Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
13 de agosto de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os Seus mandamentos; porque isto é dever de todo homem” (v.13).

O último capítulo de Eclesiastes aborda quatro dos temas bíblicos mais questionados no meio cristão: criação, morte, observância dos mandamentos e juízo. Vejamos hoje que, assim como “O Pregador” (v.9) escreveu “com retidão palavras de verdade” (v.10), “dadas pelo único Pastor” (v.11), toda a Bíblia explica a verdade sobre estes quatro assuntos, sem deixar margem de dúvida. Vejamos:

1. “Lembra-te do teu Criador” (v.1): o relato da criação apresentado em Gênesis é tão real quanto o relato da redenção apresentado nos evangelhos. A expressão “Lembra-te”, também aparece no quarto mandamento da Lei de Deus (Êx.20:8-11), que, por sinal, é o único mandamento que nos remete a Deus como Criador. O livro de Salmos confirma o relato de Gênesis (Sl.33:6 e 9; Sl.104). Jesus falou sobre a criação (Mc.10:6). João confirmou o relato original (Jo.1:1-3). Paulo fez referência à criação (Rm.1:20; 1Co.15:45; 1Tm.2:13-14). O livro de Hebreus aponta para o relato de Gênesis (Hb.11:3). A primeira voz angélica diz: “adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap.14:7).

2. “e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu” (v.7). Além de ser mais uma confirmação do relato da criação do homem (Gn.2:7), também desmistifica a verdade sobre a morte. A Bíblia afirma que a matéria-prima, o pó da terra, volta para o seu lugar de origem, e o espírito, ou seja, o fôlego de vida, retorna para Deus, o Doador da vida. A palavra usada é “ruach”, que significa “vento”, “sopro”, e não uma entidade fora do corpo. Pois nós não temos uma alma, nós somos uma “alma vivente” (Gn.2:7; Ez.18:4). A Bíblia também afirma que a morte é um sono (Jo.5:28-29), e que os mortos não sabem coisa alguma (Ec.9:5-6). O próprio Jesus comparou a morte com o sono (Jo.11:11-14) e o apóstolo Paulo também (1Ts.4:13-14).

3. “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os Seus mandamentos; porque isto é dever de todo homem” (v.13): a conclusão apresentada por Salomão é a mesma que foi apresentada a Adão e Eva antes do pecado, aos homens antes do dilúvio, a Israel no êxodo e a nós hoje (Ap.14:7, 12). O maior Salmo e capítulo da Bíblia é dedicado inteiramente à exaltação da Lei de Deus. Jesus disse: “Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos” (Jo.14:15). Tiago reforçou: “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos” (Tg.2:10). João confirmou: “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os Seus mandamentos; ora, os Seus mandamentos não são penosos” (1Jo.5:3). Paulo reforçou: “a Lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom” (Rm.7:12). O povo de Deus dos últimos dias será conhecido como “os que guardam os mandamentos de Deus” (Ap.12:17). E há algo bem claro e definido no final do verso 13: a observância dos mandamentos “é o dever de todo homem”.

4. “Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más” (v.14): Chegará o dia em que todo ser humano terá de prestar contas ao justo Juiz (At.17:31). “Manifesta se tornará a obra de cada um” (1Co.3:13) e cada um será julgado com base na “lei da liberdade” (Tg.2:12). Tiago chama os dez mandamentos de lei da liberdade, lei sob a qual seremos todos julgados, e ainda reforça: “Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar” (Tg.1:25). Paulo afirmou em Romanos 13:10 que “o cumprimento da lei é o amor”. O apóstolo João escreveu: “Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança” (1Jo.4:17). A Lei de Deus, além de ser uma expressão do Seu caráter e uma manifestação do Seu amor, será a base legal de Seu juízo.

Amados, o Espírito Santo tem nos guiado “a toda a verdade” (Jo.16:13). A função da verdade é de nos libertar (Jo.8:32). E “para a liberdade foi que Cristo nos libertou” (Gl.5:1). A escravidão deste mundo destrói, a liberdade em Cristo nos salva e nos move a cumprirmos o nosso dever por amor. A obediência, portanto, é uma prova de amor! Vigiemos e oremos!

Bom dia, livres em Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Eclesiastes12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: