Reavivados por Sua Palavra


SALMO 137 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
18 de junho de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 137 – Leia a Bíblia antes

SALMO 137 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

SALMO 137 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. TEXTO MARIA CAROLINA FERREIRA

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



SALMO 137 by Jeferson Quimelli
18 de junho de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/137

Eu não sei o que é ser prisioneiro em uma terra estrangeira, mas sei o que é estar com saudades de casa.

Enquanto servia como estudante missionária, passava muitas horas relembrando, com minha melhor amiga, sobre a minha casa nos Estados Unidos. Gostávamos de fazer canções sobre nossa pátria e ver aviões decolando ao por do sol, imaginando que um dia seríamos nós indo para casa.

Às vezes eu sinto o mesmo tipo de saudade do céu. Anseio me reunir com minha mãe, restaurada à sua saúde integral, liberta do mal. Na verdade, talvez eu realmente saiba o que é ser um prisioneiro em terra estrangeira, pois certamente este mundo não é minha casa. Às vezes, meu desejo por um mundo melhor é tão intenso, que me sinto totalmente desanimada e presa aqui no Planeta Terra.

Mas, como este salmista, que tem medo de esquecer sua terra natal, eu prefiro estar com saudades do céu do que ligada a este mundo. E você?

Lori Futcher
Escritora e Editora
Cleveland, Tennessee, Estados Unidos

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=861
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli



SALMO 137 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
18 de junho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

 292 palavras

Introdução. O Salmo 137 tem sido denominado apropriadamente de “Cântico do cativo”. Ele retrata os israelitas na terra do exílio. Os menestréis israelitas ficam silentes enquanto seus raptores zombam deles pedindo que afinem as harpas e cantem um dos cânticos de Sião. O coração dos cativos estava pesado. A nota melancólica neste salmo atrai a simpatia do leitor para os cativos angustiados e desanimados. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1036.

1 Chorávamos. Babilônia era conhecida como a região das “muitas águas” (Jr 51:13). O curso de água mais importante era o Eufrates, que tinha muitos afluentes. Os cativos recorreram ‘as margens destes riachos. CBASD, vol. 3, p. 1036.

3 Cânticos de Sião. Seus senhores os ridicularizavam e pediam que cantassem algumas de suas melodias sagradas. CBASD, vol. 3, p. 1036.

5 Se eu de ti me esquecer. Consentir em cantar um cântico do templo sob tais condições pareceria ao israelita como que estar sendo infiel ‘a sua amada cidade, que ele adorava de todo o coração. Esqueceriam seu bem mais precioso e não esqueceriam a Sião, o orgulho e a glória de Israel. CBASD, vol. 3, p. 1036.

6 Apegue-se-me a língua. Isto é, perder a habilidade de falar. CBASD, vol. 3, p. 1036.

7 Filhos de Edom. Edom manifestou um espírito não fraterno para com Israel em várias ocasiões. Apesar de seu parentesco com os descendentes de Jacó, os edomitas [descendentes de Esaú] ajudaram os babilônios contra os israelitas (Ob 10-14). CBASD, vol. 3, p. 1036.

9 Contra a pedra. O assassinato de crianças inocentes, embora habitual nas guerras da Antiguidade, era uma das práticas mais cruéis e repugnantes (2Rs 8:12; Is 13:16; Os 10:14). Em vista de este tratamento severo ter sido infligido pelos babilônios (ver Jr 51:24), o salmista está simplesmente enunciando uma lei da vida: “como tu fizste, assim se fará contigo” (Ob 15; cf. Mt 7:2). CBASD, vol. 3, p. 1036, 1037.



SALMO 137 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
18 de junho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Como, porém, haveríamos de entoar o canto do Senhor em terra estranha?” (v.4).

Por anos, Jerusalém foi advertida por voz profética acerca do cativeiro babilônico. Com lágrimas e com súplicas, Jeremias percorria as ruas de sua amada cidade anunciando o juízo vindouro caso o povo não desse ouvidos às palavras do Senhor. Diante do rei e dos líderes de Judá, muitas foram as vezes em que os advertiu com fremente esforço. Sua voz solo, porém, era abafada pelo coro de homens e mulheres que ignoravam-lhe os rogos. Mas “como forte muro de bronze” (Jr.15:20), Jeremias foi protegido por Deus e confortado em sua missão sobremodo angustiante.

Por ignorar as profecias, o resultado foi a desolação de Jerusalém e um período de 70 anos de cativeiro babilônico. É muito provável que o salmista estivesse no meio dos exilados em Babilônia. Com saudosismo, relembrava de seu lar com anseio de para lá retornar. Nada, nem a “maior alegria” (v.6), poderia ser comparada ao gozo de residir na cidade que Deus escolhera como Sua morada. A tristeza consumia os sinceros filhos de Deus e os desanimava a entoar os louvores que outrora cantavam em sua terra natal.

Certamente, havia algo de muito especial nos cânticos espirituais dos judeus; algo que os caldeus desconheciam. Babilônia era o centro do mundo em cultura, ciência e entretenimento. Sua religião pagã e politeísta estava estampada em toda a cidade, e seus cultos eram ricos em música com toda sorte de instrumentos. Morar naquele lugar, poderia ser comparado hoje às metrópoles mais ricas e desejadas. De algum modo, porém, o cântico dos exilados despertou o interesse de seus algozes. Ao som da harpa, o louvor que lhes saía dos lábios era entoado com o coração e, diferente das músicas estimulantes de que os caldeus estavam acostumados, essas canções espirituais eram gozo e alegria para a alma.

Pela fé, os patriarcas ansiavam pelas promessas de Deus, “saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a Terra”, porque não andavam ansiosos por conquistar coisa alguma neste mundo, mas aspiravam “uma pátria superior, isto é, celestial” (Hb.11:13 e 16). Em tudo eram diferentes do mundo. Sua vida santa e abnegada era por si só uma exortação e testemunho aos infiéis. Eram “homens dos quais o mundo não era digno” (Hb.11:38). Contudo, “todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram… a concretização da promessa… para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados” (Hb.11:39-40). 

Assim como muitos morreram em Babilônia sem ver a promessa de Deus do retorno de Seu povo a Jerusalém após os 70 anos de exílio, muitos fiéis já descansaram no pó da terra, pois o Senhor ainda espera por aqueles que, juntamente com eles, obterão o cumprimento da promessa. Homens, mulheres, jovens e crianças que, repletos do Espírito Santo, não necessitam dos estímulos seculares, mas que, com cânticos espirituais declaram ao mundo a sua filiação e cidadania celestial. Logo estaremos entoando “o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro” (Ap.15:3). Apeguemo-nos, um dia após o outro, à promessa do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo até que Ele volte: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em Mim. Na casa de Meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, Eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando Eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para Mim mesmo, para que, onde Eu estou, estejais vós também” (Jo.14:1-3). Vigiemos e oremos!

Bom dia, cidadãos do Reino dos Céus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo137 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 137 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
18 de junho de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 137 – Ler é academia para o cérebro; ler a Bíblia é a academia da alma. Muitos estão com seus cérebros definhados, pois, como disse Carlos Drummond de Andrade,

“A leitura é uma fonte inesgotável de prazer, mas por incrível que pareça, a quase totalidade não sente esta sede”.
• Se isso é dito da leitura em geral, o que deveria ser dito da leitura da Bíblia?

Charles Jones observou que “daqui a cinco anos você estará bem próximo de ser a mesma pessoa que é hoje, exceto por duas coisas: os livros que ler e as pessoas de quem se aproximar”.
• E, se o livro a ser lido for a Bíblia; e, a pessoa de quem aproximar-se for Jesus?

O povo de Israel afastou-se de Deus e de Sua Palavra (a Torá); assim, as consequências foram as mais indesejadas: Cativeiro babilônico. Podemos aprender muito com o Salmo em foco:
• Se não preferíssemos a intimidade com o pecado em lugar da intimidade com Deus, teríamos menos razões para chorar neste mundo de injustiças, angústias e sofrimentos (vs. 1-2);
• Se não menosprezássemos a Palavra de Deus seríamos mais respeitados e menos menosprezados pelos incrédulos, irreverentes e pagãos (vs. 3-4);
• Se déssemos mais ouvidos aos princípios divinos não estaríamos no cativeiro resultante do pecado, nem seríamos tomados de nostalgia dos bons e velhos tempos (vs. 5-6);
• Se não provocássemos nosso próprio sofrimento talvez não teríamos razões para orações em prol da desgraça de nossos semelhantes, mas intercederíamos pela salvação até de nossos inimigos (vs. 7-9).

Quando desviamo-nos de Cristo perdemos o prazer pelas músicas e leituras cristãs. Quando afastamo-nos da Palavra de Deus somos levados para situações detestáveis. Longe de Deus e de Sua Palavra, nossos sonhos dão uma reviravolta, mas negativamente.

Portanto, se você se sente escravo da situação, desanimado da vida – chorando (vs. 1-2), na miséria, ouvindo provocações, correndo risco de naufragar na fé (vs. 3-6), alimentando o ódio no coração e, desejando o mal aos outros (vs. 3-9), é hora de estudar a Bíblia e voltar-se para Deus: Tua vida mudará!

A leitura bíblica diária, que aproxima o leitor do Senhor da existência, faz o maior dos milagres: Uma mudança radical de mente, eleva nossa moral e transforma positivamente nosso coração pecador! Experimente! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: