Reavivados por Sua Palavra


1SAMUEL 3 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
8 de junho de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Então, veio o Senhor, e ali esteve, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel! Este respondeu: Fala, porque o Teu servo ouve” (v.10).


O capítulo anterior terminou com a profecia contra a casa de Eli. O terrível procedimento de seus filhos os levaria à morte e Deus suscitaria outro sacerdote para Sua casa. Mas, naquele tempo, “a palavra do Senhor era mui rara; as visões não eram frequentes” (v.1). Contudo, Deus escolheu uma criança como Seu porta-voz. A Bíblia não relata a idade de Samuel, só diz que “o Senhor chamou o menino” (v.4). Ao ouvir chamar o seu nome, “Samuel ainda não conhecia o Senhor, e ainda não lhe tinha sido manifestada a palavra do Senhor” (v.7). Por isso, por três vezes Deus o chamou, e por três vezes Samuel prontamente correu a Eli, pensando que este o havia chamado. Na terceira vez, porém, Eli compreendeu ser o Senhor quem chamava Samuel. E orientou o menino a como proceder.

Então, “veio o Senhor, e ali esteve” (v.10). Ou seja, Samuel estava diante de uma visão divina, e, como o idoso sacerdote havia lhe orientado, respondeu: “Fala, porque o teu servo ouve” (v.10). O Senhor lhe revelou o juízo que sobreviria a Eli e sua casa, devido à negligência paterna de Eli e às abominações cometidas por seus filhos. O jovem garoto temeu revelar a visão àquele a quem amava. Eli tinha se tornado sua família desde que sua mãe o havia deixado no templo. Agora, lhe era dada a difícil tarefa de declarar a Eli o juízo de Deus.

Mas o Senhor entendeu a sua angústia, e fez com que o próprio Eli o constrangesse a relatar a visão. Então, “Samuel lhe referiu tudo e nada lhe encobriu” (v.18). Reconhecendo a tragédia que ele mesmo causou, Eli confessou: “É o Senhor; faça o que bem Lhe aprouver” (v.18). Oh, se ele tivesse reconhecido isso desde o início! Como teria sido diferente a sua história e de sua família! Enquanto isso, “crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra” (v.19). Então, “todo o Israel… reconheceu que Samuel estava confirmado como profeta do Senhor” (v.20) e “por Sua palavra o Senhor se manifestava ali a Samuel” (v.21).

No coração de uma criança, Deus encontrou lugar para Se manifestar, ao passo que um sacerdote separado para o serviço de Deus, experiente e profundo conhecedor das Escrituras não teve tal privilégio. Eli se acomodou à sua posição no sacerdócio do Senhor, enquanto Samuel se apresentou como um servo. Notem que a cada chamado do Senhor, prontamente Samuel respondia: “Eis-me aqui!”. Na condição de servos, Deus nos eleva à posição de filhos, porque “a humildade precede a honra” (Pv.15:33). Eli estava tão absorto em seus próprios desígnios que o seu serviço limitava-se a rituais e não à verdadeira adoração. Porque “todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o Senhor pesa o coração” (Pv.16:2). Eli era um sacerdote, dirigia todos as cerimônias do templo, vestia-se conforme a orientação de Deus, comia conforme a orientação de Deus, falava como um ministro deveria falar, porém, o seu coração não correspondia aos apelos divinos. A honra do sacerdócio precedeu a humildade de um servo de Deus.

O fato de estar em função privilegiada não é sinônimo de privilégio espiritual, e sim de responsabilidade aumentada. Deus usa com grande poder Suas “crianças espirituais”. Em que sentido? Quando os discípulos discutiam entre si quem deles seria o maior no Reino dos Céus, Cristo lhes ilustrou e nos deixou registrado o que deve guiar o coração de todo cristão: “E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles. E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos Céus. Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus” (Mt.18:2-4). Compreenderam a profundidade das palavras de Cristo? Deus nos convida a sermos Suas crianças, principalmente no sentido de dependência. Toda criança depende de cuidados. Quando uma criança confia em seu pai, ela se lança em seus braços de onde estiver. Deus espera que nutramos em nosso coração a mesma confiança, a mesma entrega. “Eis-me aqui!” Eis o que deve estar em nosso coração antes que nos chegue aos lábios!

Para nos tornarmos maduros no sentido de compreender acerca de permanecer no caminho, devemos ser crianças no sentido de que dependemos totalmente da guia divina.

O Senhor colocou Samuel no meio de Canaã, em Siló, e no meio do povo de Israel, e, por meio dele, manifestou a Sua Palavra. Exatamente igual à ilustração que Cristo fez com aquela criança, quando a colocou no meio de Seus discípulos.

Isso nos prova outra grande lição. A que tenho aprendido dia após dia com os filhos que o Senhor me deu. A de que pesa sobre os pais o dever de instruir os filhos, mas, pesa também sobre nós a humildade de aprender com eles. Em sua sinceridade, inocência e dependência, nossos pequeninos têm muito a nos ensinar, e nós, muito o que aprender. Precisamos nos tornar como eles, rápidos para amar, rápidos para perdoar.

Como um bebê de colo chora por alimento, precisamos chorar perante o Senhor em busca do Pão do Céu. Como uma criança que se machuca e chora por ajuda, em nossas quedas Deus espera que clamemos por Seu auxílio. Como uma criança que ri sem muito esforço, precisamos sempre encontrar motivos para sorrir. Como um bebê se diverte mais com a tampa de um depósito do que com um brinquedo caro, precisamos ser sempre gratos por tudo o que o Senhor nos tem dado. Como uma criança obediente prontamente atende ao chamado dos pais, precisamos estar perante o Senhor, e, como Samuel, exclamar: “Eis-me aqui!” Mas a todo aquele que endurece o coração, assim como os filhos de Eli, “abominável é ao Senhor todo arrogante de coração; é evidente que não ficará impune” (Pv.16:5). É uma questão de escolha, amados. Só há dois caminhos a seguir: o de Hofni e Finéias, que “não ouviram a voz de seu pai” (1Sm.2:25), ou o de Samuel, que em suas palavras revelou o tesouro de seu coração: “Fala, porque o Teu servo ouve”. A minha oração é que escolhamos estar onde Cristo colocou aquela criança e onde Deus colocou Samuel: no centro da Sua vontade! Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, servos do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Samuel3 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: