Reavivados por Sua Palavra


II SAMUEL 7 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
13 de julho de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Ideias pré-concebidas impedem-nos compreender e interpretar corretamente à Palavra de Deus. Julgamos-la equivocadamente e, consequentemente, acabamos condenando instrumentos enviados por Deus para abençoar-nos.

Reflita: Um profeta falha? Ele volta atrás em suas declarações? Biblicamente, a resposta é afirmativa!

• O profeta Natã, confraternizando com Davi, ouviu os planos do rei de construir um templo ao Rei do Universo; então, concordou e incentivou-o a concretizar o desejo de seu coração. Entretanto, após uma audiência com Deus, Natã voltou atrás em suas palavras (vs. 1-17).

O “não” de Deus limita o ser humano? Quando Deus não quer nossos planos, inevitavelmente ficamos chateados, revoltados e abandonamos a Deus? Na Bíblia, Davi é um exemplo de alguém que se alegra quando recebe um “não” diante de suas nobres aspirações!

• Davi aceitou humildemente a reação negativa de Deus quanto a suas motivações positivas. Tal atitude diante do impedimento de planos para Deus pelo próprio Deus deve caracterizar cada súdito/servo do Rei do Universo (vs. 18-29).

“Davi estava decepcionado por que Deus não lhe permitira construir a casa do Senhor? Talvez. No entanto, para ele”, analisa Warren W. Wiersbe, “não era importante quem construiria a casa do Senhor, mas que a vontade de Deus se cumprisse e que o nome do Senhor fosse glorificado”.

• Por isso, o reino de Davi seria eterno (v. 16) – em vez de limitar, o “não” de Deus expande nossos planos!

“Quase nenhum (ou mesmo nenhum) texto gera tantas opiniões exegéticas e reações canônicas como 2Samuel 6 e 7. Dois eventos dominam a passagem. Primeiro, Davi leva a arca a Jerusalém, assim fazendo da cidade o centro da adoração israelita (6.1-23). Segundo, o rei deseja erigir um templo para abrigar a arca e lhe é negado o direito de fazê-lo, mas em compensação, lhe é oferecido um reino eterno (7.1-17). Compreensivelmente Davi fica surpreso com esse desdobrar dos acontecimentos e declara sua gratidão ao Senhor (7.18-29)” – conclui Paul R. House.

Medite…

1. Tua preocupação é a vontade de Deus ou a execução de tua própria vontade?
2. Teu real desejo em fazer coisas para Deus é agradá-lO ou querer aparecer diante de pessoas?
3. “A grata resignação, assim manifesta [por Davi], raro se vê, mesmo entre cristãos” (Ellen G. White).

Humilhemo-nos perante Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: