Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 6 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
7 de agosto de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ECLESIASTES 6 – Primeiro leia a Bíblia

ECLESIASTES 6 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ECLESIASTES 6 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES(link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



ECLESIASTES 6 by Jobson Santos
7 de agosto de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ec/6

Deus em Sua compaixão dá à humanidade a capacidade de criar, desenvolver e gerenciar. No entanto, quando as pessoas rejeitam a Deus, sua vida nesta terra será apenas uma corrida exaustiva para adquirir bens materiais, coisas que são temporais. E quando atingem seu objetivo, sempre precisam adquirir outra coisa e prosseguir o ciclo. Homens e mulheres muitas vezes deixam de perceber que essa é uma vida curta e muito finita.

Devemos tomar cuidado para que todas as coisas que recebemos como filhos e filhas de Deus, tais como finanças, ou nossas habilidades e talentos, não sejam a fonte de nossa esperança. Nossa esperança deve estar centrada em Deus, que é a fonte de toda boa dádiva.

Por isso, quero convidá-lo a viver feliz e agradecido com todas as coisas que Deus lhe deu. Toda vez que você se engaja em uma atividade, toda vez que você diz alguma coisa, pode ter a assinatura de Deus, o autor e projetista de sua linda vida.

“Querido Deus, quero que o Senhor seja o centro de tudo que faço. Quero que todas as minhas ações sejam para glorificar o Teu nome e não o meu. Com toda sinceridade. Amém.”

Gilberto Urcia Alberca
Secretaria Executiva, União Sul do Peru
Divisão Sul-Americana

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=911
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



ECLESIASTES 6 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
7 de agosto de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

2. Riquezas, bens e honra. … A “honra”referida neste verso é a da glória e do esplendor materiais, como a que Deus concedeu a Salomão (1Rs 3:13; 2Cr 1:11, 12).

Alma. Ou seja, o próprio ser humano (ver Ec 2:24, 4:8).

O estranho. … Neste verso, a ênfase está sobre um homem que não terá herdeiro nascido de si para executar sua obra e perpetuar seu nome (comparar com a experiência de Abraão em Gn 15:2).

3 Cem filhos. … Ter muitos filhos era a esperança de todo judeu, pois eram considerados como uma rica bênção recebida do Senhor (Gn 24:60; Sl 127:3-5). … No entanto, compare o tamanho da família de Roboão (2Cr 11:21) com a de Acabe (2Rs 10:1).

Não tiver sepultura. Este é o ponto culminante de todos os males que podem sobrevir a uma pessoa. Não ser sepultado adequadamente era considerado como extremamente desonroso. Comparar com a ameaça de Davi a Golias (1Sm 17:46) e com a experiência de Jeoaquim (Jr 22:18, 19). Como os pagãos ao redor, os hebreus davam grande importância ao sepultamento com honra (ver Is 14:19, 20; Jr 16:4, 5).

Aborto. Uma criança que nasceu morta, que nunca viveu (ver Jó 3:16; Sl 58:8). Um filho natimorto não desfruta os prazeres da vida, porém não sofre com as dores e os desapontamentos.

4 Debalde vem o aborto. Aquele que nasce morto vem ao mundo sem nenhum propósito.

Trevas. O filho natimorto é imediatamente eliminado, sem ritos funerários nem cerimônias para lhe prestar honra, para guardá-lo na lembrança. ele permanece sem nome, sem registro.

5 Não viu o sol. Uma figura de linguagem em que o sol representa todas as experiências e os prazeres da vida (ver Jó 3:16; Sl 58:8).

6 Duas vezes mil anos. Ou, 2 mil anos. Se a pessoa rica vivesse duas vezes o que viveu Matusalém (ver Gn 5:27), mas obtivesse pouco ou nenhum prazer verdadeiro da vida, a longevidade seria de pouco proveito para ela. Sem saúde e felicidade, estender os anos é pouco vantajoso.

Não gozasse o bem. É melhor não ter nascido do que perder o supremo bem que Deus deseja para cada um de Seus filhos. A vida só vale a pena ser vivida se este supremo bem for compreendido.

Mesmo lugar. Os antigos judeus criam que todos os seres humanos, bons ou maus, iriam para um único lugar: a sepultura (Ec 3:20; ver com. de Pv 15:11).

7 Boca. Uma metáfora para a indulgência com os prazeres dos sentidos (Sl 128:2; Pv 16:26; Ec 2:24; 3:13).

Apetite. Do heb nefesh. A mesma palavra ocorre no v. 3 como “alma” e no v. 9 como “desejo”. A referência aqui é ao aspecto mais sensual do ser (ver Jó 12:11; Pv 16:26; Is 29:8). O sábio observa que a vida é gasta em contínuo trabalho a fim de satisfazer às exigências de um apetite insaciável, porém ser alcançar o bem supremo.

8 Que vantagem tem o sábio […]? … Como o tolo, o sábio se esforça para satisfazer os desejos do apetite.

Ou o pobre […]? … O pobre tem aprendido com a pobreza e as circunstâncias adversas a fazer o melhor com o que ele tem. O tolo, sem pensar em nada além dos seus desejos e apetites, constantemente se agita e se esforça para obter mais do que já tem. No entanto, o pobre e o tolo são semelhantes no sentido que nenhum deles consegue tudo o que quer.

9 Melhor é a vista dos olhos do que o olhar ocioso da cobiça. É melhor restar contente com o que se tem em mãos do que estar sempre desejando o que não tem. Os olhos do tolo estão sempre nos confins da terra.

Andar ocioso. Desejar intensamente aquilo que está além do alcance induz, com frequência, a crimes e violência.

10 Já se lhe deu o nome. Outro modo de se dizer o que está expresso em Eclesiastes 1:9: “Nada há, pois, novo debaixo do sol.

É o homem. Não importa de que se trate, é um ser humano como os outros. A palavra hebraica utilizada aqui para “homem”é ‘adam, que descreve um ser humano tomado do pó, ‘adamah (ver com. de Gn 1:26; Nm 24:3). As pessoas mais eminentes são mortais, destinadas a voltar ao pó (Ec 12:7).

11 Coisas. De preferência, “palavras”, o sentido básico da palavra hebraica traduzida neste verso. As pessoas são propensas a falar e reclamar, mas a superabundância de palavras não melhora nenhuma situação. É mais vantajoso que a pessoa aprenda a confiar no seu Criador (Is 45:11-18; At 17:24-31).

Que aproveita isto ao homem? … Muitas palavras e vãs especulações contribuem pouco para a solução dos problemas da vida.

12 O que é bom. Ou seja, as coisas na vida pelas quais vale a pena viver. Como o ser humano não pode descobrir por si mesmo o bem fundamental da vida, ele deve reconhecer a futilidade de reclamar e discutir com Deus. Esta pergunta antecipa uma resposta negativa.

Sombra. O ser humano é comparado a uma sombra passageira, presente por um breve momento e depois se vai (ver 1Cr 29:15; Jó 8:9; Sl 102:11; 144:4; cf. Tg 4:14).

O que será. As pessoas não podem revelar o futuro. Sua vida é apenas um momento entre duas eternidades. As coisas terrenas são transitórias; as coisas invisíveis são eternas e estão nas mãos de Deus (ver 2Co 4:17, 18).

 

Fonte: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3.



ECLESIASTES 6 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
7 de agosto de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“É certo que há muitas coisas que só aumentam a vaidade, mas que aproveita isto ao homem?” (v.11).

Propositadamente, não incluí no texto de ontem a vaidade das riquezas, pois o capítulo de hoje é uma continuação acerca deste assunto. A abundância ou escassez de bens sempre foram motivo de contendas entre os homens. O ser humano é insaciável (v.7) e a ganância tem trazido tantos males para o mundo quanto os trágicos efeitos de uma pandemia. “O proveito da terra é para todos” (Ec.5:9), mas nem todos têm usufruído dessa dádiva divina. Muitos têm depositado sua confiança em algo que é inseguro e incerto, privando a si mesmos e ao próximo das bênçãos da caridade.

Cresci em uma família que era bem estruturada financeiramente. Meu pai tinha um comércio e levávamos uma vida tranquila de classe média. Até que o comércio entrou em falência e nossa situação mudou completamente. Precisei enfrentar um ensino público defasado e, não fosse a generosidade de um irmão na fé que me concedeu uma bolsa de estudos em seu colégio, não teria concluído com êxito o ensino médio. Sempre gostei muito de estudar, mas precisei ir trabalhar ao invés de ingressar numa faculdade. Me entristeceu o tempo em que tive que ficar afastada dos livros, porém, hoje olho para trás e percebo o quanto aquela experiência me fez crescer. No pouco que tínhamos, o Senhor jamais permitiu que nos faltasse o básico. E com minha mãe, aprendi e tenho aprendido ricas lições de economia e de altruísmo que escola alguma pode ensinar.

Quem ama o dinheiro jamais dele se farta” (Ec.5:10) é uma verdade tão real quanto o fato de você estar lendo este comentário agora. Quem ama ter muito, nunca se sentirá satisfeito com o que tem. Mas aquele que experimenta compartilhar o que possui, quanto mais distribui, mais recebe. Na matemática de Deus, o dividir equivale ao multiplicar. Experimente abrir as portas do seu guarda-roupas, e você verá que quanto mais roupas dá, mais roupas tem. Experimente abrir as portas da sua dispensa, e perceberá que a feira que não durava um mês renderá muito mais. Isto é barganha? Não, amados. Isto é cumprimento de uma promessa divina: “O que dá ao pobre não terá falta” (Pv.28:27).

Deus, sendo o dono do ouro e da prata (Ag.2:8), deseja dar o melhor para os Seus filhos. Mas Ele nunca dará para um justo além ou aquém do que ele possa administrar. Muito mais do que riquezas terrestres, Ele deseja nos dar tesouros celestes. Este foi o propósito de Jesus no pedido feito ao jovem rico. A versão deste relato, aos olhos de Marcos, descortinou a real intenção do Salvador: “E, Jesus, fitando-o, o amou” (Mc.10:21). As palavras: “Vai, vende tudo o que tens”, atingiu no alvo o pecado que não o deixava dormir em paz (Ec.5:12). “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mt.16:26). Portanto, “não podeis servir a Deus e às riquezas” (Mt.6:24).

Ter riquezas não é pecado. O perigo está em fazer da riqueza a razão da vida. Precisamos buscar no Senhor a mesma alegria e contentamento que o apóstolo Paulo descobriu: “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso nAquele que me fortalece” (Fp.4:11-13). Os pedidos de Jesus para nós sempre vêm acompanhados de um mesmo propósito: Salvação. Não faça a escolha do jovem rico. Escolha crer que o melhor para a sua vida é seguir Aquele que deu tudo por você e que hoje, fitando-o com amor, te chama: “Vem e segue-Me” (Mc.10:21). Vigiemos e oremos!

Bom dia, herdeiros das riquezas eternas!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Eclesiastes6 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



COMENTÁRIO ECLESIASTES 6 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
7 de agosto de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ECLESIASTES 6 – Alguém contabilizou que no Novo Testamento existem:
• 215 versos que tratam de fé;
• 218 versos que tratam sobre salvação;
• 2.084 versos que tratam de administração financeira e contabilidade de dinheiro;
• Das 38 parábolas de Jesus, 16 tratam de dinheiro.

O livro de Eclesiastes trata mais de dinheiro do que de salvação. Por que tantos textos sobre dinheiro? Dinheiro é ilusão e obstáculo quando o assunto é fé e salvação. A Bíblia de Jerusalém destaca estes pontos do capítulo em apreço:
• A riqueza que passa de um a outro (vs. 1-2);
• O rico sem sepultura (vs. 3-6);
• O pobre que toma ares de rico (vs. 7-11);
• Conclusão (v. 12).

A maneira que relacionamos com o dinheiro revela a condição do coração (Mateus 6:21, 24; I Timóteo 6:10). A religião de muita gente é o dinheiro, o qual sempre é ilusão à plena felicidade da alma.

Eclesiastes, diz J. I. Packer é “o livro da Bíblia escrito especialmente para fazer de nós realistas”. Sim, pois estamos iludidos com coisas fúteis, estamos investindo tempo em coisas inúteis; não estamos dedicando tempo e habilidades para buscar a Deus, que importa muito mais que riquezas.

• Aqueles que fazem das bênçãos de Deus um fim e não um meio para alcançar um propósito nobre e espiritual, ao morrerem deixarão tudo sem terem aproveitado nada. Trabalharam demais para deixar bens aos demais que colocarão fora em pouco tempo (vs. 1-2).

• Um casal com filhos formando grande, próspera e bonita família, que vive para enriquecer-se, ainda que tenha um funeral de primeira, muito luxuoso e chique, o bebê que nasce morto tem mais sorte que este casal, pois este nasceu, viveu e morreu sem sentido (vs. 3-5).

• Viver sem aproveitar nada não significa nada ainda que tenha muitos anos de vida. Trabalhar intensamente para satisfazer o apetite nunca satisfará a inerente necessidade de Deus dentro do coração (vs. 6-7, 10).

• Nossa existência é como neblina neste mundo, que não passa de um mar de ilusões. Eclesiastes quer tornar-nos realistas nos mostrando o único caminho que satisfaz. Não perca nenhum capítulo deste livro, nem se desvie do caminho (vs. 8-9, 11-12).

A única forma de fugir da ilusão deste mundo é abdicar do preconceito que temos quanto a Deus satisfazer nossa alma! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: