Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 9 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
10 de agosto de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ECLESIASTES 9 – Primeiro leia a Bíblia

ECLESIASTES 9 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ECLESIASTES 9 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES(link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



ECLESIASTES 9 by Jobson Santos
10 de agosto de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ec/9

Ansiamos por um mundo ordenado e racional. Queremos justiça, recompensas por fazer bem e consequências para aqueles (não necessariamente nós) que não fazem o bem. Ficamos frustrados quando os bons morrem jovens, os perversos se dão bem ou quando o esforço honesto não traz os resultados almejados. Valorizamos os versículos bíblicos que nos garantem que Deus nos recompensará e chamará os maus para o acerto de contas.

Neste capítulo, o autor reconhece que a vida muitas vezes não é assim. Se contarmos com isso como algo certo, poderemos ficar desiludidos e abandonarmos nosso caminho espiritual. É interessante que, apesar de todas as declarações aparentemente niilistas deste capítulo, a conclusão do autor não é desesperadora. Por que não?

As lições:
– Confie em Deus, apesar das circunstâncias ao redor.
– Faça o bem sem esperar ser recompensado, viva com otimismo (v. 7,8,10,16)
– Aceite que o seu futuro está nas mãos de Deus, mesmo que não faça sentido para você (v. 1,11,12)
– Veja a todos como estando no mesmo barco, o que implica que devemos ser menos críticos e mais compassivos (v. 2)
– Aproveite o dia, utilizando bem o tempo que lhe foi dado (v. 4)
– Conte as bênçãos (v. 9)
– Seja introspectivo, não impetuoso (v. 17,18)

Em resumo, viva com fé e confiança apesar das circunstâncias, sabendo que a nossa esperança é segura.

Art Kharns
Diretor de Música, Igreja Adventista do Sétimo Dia Simi Valley, Califórnia, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=914
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



ECLESIASTES 9 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
10 de agosto de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 … Todas estas coisas. Ou seja, a questão da adversidade do justo e da prosperidade do ímpio.

Os justos. As obras de uma pessoa declaram o que ela é. pelos frutos serão conhecidos (Mt 7: 15-20).

Nas mão de Deus. A vontade de Deus é suprema. A mão é uma figura de  poder e autoridade (Dt 33:3; Is 62:3).

Se é amor ou se é ódio. É difícil saber qual a intenção  por trás das várias experiências da vida.Na maioria das vezes, estas experiências ilustram uma questão de causa e efeito (ver Gl 6:7). Às vezes Deus pode decidir realizar algo que, em Sua sabedoria, Ele sabe ser o melhor. Por meio da providência de Deus todas as experiências podem se tornar uma oportunidade para desenvolver o caráter.

Tudo lhe está oculto. A razão humana, sozinha, não pode penetras as vicissitudes da vida nem a natureza dos planos de Deus para a ida ou para o futuro…

2 … Ao bom. Todas as versões antigas com excessão dos Targuns acrescentam “e dos maus”, que parece necessário para completar o paralelo.

Ar puro. Possivelmente, uma referência à purificação cerimonial.

Ao que sacrifica. Ou seja, à pessoa que é meticulosa em cumprir as exigências rituais  exteriores da vida religiosa.

3 Este é o mal. Salomão ainda não aceitava o fato de que os bons e os maus morrem.

4 … Um cão vivo. O cão é descrito na Bíblia  como o mais desprezado de todos os animais (ÊX 22:31; 1Sm 17:43; Pv 26:11; 2Pe 2:22) e ainda é considerado assim nos países orientais. O cachorro é um símbolo de impiedade cruel (Sl 22:16, 59:2, 6, 14; Is 56:10, 11; Ap 22:14, 15).

5 Os vivos sabem. Eles conseguem planejar e fazer preparativos para a morte, pois sabem que devem enfrentá-la.

Os mortos não sabem coisa nenhuma. Ver Sl 88:10-12; 115:17.

Recompensa. Não é uma referência à recompensa eterna, quer seja da morte para os ímpios (Ap 20:11-15) ou da imortalidade para os justos (ver Ap 21:1-4; cf. Mt 16:27; 1Co 15: 51-54). Salomão está falando aqui sobre usufruir os frutos do trabalho nesta vida.

Sua memória. Ou seja, a lembrança deles na mente dos vivos e não a própria memória dos mortos. Isto é claro por causa  do sentido da palavra zeker, “lembrança”, “memorial” e de seu uso no AT. Isto se refere,  sem exceção, à “lembrança” de pessoas ou eventos, e junca à capacidade de memória (Jó 18: 17; Sl 31:12; 112:6).

6 … Parte. Quando a pessoa está viva tem uma parte a desempenhar e pode desfrutar a recompensa de seus labores, Mas, com a morte, suas funções terminam. Jó (Jó 14: 10-14), o salmista (Sl 30:9) e o profeta Isaías (Is 38:10) expressam esta mesma verdade.

7 … Tuas obras. Deus concede abundância de bençãos nesta vida e é Sua vontade que as pessoas as desfrutem. Porém, chegará o dia em que será feita a distinção entre o justo e o ímpio (Ml 3:18) com base na forma como utilizaram essas bençãos: se para fins egoístas ou para ministrar às necessidades de seus semelhantes (Mt 25:31-46).

8 … O óleo. Era um costume oriental aplicar óleo na cabeça para refrescar o corpo e perfumá-lo (ver Sl 23:5; Am 6:6). Não ungir a cabeça era considerado sinal de luto ou jejum (2Sm 14:2; Mt 6:17). O óleo também é símbolo das ricas bençãos de Deus (Sl 92:10; 104:15; cf. Is 61:3).

9 Goza a vida. Esta parte da oração diz, literalmente, para “ver a vida com a mulher que tu amas”. O casamento foi ordenado para trazer alegria suprema, e o lar deverias o Céu na Terra (ver Pv 5:18, 19; 18:22).

Tua porção. Ou seja, para que um homem tenha um casamento feliz. Era desígnio de Deus que o ser humano tivesse uma vida feliz e a  consciência tranquila. O ser humano deve aproveitar plenamente os privilégios e responsabilidades que a vida lhe dá.

10 … No além. Do heb. she’ol, o figurado domínio dos mortos (…). Esta é a única menção de she’ol em Eclesiastes. É evidente que Salomão cria num estado de  inconsciência no she’ol (…).

11 Ligeiros. Ao contrário dos seres humanos, Deus não depende de qualidades físicas e força mental (1Sm 14:6; 17:47). de modo semelhante,  entre as pessoas,  as qualidades exteriores, que parecem dar vantagem a uns sobre outros, não são as mais importantes.

14 Um grande rei. Comentaristas especulam por muito tempo com relação a que cidade Salomão se referia. Não há base para determinar que cidade estaria na mente do escritor nem qual seria o “grande rei”. Isto por ter sido uma alusão velada a algum evento histórico.

15 … Livrou. Em 2 Samuel 20:13 a 22, é descrito um evento semelhante, no qual uma cidade foi salva por uma sábia mulher.

Ninguém se lembrou. Quando a crise passou, o libertador foi ignorado e esquecido (comparar com a experiência de José em Gn 40:23). A aclamação pública é volúvel e não confiável. este pobre homem sábio mergulhou novamente na obscuridade.

16 … Suas palavras. Ele demonstrou bom senso, mas conselhos extras, talvez indesejáveis, não foram aceitos.

17 … Governa entre tolos. Num momento de empolgação, o demagogo pode ser seguido, para grande perda da nação.

18 Armas de guerra. O mundo precisa de sabedoria divina mais do que  de um arsenal de bombas.

Destrói. Uma pessoa pode trazer grande perda para a nação (Js 7: 1, 4).

 

Fonte: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3.



ECLESIASTES 9 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
10 de agosto de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Deveras me apliquei a todas as coisas para claramente entender tudo isto: que os justos, e os sábios, e os seus feitos estão nas mãos de Deus; e, se é amor ou se é ódio que está à sua espera, não o sabe o homem. Tudo lhe está oculto” (v.1).

A meteorologia é a ciência que estuda os fenômenos climáticos, dando-nos a possibilidade de saber a previsão do tempo e a proximidade de possíveis desastres naturais. Porém, esta mesma previsibilidade, infelizmente, não podemos ter com relação ao que fazemos neste mundo. Ainda que sejamos, aos olhos de Deus, justos e sábios, nunca saberemos ao certo o que nos espera no futuro. Nossas ações, por melhores e bem intencionadas que sejam, nem sempre são correspondidas da maneira que esperamos. Mas existe algo completamente previsível: “Tudo igualmente sucede a todos” (v.2). E, só para não restar dúvidas, “a todos sucede o mesmo” (v.3).

Ninguém conhece o dia da morte, mas sabe que, enquanto estivermos neste mundo cujo “salário do pecado é a morte” (Rm.6:23), estamos todos sujeitos à mesma “remuneração”. Temos dentro de nós algo que pode decretar a nossa sentença de morte antes mesmo dela chegar de fato: o nosso coração. Pois “o coração dos homens está cheio de maldade” (v.3). “Enganoso é o coração…” (Jr.17:9). Porém, enquanto há vida, há esperança! “Porque eu estou bem certo de que nem a morte… poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm.8:38-39).

Existem várias doutrinas sobre o estado dos mortos, mas a verdade sobre a morte é apenas uma, e Salomão (bem como toda a Bíblia) deixa isso bem claro: “… mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento” (v.5). Ao referir-se à morte de Lázaro, Jesus disse: “Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo” (Jo.11:11). Sobre a reação dos cristãos sobre a morte, Paulo escreveu: “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança” (1Ts.4:13). A Bíblia compara a morte ao sono, um estado de completa inconsciência que só será interrompido quando a mesma voz que fez Lázaro sair do túmulo com vida for ouvida na manhã da ressurreição. “Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro” (1Ts.4:16).

De forma sábia e prudente, o Senhor nos convida a procurarmos viver aqui um prenúncio do que viveremos na eternidade. O prazer de desfrutar com alegria das dádivas que Deus nos dá não é pecado, amados. O pecado está em permitir que os prazeres da vida ultrapassem os limites estabelecidos por Ele nas Escrituras. Mas se o nosso gozo não macular as alvas vestes que Jesus nos concede e nem esgotar o óleo do Espírito de nossa mente (v.8), então devemos louvar a Deus pela porção de regozijo que Ele nos oferece. Este mundo se tornou triste o suficiente para que a nossa vida seja regida por “ódio ou inveja” (v.6), ou qualquer outro tipo de sentimento que nos roube a esperança da vida eterna em Cristo Jesus.

A ilustração a respeito do pobre sábio descreve com exatidão esta verdade. Ainda que a sua sabedoria seja desprezada e suas palavras negligenciadas, “melhor é a sabedoria do que a força” (v.16). Porque a sabedoria “dá vida ao seu possuidor” (Ec.7:12), “mas um só pecador destrói muitas coisas boas” (v.18). Não pense que você tem o poder de prever suas intenções. Fuja do mal enquanto há esperança (v.4)! “Vai” (v.7) e desfruta da porção que Deus lhe confiou na companhia do cônjuge “que amas” (v.9). “Em todo tempo, sejam alvas as tuas vestes e jamais falte o óleo sobre a tua cabeça” (v.8). Tudo o que Deus lhe confiar para fazer, não faça motivado pelo egoísmo, mas “conforme as tuas forças” (v.10), “para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mt.5:16). E lembre-se: Mais vale ouvir “as palavras dos sábios” em silêncio do que “os gritos de quem governa entre tolos” (v.17). E a previsão do teu tempo porvir será a chegada da chuva serôdia, culminando no raiar da manhã gloriosa! Vigiemos e oremos!

Bom dia, sábios do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Eclesiastes9 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



COMENTÁRIO ECLESIASTES 9 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
10 de agosto de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ECLESIASTES 9 – Egoístas se corrompem pelo próprio egoísmo. Orgulhosos se acabam com seu próprio orgulho. Imorais em busca de prazeres e felicidades sem princípios divinos logo percebem que pegaram o atalho da morte.

Reside na sabedoria a essência da humildade que leva-nos a inclinar-nos diante da revelação legada por Deus à humanidade em Sua Santa Palavra. Tal atitude eleva-nos das mazelas e desesperos deste mundo insano à esperança do juízo que virá para resolver toda injustiça praticada debaixo do sol.

• A certeza que temos é que morreremos. Não há meios de fugir da morte. Mais cedo ou mais tarde ela chega e nos leva (v. 1).
• Sentimentos bons e ruins não escolhem perfis, sobrevém ao santo e a profano, aos maus e aos bons, aos justos e aos corruptos; tais sentimentos não estão ocultos aos olhos perscrutadores de Deus, o qual levará em conta no dia do juízo (vs. 1-3).
• Morrer é indesejável, porque Deus não fez o ser humano para a morte. A morte é estranha e intolerável a nós, mas ela entrou no mundo por causa de nossos pecados. Por isso, preferimos viver antes que morrer. “Os mortos estão em um estado de sono inconsciente e não participam de nada que acontece na Terra ou no Céu. A Bíblia não apoia a doutrina de um estado de consciência entre a morte e a ressurreição” (Bíblia de Estudo Andrews). Não há vida, sentimentos, nem consciência alguma na morte. Morte é morte, não vida (vs. 4-6).
• O tempo de decidir aproveitar a vida é antes da morte, não quando morre. O tempo de comprometer-se com Deus e usar a sabedoria para promover o bem é sempre agora, nunca depois; pois, o dia e a hora de nossa morte é incerta, embora a morte seja certa (vs. 7-18).

“Em anos recentes, numerosos eruditos bíblicos, filósofos e cientistas têm reexaminado a ponto de vista dualista tradicional da natureza humana, que consistiria de um corpo material, mortal, e uma alma espiritual, imortal. Eles têm constatado que esse ponto de vista é contrário às Escrituras, à razão e à ciência” (Samuele Bacchiocchi).

Sem atividade ou inteligência na sepultura, precisamos tomar a decisão certa enquanto vivemos. Não há melhor coisa a fazer do que aproveitar a vida com Deus! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: