Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 5 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
6 de agosto de 2020, 4:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ECLESIASTES 5 – Primeiro leia a Bíblia

ECLESIASTES 5 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ECLESIASTES 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES(link externo)



ECLESIASTES 5 by Jobson Santos
6 de agosto de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ec/5

Tentamos arduamente obter o pão de cada dia, cumprir obrigações, alcançar metas dignas, nos preparar para a aposentadoria. São ruins essas coisas? Não, mas elas não podem nos salvar. Se achamos que sim, ainda não aprendemos o que significa Deus ser o Senhor da nossa vida.

Buscamos riqueza para termos segurança, respeito, influência, oportunidades, acesso a pessoas influentes e bem-sucedidas, conforto (casa, carro, roupas, brinquedos, etc.), prazeres e hobbies.

A busca pela riqueza, entretanto, vem acompanhada de algumas armadilhas em potencial: estresse, preocupações, problemas de saúde, esforço infrutífero, falsa segurança, vazio, egocentrismo e distração de coisas mais dignas.

Veja alguns bons conselhos de Salomão e seus colegas bíblicos:

Não faça da riqueza o seu foco. Invista o seu amor e paixão em áreas com valor duradouro. Onde estiver o seu tesouro, também estará o seu coração. Mateus 6:21

Não deixe a riqueza, ou a falta dela, definir seus relacionamentos. Não fique com inveja das pessoas porque elas têm mais nem menospreze as pessoas que têm menos.

Esteja disposto a deixar a riqueza ir embora. Nada é garantido, mesmo que seus investimentos e ativos pareçam os melhores. Aproveite o presente enquanto durar.

Seja generoso e compassivo. Faça coisas positivas com a riqueza que você tem.

Assim como Paulo, esteja contente com ou sem as riquezas. Troque suas preocupações por oração, gratidão e paz que ultrapassam o entendimento.

Art Kharns
Diretor de Música
Igreja Adventista do Sétimo Dia de Simi Valley, Califórnia, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=910
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



ECLESIASTES 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
6 de agosto de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria | Tags:

1. Guarda o pé… equivale à expressão coloquial “olhe por onde anda” e é usada aqui em sentido figurado (comparar com Gn 17:1; Sl 119:101)…

Sacrifícios de tolos… Aquele em cuja presença estão (v. 2), seus pensamentos se concentram em coisas terrenas, como resultado, suas palavras são imprudentes, precipitadas e demasiadas. Os que vão à igreja, inconscientes da presença de Deus, que continuamente pensam e conversam sobre assuntos triviais, são aqui classificados pelos sábios como “tolos”. A adoração deles é externa e formal.

Fazem mal. Ignorantes dos requerimentos espirituais, eles não rendem culto a Deus com sinceridade e inteligência (ver Jo 4:24). Pecam em sua ignorância voluntária e, como resultado, Deus não aceita seu culto nem suas ofertas.

2. Precipites… Palavras apressadas, descuidadas e precipitadas, seja em conversação, petição ou oração, são perigosas…

Diante de Deus. deus deve ser tratado com respeito reverente (ver 1Rs 8:43). Não se pode aproximar-se dEle como se aproxima de seres humanos.

8… Opressão. É comum a exploração por meio de governantes corrompidos. Sistemas políticos raramente beneficiam os pobres. O próprio Salomão era culpado de oprimir os pobres a fim de executar seus grandiosos planos (1Rs 12:4).

10. Ama o dinheiro. A vida devotada à aquisição de riquezas raramente é satisfeita com o que é acumulado…

Abundância. O avarento, não importa quanto aumentem suas posses, ele as julga insuficientes e deseja mais.

11. Também se multiplicam… Com o aumento da riqueza, o rico amplia seu círculo de relações. Ele é convidado a se divertir profusamente. Assessores, servos e dependentes se multiplicam e  parentes pedem ajuda financeira.

Que mais proveito […]?… O acúmulo, investimento e a proteção da riqueza podem ser a causa de grande ansiedade e levar ao colapso nervoso. os ricos deste mundo não dispõe de passaporte para a imortalidade.

12. Trabalhador… Um dia de trabalho físico é uma preparação excelente para uma boa noite de repouso.

Não o deixa dormir. A  responsabilidade de cuidar das riquezas geralmente acarreta problemas e rouba o descanso da pessoa,  a ponto de prejudicar a saúde e ocasionar um colapso nervoso.

13… Para o próprio dano. Perda de sono devido à ansiedade sobre o investimento e a  vigilância sobre a riqueza aflige com frequência o seu possuidor (ver v. 12)… Ficam também preocupados em pensar que seus herdeiros esbanjarão os frutos de seus árduos labores. Porém o caráter do possuidor é que sofre mais pelo acúmulo de riquezas (ver Pv 11:24; Lc 12: 16-21).

14. Má aventura. Melhor seria “uma aventura ruim” (RSV), ou seja, um mau investimento, ‘mau negócio” (NVI) que resulta em séria perda. A especulação imprudente pode acabar com as economias de toda uma vida do dia para a noite. É essencial o cuidado constante para que o negociante mantenha o capital e obtenha o lucro.

15… Nada poderá levar consigo.  Somente a “riqueza” espiritual que a pessoa tiver acumulado na vida é que poderá ser levada para além do túmulo (ver Jo 3: 36; cf Ap 22:14). O caráter é o único tesouro que se pode levar deste mundo para o mundo futuro (PJ, 332).

16… Trabalhado para o vento. Esta é uma figura que denota absoluta futilidade (ver Jó 15:2; Pv 11:29). O vento é insubstancial, invisível e não pode ser agarrado e segurado. Assim são os bens deste mundo.

17. Nas trevas comeu. Uma metáfora que descreve o fato de que uma pessoa que vive exclusivamente para acumular riquezas materiais nunca alcança a satisfação que espera. Contrasta com a perspectiva de alguém cuja esperança está nas coisas eternas (Mq 7:8), que suporta os desconfortos materiais do presente mundo com vistas a realidades que são vistas apenas com os olhos da fé (Hb 11:27).

18. Eu vi. Nos v. 12 a 17, Salomão demonstrou claramente a loucura de acumular bens para benefício próprio. Então, a partir do cenário de sua própria experiência, ele  observa que a riqueza tem valor somente quando  é empregada para suprir as necessidades  e alegrias da vida.

19. Comer. Aqui é utilizado  no sentido figurado de empregar as “riquezas e bens” em lugar de acumulá-los (ver v. 13).

Dom de Deus. a habilidade de adquirir riquezas vem de Deus (Dt 8:18; Tg 1:16, 17). Todas as faculdades que o ser humano  possui são dons de Deus. Tudo que se adquiriu em virtude destas habilidades deve ser  motivo de gratidão a Deus.

Fonte: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3.



ECLESIASTES 5 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de agosto de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu, na terra; portanto, sejam poucas as tuas palavras” (v.2).

No santuário, tanto o móvel no deserto, quanto o suntuoso templo de Jerusalém, havia três compartimentos: o pátio, o lugar Santo e o lugar Santíssimo. O acesso ao lugar Santo era permitido apenas aos sacerdotes e ao sumo sacerdote. No lugar Santíssimo só poderia entrar o sumo sacerdote, uma vez ao ano. E o pátio era o único compartimento onde o povo tinha acesso. Mesmo assim, o pátio era um lugar de extrema solenidade, onde eram oferecidos os sacrifícios e um lugar também reservado à oração. Por isso que Jesus reagiu energicamente quando viu o lugar de oração transformado em “um covil de salteadores” (Mt.21:13). A reverência descrita no verso 1 diz respeito não apenas à forma de adoração, mas à intenção: “chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos”. Não é o sacrifício que agrada a Deus, e sim se há por trás do sacrifício um coração que agrada ao Senhor.

Quando Saul descumpriu as ordens de Deus e usou os sacrifícios como desculpa, a resposta do profeta Samuel lançou por terra as suas obras: “Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender a Deus, melhor do que a gordura de carneiros” (1Sm.15:22). Apesar de não termos mais a prática de sacrificar animais, pois o verdadeiro Cordeiro de Deus pagou o preço de forma perfeita e completa (Hb.10:14), os “sacrifícios” ganharam uma nova roupagem, e muitas vezes têm tirado o foco do principal: fazer a vontade de Deus.

Jesus está sempre à porta do nosso coração, porém, Ele não entra se não for convidado. Ele diz que está à porta e bate (Ap.3:20). Mas se a nossa atenção estiver voltada para “sacrifícios de tolos” (v.1) ou “palavras néscias” (v.3), abafamos a Sua voz com os ecos de uma adoração vazia. Então, não sentindo preenchido o coração com o Único capaz de saciá-lo, fazemos votos na tentativa de angariar pontos com Deus. E diante de um deslize quanto ao voto feito, nós mesmos nos sentenciamos culpados. Lembre de Pedro. Tão impetuoso e tão rápido com as palavras. Diante da possibilidade de ver o seu Salvador sentenciado à morte, prontamente Lhe fez um voto: “Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo Te negarei” (Mt.26:35). Porém, na prática, as suas palavras não se consumaram, e, caindo em si, “saindo dali, chorou amargamente” (Mt.26:75).

A conclusão do verso 7 resume em uma frase qual deve ser a minha e a sua atitude: “Tu, porém, teme a Deus”. Toda a Bíblia confirma o fato de que usar mais os ouvidos e menos a boca é sinônimo de sabedoria e de discernimento espiritual:

“Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor” (Dt.6:4).
“Amando o Senhor, teu Deus, dando ouvidos à Sua voz” (Dt.30:20).
“… e todo o povo tinha os ouvidos atentos ao Livro da Lei” (Ne.8:3).
“Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o coração” (Sl.95:7).
“Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (Mc.4:9).
“Bem-aventurados aqueles… que ouvem as palavras da profecia” (Ap.1:3).

De Gênesis a Apocalipse encontramos a confirmação das Escrituras a este respeito. Precisamos nos calar mais e permitir que o Senhor fale. É quando calamos o nosso eu, que percebemos com clareza a voz de Deus. Sejamos, pois, prudentes no falar. Se tivermos de falar, que sigamos o conselho do próprio Pedro, após compreender esta verdade: “Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus” (1Pe.4:11) “… a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe.2:9). Vigiemos e oremos!

Bom dia, ouvintes do Senhor e proclamadores das Suas virtudes!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Eclesiastes5 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



COMENTÁRIO ECLESIASTES 5 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
6 de agosto de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ECLESIASTES 5 – Qualquer religião sem intimidade com Deus é tão ruim quanto a busca ambiciosa por riquezas. Religião hipócrita e ávida ambição materialista não satisfazem intimamente a nenhum coração.

O Comentário Bíblico Adventista destaca estes tópicos:

1. Vaidades:
a) No culto a Deus (vs. 1-7);
b) Em murmurar contra a opressão (v. 8);
c) Nas riquezas (vs. 9-17).

2. Regozijar-se nos bens é o dom de Deus (vs. 18-20).

Sobre o versículo 6, o comentário da Bíblia de Jerusalém analisa: “O temor de Deus é recomendado pelo Eclesiastes (3:14; 7:18; cf. 8:12b-13 e 12:13…): não é ele o princípio do saber e da verdadeira sabedoria (Prov. 1:7)?”.

Ellen G. White declara: “As riquezas e as honras mundanas não podem satisfazer a alma. Muitos dentre ricos anseiam por alguma divina certeza, alguma esperança espiritual. Muitos, anelam alguma coisa que lhes venha pôr termo à monotonia de uma vida sem objetivo. Muitos, em sua vida profissional, sentem a necessidade de alguma coisa que não possuem”.

Sobre o versículo 9, a Bíblia de Jerusalém comenta: “Sátira, não contra o rico prepotente (como nos profetas), mas contra o próprio dinheiro, quer adquirido por meios lícitos ou ilícitos, quer empregado bem ou mal. Não é garantia para a vida, nem fonte de felicidade. Esta [análise] prepara o ensinamento evangélico sobre o desprendimento (cf. Mat. 6:16-21, 24-34). – Esta, portanto, é a sequência das ideias”: O dinheiro é…
• …mal repartido (vs. 7-9);
• …desperdiçado – na maioria das vezes (v. 10);
• …custoso ganhar (v. 11);
• …penoso ao perder (vs. 12-16).

Fica evidente a insatisfação oriunda das riquezas, como demonstra White: “Entre as vítimas da necessidade e do pecado encontram-se aqueles que já possuíram fortuna outrora. Homens de várias carreiras e posições diversas na vida foram vencidos pela corrupção do mundo, pelo uso da bebida forte, por se entregaram às concupiscências, e caírem sob a tentação”.

Fiquemos atentamente em alerta:
• Hipócritas idolatram sua religião, crenças, até Bíblias e a igreja, mas não servem nem adoram a Deus genuinamente.
• Gananciosos, avarentos, ambiciosos materialistas adoram coisas, dinheiro e riquezas em vez de servirem e adorarem ao Deus verdadeiro.
• Adoradores humildes sinceramente comprometidos com Deus, que Lhe são fieis em todas as circunstâncias, experimentam o melhor da vida neste mundo corrompido.

Portanto, entreguemo-nos inteiramente a Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: