Reavivados por Sua Palavra


SALMO 31 by jquimelli
4 de março de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/31

Este salmo lembra a mim e minha esposa nossa última experiência missionária no último dia após servirmos no Instituto Internacional Adventista de Estudos Avançados [Filipinas] por quase seis anos.

Era sexta-feira à noite antes de pregar meu último sermão de Romanos 8:28 sobre como Deus trabalha todas as coisas juntas para o bem. Naquela noite, um ladrão invadiu nossa casa. O ladrão me nocauteou, mas antes que ele pudesse me matar, minha esposa o empurrou de cima de mim e saiu gritando pela porta da frente. Amigos rapidamente vieram em nosso socorro.

Acredito que Deus nos libertou naquela noite, não apenas nos acordando, mas dando a minha esposa o bom senso de obter ajuda rapidamente antes que algo pior acontecesse. Voltei do hospital agredido e machucado, mas reivindicando a promessa de Deus de que nossas vidas haviam sido providencialmente libertas.

Enquanto visitávamos amigos no dia seguinte, vi um arco-íris que me lembrou a libertação providencial de Deus.

Nossas vidas foram literalmente salvas dos bandidos que conspiraram contra nós. E mesmo que tivessemos sofrido ferimentos graves, apesar do trauma, poderíamos exclamar: “Mas eu confio em Ti, ó Senhor; Eu digo: ‘Tú és o meu Deus’” (v. 14).

Michael W. Campbell
Professor de Religião
Southwestern Adventist University
Keene, Texas EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=755
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 31 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
4 de março de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria



SALMO 31 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
4 de março de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 31 – Dinheiro, política, ciência, cultura, fama, prazer, sucesso e bens materiais não garantem verdadeira estabilidade e segurança. Precisamos de um Ser que supera qualquer ser humano.

Davi sabia muito bem disso, e você? John Wesley também sabia, por isso escreveu estes versos:

“Outro refúgio não tenho;
A ti minha alma desamparada vai se apegar.
Não me deixe só, meu Senhor,
Continua a me suster e consolar”.

Neste Salmo, “Davi declara sua confiança em Deus (31:1-8) e só depois expressa sua queixa (31:9-13). Ele mistura apelo e confiança (31:14-18) e conclui em louvor (31:19-22) e encorajamento para outros (31:23-24)” – sintetiza Duane A. Garrett.

Leonardo Gonçalves também tem uma música interessante sobre confiança:

“Nestes dias de desespero
Incerteza e medo há
Em uma salvação eu creio
Creio em Ti, creio em Ti

[…]

Que nossa fé não sejam hinos
Apenas notas em canções
E mesmo em tentações e fraco
Creio em Ti, creio em Ti…”

O Salmo em apreço se enquadra muito bem ao que disse o escritor Hermann Hesse: “A alegria e o sofrimento são inseparáveis como compassos diferentes da mesma música”. Sim, vivemos altos e baixos na vida. Ora nos elevamos para as alturas da felicidade, ora despencamos aos profundos vales de tristezas; ora extasiamo-nos com prazeres, ora sofremos com dissabores.

Assim, no vai-e-vem da vida, enfrentando os desafios da incerteza neste mundo, podemos nos apegar piamente ao Deus Criador de toda natureza. Com Ele nos alegramos e choramos, sofremos e sorrimos. Ele nos livra e nos acolhe, guia e protege.

Atenção: Deus…

• Tem um grande depósito de bênçãos aos que O adoram;
• Esconde os aflitos num lugar seguro, longe de qualquer oposição;
• Protege das flechas envenenadas, que são as palavras dos fofoqueiros e caluniadores.

Davi, após altos e baixos nesta prece musical, eleva-se no final porque alcançou intimidade com o Deus todo-poderoso. No auge da adoração ele avança exultantemente, de vitória em vitória, até cravar no cume mais proeminente este forte grito de esperança a todos os que o ouvem: “Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor”.

Nós, cristãos, que vivemos neste mundo complexo, precisamos…

• …correr para Deus;
• …ser humildes e dependentes de Deus;
• …confessar nossas fragilidades: medos, angústias;
• …rejeitar teologias equivocadas;
• …amar a Deus.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 31 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de março de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Quanto a mim, confio em Ti, Senhor. Eu disse: Tu és o meu Deus” (v.14).

O mundo vive uma crise que jamais houve. A violência se multiplica. As catástrofes aumentam. A fome faz perecer milhares a cada dia. As doenças se proliferam e surgem novas doenças. O planeta aquece em uma velocidade tão grande que pesquisar a possibilidade de se viver em outros planetas converteu-se de ficção científica para os estudos mais patrocinados no mundo. É como se o nosso planeta estivesse em contagem regressiva. E quanto mais o homem foge dos propósitos divinos, tanto mais estamos perto de um completo caos.

Em meio a problemas e tribulações, Davi sabia a Quem recorrer. Deus era o seu refúgio (v.1), o seu castelo forte (v.2), a sua rocha (v.3), a sua fortaleza (v.4), o “Deus da verdade” (v.5), o Senhor em Quem confiava (v.6), o Deus benigno (v.7), o Deus que firma os passos (v.8), mas, acima de tudo, Deus era o Deus de Davi: “Tu és o meu Deus” (v.14). Em meio a todos os perigos, inimigos e aflições, Davi confiava no seu Senhor: “eu, porém, confio no Senhor” (v.6).

Oh, amados, quem dera todos nós buscássemos a Deus da mesma forma que fazia Davi: Pessoalmente. Quão diferente seria a nossa atual situação! Precisamos entender que o mesmo Deus que amou ao mundo com toda a intensidade (Jo.3:16), é O mesmo que deseja ser o meu Deus e o seu Deus. Quando desenvolvemos um relacionamento pessoal com o Senhor, passamos a compreender que cada ser humano é único para o Criador; que você e eu temos o privilégio de receber, particularmente, o resplendor da face de Deus (v.16). Jesus pôde expressar este atributo divino quando Se misturava com todos, principalmente com os desprezados de Israel. Maria Madalena, o cego Bartimeu, a mulher do fluxo de sangue, o endemoninhado de Gadara, dentre outros, foram exemplos do quanto o Criador deseja ter contato com cada um de Seus filhos. Se tão-somente Ele for o nosso refúgio (v.19), Ele cuidará em nos preservar (v.23).

“Amai o Senhor” (v. 23), não é um mero pedido de Davi, mas revela a nossa necessidade. Se você amar ao Senhor e confiar nEle acima de qualquer tormenta que possa surgir em sua vida; se como Davi, e como o próprio Jesus, disseres a cada dia: “Nas Tuas mãos, entrego o meu espírito” (v.5; Lc. 23:46); se o Senhor for o teu Deus; então, estarás seguro no esconderijo do Altíssimo (v.20) e a bondade (v.19) e a misericórdia (v.21) do Senhor sempre lhe acompanharão. Todo aquele que confia em um Deus pessoal e sempre presente, pode louvá-Lo de todo o coração neste momento: “Não temo o futuro, pois tenho Deus comigo. Pode cair o mundo, estou em paz!” (“Estou em paz”, Novo Tom). Portanto: “Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor” (v.24). Vigiemos e oremos!

Bom dia, adoradores do “Deus da verdade” (v.5)!

* Deixe nos comentários o seu pedido de oração. #EuOroPorVocê 

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo31 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 31 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
4 de março de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria



SALMO 31 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
4 de março de 2020, 0:05
Filed under: Sem categoria

573 palavras

O Salmo 31 é um pedido sincero por livramento, motivado por uma genuína confiança na capacidade de Deus para solucionar os problemas. É caracterizado por inúmeras metáforas que descrevem a angústia do perseguido e a esperança que surge em momentos de adversidade. … Este salmo era um dos favoritos de João Huss, Martinho Lutero e Felipe Melanchton. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 792.

2 Castelo forte. Do heb. tsur (ver com. do Sl 18:2). CBASD, vol. 3, p. 792.

3 Por causa do Teu nome. Isto é, em nome de Sua reputação, ou de Seu caráter. Esta frase é repleta de significado. Na oração, indica que o suplicante se submete à vontade divina e está disposto a entregar a Deus seus problemas. Ele percebe que a honra de Deus está em jogo em todas as atividades do governo divino e acredita que Deus seria deseonrado se o pedido fosse recusado. Pede-se a Deus que responda a oração, mas somente de uma forma que esteja em harmonia com a vontade divina, visto que tudo que Deus faz é uma revelação de Seu caráter imutável. É presunção orar em nome de Deus quando as condições para que a oração seja atendida não são satisfeitas. … Uma resposta favorável sob tais circunstâncias traria desonra ao nome de Deus e negaria Sua palavra. CBASD, vol. 3, p. 792, 793.

5 Espírito. Do heb. ruach, o princípio animador da vida; a energia que vem de Deus e aviva o corpo. Na morte, afirma-se que o espírito volta para Deus (ver Ec 12:7; At 7:59). Contudo, os mortos não são cientes de nada (Sl 146:4). As palavras do salmista foram as últimas palavras de Jesus na cruz (ver Lc 23:46; cf. At 7:59). Diz-se que foram as últimas palavras de João Huss, Martinho Lutero e Felipe Melanchton, e muitos outros servos de Deus. Nós, també, no momento de extrema necessidade, podemos entregar confiantemente nosso caso a Deus. CBASD, vol. 3, p. 793.

Tu me remiste. O testemunho do passado, a certeza do presente e a promessa do futuro. CBASD, vol. 3, p. 793.

9 Compadece-Te de mim. Nos vs. 9 a 13 o salmista deixa de afirmar sua fé em Deus para expressar de forma comovente seu sofrimento. Na sua angústia, ele se agita entre a esperança e o desespero. CBASD, vol. 3, p. 793.

Meu corpo. Referência ao sofrimento físico. “Alma”sugere angústia mental. CBASD, vol. 3, p. 793.

12 Como morto. Seus inimigos o esqueceram por completo. Talvez isso seja ainda pior do que ser desprezado (ver Sl 88:4, 5). CBASD, vol. 3, p. 793.

13 Terror. Uma exclamação que indica o medo intenso do salmista de tudo e de todos que encontrava (ver Jr 20:10). CBASD, vol. 3, p. 793.

15 Os meus dias. Todos os acontecimentos do cotidiano. A oração renova a fé e a confiança. A resignação coloca, de forma plena, o caso humano nas mãos de Deus. CBASD, vol. 3, p. 793.

17 Morte. Do heb. she’ol (ver com. de Pv 15:11). CBASD, vol. 3, p. 793.

19 Como é grande. Nos vs. 19 a 24, a esperança que aparece como um fio de ouro em meio ao sofrimento retratado no salmo, neste ponto, floresce em triunfante segurança, e o salmista rende louvores. CBASD, vol. 3, p. 794.

20 Da contenda de línguas. Calúnia (ver com. do v. 13). CBASD, vol. 3, p. 794.

23 Amai o SENHOR. O salmista convida todos os filhos de Deus a se unirem a ele em consagração ao Senhor. Seu apelo se baseia na experiência de confiança em Deus em tempos de adversidade (ver com. do Sl 30:4). CBASD, vol. 3, p. 794.

24 Que esperam no SENHOR. Literalmente, “esperam pelo Senhor”. A esperança é a base da experiência cristã. CBASD, vol. 3, p. 794.




%d blogueiros gostam disto: