Reavivados por Sua Palavra


SALMO 133 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 133 – Leia a Bíblia antes

SALMO 133 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

SALMO 133 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. TEXTO MARIA CAROLINA FERREIRA

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



SALMO 133 by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/133

Neste Salmo, duas imagens descrevem as bênçãos de unidade e comunhão. A primeira é a de óleo escorrendo pela cabeça e barba de Arão. No clima quente e seco da Palestina, óleo é calmante e cura para a pele seca e rachada. O óleo era um símbolo das bênçãos de Deus ao que estava sendo ungido. Os óleos de unção possuíam uma fragrância que tomava conta de todo o ambiente, à semelhança do que aconteceu quando Maria ungiu os pés de Jesus e a casa se encheu com o perfume (João 12:1-3). A mensagem do salmista é que a unidade no relacionamento trará as bênçãos da paz e harmonia, curando e perfumando o ambiente.

A segunda imagem é a do orvalho que cai sobre o Monte Hermon. Na terra seca da Palestina o orvalho que cai à noite nas altas montanhas traz benefícios refrescantes para as plantas, animais e pessoas de todo Israel [as águas que descem do Monte Hermon formam o rio Jordão, que se estoca no mar da Galiléia e beneficia todo o país]. O Monte Hermon chega a quase três mil metros acima do nível do mar e tem uma vegetação verdejante em suas encostas, mesmo nos meses secos do verão. Em comparação, Jerusalém (Monte Sião) fica praticamente sem chuva durante 6 meses do ano. As bênçãos de Deus que caem sobre nós quando vivemos em unidade e comunhão com nossa família nos refrescarão e nos sustentarão, mesmo nos tempos “secos” de nossas vidas.

Thandi Klingbeil
Mãe, dona de casa e professora
Collegedale, Tennessee, Estados Unidos

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=857
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli



SALMO 133 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

191 palavras

Introdução. O Salmo 133 é um curto e lindo poema que exalta a bênção da unidade fraternal. Esta unidade caracterizava os encontros dos israelitas nas grandes festas em Jerusalém. Harmonia e amor fraternal predominavam nestas ocasiões. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1031.

1 Irmãos. O termo denota um laço de relacionamento íntimo. Davi cantou o Salmo 133 quando seus familiares e amigos estavam escondidos na caverna de Adulão (ver PP, 658). CBASD, vol. 3, p. 1031.

2 Óleo precioso. Do heb. shemen, “óleo”, neste verso não se refere ao óleo comum, mas ao óleo sagrado com o qual o sumo sacerdote era ungido (Êx. 29:7; 30:23-33). Ele tinha um perfume suave; era santo e difusivo. Quando foi derramado na cabeça de Arão, caiu sobre suas roupas. Assim acontece com o amor fraternal. Ele abençoa a todos com sua influência suave e santa. CBASD, vol. 3, p. 1032.

3 Orvalho do Hermom. Um símbolo de refrigério. O amor fraternal nascido no céu refresca e revive. Ele é uma antecipação do companheirismo desfrutado no lar celestial. Davi conseguiu cantar este salmo enquanto estava na caverna de Adulão, por causa da simpatia e afeição que seus companheiros lhe demonstraram (PP, 658). CBASD, vol. 3, p. 1032.



SALMO 133 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
14 de junho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!… Ali, ordena o Senhor a Sua bênção e a vida para sempre” (v.1 e 3).

Afinal de contas, o que é a união fraternal? A Bíblia nos apresenta um grupo de pessoas que se amam mutuamente, e uma experiência que promove uma bênção transbordante:

É como o óleo… que desce” (v.2). “É como o orvalho… que desce” (v. 3). A união entre irmãos é algo que não cabe dentro de um lugar, ela transborda em sua esfera de influência, por que está ligada à Fonte que jorra “para a vida eterna” (Jo.4:14).

Atentem para este precioso detalhe: o óleo é derramado de cima para baixo. O orvalho cai de cima para baixo. A união genuína só acontece quando ela provém do alto. A união com Cristo promove a união fraternal em Cristo, pelo desenvolvimento dos dons espirituais, “com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho de seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo” (Ef.4:12). Não há amor e muito menos união onde Cristo não seja o Doador do amor, e sim grupos divididos dentro de um mesmo lugar. A esta realidade, porém, Cristo nos deixou séria advertência: “toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá” (Mt.12:25).

Oh, amados! Precisamos buscar no exemplo de Cristo o amor que devemos viver. Somente quando experimentamos este amor, é que começamos a entender, na prática, a identidade do verdadeiro discípulo de Jesus: “Nisto conhecerão todos que sois Meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (Jo.13:35). A respeito disso, eu confesso, de todo o meu coração, que sinto que ainda preciso galgar muitos degraus para viver de verdade este ministério sagrado. Precisamos ser sinceros com o Senhor e uns para com os outros. Necessitamos de uma comunhão plena com Deus para que a bênção da comunhão fraternal seja uma realidade em nossa vida.

Viver em união com os diferentes não é fácil. Mas o que seria da orquídea sem a árvore hospedeira, e vice e versa? Não há relação de prejuízo entre estes seres vivos, muito pelo contrário, há uma relação que a biologia chama de simbiose (“a vida em comum”), onde um fornece alimento para o outro formando uma união perfeita. São diferentes, mas se completam.

Você almeja a bênção de Deus e a vida? Ame ao Senhor com todo o seu coração, entendimento e força, e Ele lhe ajudará a viver a “simbiose” com seus semelhantes, a prima virtude do fruto do Espírito: o amor (Gl.5:22). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, unidos em Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo133 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 133 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 133 – Como está a tua família? Uma casa dividida gera famílias destruídas. Uma família destroçada faz qualquer pessoa ansiar por uma família abençoada, unida, feliz e harmoniosa.

A família de Davi era um caos. A desunião era sua característica principal. Devido a seu escandaloso adultério, Davi não teve autoridade para corrigir os erros de seus filhos:
• Amnom violentou Tamar, sua meio-irmã, e Davi não o confrontou, nem exortou sua filha.
• Absalão assassinou Amnom, seu irmão, e Davi não fez nada para evitar.
• Absalão conspirou e usurpou o trono do pai e Davi teve que fugir.
• Adonias foi assassinado por seu irmão Absalão quando este assumiu o trono.

Tua família está melhor, você não acha? A casa desse Rei de Israel estava tomada pelo ódio, conspiração, estupro, assassinatos – um pecado pior que o outro.

Consequentemente, a “união” arrumou as malas, e foi embora. O sofrimento de Davi deve ter sido maior porque ele sabia do valor da união.

1. A união é atraente, traz paz, está livre de intrigas, invejas, ciúmes. A desunião é má, mas a união é boa. A verdadeira união baseia-se nos princípios da Palavra do Deus que afirmou que não é bom que o homem esteja só; somente assim, a unidade trará real felicidade (v. 1).

2. A união promove a saúde física, mental, social e emocional. Desentendimentos, brigas, confusões, agressões, resultam em titânicas angústias, aflições, doenças. A união traz bênçãos assim como a unção para o cargo de sumo sacerdote. Pecados são perdoados, feridas são curadas, há valorização do outro, aceitação e vida espiritual acentuada (v. 2).

3. A união é tonificante, restaurante, refrigerante, revigorante como o orvalho que cai sobre a relva em tempos de seca. Assim como o orvalho que é discreto e constante, pequenos gestos de carinho, bondade e amor resultam em grandiosos resultados na família; contudo, assim como o orvalho, estes gestos devem vir de um coração regido por Deus, para que seja bênção (v. 3).

A união verdadeira não é obra de um coração egoísta, é fruto de busca pelo coração altruísta de Deus. É Deus Quem ordena a bênção!

É bom ver uma família unida, mas é impossível tê-la desprovido dos divinos princípios de vida! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: