Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 45 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
5 de fevereiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 45 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 45 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 45 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



EZEQUIEL 45 by Jeferson Quimelli
5 de fevereiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/45

O foco na alocação de terras em Ezequiel 45, junto com as ofertas e a guarda das festas pode se tornar um tanto insignificante para a vida diária no século 21. Afinal, temos o suficiente com que nos preocupar com nossas próprias hipotecas e compromissos financeiros!

Mas ao ler a mensagem de Deus à luz das realidades sociológicas de hoje, uma mensagem muito relevante vem à tona. Deus apresenta uma repreensão muito forte. O versículo 9 registra: “Basta, príncipes de Israel!” Em outras palavras, “Eu já aguentei vocês por tempo suficiente”, mas o que exatamente eles estavam fazendo de errado? Deus continua: “Parem com a violência e a opressão e façam o que é justo e certo. Parem de expulsar meu povo de suas casas …” O versículo 10 acrescenta: “Usem somente pesos, medidas e balanças honestos para secos e líquidos.”

Deixe-me tentar expor em linguagem moderna: “Parem de intimidar o meu povo e tirar vantagem dele!” É um apelo por justiça e imparcialidade! E embora a mensagem franca tenha sido dada diretamente ao profeta Ezequiel há milênios, permanece mais relevante do que nunca.

Tanto em nossa cultura, mas especialmente dentro do corpo de Cristo, não há lugar para a injustiça, bullying de qualquer tipo não deve ser tolerado, não há desculpa para a falta de integridade. Vamos ouvir e obedecer o que Deus pede!

Christian Martin
Pastor sênior da Comunidade Living Hope, Virgínia, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1093
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 45 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
5 de fevereiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

824 palavras

1 repartirdes […] por sortes. O significado parece ser o de repartir por quotas. Na verdade, a cada tribo foi designada uma porção definida (Ez 48:1-29). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 805.

uma oferta. Pequena parte desta “porção santa da terra” devia ser ocupada pelo santuário, e o restante, dado aos sacerdotes e levitas. CBASD, vol. 4, p. 805.

2 terá em redor […] cinquenta côvados. O templo estava situado num átrio de 500 côvados quadrados … Aqui uma faixa de terra de 50 côvados (26 m) é deixada do lado de fora, ao redor do muro exterior, para ajudar a impedir sua profanação. CBASD, vol. 4, p. 805.

6 cidade. A Jerusalém antiga continha a área do templo. A nova cidade santa não, mas ficaria adjacente ao templo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

8-12 Deus ordenou que os príncipes e o povo fossem justos e corretos, especialmente em suas transações comerciais. Considere a maneira como você avalia bens, dinheiro e serviços. Se você é pago por um hora de serviço, trabalhe por um hora completa. Se você vende uma cesta de maçãs, certifique-se de entregar uma cesta completa. Deus é completamente digno de confiança e Seus seguidores também deveriam o ser. Life Application Study Bible Kingsway.

9 os príncipes. Aqui se refere aos magistrados, juízes e anciãos.  Bíblia Shedd.

desapropriações. Esta injustiça, cuja forma clássica se vê no caso da vinha de Nabote (1 Rs 21.1-16); dentro de um século veio a ser rotina em Samaria (Mq 2.2). O vivo protesto de Ezequiel se lença em forma simbólica nas medidas imutáveis que se tomam para as heranças tribais (48.1-7). Bíblia Shedd.

11 sua medida. Ver Lv 19:35, 36; Dt 25:13-15; Pv 16:11; Os 12:7; Am 8:5; Mq 6:10. O efa [NVI: arroba] era usado para medida de secos, e o bato [NVI: pote], para medida de líquidos. Aqui é dito que eles tem a mesma capacidade e equivalem à décima parte do ômer [NVI: barril]. Em equivalentes modernos, um efa ou um bato seria cerca de 22 litros. CBASD, vol. 4, p. 805.

O ômer é de 220 litros ou quilos. Bíblia Shedd.

12 mina. Uma transliteração do heb menah. … Um menah ou uma mina [ou “arrátel”, 1Rs 10:17; Ed 2:69] equivalia a 50 siclos, CBASD, vol. 4, p. 805. [Nota: O siclo, ou shequel é a moeda de Israel, hoje. Mina ou menah é o termo usado em Daniel 5:25, 26].

siclo … gera … mina. Estes são os valores para a cobrança da mercadoria; são pesos de prata: o siclo tendo 10 g., a gera tendo metade de um grama, e a mina tendo 500 g. Isto quer dizer que a moeda chamada de “cinco ciclos” terá este peso em prata pura. O siclo seria equivalente a um dólar americano, pelo poder aquisitivo. Bíblia Shedd.

13 a oferta. Os v. 13 a 15 descrevem o imposto a ser pago, presumivelmente ao príncipe (ver v. 16) que, por sua vez, forneceria as ofertas sacrificiais requeridas. CBASD, vol. 4, p. 805.

O príncipe seria o mordomo do tesouro nacional, cuidando da ordem cívica e das despesas do templo e das ofertas religiosas. Bíblia Shedd.

17 As condições e regulamentações dessas oferendas estão descritas detalhadamente em Levítico 1-7. Life Application Study Bible Kingsway.

18 no primeiro mês. A partir do v. 18, até o v. 15 do cap. 46, é descrito o ritual sacrificial a ser seguido em ocasiões especiais. Há alguma diferença em relação à lei mosaica. CBASD, vol. 4, p. 805.

Este dia, primeiro de Nisã, não tem equivalente fixo em nosso calendário, porque os israelitas tinham doze meses lunares, e mais um mês extra, intercalado de quatro em quatro anos,para fazer Nisã cair na primavera local, março/abril. Esta data do ano novo foi estabelecida por ser o mês em que Deus libertara Seu povo da escravidão do Egito (Êx 12.2). Bíblia Shedd.

19 tomará do sangue. Segundo a lei mosaica, no Dia da Expiação, o sangue das ofertas pelo pecado era aspergido sobre o propiciatório e diante dele, dentro do véu (Lv 16:14, 15). De acordo com o novo ritual, no que diz respeito á cerimônia de purificação, o sangue era posto “nas ombreiras da casa”, e nos quatro cantos da fiada do altar, e nas ombreiras da porta do átrio interior”. CBASD, vol. 4, p. 806.

21 Páscoa. Os regulamentos quanto à observância da Páscoa [para o terceiro templo] eram semelhantes aos da lei mosaica, mas as ofertas eram em maior número (Êx 12:6; Lv 23:5-8; Nm 28:16-25). CBASD, vol. 4, p. 806.

A Páscoa [em inglês, Passover, “passou por cima”] era uma festa anual de sete dias instituída por Deus para que o povo se lembrasse de quando Ele os trouxe da escravidão do Egito. Na primeira noite de Páscoa, o [anjo] destruidor passou por cima das casas marcadas com o sangue do cordeiro: ele entrou somente nas casas não marcadas (Êx 11:12). Life Application Study Bible Kingsway.

25 Sétimo mês. A referência é a Festa dos Tabernáculos (Êx 23:16; 34:22; Lv 23:34; Dt 16:13, 16). Alguns afirmam que a razão pela qual a festa não é mencionada aqui por esse nome é que o costume de habitar em tendas seria descontinuado. CBASD, vol. 4, p. 806.

Celebrada em outubro, ela comemorava a proteção de Deus ao povo em sua viagem pelo deserto, do Egito à terra prometida (Lv 23:33-43; Dt 16:13-17). Life Application Study Bible Kingsway.



EZEQUIEL 45 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
5 de fevereiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Assim diz o Senhor Deus: Basta, ó príncipes de Israel; afastai a violência e a opressão e praticai juízo e justiça: tirai as vossas desapropriações do Meu povo, diz o Senhor Deus” (v.9).

Na condição de que houvesse um reavivamento e reforma no meio de Israel, Ezequiel transmitiria ao povo a planta do templo que o Senhor havia lhe revelado. Da mesma sorte, Israel receberia o direito à distribuição das terras, “segundo as suas tribos” (v.8). A primeira parte seria “uma porção santa da terra” (v.1), destinada ao santuário e morada dos levitas. E as demais seriam divididas, em justa medida, entre as demais tribos. Aos magistrados foi dada solene e firme advertência quanto ao abandono da corrupção e à prática da justiça. Era desejo do Senhor suscitar a ordem e a obediência; que o Seu povo fosse purificado e santificado pelo fiel cumprimento de Sua Palavra.

Não eram os rituais do santuário em si que promoviam a boa obra da expiação, mas o significado que neles havia. A festa da Páscoa, por exemplo, era um símbolo de libertação, instituída no Egito quando o Senhor ordenou ao povo que o sangue de um cordeiro, uma representação do sangue de Cristo, fosse passado nos umbrais de suas portas, livrando-os da morte dos primogênitos. Na Páscoa, foi-lhes ordenado: “pão asmo se comerá” (v.21), representando outro símbolo que Cristo mesmo enfatizou: “Isto é o Meu corpo oferecido por vós” (Lc.22:19). Tanto os sacrifícios quanto as festas de Israel apontavam para o plano da salvação de Deus em Cristo Jesus e eram claros e constantes lembretes da fiel promessa divina: “Tragará a morte para sempre, e, assim, enxugará o Senhor Deus as lágrimas de todos os rostos, e tirará de toda a Terra o opróbrio do Seu povo, porque o Senhor falou” (Is.25:8).

O Senhor Deus jamais deixaria o Seu último povo sem semelhante luz. Como o tempo do fim foi inaugurado com o cumprimento de profecias históricas, e sinais que confirmam a veracidade da Bíblia, Deus também suscitou um movimento profético a fim de proclamar ao mundo que “o Dia do Senhor está perto, pois o Senhor preparou o sacrifício e santificou os Seus convidados” (Sf.1:7). Há um limite para o pecado. Há uma medida que não será ultrapassada antes que Deus derrame sobre este mundo o cálice de Sua ira, “preparado, sem mistura” de misericórdia, para os ímpios (Ap.14:10). Há um justo Juiz que julgará com “balanças justas, efa justo e bato justo” (v.10), vindo recolher aqueles que aceitaram o Seu convite de graça e viveram piedosamente em Cristo Jesus.

O Senhor tem sido longânimo (2Pe.3:9), aguardando um povo que esteja preparado para encontrá-Lo. Diante das admoestações e exposições da Palavra de Deus por intermédio de Seus derradeiros atalaias, é necessário que haja um genuíno despertamento e vivo interesse pela salvação: “Que faremos, irmãos?” (At.2:37). O Espírito Santo, em Sua obra de reavivar a última igreja de Deus na Terra, tem apelado a cada coração: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados” (At.3:19). Esta é a boa obra que Ele começou e que deseja completar em nossa vida. Para isso, precisamos permitir que o nosso eu seja subjugado e Cristo assuma o lugar de primazia em nossa existência.

Como Israel no passado foi orientado e advertido pelo ministério profético, possuímos hoje um rico acervo de Testemunhos inspirados, os escritos de Ellen G. White, que abrem os nossos olhos e ouvidos para ver e ouvir com riqueza de detalhes os preciosos tesouros da Bíblia. Foi-nos revelado que os restantes fiéis dos últimos dias são “os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap.12:17). E que “o testemunho de Jesus é o espírito da profecia” (Ap.19:10). Deus levantou a Igreja Adventista do Sétimo Dia não como um grupo fechado e exclusivista, mas como um movimento profético a fim de revelar ao mundo o caráter de Cristo e a brevidade de Seu retorno.

Precisamos assumir o posto de nosso dever, dando um “Basta!” a tudo aquilo que tem nos afastado de cumprir com fidelidade a nossa missão. Precisamos almejar estar no lugar onde Deus habitará conosco e onde estaremos para sempre com o Senhor, “porque o tempo está próximo” (Ap.22:10). É hora de abandonarmos nossos gostos pessoais, egoísmo e vaidades, e erguermos o estandarte da cruz de Cristo perante um mundo que jaz em densas trevas. Que renúncias precisamos fazer e até quando durará a paciência de Deus diante de tanto sofrimento? Enquanto você e eu podemos estar desfrutando da liberdade de professar a nossa fé, muitos estão sendo perseguidos e até mortos pela opressão de homens maus, agentes do Maligno.

Logo, do santuário, Jesus dirá: “Feito está” (Ap.16:17) e cessará a expiação “pela casa de Israel” (v.8). A pergunta é: Estamos, de fato, vigiando e orando, nos preparando para este momento? Agora é o tempo de obedecermos à palavra profética: “Buscai o bem e não o mal, para que vivais; e, assim, o Senhor, o Deus dos Exércitos, estará convosco, como dizeis” (Am.5:14). Vigiemos e oremos!

Bom dia, último Israel de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel45 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 45 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
5 de fevereiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 45 – Aprofundar-se no estudo da Bíblia é a melhor coisa que alguém pode fazer na vida. Nas páginas sagradas você descobre mais do que simplesmente da existência de um Deus que vive eternamente. Você aprende que Deus…
1. …é sério e gosta das coisas organizadas;
2. …quer pessoas consagradas para serem usadas em Seu serviço;
3. …espera que os crentes não flertem com coisas que corrompem a alma;
4. …deseja que Seus servos sejam ávidos por informar ao povo sobre o que é certo e errado.

Considerando que após a instituição da igreja por Cristo, o sacerdote de Deus é todo aquele que se converte do pecado (Apocalipse 1:4-7; I Pedro 2:9-10), e o Israel de Deus é aquele que crê em Jesus (Romanos 9-11), devemos considerar o capítulo em pauta como relevante para nós, nos dias atuais.

A mensagem em análise revela quatro pontos interessantes, segundo Paul R. House:
1. Um pedaço de terra será separado para o lugar santo (vs. 1-6);
2. Príncipes governarão com justiça (vs. 7-9);
3. Os negócios serão feitos com honestidade (vs. 10-12);
4. Dias santos surgirão de acordo com os desejos de Deus (vs. 13-25).

Isso infelizmente não aconteceu como era a desejo de Deus. Contudo, quando profecias condicionais não se cumprem, Deus não “cruza os braços” nem abandona aos pecadores a sua própria sorte. Observe esta declaração de Ellen G. White:
“Nos anais da história humana o crescimento das nações, o levantamento e queda dos impérios, aparecem como dependendo da vontade e façanhas do homem. O desenvolver dos acontecimentos em grande parte parece determinar-se por seu poder, ambição ou capricho. Na Palavra de Deus, porém, afasta-se a cortina, e contemplamos ao fundo, em cima, e em toda a marcha e contramarcha dos interesses, poderio e paixões humanas, a força de um Ser todo misericordioso, a executar, silenciosamente, pacientemente, os conselhos de Sua própria vontade”. Ed, 173.

• As decepções provocadas pelo povo de Deus não interrompem Seus planos (veja o livro de Apocalipse, onde Deus amplia Seus projetos descritos em Ezequiel).
• Os seres humanos não frustram as intenções de Deus. Deus está no controle, não os pecadores!
• A história do mundo está sob as rédeas de Deus e de Seu Filho; Seu propósito é transformar pecadores em cidadãos celestes.

Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: