Reavivados por Sua Palavra


SALMO 44 by Jeferson Quimelli
17 de março de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/44

Li histórias da libertação e do cuidado de Deus registrados na Bíblia. Quando Ele libertou povos aflitos, expulsou nações e deu terra ao Seu povo. Não foi o poder deles que os salvou, mas o seu poderoso Deus.

Eu mesmo experimentei momentos em que Deus me resgatou – às vezes literalmente de uma situação perigosa, e às vezes figurativamente quando eu não sabia o que fazer. Eu O louvo pelo Seu cuidado!

E, no entanto, também há momentos em que, para meu entendimento, Deus parece permanecer calado. Estou ansiosamente desejando seguir Suas instruções, esperando e aguardando Seu resgate, mas não vejo isso acontecendo. E não sei explicar o porquê. Mas sei de todo o coração que Ele nos ama com um amor eterno. Ele nos ama tanto que enviou Seu Filho para tomar nosso lugar em uma cruz feia e cheia de dor.

Sou grato pelas outras histórias também registradas na Bíblia – histórias como a Jó. Histórias em que as pessoas não entendiam por que Deus parecia silencioso, e posso ver que Deus ainda as amava. Que Deus tinha Suas razões.E então eu escolho confiar nEle. Eu me agarro a ele. Mesmo quando eu não entendo.

Susan Menzmer
Dona de casa, Collegedale, Tennessee, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=768
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 44 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
17 de março de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria



SALMO 44 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
17 de março de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 44 – Relembrar os atos divinos em nossa vida nos fortalece a fé, reaviva as chamas da esperança e aumenta nossa visão do Deus que muitas vezes esquecemos.

Baseando-me no Comentário Bíblico Adventista afirmo que este Salmo tem quatro seções:

1. A bondade de Deus para com Israel na antiguidade (vs. 1-8);
2. A triste situação de Israel no momento (vs. 9-16);
3. A afirmação do salmista de que Israel tem permanecido fiel a Deus (vs. 17-22);
4. O apelo do salmista para que Deus livre Israel (vs. 23-26).

Leia o salmo, ore pela interpretação correta do texto e, experimente o efeito da Palavra de Deus revigorando a tua alma:

• As boas lembranças do passado de um Deus que agiu em prol de Seu povo precisa ser a alavanca que impulsiona os crentes do presente a viver um padrão mais alto que o melhor padrão de vida oferecido pelo mundanismo, secularismo, materialismo, hedonismo, etc.

• As adversidades do presente não devem ofuscar as diversas atividades de Deus no passado; quando somos motivados a lembrar do que Deus fez, as circunstâncias do presente são como trampolins que nos lançarão para um futuro promissor.

• As formas em que Deus agiu na história mundial e em nossa história pessoal aviva as chamas da esperança real em corações aflitos e contritos. Ainda que no presente somos entregues à morte o dia todo devido a nosso compromisso com o Deus – que é alvo do ódio satânico –, temos certeza que seremos socorridos pelo Salvador.

O salmo fala de sofrimento, o qual desperta a esperança. O sofrimento vem por causa do pecado, nosso ou dos outros. Muitas vezes nos afastamos de Deus e sofremos; entretanto, muitos sofrimentos também surgem de nosso compromisso sério com Deus.

Quando deixamos de amar ao “eu” e ao pecado, e direcionamos nosso amor a Deus, as hostes de demônios liderados por Satanás nos fazem alvos de seus ataques diabólicos, visando destruir-nos; contudo, ao relembrar como Deus agiu no passado, podemos confiar a Ele nosso futuro, por pior que esteja nosso presente.

É importante lembrar que não podemos depender das experiências passadas; na verdade, elas devem nos impulsionar a buscar novas experiências e corrigir nossas falhas resultantes de nosso relaxo espiritual.

Deus não precisa acordar, nós precisamos! – Heber Toth Armí.



SALMO 44 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
17 de março de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Não confio no meu arco, e não é a minha espada que me salva” (v.6).

Um cenário de guerra e de derrota é descrito no Salmo de hoje. É o clamor de um povo pelo favor de Deus. Um povo que ouviu falar dos prodígios do Deus de Israel e que clamava para ser testemunha ocular do Seu livramento. O testemunho de seus pais fez toda a diferença e conduziu o povo a reconhecer que a vitória só vem do Senhor (v.8).

Quão importante é a orientação dada pelos pais! Este foi o segredo do sucesso da educação cristã dado por Deus: “tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te” (Dt.6:7). E não há melhor forma de fixar um ensinamento na mente dos pequeninos do que pelo exemplo. Quando praticamos o que ensinamos, transmitimos credibilidade e a lição deixa de ser apenas uma hipótese para ser algo concreto. O salmista revelou que tudo o que ouviu dos pais foi elevado a uma fé prática. Apesar de não ter visto o que os pais relataram, confiou plenamente no que eles disseram (v.7).

Não é fácil louvar a Deus após uma derrota. Por mais que nossos pais tenham sido tementes a Deus e tenham nos conduzido no caminho correto, nunca estamos preparados o suficiente para enfrentar as batalhas desta vida. Além das guerras que dão ibope aos noticiários, temos que enfrentar a maior de todas elas, a guerra cuja disputa envolve o nosso coração. Lembram do nosso estudo de ontem? Se estivermos em constante comunhão com Deus, poderemos afirmar com perseverança: “Não tornou atrás o nosso coração, nem se desviaram os nossos passos dos Teus caminhos” (v.18).

Este conflito espiritual é travado a cada dia em que abrimos os nossos olhos. Por mais que sejamos “considerados como ovelhas para o matadouro” (v.22), “… somos mais que vencedores, por meio dAquele que nos amou” (Rm.8:37). As batalhas que lutamos sozinhos são passos vacilantes na direção do abismo. As batalhas que Jesus luta por nós são vitórias contadas de geração em geração (v.1). E ainda que, por amor a Deus (v.22), tenhamos que enfrentar o vale da sombra da morte, Ele ouvirá o nosso clamor (v.23) e Se levantará para nos socorrer e nos resgatar (v.26) no tempo determinado. Deus conhece a intensidade da guerra pela qual estamos passando. Se reconhecermos que somente pelo auxílio divino estaremos seguros, então o Senhor dos Exércitos comandará a nossa vitória. Porque “é certo que não dormita, nem dorme o Guarda de Israel” (Sl.121:4). Vigiemos e oremos!

Bom dia, vitoriosos em Cristo Jesus!

Desafio da semana: Inclua em suas orações, às 6h, a situação do mundo frente à pandemia do Covid-19. Clamemos juntos por auxílio divino!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo44 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 44 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
17 de março de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria



SALMO 44 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
17 de março de 2020, 0:05
Filed under: Sem categoria

604 palavras

A memória desempenha um papel fundamental nos salmos (Sl 77). Quando estamos aflitos, somos aliviados por relembrar os atos graciosos de Deus no passado. Neste salmo, entretanto, o livramento passado lança um sinal de interrogação sobre o presente. Por que Deus não age agora como o fez com nossos pais, no passado? Bíblia de Genebra.

Este salmo pode ter sido cantado numa ocasião como a de 2Cr 20:18,19, onde o fiel Jeosafá foi cercado por inimigos e os levitas cantaram ao Senhor antes da batalha. Life Application Study Bible Kingsway.

1-8 Louvor a Deus pelas vitórias do passado: 1) aquelas mediante as quais Israel se estabeleceu na terra (v. 1-3); 2) aquelas mediante as quais Israel foi mantido seguro na terra (v. 4-8). Bíblia de Estudo NVI Vida.

1-3 Expulsar as nações refere-se à conquista de Canaã (a terra prometida) descrita no livro de Josué. Deus deu a terra a Israel – eles deveriam entrar e expulsar qualquer um que fosse perverso e se opusesse a Deus. Foi dito a Israel que se estabelecesse na terra e testemunhasse ao mundo do poder e do amor de Deus. Cercado por inimigos, o salmista se lembrou do que Deus tinha feito por Seu povo e tomou coragem. Podemos ter essa mesma confiança em Deus quando nos sentimos atacados. Life Application Study Bible Kingsway.

a Tua destra. Israel não tomou posse da Terra Prometida por seu próprio poder ou estratégia, mas através do poder de Deus. Deus lutou por eles como um guerreiro em seu meio (Js 6; Dt 7). Bíblia de Genebra.

Jacó. Um outro nome para Israel. Bíblia de Genebra.

não é a minha espada que me salva. O povo de Deus precisa lutar, mas não confiar no tamanho de seu exército e nem em suas armas. Bíblia de Genebra.

6,7 Em quem ou em que você confia? Somente Deus é confiável – ele nunca vai deixar você abatido.  Life Application Study Bible Kingsway.

9-22 Israel tinha sido derrotado apesar de sua fé (44:17) e obediência (44:18) a Deus. O salmista não podia entender por que Deus permitiu que isso acontecesse, mas ele não desistiu da esperança de descobrir a resposta (44: 17-22). Embora ele sentisse que seu sofrimento era imerecido, ele revelou a verdadeira razão para isso: sofreu por causa de seu compromisso com o Senhor. Paulo citou a queixa do salmista (Rm 8:36) para mostrar que devemos sempre estar prontos para enfrentar a morte por causa de Cristo. Assim, nosso sofrimento pode não ser um castigo, mas uma cicatriz de batalha que demonstra nossa lealdade. Life Application Study Bible Kingsway.

12 Vendes por um nada o Teu povo. Essas são palavras ousadas, um notável exemplo da honestidade da abordagem do salmista a Deus, em suas orações. Bíblia de Genebra.

22-26 O escritor clamou a Deus para redimir Seu povo por causa de seu amor infalível. Nada pode nos separar do amor de Deus, nem mesmo a morte (Rm 8:36-39). Quando você temer por sua vida, peça a Deus por libertação, e lembre-se que nem a morte pode separá-lo dEle. Life Application Study Bible Kingsway.

22 por amor de Ti. O mundo parecia virado de cabeça para baixo. O povo não se havia esquecido de Deus, mas sofria por amor de Deus. Paul cita este versículo em Rm 8.36. Bíblia de Genebra.

23-25 As palavras do salmista sugerem que ele não acreditava que Deus o havia deixado. Deus ainda era o Governante, mas Ele parecia estar adormecido, e o salmista se perguntava por quê. No Novo Testamento, os discípulos se perguntavam por que Jesus estava dormindo quando precisavam de sua ajuda durante uma tempestade (Marcos 4:35-41). Em ambos os casos, é claro, Deus estava pronto para ajudar, mas desejava primeiro construir a fé em seus seguidores. Life Application Study Bible Kingsway.




%d blogueiros gostam disto: