seu Deus” (v.12). Enganados por “um espírito de prostituição” (v.12), deixaram de ouvir o Espírito Santo, que é Quem dá o entendimento, e “o povo que não tem entendimento corre para a sua perdição” (v.14).

A ausência do conhecimento que resulta em corrupção e destruição não se trata do conhecimento intelectual apenas. Nunca houve um tempo de tanto esclarecimento bíblico como o que vivemos hoje. Com as facilidades da tecnologia, estamos a um “clique” de um vasto leque de informações, e nossa igreja vai além, com inúmeros materiais de conteúdos riquíssimos. Mas nem tudo isso junto é capaz de preencher o vazio da alma se não compreendermos o real objetivo de examinarmos as Escrituras: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a Quem enviaste” (Jo.17:3). Se não buscarmos o conhecimento da Bíblia a fim de conhecermos a Deus e Seu caráter na Pessoa de Jesus Cristo, então o nosso conhecimento é vão e não menos insignificante quanto o de Satanás, que também conhece bem as Escrituras (Mt.4:6).

Deus desejava comungar uma amizade genuína com os sacerdotes e com o povo, e isto implicava viver a verdade presente através de um conhecimento prático. Mas eles rejeitaram o conhecimento. Ou seja, sabiam o que deviam fazer, mas não faziam. E essa negligência implicaria em consequências inevitáveis sobre a sua descendência (v.6). Seus filhos sofreriam não porque pagariam pelos pecados de seus pais, e sim porque seriam frutos de lares nominalmente religiosos, mas fatalmente apostatados. Será que o “pedaço de madeira” e “a vara” (v.12) não mudaram apenas de cenário, e prosseguimos hoje consultando o que nos é conveniente e não o que sabemos ser a vontade de Deus? Creio que Satanás tem dado risadas de um povo que julga ter tudo o que precisa (Ap.3:17), mas que não passa de escravo da própria razão pervertida.

Temos todo o conhecimento necessário para este tempo do fim, mas será que isso basta? Para quê uma mensagem de saúde, um apelo claro para que as famílias busquem uma vida simples no campo e se envolvam no trabalho missionário ou que os pais assumam suas funções na educação do lar, se nossa vida não reflete nenhuma dessas mensagens? Somos detentores de uma verdade presente repleta de orientações práticas, enquanto o “que só prevalece é perjurar, mentir, matar, furtar e adulterar” (v.2). Muitos têm acusado seus líderes, mas a realidade é que “como é o povo, assim é o sacerdote” (v.9). Eis aqui uma serva de Deus que deseja ardentemente viver tudo o que o Senhor nos deixou revelado como sendo Sua vontade para o Seu povo nos últimos dias. Mas aqui também está quem enfrenta uma grande luta diária para caminhar nesse sentido.

Não é uma jornada fácil, amados! Então, lutemos juntos em oração até que o Senhor nos abençoe! Também não são palavras fáceis de falar, visto que nunca foi o meu desejo causar nenhum tipo de polêmica. Muito pelo contrário. O meu coração anseia que todos nós possamos viver a vontade do Senhor em meio a uma terra que “está de luto” (v.3), assim como viveram os patriarcas, “confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a Terra” (Hb.11:13). Há um propósito glorioso por trás de manter uma vida saudável, simples e tranquila. Mas tudo isso deve ser buscado mediante muita oração e comunhão, pois o inimigo sempre se levanta para atacar aqueles que resolvem firmemente fazer a vontade de Deus. Portanto, o convite do Senhor para nós a cada dia é o mesmo: “Vinde a Mim” (Mt.11:28). Em aceitá-lo, está a nossa segurança e o caminho do verdadeiro conhecimento. Vigiemos e oremos!

Bom dia, amigos de Deus!

* Dez Dias de Oração, 7° dia: Oremos para que nossa vida financeira seja guiada por Deus e sejamos sempre fiéis no que pertence a Ele: nos dízimos e nas ofertas. Oremos por nossos familiares.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Oseias4 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



OSEIAS 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
24 de fevereiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

Quando entendemos mais de novelas do que do evangelho, quando sabemos mais de jogos eletrônicos do que da Bíblia, quando estamos mais informados do mundo dos esportes (ou dos artistas) que do reino de Deus ou mais preocupamos com a bateria do celular do que exercitar a fé… ou seja, quando as coisas espirituais não recebem prioridades…

Isso significa tirar Deus do trono do nosso coração e colocar coisas insignificantes no lugar; a partir daí nossa existência torna-se sem sentido e, a religião torna-se vazia de propósitos.
• Colocar qualquer coisa no lugar de Deus é prostituição ou adultério espiritual.
• Infidelidade espiritual é mais trágica e pior que infidelidade conjugal.
• Há mais de 20 referências à prostituta ou prostituição nos 14 capítulos do profeta Oseias (1:2; 2:2, 4; 3:3; 4:10-15, 18; 5:3-4; 6:10; 9:1), além de outras palavras associadas elas (2:2; 3:1; 4:2, 13-14; 7:4).
• É certo que o infiel e o imoral não vão entrar no Céu (Apocalipse 18:1-24; 21:8, 27).

Leia mais sobre a prostituição espiritual do povo de Deus (Ezequiel 16:8-26) e depois observe atentamente o esboço do capítulo em análise:
• A falta de espiritualidade genuína promove uma existência de pecaminosidade intensa (vs. 1-3);
• A ignorância da Palavra de Deus é notável na falta de discernimento até mesmo do líder religioso, por isso aumenta a sensualidade, a imoralidade, a perversidade e a desvalorização da espiritualidade bíblica entre o povo em geral (vs. 4-11).
• A insensatez espiritual gera corrupção religiosa, ilude o coração e atrai o julgamento divino (vs. 12-14).
• A rebeldia e a infidelidade espiritual exige uma reação radical e sobrenatural da parte de um Deus moral que anseia salvar pecadores condenados pelos seus maus atos (vs. 15-19).

Onde não há verdadeiro conhecimento de Deus não há verdadeiro amor nem fidelidade genuína. Os pecados se proliferam abundantemente. Sensualidade e bebedeiras, idolatria e prostituição ocupam o lugar do verdadeiro culto a Deus.

Onde os líderes religiosos são indiferentes às revelações divinas o povo descamba para prazeres baixos, a superstição ganha força, e surgem as aberrações religiosas.

Onde a apostasia encontra a porta aberta, com ela entra junto a arrogância, a rebeldia, a sensualidade e a idolatria; somente uma disciplina divina poderá colocar uma igreja assim em harmonia com os princípios de vida revelados na Bíblia.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: