Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 36 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
26 de setembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ISAÍAS 36 – Primeiro leia a Bíblia

ISAÍAS 36 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ISAÍAS 36 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



ISAÍAS 36 by Jobson Santos
26 de setembro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/Is/36

Convido você a refletir a respeito de como Rabsaqué, o porta-voz arrogante do rei Senaqueribe, falou com os homens do rei Ezequias na tentativa de fazê-los se render. Eu parafraseio:
– Nem me passa pela cabeça que você esteja confiando no Senhor, ou você está fazendo essa tolice? (v. 7)
– Não deixe que Ezequias, ou o Deus dele, te engane! (vs. 14-15)
– Em vez disso, faça um acordo conosco e nós o levaremos a uma terra com fartura de cereais e vinhas. (v. 17)
– CUIDADO para que Ezequias não o convença de que o SENHOR o livrará! (v. 18)
– Somos mais poderosos do que qualquer deus!

Que voz estamos ouvindo: a voz da dúvida e do ceticismo ou a voz da fé? A inspiração nos diz: “Cuidemos de nossas palavras. Falemos de fé, e teremos fé. Não deis nunca lugar a um pensamento de desânimo na obra de Deus. Nunca deixeis escapar uma palavra de dúvida. Isto é qual semente semeada, tanto no coração do que a profere, como no dos ouvintes, para produzir uma colheita de desânimo e incredulidade.” Evangelismo, p. 633.

Não importa a nossa situação, não importam os exércitos ou as montanhas que estejam diante de nós, coloquemos a nossa confiança em Deus e ficaremos surpresos ao ver o que Ele fará!

Melodious Echo Mason
Unidos em Oração (United in Prayer)
Conferência Geral

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=961
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ISAÍAS 36 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
26 de setembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

433 palavras

Este capítulo marca o início de uma nova seção do livro de Isaías. Os cap. 36 a 39 são de natureza principalmente histórica em vez de profética e tratam das invasões de Senaqueribe, da doença de Ezequias e da visita dos enviados de Merodaque-Baladã. Estes capítulos são paralelos, e em grande medida idênticos a 2 Reis 18:13 a 20:19. Em geral, deve-se buscar nos comentários desta passagem a interpretação destes capítulos. CBASD – Comentário Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 242.

1. No ano décimo quarto … subiu Senaqueribe. Senaqueribe se tornou rei da Assíria em 705 a.C e fez sua primeira campanha contra as cidades de Judá em 701. CBASD, vol. 4, p. 242.

Açude superior. Ver com. de 2Rs 18:17.1. CBASD, vol. 4, p. 242.

5 Poder para a guerra … para que te rebeles…  Ver com. de 2Rs 18:20. Ezequias pagava tributo para a Assíria, como seu pai Acaz antes dele (2Rs 16:7, 8). Foi sua recusa em pagar tributo que levou os exércitos da Assíria contra ele. CBASD, vol. 4, p. 242.

8 Dois mil cavalos. Ver com. de 2Rs 18:23. Está claro que Judá não tinha cavalaria treinada. Os assírios zombaram de Ezequias por ter presumido resisti-los com uma cavalaria tão débil. CBASD, vol. 4, p. 242.

9. Confias no Egito. Ver com. de 2Rs 18:21, 24. Antes, Isaías repreendido os líderes de Judá por confiar no poderio militar e pela aliança com o Egito (Is 30:1-4, 31:1), e os advertiu de que a confiança no Egito seria inútil (Is 30:7; 31:3).  CBASD, vol. 4, p. 242, 243.

10 O SENHOR mesmo me disse. Ver com. de 2Rs 18:25. Numa de suas inscrições, Senaqueribe afirma ter recebido a sanção de seu deus Asur para atacar os inimigos. CBASD, vol. 4, p. 243.

12 Aos homens que estão assentados sobre os muros. Ver com. de 2Rs 18:27.  Que importava a Senaqueribe que num cerco prolongado o povo comesse o próprio excremento e bebesse a própria urina? A única forma de evitar isso, diziam, era o povo se rebelar contra seu rei. CBASD, vol. 4, p. 243.

15 Nem tampouco … O SENHOR … livrará. O desafio de Senaqueribe era na realidade um desafio ao próprio Deus. CBASD, vol. 4, p. 243.

17 Terra como a vossa. Ver com. de 2Rs 18:32. Se fosse propósito de Senaqueribe dar ao povo de Judá o que prometia, ele os teria deixado no seu próprio país. A ameaça de levá-los a uma terra distante provava que suas palavras eram zombaria e promessas vãs. CBASD, vol. 4, p. 243.

21. Eles, porém, se calaram. Ver com. de 2Rs 18:36. Não havia resposta efetiva para os arrogantes enviados assírios. Somente Deus lhes poderia dar resposta adequada, e Ezequias creu que Ele o faria. Nada que os enviados hebreus pudessem ter dito teria feito com que Senaqueribe desistisse de seu objetivo. Portanto, Ezequias lhes ordenou sabiamente que se calassem. CBASD, vol. 4, p. 243.



ISAÍAS 36 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
26 de setembro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Eles, porém, se calaram e não lhe responderam palavra; porque assim lhes havia ordenado o rei, dizendo: Não lhe respondereis” (v.21).

O rei Ezequias foi o primeiro rei de Judá cuja fidelidade foi comparada a de Davi. O que os seus antecessores não fizeram, fez Ezequias: “Removeu os altos, quebrou as colunas e deitou abaixo o poste-ídolo” (2Rs.18:4), removendo do meio de Judá tudo aquilo que fosse abominável ao Senhor. Ezequias confiou no Senhor de forma que não houve nem antes e nem depois dele rei semelhante em Judá. Ele “se apegou ao Senhor” (2Rs.18:6) seguindo Seus passos e observando os Seus mandamentos. Então, para onde quer que fosse, Deus o acompanhava e o fazia lograr êxito.

Confiança e relacionamento. Eis dois princípios fundamentais para uma vida cristã vitoriosa. Ezequias confiou em Deus e se apegou a Ele. Ou seja, quando confiamos, nos apegamos. Nas primeiras horas de cada manhã, Deus Se apresenta a cada filho Seu e aguarda pacientemente pelo convite de fazer morada no coração e de conduzi-lo pelo caminho da verdade. Ele nos aguarda para desfrutarmos de um tempo de qualidade com Ele e dEle recebermos forças e sabedoria para as batalhas do dia.

Os moradores de Jerusalém foram surpreendidos naquele dia com uma voz desconhecida falando em linguagem nacional. A pergunta feita pelo rei da Assíria ao povo de Judá por intermédio de Rabsaqué foi desafiadora: “Que confiança é essa em que te estribas?” (v.4). Em outras palavras: Que confiança é essa em que você se apega? A fé de Ezequias e do povo foi provada através de palavras de desânimo e de maldição. E o “assim diz o Senhor” foi desafiado pelo “Assim diz o sumo rei” (v.4).

Eles, porém, se calaram” (v.36), obedecendo às ordens do rei Ezequias. Nem sempre falar é a melhor solução. Bater de frente com quem testa a nossa fé pode ser a resposta da nossa falta de confiança no agir de Deus. Calar-se diante da afronta é sábio: “o homem prudente, este se cala” (Pv.11:12) e também é cristão: “e, como ovelha muda perante os Seus tosquiadores, Ele não abriu a boca” (Is.53:7). O nosso desafio diário é que nossas palavras e ações estejam em conformidade com Aquele em Quem dizemos confiar.

O inimigo que nos cerca e tenta nos destruir conhece bem o idioma do nosso coração (v.13). Ele deseja que nos alimentemos dos dejetos do pecado (v.12) e que acreditemos numa falsa paz (v.16), como se o Senhor aprovasse o seu propósito maligno (v.10). Muitos estão como o povo que estava sobre os muros (v.11), ouvindo palavras desencorajadoras. A oferta de Senaqueribe era tentadora (v.16-17), mas mentirosa, assim como as ofertas deste mundo. Se Ezequias não tivesse demonstrado com a sua vida que valia a pena confiar em Deus e manter um relacionamento íntimo com Ele, o povo não teria obedecido as suas ordens (v.21).

Deus deseja fazer da nossa vida um testemunho diário de confiança e de intimidade com Ele. Nos últimos dias, como Rabsaqué, “virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as suas próprias paixões e dizendo: Onde está a promessa da Sua vinda?” (2Pe.3:3-4). Precisamos descer dos muros da desconfiança e subir em nossa torre de vigia! Aproxima-se o tempo em que, diante da fúria final de Satanás, Deus terá na Terra um povo que nEle confia mesmo que severamente provado. Confie e apegue-se ao Senhor, e Ele fará de você um instrumento incomparável em Sua derradeira obra! Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, apegados ao Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Isaías36 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ISAÍAS 36 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
26 de setembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 36 – É grande o desafio de viver confiando em Deus num mundo que desafia constantemente tal confiança. A sociedade incrédula, a filosofia anti-Deus verdadeiro e, cercados por estúpidos líderes políticos pagãos, tornam real a necessidade de uma fé concreta em Deus.

Antes de considerar alguns pontos importantes do capítulo, amplie tua visão desta nova seção:
“Os capítulos 36-39 formam um parêntese histórico ligando a primeira parte do livro (caps. 1-35), que consiste em profecias de juízos e bênçãos originárias do período assírio, à segunda parte, composta de profecias de consolo que emanam do período babilônico. O nome de Ezequias é mencionado cerca de 35 vezes nessa seção, que é, às vezes, intitulada Volume de Ezequias. Essa seção é quase idêntica ao texto de 1Rs 18.13-20-19. É provável que Isaías tenha escrito o material, que foi mais tarde incorporado à história do corte de Judá e, por último, a Reis” (Merril F. Unger).

Além de I Reis, este episódio encontra-se resumidamente em II Crônicas 32:1-31. Citado por três vezes na Bíblia este relato precisa ser considerado como extremamente relevante aos servos de Deus de todas as épocas e lugares.

Os miraculosos detalhes destas histórias “nos lembram de que não há qualquer circunstância que possamos imaginar que limite o poder de Deus para nos salvar”; além disso, deixam claro que, “ter confiança em Deus quando enfrentamos desvantagens esmagadoras não faz sentido para as pessoas” (Lawrence O. Richard).

Em 701 a.C. Senaqueribe, por meio de Rabsaqué, atacou psicológica e teologicamente ao rei Ezequias e seu povo, por motivos banais. Daqui extraímos estas lições:
• Indivíduos astutos nos atacam alegando que ninguém, nem mesmo Deus, pode nos salvar de suas mãos.
• Inimigos do povo de Deus que acham que estão sendo usados por Deus atacam aos crentes desprezando-os e ridicularizando suas forças.
• Insolentes provocadores ameaçam com argumentos racionais e lógicos, inclusive teológicos, intentando minar a fé do povo de Deus.

Argumentos insolentes, blasfêmias petulantes, interpretações equivocadas e retóricas com lógica ainda ameaçam a fé de universitários cristãos com o mesmo ímpeto de Rabsaqué.

Portanto, é necessário aprender com Ezequias que, por mais que os ataques sejam palavras que pareçam lanças afiadas, cujo objetivo é humilhar os fieis, e deixar-nos sem palavras… confiar em Deus faz total diferença! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: