Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 44 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
4 de fevereiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 44 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 44 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 44 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



EZEQUIEL 44 by Jobson Santos
4 de fevereiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/44

Ezequiel 44 é mais um capítulo fascinante de um livro notável que infelizmente recebe comparativamente pouca atenção. Mas a realidade é que até o livro do Apocalipse “modela” suas imagens de acordo com os contornos coloridos e esclarecedores do livro de Ezequiel! O capítulo 44 continua a narrativa da visão final de Ezequiel, que lhe foi dada no Dia da Expiação. Sabendo disso, não é surpreendente que os conceitos do Dia da Expiação literalmente saturem o capítulo, chamando tanto o público original quanto os leitores de hoje a reverem seriamente suas vidas à luz das promessas redentoras de Deus.

Embora muitas vezes imaginemos o Dia da Expiação como um momento terrível de julgamento, Deus está mais interessado em nos ensinar como saborear a alegria de viver uma vida santa (ver versículo 23) que trará honra a Ele e uma alegria indescritível à nossa vida aqui na terra! Sim, este capítulo além de trazer algumas advertências, expressa abundantemente o desejo do coração de Deus de habitar entre nós (veja Êxodo 25:8), o que é evidente pelo uso abundante da linguagem do santuário. Embora o “Templo de Ezequiel” nunca tenha sido construído fisicamente, ele de fato pode ser encontrado nas vidas cheias de fé dos crentes em todo o mundo!

(Para mais detalhes sobre este capítulo importante consulte as notas de rodapé da Bíblia de Estudo da Universidade Andrews)

David Grams
Pastor aposentado, atualmente professor de religião no Hartland College, Rapidan, Virginia, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1092
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 44 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
4 de fevereiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

924 palavras

1 o homem me fez voltar. Isto é, do átrio interior (ver Ez 43:5). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 802.

entrou por ela. Ver Ez 43:4. Por ter sido santificada pela presença divina, esta porta não seria usada para o propósito comum de entrada do povo. CBASD, vol. 4, p. 802.
Hoje a porta do leste (chamada porta Dourada) da área sagrada muçulmana (Haram Sharif) em Jerusalém fica lacrada em consequência de uma tradição posterior, mas possivelmente correlata. Bíblia de Estudo NVI Vida. [Nota: Os muçulmanos, quando no domínio de Jerusalém, trancaram a porta Dourada e estabeleceram um cemitério na colina que desce dela até o vale do Cedrom, contaminando esta entrada ritualmente, para que o “príncipe” judeu por ali não entrasse, tendo em vista que muitos judeus ainda esperam o cumprimento desta profecia].

Cemitério islâmico – Porta leste Templo Jerusalém. Fonte : https://reavivadosporsuapalavra.files.wordpress.com/2021/02/71108-img_5974.jpg [Foto com continuação da foto, à esquerda, mostrando o restante do monte Moriá (do templo), o Domo da Rocha (islâmico) e as construções atrás das quais está o Muro das Lamentações (única parte que ainda resta do segundo templo, em: https://reavivadosporsuapalavra.files.wordpress.com/2021/02/eb5fd-img_5971.jpg.]

 

ao príncipe. Isto é, ao governante civil do futuro reino. Os rabis atribuiam esta passagem ao messias, mas Jesus Cristo não podia ser o príncipe aqui mencionado. O príncipe traria uma oferta pelo pecado em seu próprio favor (Ez 45:22), teria filhos (Ez 46:16) e prestaria adoração oferecendo sacrifício (Ez 46:2). CBASD, vol. 4, p. 802.
5 O segredo do templo é que define cabalmente quem pertence ao povo do Deus, e quem com o Senhor não pode ter comunhão. Exige-se a cobnversão do íntimo (7) e uma vida de acordo com a Palavra de Deus (8). A idolatria é o pecado que exclui a pessoa do templo (12). Bíblia Shedd.
7 incircuncisos no coração. Espiritualmente indignos. Bíblia de Estudo NVI Vida.
não cumpriste as prescrições. Em vez de cumprirem as prescrições do templo como haviam sido instruídos, os levitas contrataram servos dentre os estrangeiros e permitiram que estes entrassem no átrio do templo, quer fossem adoradores de Deus ou não (Js 9:27; Ed 8:20; cf. Nm 16:40; Zc 14:21). CBASD, vol. 4, p. 802.
9 nenhum estrangeiro incircunciso […] entrará no meu santuário. Neemias fez valer essa restrição quando demitiu Tobias (ne 13:8), um amonita (Ne 2:10; v. Dt 23:3). Mesmo assim, os estrangeiros podiam vir e fazer parte de Israel (v 47.22). Bíblia de Estudo NVI Vida.
10 os levitas. Os v. 10 a 14 descrevem os deveres dos levitas na nova economia. Por causa da apostasia e da idolatria, os levitas seriam rebaixados e perderiam seu exaltado privilégio de ministrar no altar. CBASD, vol. 4, p. 802.
18 turbantes. Ezequiel também usava um (24.17). Bíblia de Estudo NVI Vida.
 
a ponto de lhes vir suor. A proibição é contra as roupas que causam suor, isto é, contra lã (17). Bíblia Shedd.
19 despirão as vestes. Os sacerdotes deviam usar as vestes sacerdotais apenas quando empenhados no serviço do templo. Foram feitos edifício especiais (diagrama, T, T) perto do templo para eles trocarem a roupa antes e depois de ministrar no altar (Ez 42:13, 14).  CBASD, vol. 4, p. 802.
20 não raparão a cabeça. Ver Lv 21:1-5; Dt 14:1. Era prática dos pagãos egípcios rapar a cabeça. Esta foi, provavelmente, uma das razões pelas quais foi feita essa proibição para os sacerdotes do Senhor. Eles não deviam deixar o cabelo comprido, como os estrangeiros, mas deviam cortá-lo e mantê-lo em ordem. Só lhes era permitido deixar o cabelo crescer enquanto estavam sob o voto de nazireu (Nm 6:5; cf Lv 10:6; 21:10). CBASD, vol. 4, p. 802, 803.
23 a Meu povo ensinarão. Com as regras acima (15-22), os sacerdotes dão uma demonstração física, visível e simbólia da separação do mundanismo, o que faz parte da santificação. Este também é o sentido dos vv 25-27. Além disso, há, todavia, o dever mais profundo de ensinar-se os preceitos morais da palavra de Deus, e aplicá-los a casos específicos (24). Bíblia Shedd.
Os sacerdotes deviam ser os ensinadores do povo para que este conhecesse a verdade e se preservasse da apostasia. A instrução é essencial para o crescimento espiritual. Não pode haver verdadeiro crescimento a menos que haja contínuo avanço no conhecimento. Israel fora “destruído, porque lhe falta[va] o conhecimento” (Os 4:6). Isto não devia se repetir no novo sistema. O cristão recebe individualmente essas instruções por meio do estudo da Palavra e de pessoas que ensinam a Palavra. Cada dia ele deve acrescentar conhecimento espiritual a seu fundo de reserva e praticar a nova luz. Uma mudança de coração é acompanhada por clara convicção do dever espiritual. CBASD, vol. 4, p. 803.
A tarefa importante de declarar a vontade de Deus nas questões dos alimentos puros e impuros, da condição apropriada dos animais sacrificiais, e da pureza ritual, ou tinha sido realizada só mediante pagamento (v. Mq 3.11), ou tinha sido totalmente negligenciada (v. Jr 2.8; Ez 22.26). V. em Ag 2.10-13 um exemplo positivo. Bíblia de Estudo NVI Vida.
24 os sacerdotes servirão como juízes. Uma das suas funções desde os dias mais antigos (v. 2Cr 19.8-11). Bíblia de Estudo NVI Vida.
25 o cadáver de alguém. O contato com algum morto tornava a pessoa ritualmente impura (Lv 21.1-3; Ag 2:13). Bíblia de Estudo NVI Vida.
28 Eu sou a sua herança. O sentido real desta expressão é que os sacerdotes, não tendo uma herança tribal, sua fonte de renda seriam vária ofertas do templo, prescritas pela lei (29-30). Além disso, o fato é que quem está plenamente dedicado à sua vocação de crente goza da plenitude da comunhão com Deus aqui na terra, como antegozo da vida eterna nos céus. Tal pessoa goza preza somente o louvor que vem de Deus, e não dos homens (At 4:19; Rm 2:29). Bíblia Shedd.
31 uma herança. Os sacerdotes do novo templo tinham um local de residência na “porção santa da terra” (Ez 45:1-5). CBASD, vol. 4, p. 803.


EZEQUIEL 44 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de fevereiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“A Meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano e o farão discernir entre o imundo e o limpo” (v.23).

De todos os evangelhos, o evangelho segundo João relata várias situações da vida de Cristo em que não há registro nos demais. Já em sua introdução, o apóstolo destacou o fundamento de seu livro: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (Jo.1:1). Sendo agente ativo da criação, Jesus, o Verbo, a Palavra, é revelado por João como sendo o próprio Deus. Há uma celeuma crescente entre ateus e até mesmo entre cristãos dissidentes semeando dúvidas quanto à divindade de Cristo. Como a casa rebelde de Israel, se desviam de Deus “para irem atrás dos seus ídolos” (v.10), “como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles” (2Pe.3:16).

No capítulo 17 do livro de João encontramos a oração sacerdotal de Jesus. Foram as últimas palavras relatadas pelo apóstolo antes do início da agonia do Salvador. Como “a glória do Senhor enchia a Casa do Senhor” (v.4), Jesus iluminou o mundo com a glória do Pai: “Eu Te glorifiquei na Terra, consumando a obra que Me confiaste para fazer; e, agora, glorifica-Me, ó Pai, Contigo mesmo, com a glória que Eu tive junto de Ti, antes que houvesse mundo” (Jo.17:4-5). Apesar de ter sido vedado o acesso comum do povo pela porta do oriente, “porque o Senhor, Deus de Israel, entrou por ela” (v.2), Jesus veio ao mundo como a Porta por onde podemos entrar e encontrar a salvação (Jo.10:9). Quando nós nos extraviamos, o nosso Sacerdote e Sumo Sacerdote (Hb.8:1), que cumpriu as prescrições celestiais, comprou-nos o direito de acesso ao Pai, de onde intercede por nós pelos méritos de Sua única e perfeita oferta de sacrifício (v.15).

Ele, que é a Palavra, nos deixou escrito tudo o que precisamos notar bem, ver e ouvir (v.5) a fim de que possamos “entrar no templo” (v.5) com as “vestes de linho” (v.17) de Sua justiça e dignidade. As vestiduras de Cristo não devem nos causar desconforto (v.18) e nem servir de meio de acepção ou inclusão alheia (v.19). Trata-se, contudo, de um traje de uso pessoal e intransferível. Ou seja, a salvação é individual. Cada um é chamado a fazer parte do “sacerdócio real” (1Pe.2:9), como cooperadores de Cristo na obra de salvar vidas, não com a missão de constranger, mas de ensinar outros “a distinguir entre o santo e o profano e […] discernir entre o imundo e o limpo” (v.23).

A vida de Jesus nos deixou o perfeito exemplo do que seja santo e limpo e se tratava da mais clara advertência aos impenitentes de sua condição profana e imunda. Comovia-Lhe o coração cada vez que contemplava “a oferta pelo pecado” (v.29), o símbolo de Sua salvífica missão. Porém, “O melhor de todos os primeiros frutos de toda espécie e toda oferta” (v.30), entregues aos sacerdotes, não foram dados Aquele que era a fonte de toda a bênção. Israel fechou a porta do coração e rejeitou “a sua herança” e “a sua possessão” (v.28). Aproxima-se o tempo de outra porta ser fechada: a porta da graça. Mas enquanto ela está aberta, precisamos abrir a porta do nosso coração ao nosso longânimo Sacerdote: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, Comigo” (Ap.3:20). Abra o coração a Jesus, “para que [Ele] faça repousar a bênção sobre a vossa casa” (v.30) e lhe dê o direito de entrar “na cidade pelas portas” (Ap.22:14). Vigiemos e oremos!

Bom dia, sacerdócio real!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel44 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 44 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
4 de fevereiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 44 – Deus não esconde Sua vontade, Seus anseios nem Seus interesses, mesmo que eles não venham a se concretizar – como de fato não se cumpriram as profecias condicionais finais do livro de Ezequiel.

O capítulo em pauta trata dos sacerdotes do novo templo e dos príncipes do povo de Deus:
1. O texto descreve a porta oriental exterior, para o príncipe (vs. 1-3);
2. O relato expõe as orientações referentes aos estrangeiros e às tribos rebeldes (vs. 4-14);
3. O relatório profético inclui detalhes referentes ao sacerdócio (vs. 15-27);
4. O profeta informa a herança dos sacerdotes (vs. 28-31).

Não é porque não se cumpriram os detalhes das profecias dos últimos capítulos de Ezequiel que vamos ignorar Seus ensinamentos. Sendo que os crentes são os sacerdotes de Deus, há princípios relevantes para nós que vivemos no século 21.

Além de ser negado beber vinho, “o sacerdote não podia permitir que algo viesse a obliterar seu discernimento espiritual ao se ocupar das coisas sagradas. Uma das razões para a temperança é que ao sacerdote cabe ensinar o povo a distinguir entre o santo e o profano (44:23); (ver Levítico 10:10; Malaquias 2:7)” explica Siegfried Júlio Schwantes.

“O versículo 4 deve inspirar em nós o desejo de participar de culto nos quais a glória do Senhor se manifesta de tal modo que os adoradores se prostrem diante dEle”, aplica William MacDonald).

Os sacerdotes confiam em Deus para viver. “De acordo com o plano de Deus, ele próprio será a herança de seus servos, e eles não terão nada na terra. O mesmo princípio se aplica aos servos do Senhor nos dias hoje. Deus deseja que encontremos plena satisfação nele e, desse modo, tenhamos liberdade de servir, sem vínculos com coisas deste mundo”, diz MacDonald.

Deus…
• …persiste em amar aos seres humanos;
• …preserva Seus interesses apesar do desinteresse do Seu povo;
• …refaz Seus planos para salvar a humanidade.

Mesmo que os planos de Deus para os judeus não tenham se tornado realizado, Deus ainda habitará com os seres humanos. Jesus veio e habitou entre nós para mostrar como podemos habitar com Deus (João 1:14; 14:1-6). Jesus pagou o preço de nosso pecado para criar a possibilidade de um dia estarmos eternamente na presença de Deus.

Vamos orar? “Senhor, concede-nos o reavivamento!” – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: