Reavivados por Sua Palavra


CANTARES 4 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
17 de agosto de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO CANTARES 4 – Primeiro leia a Bíblia

CANTARES 4 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

CANTARES 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



CANTARES 4 by Jeferson Quimelli
17 de agosto de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ct/4

O capítulo 4 (e o primeiro verso do capítulo 5) retrata a cerimônia de casamento entre Salomão e sua noiva. Tanto a noiva quanto o noivo descrevem a beleza da pessoa amada com louvor exuberante, de modo similar às canções de louvor (chamadas wasfs), dos atuais casamentos rurais na Síria. As mútuas descrições de beleza da pessoa amada nem sempre se referem à beleza física, mas muitas vezes retratam as qualidades morais admiráveis dos amantes.

A descrição de Salomão de sua noiva no v. 7 encontra eco na descrição que Paulo faz da noiva de Cristo, a igreja (Ef 5:27).

A expressão “jardim fechado”, utilizada por Salomão para referir-se à sua noiva no verso 12, denota virgindade. No Cântico dos Cânticos a relação sexual entre os amantes ocorre apenas no contexto do compromisso do casamento. Este verso é um forte incentivo para a abstinência sexual até o casamento. A noiva convida seu noivo (Salomão) a vir e participar dos frutos do jardim dela (que agora são também dele!) (verso 16), e o noivo alegremente aceita o convite (5:1). Isso equivale à cerimônia pública atual da troca de alianças e dos votos de casamento, em que a noiva e o noivo aceitam, de bom grado, completar a aliança de casamento através da união sexual.

Na parte final do verso (5:1) é a autoridade da voz do próprio Deus que pronuncia uma bênção sobre o casamento recém concluído, assim como Ele pessoalmente oficiou e abençoou o primeiro casamento no Jardim do Éden (Gênesis 2:22-24).

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento
Seminário Teológico da Andrews University

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=921
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



CANTARES 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
17 de agosto de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1-16 A noiva e o noivo descrevem a beleza um do outro com elogios exuberantes (v. 1-15; 5:10-16; 6:4-10; 7:1-9), semelhantes aos cânticos de louvor nos casamentos sírios da zona rural na atualidade. Os elogios mútuos apresentam força e movimento dinâmicos. Com frequência, referem-se às qualidades morais dos amados. Bíblia de Estudo Andrews.

1-7 Sentimo-nos como espectadores estranhos quando lemos essa troca intensamente privada e íntima. No êxtase de seu amor, os amantes se elogiavam com belas imagens. Suas palavras podem parecer estranhas para leitores de uma cultura diferente, mas seus intensos sentimentos de amor e admiração são universais. Comunicar amor e expressar admiração tanto em palavras quanto em ações pode melhorar qualquer casamento. Life Application Study Bible Kingsway.

1 És formosa. Até aqui, a principal interlocutora dos Cânticos tem sido a donzela sulamita. A partir deste verso, inicia-se o discurso mais extenso do noivo. As lembranças visam exaltar a beleza da noiva e culminam com uma proposta de casamento [8-15], que ela aceita [v. 16]. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1265. 

Como o rebanho de cabras. Os cabelos dela são negros e macios, como os pelos das cabras da Palestina que, em sua maioria, possuíam pelagem negra ou marrom escura. CBASD, vol. 3, p. 1265. 

Rebanho de dentes nenhuma delas há sem crias. É bela a brancura de dentes, bem formados e simétricos, dos quais não há falta de nenhum. CBASD, vol. 3, p. 1265. 

4 torre de Davi. A imagem que alude a uma torre militar (ver também 7:4; 8:10) simboliza não só a beleza e a força da mulher, mas também sua pureza e virgindade. Bíblia de Estudo Andrews.

A localização desta torre é desconhecida. Bíblia de Genebra.

6 mirra […] incenso. As duas especiarias das montanhas podem fazer menção aos seios da noiva (mencionados no versículo anterior). Bíblia de Estudo Andrews.

7 Tu és formosa. Você é encantadora, não tem nenhum defeito. Apresenta-se a Jesus como dizendo estas palavras à Sua noiva, a igreja (ver CBV, 356; MDC, 64). CBASD, vol. 3, p. 1265. 

Descrição das qualidades morais e físicas da noiva, tipificando a noiva de Cristo, a igreja (comparar com Ef 5:27). Bíblia de Estudo Andrews.

[Ap] Cristo mesmo cobre as imperfeições da nossa vida e das nossas obras, com a Sua perfeição e santidade; Ele, tanto quanto o Pai, nos vê, agora, completamente santos; somos vestidos do próprio Senhor Jesus Cristo (Ef 5.25-27; Gl 3.27). Bíblia Shedd.

Amana. Cordilheira do Antilíbano [região do Líbano]. CBASD, vol. 3, p. 1265. 

Líbano […] Hermon. Picos isolados no distante horizonte setentrional [do norte], simbolizando o caráter inacessível da mulher (comparar com 2:14). Bíblia de Estudo Andrews. 

Noiva minha. Estas palavras [“esposa”, no hebraico original] não estão usadas literalmente, mas como um termo de afeto, em antecipação ao casamento. Bíblia de Genebra.

9 irmã. Termo afetuoso comum nas poesias culturais de amor. Bíblia de Estudo Andrews.

Nos idiomas do Oriente próximo, “irmã” é comumente usado pelos apaixonados como termo de carinho. Expressa uma proximidade entre pessoas que não são membros de uma mesma família. Bíblia de Genebra.

10 Teu amor. Literalmente, “teus amores”, isto é, as muitas atenções e manifestações de amor (ver Ct 1:2). CBASD, vol. 3, p. 1266.

12 Jardim fechado és tu… manancial recluso. Estas são figura de linguagem da virgindade. Bíblia de Genebra.

Denota virgindade. Por ocasião do casamento, a mulher ainda era virgem. Em Cântico dos Cânticos, o ato sexual entre os amados só acontece dentro do contexto da aliança matrimonial. Bíblia de Estudo Andrews.

manancial… fonte. O amado anelava por ela como um viajante sedento anela por águas refrescantes (Pv 5.15-20). Bíblia de Genebra.

[Ap] Amor ao mundo é uma espécie de adultério espiritual (1Jo 2.15-17; cf 2Co 11.2). É igual à idolatria (cf 1Jo 5.21; Ap 2.20). Bíblia Shedd.

15 Poço de águas vivas.Esta imagem exprime como o jovem gostaria que sua amada fosse: não mais uma fonte selada (v. 12, nota). Há um convite implícito à entrega sexual. Bíblia de Genebra.

[Ap] A linguagem deste verso tem sido usada para ilustrar as correntes perenes e refrescantes que se podem obter da Palavra de Deus (ver PR, 4112; PR, 234). CBASD, vol. 3, p. 1266.

A noiva de Salomão era tão refrescante para ele como uma fonte. Seu cônjuge poderia dizer o mesmo sobre você? Às vezes, a familiaridade que vem com o casamento nos faz esquecer os sentimentos avassaladores de amor e revigoramento que compartilhamos no início. Muitos casamentos poderiam se beneficiar de um curso de “refrigério”. Você revigora seu cônjuge ou é um fardo de queixas, tristezas e problemas? Os cônjuges devem trabalhar continuamente para renovar um ao outro por meio de uma palavra de incentivo, um presente inesperado, uma mudança de ritmo, um telefonema ou uma carta ou bilhete surpresa, ou mesmo evitar uma discussão sobre algum problema até o momento apropriado. Seu cônjuge precisa que você seja um refúgio de refrigério, porque o resto do mundo geralmente não é. Life Application Study Bible Kingsway.

16 Venha o meu amado para o seu jardim. A jovem destrancou o “jardim” de sua virgindade para o seu amado (v. 12, nota). Bíblia de Genebra.

Esta é a resposta da sulamita. ela convida o noivo a entrar em seu jardim e comer de seus frutos. CBASD, vol. 3, p. 1266.

4:16-5:1 Levanta-te […] leite. O ponto alto, o centro exato do livro (com 111 versos poéticos de cada lado destes dois versículos), equivalente aos votos matrimoniais atuais; a noiva convida e o noivo aceita o convite para consumar o casamento por meio da união sexual.

5.1 Já entrei no meu jardim. O amado aceita o convite de sua amada. Bíblia de Genebra.

Comei e bebei, amigos. Esta voz de autoridade, pronunciando aprovação e bênção sobre o casamento e sua consumação física, provavelmente é a do próprio Deus, que oficiou o primeiro matrimônio no Éden (Gn 2:22-24). Bíblia de Estudo Andrews.



CANTARES 04 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
17 de agosto de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Jardim fechado és tu, minha irmã, noiva minha, manancial recluso, fonte selada” (v.12).

Dentre os princípios basilares da Bíblia, está a castidade antes do casamento. O casamento deve anteceder o momento de acesso ao jardim de “frutos excelentes” (v.16). Quando este princípio é violado, os resultados são sofrimento, decepção, vergonha e desilusão. Muitos tem transformado o que deveria ser um “jardim fechado” em aberto ao público. E quanta tristeza isso tem causado! A pureza tem sido violada já nos primeiros anos de vida, quando crianças são submetidas a ver e ouvir o que lhes obscurece as entradas da alma e enegrece o ingênuo coração. Precisamos compreender que Deus Se preocupa com cada detalhe de nossa vida, inclusive com a nossa conduta sexual, e os Seus pensamentos para nós são “pensamentos de paz e não de mal” (Jr.29:11), para que sejamos felizes em nossos relacionamentos.

As poesias deste livro nos trazem o deleite que Deus deseja nos oferecer dentro do casamento. O amor, a libido entre os cônjuges e a doçura das palavras não podem e não devem ser consumidos pelo tempo. Mas o tempo deve revelar o amadurecimento e o crescimento mútuo do casal que um dia decidiu dar o passo excelente sob a bênção do Senhor. A pureza no sentido de preservar seus corpos para o sexo dentro do casamento deve perdurar no sentido de preservar a pureza matrimonial: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros” (Hb.13:4).

Quando eu estava no terceiro ano do ensino médio, dois colegas de turma decidiram fazer uma lista secreta. Eles escreveram os nomes das meninas que consideravam não serem mais virgens de um lado, e de outro, as que julgavam ainda ser. O problema é que a lista vazou e o único nome que escreveram como a virgem da sala, foi o meu. As meninas caíram como feras em cima deles. E o escárnio sobrou para quem? Para mim. Apelidos como “Nossa Senhora”, “Santa”, dentre outros vieram, mas o que achavam que estava me afetando, alimentou em meu coração um sentimento de gratidão por Deus ter me preservado para o homem que Ele escolheria para mim. Não digo isto por vanglória, amados, mas para que os jovens entendam que ser “acusado” de diferente dos demais quando essa diferença está em ser fiel a Deus, deve ser considerado um privilégio.

Contudo, há esperança para todo aquele que foi machucado e maculado por experiências ruins. Lembre-se da mulher samaritana (Jo.4:1-30). Ela é um dos mais lindos testemunhos de que Jesus não desiste de ninguém. Cristo quebrou todos os protocolos da época para oferecer àquela mulher a água “do poço das águas vivas” (v.15). Não permita que o inimigo das almas, que suas más lembranças, que suas feridas e marcas do passado, ou pessoas, te impeçam de ouvir a doce voz do Mestre a te oferecer a água da vida e a te chamar para um recomeço. Enquanto o olhar de reprovação do mundo diz que você nunca vai deixar de buscar água em poços de infelicidade, o olhar do teu Salvador não cessa de repousar sobre você e te oferecer a água da eternidade.

De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a Tua Palavra” (Sl.119:9). Sejam as esposas como a igreja de Cristo, santas e sem defeito (v.7; Ef.5:27). Que cada marido “ame a própria esposa como a si mesmo” (Ef.5:33) e “como também Cristo amou a igreja e a Si mesmo Se entregou por ela” (Ef.5:24). Para todo aquele que seguiu por caminhos errados, o Senhor diz, hoje: “Mas, convertendo-se o perverso da perversidade que cometeu e praticando o que é reto e justo, conservará ele a sua alma em vida” (Ez.18:27). E para aqueles que foram machucados pelas agruras da vida, Jesus os acalenta hoje, dizendo: “Vinde a Mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei” (Mt 11:28). Qualquer que seja ou que tenha sido a tua experiência, aceite agora o chamado de Deus e acredite que Ele tem o melhor para você! Vigiemos e oremos!

Bom dia, igreja pura do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Cantares4 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



CANTARES 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
17 de agosto de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

CÂNTICO DOS CÂNTICOS 4 – O livro em análise é desprezado por uns, mas apreciado por outros: “Enquanto alguns judeus e cristãos puritanamente evitaram o livro, por considerá-lo ‘sensual’, alguns dos santos mais consagrados da história se deleitaram em suas páginas”. Outros tendem a alegorizá-lo visando amenizar sua mensagem erótica.

Porém, continuando o estudo no livro mais romântico do mundo, o capítulo em pauta oferece-nos mais três poemas, conforme destaca Tremper Longman:
• Poema onze: Da cabeça aos seios; descrição sensual da mulher por parte do homem (vs. 1-7);
• Poema doze: O convite (vs. 8-9);
• Poema treze: Comer no jardim de amor (4:10-5:1).

A mensagem do livro é clara, nossos preconceitos tendem anuviar seu significado – nossa visão distorcida da sexualidade atrapalha nossa interpretação desse livro!

Observe este diagnóstico: “Até 3:11, não há indício de uma cerimônia de casamento ou de uma vida conjugal; assim, o cenário dos acontecimentos sustenta a ideia de que os fatos ocorridos em 1.2-3:5 referem-se aos dias pré-nupciais, enquanto os fatos de 4.1ss referem-se à cerimônia de casamento e à vida de amor dos noivos que se seguiu. Há várias razões que sustentam essa explicação:
1) ‘Desposório [casamento]’ não é mencionado antes de 3.11;
2) ‘Noiva’ não aparece até 4.8, e depois é mencionada por seis vezes, de 4.8 até 5.1; e
3) Antes de 4.1, a amada tem uma preocupação com a abstinência sexual (cf. 2.7; 3.5), o que não acontece depois, com os santos laços do matrimônio” (John MacArthur).

Fomos feitos pelo Deus do amor, para viver em amor. Isso dá sentido à vida. Desde o nascimento, passando pelo desenvolvimento, entrando no casamento, até o fim da vida, dependemos de um ambiente de amor, intimidade e respeito.

O livro em questão é…
• …um manual de orientação sexual dado pelo Criador do sexo, do orgasmo, de todos os mínimos detalhes corporais prazerosos, enfim.
• …um guia para viver a plenitude do amor conjugal de forma intensa resultando em plena felicidade.
• …como bússola que aponta a direção rumo ao plano de Deus para o relacionamento mais íntimo entre duas pessoas.

Desviar-se do plano bíblico significa seguir a própria rota pensando ser possível encontrar um destino melhor que o proposto por Deus. Infeliz ilusão!

Não há nada melhor que seguir instruções reveladas pelo nosso Criador! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: