Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 11 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
1 de setembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ISAÍAS 11 – Primeiro leia a Bíblia

ISAÍAS 11 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



ISAÍAS 11 by Jeferson Quimelli
1 de setembro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/Is/11

Há muito que podemos descobrir neste capítulo poderoso em que Isaías profetiza a respeito da vinda do Messias e da paz que caracteriza o Reino dos Céus. Mas há uma descrição fascinante acerca da justiça de Deus nos versículos 3 e 4. O Messias é descrito como um Juiz que não depende do que vê com os olhos ou ouve com os ouvidos.

Nos tribunais, juízes e júris ouvem testemunhas dizerem o que viram e ouviram, mas aqui Deus toma suas decisões com base na “retidão” e na “justiça”. Enquanto os destinos terrestres são selados pelos sentidos, Deus vê muito mais profundamente – Ele conhece a pessoa, quem ela foi, quem ela é e o que ela será. Quando se trata de lei, Ele estabelece o padrão e sempre toma a decisão certa.

No reino dos céus, os animais que consideramos perigosos estão em paz com os animais que vemos como pacíficos. Um lobo está em paz com um cordeiro, um leão com um bezerro, até mesmo uma criança com uma víbora. Essas são combinações mortais na terra, mas servimos a um Deus que é um juiz justo, e até mesmo transforma inimigos em amigos.

Michael Peabody
Diretor da ReligiousLiberty.TV
Los Angeles, California, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=936
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



ISAÍAS 11 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
1 de setembro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Não se fará mal nem dano algum em todo o Meu santo monte, porque a Terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar” (v.9).

De tudo o que o homem pode conquistar, certamente a busca pelo conhecimento intensifica as realizações. Quanto mais se obtém conhecimento acerca de algo, mais aumentam as oportunidades de crescer e de colher os resultados almejados. De nada adianta, porém, conhecer e não praticar. A teoria aliada à técnica aperfeiçoa e revela a nossa capacidade e constante necessidade de aprender.

Como alunos na escola de Cristo, precisamos conhecê-Lo a fim de estreitar de tal forma o nosso vínculo com Ele a ponto de como Pedro declararmos: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna; e nós temos crido e conhecido que Tu és o Santo de Deus” (Jo.6:68-69).

É importante lembrar que o apóstolo Pedro fez essa declaração quando ainda no início de sua vida cristã. Ele havia compreendido que a sua vida não fazia sentido sem Jesus e que andar com Ele e dEle aprender poderia até frustrar seus planos terrenos; ele descobriria também quão débil era a sua fé e quão sujo o seu coração, mas quão maravilhosa é a graça imerecida que o levou a suportar os açoites deste mundo a fim de lograr a coroa da vida. De um homem rude e impetuoso, a um evangelista e líder piedoso, Pedro foi brilhando mais e mais avistando, pela fé, a consumação do dia perfeito (Pv.4:18). Com os olhos fitos em Jesus, despido de sua arrogância e ruins suspeitas, cheio do “Espírito do Senhor” (v.2), ele compõe a lista dos que serão ressuscitados e recolhidos “desde os quatro confins da Terra” (v.12) na gloriosa volta de Jesus.

Fomos criados e formados com a necessidade intrínseca de conhecer a Deus, pois Ele “pôs a eternidade no coração do homem” (Ec.3:11). Sendo assim, o conhecimento das Escrituras deve refletir em nós o desejo profundo de nos encher de Deus e da beleza de Sua santidade. É o esforço humano aliado ao poder do Espírito Santo que nos impulsiona em nossa jornada cristã, nos faz querer estar mais perto de Cristo e vivifica o nosso desejo de habitar na morada gloriosa (v.10). Certa vez ouvi um experiente ferreiro dizer que apenas olhando para o seu pai e prestando atenção no que ele fazia, que aprendeu o seu ofício. Jesus declarou: “E a vida eterna é esta: Que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a Quem enviaste” (Jo.17:3). Olhar para Jesus, o “rebento” do “tronco de Jessé” (v.1), é a chave da vitória que nos levará para a terra em que “o lobo habitará com o cordeiro” (v.6) e “o leão comerá palha como o boi” (v.7).

Jesus é o estandarte para onde devem afluir todos os povos (v.10). Todos são convidados à salvação e a experimentar a fragrância de uma vida movida pelo Espírito excelente (v.2). Nas palavras de Cristo e nas atitudes que revolucionaram aquela geração e alvoroçaram o cenário religioso da época, encontramos a plenitude do conhecimento de Deus aliada ao perfeito altruísmo. Jamais rejeitaremos o que o mundo oferece se não olharmos para Aquele que nos oferece um mundo melhor. Jamais conheceremos Jesus se não estivermos dispostos a viver como Ele viveu: “Assim como o Pai, que vive, Me enviou, e igualmente Eu vivo pelo Pai, também quem de Mim se alimenta por Mim viverá” (Jo.6:57).

Ergamos a nossa cabeça para o céu enquanto curvamos o nosso coração ante a Majestade Celeste! A nossa redenção se aproxima, quando o Senhor “julgará com justiça os pobres e decidirá com equidade a favor dos mansos da Terra… e com o sopro dos Seus lábios matará o perverso” (v.4). Conhecer a Jesus e praticar as Suas obras é tudo de que necessitamos. Então, perceberemos que mais do que um lar glorioso, um lugar de paz e de alegria, aguardamos ansiosos pelo encontro face a face com o nosso Senhor e Salvador; que amamos a Sua vinda não somente pelo que Ele prometeu, mas porque não vemos a hora de abraçar Aquele que não desistiu de nos procurar. Permita que o Espírito de Cristo repouse sobre a sua vida e Ele lhe conduzirá por “caminho plano” (v.16) até o pleno conhecimento de Deus (v.9). Vigiemos e oremos!

Bom dia, mansos da Terra!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Isaías11 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ISAÍAS 11 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
1 de setembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 11 – Apesar do fracasso humano, os propósitos divinos são infalíveis. Ainda que Israel fosse escolhido para abençoar o mundo inteiro e desviou-se desse ideal, mesmo assim Deus abençoaria todas as nações enviando o rei ideal, o Messias!

• Embora o povo de Deus se volte para o pecado, Deus não lhe dá as costas.

A Assíria que ameaçava a extinção do povo de Deus, seria extinta; o povo de Deus, conquanto espalhado pela guerra no mundo inteiro, seria restaurado. “O Senhor retalharia o império assírio, mas da árvore genealógica de Jessé faria surgir um novo rei, o Messias” (Robert B. Chisholm).

“Nesse contexto imediato de guerra internacional, o Senhor uma vez mais anuncia paz mundial derradeira e duradoura. Além disso, essa paz será mediada pelo rei davídico (11.1-9). Depois do dia de Yahweh, o juiz davídico da terra atrairá todas as nações a si para dar-lhes um ‘lugar de descanso’ (11.10). Esse descanso, esse novo êxodo, será para o remanescente, mas não se limitará a ele. A ação purificadora de Deus criará um remanescente a partir de todas as nações, um fato que significa que o Senhor governa toda a criação” (Paul R. House).

1. Apesar do fracasso dos reis de Israel, Deus dará um rei perfeito, cheio do Espírito Santo, sabedoria e entendimento, o qual governará no temor do Senhor com alegria e prazer.

2. O justo rei Messias julgará com equidade a causa dos oprimidos e dos pobres da terra inteira; se dedicará arduamente para edificar a justiça e a fidelidade no mundo. Seu poder impressionará e Suas palavras inspirarão respeito e reverência..

3. O efeito da regência do Messias resultará em paz tão plenamente que, inclusive os animais ferozes serão todos tão dóceis que até as crianças poderão brincar com eles; assim, toda a terra encherá profundamente do conhecimento do verdadeiro Deus.

4. Nesse processo, será separado um remanescente. Dentre…
• …os judeus (os discípulos, mais alguns judeus conversos a Cristo);
• …todas as nações (os gentios que se tornam cristãos).

O plano escatológico de Deus não se concretizou completamente devido às falhas dos judeus; contudo, Deus ampliou a, e não falhará em, Suas promessas.

Na primeira vinda, Jesus cumpriu partes da profecia, em Sua segunda e terceira vinda, toda ela será completada! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: