Reavivados por Sua Palavra


SALMO 143 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
24 de junho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

330 palavras

Introdução. O Salmo 143 é um apelo para livramento e uma expressão de confiança no amor e na misericórdia de Deus. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1046.

1 Tua justiça. O salmista apela à bondade e justiça de Deus, nas quais confia de modo inquestionável. CBASD, vol. 3, p. 1046.

2 À Tua vista. Embora com frequência as Escrituras chamem o ser humano de “justo”, (ver Gn 18:23, 24; etc.), o salmista reconhece que, no sentido absoluto, quando comparada a Deus, nenhuma pessoa é justa (ver Jó 9:2). As pessoas obtém a justiça de Cristo somente pela fé. O esforço humano nunca tornará um ser humano justo (Ef 2:8, 9). As obras são fruto da fé; não são a raiz dela. Primeiro vem a fé, e onde houver fé verdadeira, as obras a seguirão. CBASD, vol. 3, p. 1046.

4 O coração. A situação aparentemente sem esperança na qual se encontrava o salmista perturbava seu coração. Um sentimento terrível de solidão se apossou de sua alma. CBASD, vol. 3, p. 1046.

5 Lembro-me. Tais lembranças podem trazer tristeza e esperança. O salmista estava triste porque o presente não era como o passado. Ao relembrar as primeiras manifestações do poder de Deus, seu coração foi encorajado na esperança de que o Senhor responderia sua oração mais uma vez. Ele se encorajou a continuar seu pedido. CBASD, vol. 3, p. 1046.

6 Como terra sedenta. Como a terra apresenta rachaduras durante um longo período de seca, como se partisse os lábios em mudas súplicas por água para saciar sua sede, assim o salmista ansiava pelos chuveiros do céu para irrigar sua alma. CBASD, vol. 3, p. 1046.

8 Pela manhã. Como a luz da aurora dissipava as trevas, ele pedia que a luz da presença de Deus banisse as trevas de seu ser. O amanhecer é apropriado para a devoção e meditação na benignidade do Senhor. CBASD, vol. 3, p. 1046.

9 Em Ti me refugio. Literalmente, “em Ti me escondo”. O Senhor é um refúgio quando as tempestades da vida estão furiosas e prestes a nos fazer submergir (ver Sl 46:1). CBASD, vol. 3, p. 1046.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: