Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 24 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
14 de setembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ISAÍAS 24 – Primeiro leia a Bíblia

ISAÍAS 24 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ISAÍAS 24 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



ISAÍAS 24 by Jeferson Quimelli
14 de setembro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/Is/24

No Japão, há o costume de frequentar uma casa de banho pública e ficar de molho em uma banheira de hidromassagem a fim de conversar com outras pessoas. Embora sua sociedade seja separada por posição social no local de trabalho ou na rua, essas distinções não se aplicam ao banho. Quando as pessoas têm que tirar todas as roupas e joias para entrar na banheira, isso iguala a todos, de modo que um trabalhador comum fica no mesmo nível de um executivo. Ninguém nu é privilegiado. Assim será no julgamento final.

Distinção de classe e posição social não o ajudarão no último dia. Isaías 24:2 diz: “Será o mesmo para o sacerdote e o povo, para o senhor e o servo, para a senhora e a serva, para o vendedor e o comprador, para quem toma emprestado e quem empresta, para o devedor e o credor.” Nossa única esperança é ouvir Aquele que diz: “Eu te aconselho a comprar de mim. . . vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez ”Apocalipse 3:18.

Karen D. Lifshay
Coralista
Igreja Adventista de Hermiston, Oregon, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=949
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



ISAÍAS 24 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
14 de setembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1097 palavras

24:1-27:13 Esta seção é conhecida como o Apocalipse de Isaías, por causa de seu amplo escopo. Bíblia de Estudo Andrews.

1 Devastar e desolar a terra. Como todas as mensagens proféticas de Isaías, a do cap. 24 foi originalmente dirigida ao Israel literal e descreve o modo como Deus deixaria a terra desolada e como teria vencido os inimigos de Israel se este tivesse sido fiel. Mas, em vista da infidelidade desse povo, essa profecia, como outras, será cumprida com o povo de Deus hoje. João aplica essa descrição da Terra à sua condição desolada durante o milênio (Ap 20). Isaías fala dos juízos de Deus sobre diversas nações (Is 13-23). Mas, a partir deste capítulo, sua visão profética se dirige ao horizonte mais amplo da história. Nos cap. 24 a 28, ele descreve as cenas finais, quando o povo de Deus será liberto e seus inimigos derrotados. Neste capítulo, o profeta apresenta uma descrição vívida da terra depois que os reis forem subjugados (v. 21, 22) e antes de o Senhor reinar “no monte Sião e em Jerusalém” (v. 23).

1-3 a terra. O juízo passa das nações citadas na seção anterior do livro para todo o mundo. A Terra se encontra desolada e vazia. Bíblia de Estudo Andrews.

1 Vai transtornar a sua superfície. Literalmente, “desconsertar sua face”. Esta é uma descrição das catástrofes que estremecerão o mundo na segunda vinda de Cristo (ver Sl 46:1-3, 6, 8; Ap 6:16; 16:18-20).

3 De todo devastada. Quando Cristo voltar, todos os ímpios vivos serão mortos e todos os justos subirão com Ele para o Céu (ver Jr 25:30-33; Lc 17:26, 29, 30; 1Ts 5:5; Ap 19:11-21; 20:4-6). A terra ficará desolada (ver Jr 4:25).

5 A terra está contaminada. Deus é santo. Ele deu Sua lei para manter o ser humano puro e o mundo incontaminado. Ao rejeitarem essa lei, os seres humanos contaminaram a si mesmos e ao mundo. O contágio do pecado alcança o solo abaixo dos pés, o alimento, a ;agua e o ar (ver Gn 3:17; Nm 35:22; Sl 107:34). A cada ano, a Terra se torna mais e maias corrompida. De Deus não interviesse, chegaria um tempo quando a corrupção do pecado de tal modo que seria impossível viver (ver Gn 6:5, 11, 12; DTN, 36, 37).

A apostasia em meio ao povo de Deus causou a desolação da Terra. O tema da relação entre o comportamento ético e a situação do planeta também é abordado em Os 4. A transgressão da aliança resulta em maldição. A contaminação da Terra, que a leva a se lamentar, é causada pela quebra do que é chamado de ” aliança eterna”. Tal expressão é entendida, no contexto, como uma aliança universal entre Deus e a humanidade, semelhante ‘a aliança feita com Noé (Gn 9:16). Isso revela a soberania divina sobre todo o mundo. Bíblia de Estudo Andrews.

6 A maldição consome. Não é Deus, e sim Satanás, o instigador do pecado, o responsável pela maldição que resulta dele. Em toda parte, as forças do mal estão operando e se pode ver claramente a obra de Satanás (DTN, 636; GC, 589). Na doença e na morte, em terremotos e tempestades, em incêndios e enchentes, manifesta-se a obra do mal. A transgressão das leis de Deus não trouxe paz e prosperidade, mas problemas, pestilência, dor e morte.

Queimados. Provavelmente, a quarta praga (Ap 16:8, 9).

8 Harpa. Lira; ver vol. 3 [CBASD], p. 15, 16. Quando sobrevierem as calamidades dos últimos dias, as pessoas não mais pensarão em “regozijo”ou “alegria”(ver Jr 7:34; 16:9; 25:10; Ap 18:22; cf. Ez 26:13; Os 2:11).

9 Entre canções. Em geral, a bebida está associada a festividade e prazer. Naquele dia, o Senhor transformará as festas em pranto e as canções, em lamento (Am 8:10; cf. Dn 5:1-6).

10 Caótica. Do heb. tohu, “caos”, “vazio”, “vaidade”. Em Gênesis 1:2, a palavra é traduzida como “sem forma”. … O mundo voltará ao seu primitivo estado caótico.

11 Fez-se noite para toda alegria. O sol da alegria se pôs e caíram as sombras da noite eterna (ver Jr 8:20). O ser humano, por fim, se desperta para o fato de que, ao excluir Aquele que é a luz da vida, trouxe sobre si uma noite sem fim.

13 Oliveira. Ver com. de Is 17:6. Em sua visão da destruição da Terra, Isaías tem um vislumbre da salvação do remanescente (ver Is 1:9; 10:20-22; 11:11). Eles serão como as poucas azeitonas que permanecem numa árvore “quando abaladas por um vento forte” (Ap 6:13), ou como as poucas uvas que restam quando a colheita chega ao fim.

14 Cantam. Quando em toda parte houver pranto e ranger de dentes por causa dos horrores a sobrevirem ao mundo, os justos verão que sua tristeza se transforma em alegria e que se inicia a alegre manhã da eternidade (ver Is 25:8, 9).

15 No Oriente  e, nas terras do mar. Do heb. ‘urim, de ‘or “luz”. É possível que ‘urim se refira ao “Oriente” como a região da luz, ao amanhecer. As “terras do mar” podem se referir às ilhas do Mar Mediterrâneo, sendo um termo poético para “ocidente”. A palavra ‘yam, “mar”, designa com frequência o “ocidente”(e é traduzida assim em Gn 28:14; Nm 34:6; etc.). Se esse é o significado em Isaías 24:15, deve-se entender que de todas as partes se ouvem louvores a Deus (ver v. 16).

16 Definho. … O profeta parece se desviar da glória futura para a vergonha e miséria do presente. … Após um breve vislumbre das alegrias do povo de Deus na hora do livramento, Isaías se volta às aflições e decepções dos perdidos, e segue a descrição do terrível juízo porvir.

17 Terror, cova e laço. Descrevem-se em rápida sucessão os terrores e calamidades que cairão sobre os ímpios. Jeremias 48:44 apresenta esta mesma sucessão de juízos. Nenhum ímpio escapará dos efeitos das sete últimas pragas; o que escapar de uma será pego pela outra (Is 24:18).

20 Balanceará como rede de dormir. Essa descrição se refere ao terremoto por ocasião do retorno de Cristo, que será a maior calamidade que jamais houve (ver Ap 16:18-20). Todo o contorno da superfície terrestre será mudado. Montes serão abalados de seus fundamentos, ilhas serão deslocadas, e a superfície terrestre se assemelhará às ondas de um mar tempestuoso (ver Sl 46:2, 3, 6).

22 Como presos. Satanás e suas legiões de anjos maus, “as hostes celestes”, do v. 1, e “os reis da terra” serão ajuntados como presos”. Os primeiros estarão confinados a esta Terra, que, em seu estado caótico (v. 1, 3, 19, 20), será sua prisão por mil anos (ver com. CBASD] de Ap 20:1, 2, 7); e os últimos serão confinados na prisão da sepultura (ver com. [CBASD] de Ap 20:5.

Masmorra. Do heb. bor, uma “cisterna” cavada para armazenar água. Durante a estação seca, ou quando não era usada como “cisterna”, servia de prisão (ver Gn 37:20; Jr 38:6-13; Zc 9:11; etc.).

23 O sol se confundirá. A fonte de luz mais gloriosa que se conhece se torna insignificante quando comparada à glória de Cristo (ver Is 60:19, 20; Ap 21:24; 22:5).

 

Fonte principal: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4.



ISAÍAS 24 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
14 de setembro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Na verdade, a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, violam os estatutos e quebram a aliança eterna” (v.5).

Repleto de profecias para o tempo do fim, Isaías 24 é uma prova inequívoca de que o “evangelho eterno” (Ap.14:6), como a própria expressão o diz, está contido tanto no Antigo como no Novo Testamento. O profeta sai do contexto de juízo contra Tiro e o expande para toda a terra (v.3). A ira de Deus será manifestada contra o mundo (v.4) “por causa dos seus moradores” (v.5), e tanto grandes quanto pequenos terão de enfrentá-la (v. 2). A Bíblia diz que Deus é tardio em irar-Se (Jn.4:2), mas também deixa bem claro que chegará o tempo em que Ele derramará sobre o mundo as sete taças de Sua ira (Ap.16:1) e apenas os justos serão poupados, cumprindo-se fielmente a profecia do salmista: “Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita; tu não serás atingido. Somente com os teus olhos contemplarás e verás o castigo dos ímpios” (Sl.91:7-8).

A obediência, como o foi no princípio, será o que definirá o destino eterno de cada ser humano. Satanás tem multiplicado os frutos de sua maldade e os oferecido a cada um de nós de acordo com o que mais condescendemos. Sua estratégia é a mesma: nos levar a transgredir os mandamentos do Senhor e desprezar a Sua Palavra. Isaías não diz que os judeus quebraram a aliança eterna. Não diz que os israelitas quebraram a aliança eterna. Ele diz que os moradores da terra “quebram a aliança eterna”. Que parte de “seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a Palavra de nosso Deus permanece eternamente” (Is.40:8), o ser humano ainda não compreendeu?

Amados, o profeta expôs de forma bem clara: não eram suas as palavras, mas “o Senhor é Quem proferiu esta palavra” (v.3). Querem realmente saber a verdade? Pois bem: “Na verdade” (v.5), em todos os tempos o homem tem contaminado o mundo lançando por terra as verdades da Palavra de Deus. Paulatinamente, tem destruído o lar que Deus havia criado perfeito. Sob o domínio satânico, surgem toda sorte de crenças e filosofias que descartam por completo, ou em parte, as Santas Escrituras. A verdade de que “Toda Escritura é inspirada por Deus” (2Tm.3:16) é ignorada nos púlpitos que apresentam apenas o que lhes convém e o que preenche os bancos das igrejas. E milhares vão sendo arrastados para “a maldição que consome a terra” (v.6).

Eis que o Senhor” (v.1) “vem com as nuvens e todo olho O verá” (Ap.1:7). “O que suceder ao povo” (v.2) também sucederá aos “reis da Terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre” (Ap.6:15). “A terra pranteia e murcha” (v.4) e “o céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola” (Ap.6:14). Aos moradores da terra que a contaminaram transgredindo a Lei divina e quebrando a aliança eterna (v.5), “aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos” (Ap. 21:8), lhes caberá a morte e, após os mil anos, “serão queimados” (v.6) e destruídos definitivamente. Nos últimos dias “poucos restarão” (v.6) fiéis à Palavra do Senhor. Estes poucos que restarão são “umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras” (Ap.3:4), “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap.14:12). “Naquele dia” (v.21) eles darão “Glória ao Justo!” (v.16). Também “Naquele dia, o Senhor castigará” (v.21) o diabo e seus anjos, “as hostes angélicas”; serão “encerrados num cárcere” (v.22), e “depois de muitos dias”, após mil anos de prisão (Ap.20:7), serão castigados e aniquilados juntamente com os ímpios na segunda e definitiva morte (Ap.21:8; 20:9). Então, os salvos não precisarão mais da lua e nem do sol (v.23), pois “já não haverá noite, nem precisam eles… da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos” (Ap.22:5).

Eis que venho sem demora” (Ap.22:7) é a promessa do nosso Senhor e Salvador! Não é Ele quem tarda a Sua promessa, amados, mas a nossa teimosia que O faz longânimo (2Pe.3:9). “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração” (Hb.3:15). Mas “glorificai ao Senhor… ao nome do Senhor” (v.15), amando-O (Jo.14:15), “esperando e apressando” a Sua vinda (2Pe.3:12) e com a sua vida proclamando: “Vem, Senhor Jesus!” (Ap.22:20). Vigiemos e oremos!

Bom dia, justos do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Isaías24 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ISAÍAS 24 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
14 de setembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 24 – O Deus bíblico é infinito. Seu poder de atuação é ilimitado. O diabo não manda nem no inferno, até ali Deus exerce sua autoridade.

Além de as nações serem citadas pelo Deus que a tudo observa e julga, o capítulo em pauta engloba a Terra inteira.

1. Deus olha por toda a terra, observa todas as nações; portanto, nenhum mal escapará de seu julgamento. Ele intervirá para dar um basta na proliferação do mal.
2. Nada neste mundo, nada do que o ser humano seja capaz de fazer, nenhum poder, riqueza ou status será útil para escapar do juízo divino.
3. Arrogância e orgulho são as razões da desaprovação dos pecadores no dia do juízo.
4. A salvação pela fé resulta em libertação do pecado e liberdade para observar a lei moral.
5. O remanescente é um grupo de todas as nações que confiam plenamente em Deus, do qual compõem estrangeiros e judeus.
6. Os que se alegram em sua imoralidade e prazeres pervertidos serão silenciados pelo medo do julgamento futuro.
7. O remanescente que sofreu injustiça, perseguição e oposição por servir a Deus entoará suas melodiosas canções.
8. Antes do fechamento da porta da graça haverá um reavivamento e reforma resultando num convite mundial para uma conversão total ao único Deus que merece adoração.
9. O castigo de Deus aterrorizará a todos os que O resistiram por amor ao pecado, isso foi nos dias de Noé, na Torre de Babel e será também antes dos salvos subirem ao Céu (ver Apocalipse 6:13-14; 16:1-21).
10. Anjos rebeldes que são os demônios da terra também não serão poupados, nem mesmo Satanás (2 Pedro 2:4; Judas 6).

No futuro, durante o julgamento pré-advento de Cristo “a terra cambaleará como um bêbado, como se houvesse sido atingida por um terremoto gigantesco […]. As hostes perversas nos lugares celestiais também serão julgadas […]. Os reis da terra que foram títeres dessas forças malignas serão julgados com elas na segunda vinda de Cristo. A glória excelsa do Senhor envergonhará o sol e a lua” (William MacDonald).

Certamente,
• O mal terá fim!
• O bem vencerá!
• Satanás e seus agentes serão destruídos!
• Deus dominará plenamente!

O tempo que temos serve para optar pela vitória ou pela derrota! Sejamos sábios! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: