Reavivados por Sua Palavra


II Coríntios 4 by Jobson Santos
27 de junho de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/2-corintios/2co-capitulo-4/

Muito cedo na história da igreja cristã havia uma tendência para o conhecimento secreto. O apóstolo Paulo afirma que “rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus” (v. 2). De fato, os cristãos realizam a proclamação da mensagem do evangelho através do anúncio público da verdade (v. 2b).

Algumas pessoas não reconhecem a luz, mas isso não significa que a verdade não esteja sendo proclamada de maneira visível ou pública. “o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo” (v. 4).

Um dos aspectos surpreendentes da revelação de Deus é que ela confronta e desafia abertamente o pecado. Um dos principais temas dos Testemunhos para a Igreja, de Ellen G. White, é que, como seres humanos, nos tornamos cegos para o pecado. “Se vocês pudessem ver a si mesmos do ponto de vista do céu” (ver Testemunhos para a Igreja, vol. 3, p. 39, como um dos muitos exemplos). Em última análise, o teste da verdade não somos nós mesmos, mas é Jesus Cristo. Esta notícia precisa ser proclamada aberta e visivelmente ao mundo.

Michael W. Campbell
Professor Associado de Religião
Southwestern Adventist University
Keene, Texas USA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1328
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/04/03
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio: Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados27-06-2018.mp3
Comentários em vídeo

Ouça online [Voz Valesca Conty]:



II CORÍNTIOS 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
27 de junho de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



II CORÍNTIOS 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
27 de junho de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

II CORÍNTIOS 4 – Esse é um capítulo fantástico!

Nos versículos 1-6 Paulo aborda a magnificência do evangelho. Comentando estes versículos, Hernandes Dias Lopes destaca seis características desse evangelho que não é produto da invenção humana, mas da revelação divina: Tal evangelho…

1. …é concedido pela misericórdia divina, e não pelo mérito humano (v. 1);
2. …nos dá forças para enfrentar o sofrimento (v. 1);
3. …nos capacita a ser íntegros na pregação (v. 2);
• O cristão verdadeiro vive na luz;
• O cristão verdadeiro não usa truques para pregar a Palavra;
• O cristão verdadeiro não adultera a Palavra para ganhar os ouvintes;
• O cristão verdadeiro vive de forma transparente na presença de Deus e dos homens.
4. …nos adverte acerca de uma terrível oposição (vs. 3-4):
• O evangelho salva ou condena;
• O diabo interfere na mente dos ouvintes;
• O diabo ataca os incrédulos com a cegueira espiritual.
5. …nos mantém longe da presunção (v. 5);
6. …nos evidencia um poderoso milagre (v. 6).

Apesar das dificuldades e sofrimentos, das pressões e oposições, o discípulo de Cristo precisa proclamar o evangelho. O “trio Discípulos”, baseou-se nos versículos 7-11 para uma música magnífica, da qual destaco alguns trechos:

Se o Senhor mandar seguir
Seja feito até o fim
Jogo a rede ou vou pregar
Em terra firme ou alto mar

[…]

Eles pensaram que me fariam recuar
A glória é pesada e a tribulação é leve e já vai passar

[…]

Somos abatidos, mas não destruídos
Ainda há boa obra, eu sei
Seu amor é o primeiro e o último em tudo que farei
Somos perseguidos, mas não desamparados
Glorio-me na Sua cruz
Esperança irrompe do sangue de Jesus…

Merril F. Unger, comentando os versículos 12-18 descreve que o texto revela um segredo interior da natureza espiritual. Esse segredo abrange:

• A crucificação de si mesmo (v. 12);
• Uma fé intensa (v. 13);
• Uma radiante esperança (v. 14);
• Esquecimento de si mesmo (v. 15);
• Força espiritual (v. 16);
• Opinião correta (v. 17); e,
• Um sábio objetivo de vida (v. 18).

No versículo 15 temos a “declaração de missão pessoal de Paulo: (1) servir aos outros; (2) multiplicar a graça; (3) aumentar as ações de graça e (4) dar glória a Deus” (Bíblia de Estudo Andrews).

Aprendamos com Paulo! – Heber Toth Armí.



II CORÍNTIOS 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
27 de junho de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação” (v.17).

Prevenindo os cristãos acerca de falsos ensinamentos, Pedro escreveu o seguinte a respeito dos escritos de Paulo: “… como igualmente o nosso irmão Paulo vos escreveu… ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles” (2Pe 3:15 e 16). Mesmo possuindo uma linguagem mais difícil, tanto Pedro quanto o próprio Paulo levantaram a questão de que a dificuldade de compreensão não está nos escritos de Paulo, mas na cegueira espiritual dos “que se perdem” (v.3). Não se trata, portanto, de uma mensagem obscura, mas “a luz do evangelho da glória de Cristo” (v.4).

Paulo se colocava longe dos holofotes para pregar tão-somente “a Cristo Jesus como Senhor” e a ele mesmo como servo, “por amor de Jesus” (v.5). Este é o tema central de todas as suas epístolas. A morte, ressurreição e volta de Cristo são amplamente citadas, e, diante de um povo extremamente zeloso na lei, mas desprovido de misericórdia, a lei também tornou-se um assunto indispensável em suas cartas às igrejas. Percebendo, porém, que alguns acusavam seus escritos como encobertos ou impossíveis de se entender, simplesmente por recusarem-se a debruçar-se sobre eles com humildade e pelo apego aos pecados que suas palavras condenavam, o apóstolo apontou esta falta de entendimento como cegueira maligna (v.4).

Assim como no primeiro dia da criação do mundo, Deus fez resplandecer a luz (Gn 1:3), a primeira obra que Ele realiza na vida do cristão é resplandecer a Sua luz em nosso coração e iluminar a nossa vida do conhecimento de Sua glória, “na face de Cristo” (v.6). Ou seja, a conversão genuína produz iluminação para compreender as Sagradas Letras que revelam o caráter de Cristo. E isto, mediante um coração humilde e sempre agradecido, recebendo “este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós” (v.7). Em suma, Paulo sempre deixava bem claro que não eram as suas palavras ali escritas, mas palavras divinas em linguagem humana.

Enfrentando muitas tribulações e perseguições, levava “sempre no corpo o morrer de Jesus” (v.10), desconsiderando a própria vida por amor a Deus e aos seus semelhantes. Cada palavra que escrevia ou ditava, era um claro recado de Deus para o homem. Quando Pedro afirmou que muitos iriam deturpar os escritos de Paulo e as demais Escrituras, provavelmente se referiu à quebra do princípio bíblico de que o estudo da Bíblia deve ser “um pouco aqui, um pouco ali” (Is 28:10). Distorcer as palavras de Paulo à luz da sabedoria humana é querer brincar de Deus. Devemos estudar as cartas de Paulo à luz de toda a Escritura, comparando texto com texto, orando para que o Espírito Santo seja o nosso Instrutor bíblico. O estudo da Bíblia proporciona a paz e a felicidade que nada neste mundo pode superar. De modo que aumenta a nossa fé e nos impulsiona a falar: “Eu cri; por isso, é que falei” (v.13).

Aquele que um dia usufruíra do melhor da terra e tinha seu nome no hall dos maiores doutores da lei, deixou tudo para trás para sofrer tribulações e tristezas “por amor de Jesus” (v.5). Eu não sei o que você deixou ou o que ainda precisa deixar para seguir a Jesus. Não conheço seus problemas, nem o que lhe aflige, mas posso lhe garantir uma coisa: tudo isso é passageiro e produzirá “eterno peso de glória, acima de toda comparação” (v.17). Persevere em estudar a Palavra de Deus, em examiná-la como quem procura um tesouro, porque “este tesouro” (v.7) é encontrado por todo aquele que se dedica a procurá-lo. E, como o salmista, encontraremos conforto na tribulação: “O que me consola na minha angústia é isto: que a Tua Palavra me vivifica” (Sl 119:50).

Bom dia, vivificados pela Palavra de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #2Coríntios4 #RPSP



II CORÍNTIOS 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
27 de junho de 2018, 0:03
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: