Reavivados por Sua Palavra


SALMO 29 by jquimelli
2 de março de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/29

Gosto de como esse salmo enfatiza a palavra “glória”. Gosto disso porque todo o salmo se refere à glória como algo que só vem de Deus.

Nesse salmo, até a natureza dá glória a Deus quando Ele fala. Isso me diz algo realmente importante – não importa o que eu faça, nunca devo receber a glória porque fui criado por Quem veio a glória.

Não recebemos nenhuma glória porque não a merecemos. Contudo, podemos glorificar Seu nome em tudo o que fazemos e, como resultado, de acordo com o salmista, Deus nos dará força e paz.

Prefiro ter a paz e a força que Deus pode me dar do que toda a glória que o mundo pode oferecer.

Ruber Raul Alvarez Matos
Presidente da Associação de Estudantes
Southwestern Adventist University, Texas EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=753
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 29 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
2 de março de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria



SALMO 29 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMI by jquimelli
2 de março de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 29 – Convocados todos nós somos neste salmo. O salmista Davi, inspirado pelo Espírito Santo, conclama a todos os seres humanos a adorar ao Senhor Deus, o soberano Rei do Universo.

O Salmo começa com quatro imperativos (vs. 1-2):

1. Atribuam ao Senhor filhos dos poderosos;
2. Atribuam ao Senhor glória e força;
3. Atribuam ao Senhor glória ao Seu nome;
4. Adorem ao Senhor na beleza de Sua santidade.

O Salmo revela-nos as razões pelas quais Deus merece adoração da toda a humanidade (v. 3):

1. A voz do Senhor está sobre as águas;
2. A voz do Senhor troveja sobre muitas águas;
3. O Senhor está sobre muitas águas.

O Salmo nos apresenta a voz de Deus superior a qualquer outra voz poderosa existente no universo (vs. 4-9):

1. A voz do Senhor está sobre as águas. Deus troveja sobre as muitas águas;
2. A voz de Deus é poderosa;
3. A voz de Deus é majestosa;
4. A voz do Senhor quebra os cedros, arrebenta cedros do Líbano e os faz saltar como bezerros. Líbano e Siriom como pequenos bezerros selvagens;
5. A voz do Senhor despede labaredas de fogo;
6. A voz do Senhor faz contorcer o deserto. O Senhor faz tremer o deserto de Cades;
7. A voz do Senhor faz procriar corças. E desnuda bosques.

Os seres celestiais glorificam ao Senhor no Templo – o centro de comando do Universo. Nada abala ao Seu reino (vs. 9-11). Assim, nas tempestades da vida, o povo de Deus encontra força e paz, segurança e esperança, em Seu poder insuperável.

A voz do Senhor é mais poderosa que os mais fortes cataclismos naturais; ela é destruidora, inquietante. Ela traz fogo consigo, faz tudo estremecer, cria e destrói. Assim ela evoca a glória do Criador.

Um exemplo do poder da voz divina está em Mateus 8:25-26, onde fica evidente a paz que essa voz pode oferecer quando enfrentamos grandes tumultos na vida.

O Deus de voz poderosa e temível tem o compromisso de fortalecer e abençoar com a paz ao Seu povo. Os sete trovões em Apocalipse 10 referem-se ao cuidado de Deus ao Seu amado povo, presente no turbulento tempo do fim para promover paz nos coração atribulados de Seus filhos.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 29 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de março de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade” (v.4).

Davi convocou os filhos de Deus a tributar “ao Senhor glória e força” (v.1), a render-Lhe homenagens, dedicar-Lhe “a glória devida ao Seu nome” (v.2). Mas esta convocação não se referia à gratidão por bênçãos alcançadas, e sim para reconhecer o poder e a “beleza da santidade” (v.2) da “voz do Senhor” (v.4), mesmo em meio a fortes tempestades.

A voz de Deus que, no princípio, pairava sobre a face das águas (v.3; Gn.1:2), é a mesma que é poderosa (v.4) para acalmar tempestades (Leia Lc.8:24). A mesma voz que com poder criou todas as coisas (Jo.1:1-3; Hb.11:3), é a mesma que em breve fará novas todas as coisas (Ap.21:1). A voz que “despede chamas de fogo” (v.7), é a mesma que livra do fogo (Dn.3:25). A voz que “faz tremer o deserto” (v.8), é a mesma que no deserto fez Satanás tremer (Mt.4:11). A voz do Senhor que “faz dar cria” (v.9) aos animais, é a mesma que nos criou (Gn.1:26).

Deus dá a conhecer a Sua voz a todo aquele que O segue e não dá ouvidos a estranhos (Jo.10:4,5). Ele pode até permitir que Seus filhos passem por tempestades, porém, jamais permitirá que eles pereçam. Pois até as tempestades na vida dos cristãos são presididas por Ele. O Senhor nos diz: “Eu estou no controle de tudo, lhes darei forças e os abençoarei com paz”.

Precisamos falar menos e ouvir mais. Como está escrito: “cale-se diante dEle toda a Terra” (Hc.2:20). O Senhor deseja falar conosco por meio de Sua Palavra e, para ouvirmos a Sua voz precisamos nos submeter à Sua vontade e seguir os Seus passos. As ovelhas de Cristo O seguem porque reconhecem a Sua voz. Se buscarmos ouvi-Lo todos os dias, quando vier a tempestade, a Sua voz ficará ainda mais familiar. Se permitirmos que Deus presida os “dilúvios” que parecem que vão nos submergir, então Ele nos estenderá a Sua destra e nos conduzirá ao lugar seguro (Leia Mt.14:31, 32).

Permita que a sua vida seja guiada pela voz do Senhor, então você será sempre um templo de Deus a tributar ao Senhor: “Glória!” (v.9). Vigiemos e oremos!

Bom dia, guiados pela voz do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo29 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 29 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
2 de março de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria



SALMO 29 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
2 de março de 2020, 0:05
Filed under: Sem categoria

422 palavras

O Salmo 29 foi chamado de “Cântico da tormenta”e “Cântico dos sete trovões”. Ele representa todos os salmos hebreus referentes à natureza. O poeta hebreu … sempre vê na natureza o poder e a glória de seu Criador. … Descreve-se de form vívida uma tempestade: seu início, sua intensidade máxima e seu fim. … O salmo descreve a fúria de uma grande tempestade que se origina no mar e é acompanhada por ventos tempestuosos, por estrondos de trovão e por clarões de relâmpagos. Ela vem desde o Líbano e Anti-Líbano e perde sua força no deserto oriental. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 787.

Beleza da Santidade. Literalmente, “em adornos de santidade”. … Nenhuma beleza exterior pode ser comparada à beleza de um caráter santo (ver 1Pe 3:3, 4). CBASD, vol. 3, p. 787, 788.

A voz do SENHOR. Na sinfonia verbal dos v. 3 a 9, o salmista sem dúvida descreve o que contemplou: a tempestade que sai desde o mar Mediterrâneo, cai com fúria sobre o Líbano e desaparece no leste, deixando o deserto tranquilo. Para ele, o trovão é “a voz do SENHOR” (ver Sl 18:13). CBASD, vol. 3, p. 788.

Poderosa. Literalmente, “com poder”. O salmista vê na tempestade alguns dos atributos divinos. CBASD, vol. 3, p. 788.

Quebra os cedros. A tempestade cai com fúria sobre as montanhas do Líbano, famosas pelos cedros, e o vento forte quebra as poderosas árvores. CBASD, vol. 3, p. 788.

Ele os faltar saltar. As montanhas do Líbano parecem saltar sob o impacto da tempestade. CBASD, vol. 3, p. 788.

Siriom. Nome sidônio do monte Hermon, o mais alto da cadeia do Antilíbano, cujo topo se eleva cerca de 3 mil metros acima do nível do mar (ver com. de Dt 3:9). CBASD, vol. 3, p. 788.

Despede. Literalmente, “corta”, “talha”. O versículo descreve o vívido serpentear dos relâmpagos. CBASD, vol. 3, p. 788.

Seu templo. É provável que não esteja se referindo ao tabernáculo, e sim à natureza. CBASD, vol. 3, p. 788.

Tudo. Depois da descrição deste versículo, a tempestade diminui, o salmista se volta para uma tranquila meditação e declara a soberania de Deus e Seu maravilhoso dom da paz. CBASD, vol. 3, p. 789.

10 Dilúvios. … a forte chuva que acompanha a tormenta e seus resultados. CBASD, vol. 3, p. 789.

Rei … para sempre. Assim como Deus estava na tempestade que passou, Ele governará como soberano absoluto para sempre. A declaração traz calma e confiança para a alma após a comoção e consternação da tempestade. CBASD, vol. 3, p. 789.

11 Paz. Assim, a sinfonia do Salmo 29, que havia chegado a um crescendo ensurdecedor termina com o mais suave pianíssimo …, “Paz seja convosco” (Jo 20:21, 26), diz o Príncipe da Paz. CBASD, vol. 3, p. 789.




%d blogueiros gostam disto: