Reavivados por Sua Palavra


ROMANOS 11 by jquimelli
2 de junho de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/romanos/rm-capitulo-11/

Paulo conclui neste capítulo seu apelo evangélico à nação judaica. Embora seja verdade que Israel perdera seu status como povo escolhido quando rejeitaram a Cristo, isto não significa que Deus tenha rejeitado os judeus individualmente. Os que creem são parte do povo da graça de Deus. Paulo lembra aos seus leitores que ele mesmo é um membro da tribo de Benjamin e que a graça de Deus o salvou. Nos dias de Paulo havia muitos judeus que haviam crido em Cristo e, portanto, estavam entre aqueles que haviam sido salvos pela graça e não pelas obras.

Seja um judeu ou gentio, todos carecem da misericórdia de Deus porque todos pecaram. As profundezas das riquezas e conhecimento de Deus são insuperáveis! Sua sabedoria, conhecimento e juízos são insondáveis. Vemos que Deus tem feito todo o possível para salvar a todos, seja judeu ou gentio, e é justo no Seu trato com aqueles que O rejeitam. Como seres humanos, não podemos compreender plenamente os caminhos de Deus, mas sabemos que Ele nos ama e que podemos confiar nEle.

Norman McNulty
Neurologista, Lawrenceburg, TN, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1303
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados02-06-2018.mp3
Páginas vídeo comentários: pr Ronaldo aqui ; Pr Adolfo Suarez: aqui

Ouça online:



ROMANOS 11 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
2 de junho de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



ROMANOS 11 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
2 de junho de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

ROMANOS 11 – A salvação está disponível tanto aos judeus quanto aos gentios. Ninguém está descartado do plano de Deus.

O simples fato de Deus ter usado alguém (ou um povo) como Seu instrumento não é garantia de salvação, tanto quanto não é verdade a premissa “uma vez salvo, salvo para sempre”. No passado, Deus usou Ciro (Isaías 44:26-28; 45:1-2) e Babilônia (veja o livro de Habacuque) para propósitos nobres e espirituais, mesmo sendo estes povos pagãos.

Deus usou Israel para muitos propósitos: Revelar Sua Lei, entregar Suas Sagradas Escrituras e anunciar o Messias (além de Jesus ter nascido da raça judaica). O fato dos judeus deturparem tais propósitos, principalmente por rejeitarem ao Messias, fez com que deixassem de ser etnicamente o povo eleito/escolhido, predito em Daniel 9.

“As setenta semanas, ou 490 anos, especialmente conferidas aos judeus, terminaram no ano 34. Naquele tempo, pelo ato do Sinédrio judaico, a nação selou sua recusa do evangelho, pelo martírio de Estêvão e perseguição aos seguidores de Cristo. Assim, a mensagem de salvação, não mais restrita ao povo escolhido, foi dada ao mundo” (Ellen G. White).

• Desde então o povo de Deus é a igreja composta de pessoas de todas as nações do mundo.

Inclusive, os judeus podem se salvar -se quiserem. Eles não estão desprovidos de oportunidade. Contudo, precisam aceitar a Cristo como qualquer pessoa de outra nação. Caso não aceitem, estarão perdidos como qualquer pagão que recusa abertamente a salvação.

Observe a síntese de Romanos 11, conforme Leon Morris:

As promessas de Deus se cumprirão (11:1-36):
• O remanescente de Israel (vs. 1-10);
• A restauração de Israel (vs. 11-24);
• A conversão de Israel (vs. 25-32);
• A misericórdia de Deus (vs. 33-36).

Percebeu a mensagem, a profecia e a graça divina? Note o que Ellen G. White comentou:

“Ao serem as Escrituras do Antigo Testamento combinadas com o Novo numa explanação do eterno propósito de Jeová, isso será para muitos judeus como o raiar de uma nova criação, a ressurreição da esperança. Ao verem o Cristo da dispensação do evangelho retratado nas páginas das Escrituras do Antigo Testamento, e perceberem quão claramente o Novo Testamento explica o Antigo, suas adormecidas faculdades despertarão e eles reconhecerão Cristo como o Salvador do mundo. Muitos receberão a Cristo pela fé como seu Redentor”.

Judeus e gentios: Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

Ouça online:



ROMANOS 11 – Comentado por Rosana Barros  by Ivan Barros
2 de junho de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Assim, pois, também agora, no tempo de hoje, sobrevive um remanescente segundo a eleição da graça” (v.5). 

Através do relato bíblico percebemos que, em todo o tempo, Deus sempre teve um povo para chamar de Seu. Ainda que fosse composto de apenas oito pessoas como o foi no dilúvio, ou de quatro fiéis hebreus em Babilônia, Seus representantes assinalam na história a prova de que não é a quantidade que define a vitória, mas o Deus que honra os que O honram. Diante desta verdade inquestionável, Paulo se dirigiu aos judeus afirmando que “Deus não rejeitou o Seu povo” (v.2). E referindo-se a um profeta em especial, Elias, lhes trouxe à memória uma situação vivida por ele.

De todos os profetas do Senhor, tenho um apreço especial por dois deles: Daniel e Elias. Daniel, por sua firme convicção e admirável fidelidade. Elias, por sua fé e coragem, e também por sua fraqueza. Opa! Sua fraqueza? Isso mesmo! Ao contrário do que você pode ter pensado, eu não me equivoquei. A vida de Elias, além de revelar o poder de Deus, também revela a fragilidade humana. E em dias em que nunca houve tantos transtornos emocionais, a experiência de Elias, enquanto atribulado numa caverna, nos mostra o quanto o nosso Deus deseja nos livrar destes males que têm atingido a maioria. Pois que “Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos” (Tg 5:17).

Mesmo após toda a manifestação do poder de Deus no monte Carmelo, o profeta teve medo das ameaças da ímpia Jezabel e sentiu-se só em sua peregrinação. Foi quando o Senhor foi ao seu encontro com a confortante mensagem: “Reservei para Mim sete mil homens, que não dobraram os joelhos diante de Baal” (v.4). Deus estendeu diante de Elias uma lista de sete mil pessoas com as quais valia à pena relacionar-se. Pessoas que tinham algo em comum: eram verdadeiros adoradores. Através desta experiência de Elias, Deus deixou em Sua Palavra o tratamento para a cura emocional e as características singulares que acompanham o Seu remanescente: o toque de quem realmente se importa, a alimentação adequada, a água, o repouso, o exercício físico, o jejum, o diálogo (psicoterapia), a confiança em Deus e os relacionamentos saudáveis (1Rs 19).

Israel foi eleita como uma nação separada para propósitos sagrados e como tal deveria ser uma escola modelo para as demais nações, que unânimes diriam: “Certamente, este grande povo é gente sábia e inteligente” (Dt 4:6). Mas a nação eleita falhou em cumprir o seu papel, de forma que a dureza de coração os consumiu e de geração em geração, a corrupção tomou o lugar da adoração. A incoerência dos israelitas mostrava a sua desarmonia com a mensagem que professavam crer, de forma que suas vidas tornaram-se o pior sermão que se pode pregar. Mas a igreja primitiva tornou-se uma prova de que tanto os ramos antigos quanto os que foram enxertados, se, mediante a fé, permanecerem firmes na raiz, Deus é poderoso para sustentá-los.

O fato é que, “também agora, no tempo de hoje, sobrevive um remanescente segundo a eleição da graça” (v.5). Um povo que possui características que incorporam uma mensagem contemporânea de princípios que sempre existiram, mas que não deve, de maneira alguma, se ensoberbecer de sua posição (v.20), e sim usá-la com temor para a glória de Deus e benefício de seus semelhantes. E mesmo para aqueles que, por algum motivo, se desviaram deste caminho, “Deus é poderoso para os enxertar de novo” (v.23). A maravilhosa verdade de que o Senhor usa “de misericórdia para com todos” (v.32) deve mover o Seu remanescente a espalhar as boas-novas de salvação como folhas de Outono. Nossa missão não é a de aparentar superioridade, e sim a de revelar ao mundo a glória de um Deus que Se importa com o nosso bem-estar e felicidade, aqui e no porvir.

Ainda que você sinta as suas forças se esvaindo. Ainda que, à semelhança de Elias, não veja mais razão de viver. Mesmo que tudo ao seu redor seja vento, terremoto e fogo, acredite que virá “um cicio tranquilo e suave” (1Rs 19:12) e dali a voz dAquele que te diz: “Você não está sozinho!” Persevere em permanecer firme à Raiz de Davi, à Videira verdadeira! “Porque dEle, e por meio dEle, e para Ele são todas as coisas. A Ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (v.36).

Feliz sábado, remanescente segundo a eleição da graça!

Motivo especial de oração: Por favor, amados, oremos pelo bebê Elias Isaac e sua família. Ele é filho de uma irmã querida e está precisando muito de nossas orações.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Romanos11 #RPSP



ROMANOS 11 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by jquimelli
2 de junho de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria



ROMANOS 11 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
2 de junho de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

742 palavras

1 Porque eu também. Paulo mostra que nem todos os judeus foram rejeitados. Ele mesmo era israelita e foi aceito por Deus. Ele sabia por experiência que as bênçãos prometidas lhe pertenciam. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 664.

Tribo de Benjamim. Por esta referência, Paulo afirma que era do próprio núcleo da nação judaica. As tribos de Judá e Benjamin estiveram unidas por ocasião da revolta das dez tribos do Norte (1Rs 12:21) e mantiveram a continuidade teocrática da nação judaica depois do exílio em Babilônia. Assim, um descendente da tribo de Benjamin era, de fato, “hebreu de hebreus”. CBASD, vol. 6, p. 664.

5 Eleição da graça. Deus escolhe, para constituir o remanescente, aqueles que aceitam a graça. Eles não obtêm esse direito por causa das obras, mas porque aceitaram livremente a graça. CBASD, vol. 6, p. 665.

7 A eleição. Ou, os eleitos. Pode ser comparado com a expressão “a circuncisão”, ou seja, os que foram circuncidados. Paulo enfatiza que os salvos devem sua condição inteiramente à graça e à eleição divinas. CBASD, vol. 6, p. 665.

10 Escureçam-se-lhes os olhos. O escurecimento dos olhos é usado como figura da cegueira espiritual. Assim, embora possuíssem claras revelações da vontade de Deus, os judeus permaneceram ignorantes acerca do significado e propósito das mesmas. CBASD, vol. 6, p. 666.

12 Riqueza para o mundo. Os judeus foram chamados para ser missionários de Deus ao mundo, mas falharam na tarefa. O mundo gentio ouviu falar das “insondáveis riquezas”, e muitos aceitaram a Cristo. CBASD, vol. 6, p. 667.

15 Reconciliação ao mundo. Paulo considerava seu ministério como uma obra de reconciliação. Após a rejeição da nação de Israel, o evangelho de Cristo se espalhou a todas as nações do mundo. CBASD, vol. 6, p. 668.

16 a parte da massa. Parte da massa feita com os primeiros grãos da colheita (os primeiros frutos) era oferecida ao Senhor. Assim, ficava consagrada a massa inteira. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Raiz. Paulo usa uma segunda metáfora para expressar a mesma ideia. Se a raiz é santa, a árvore inteira também é santa. CBASD, vol. 6, p. 669.

20 Não te ensoberbeças.Ou, “pare de pensar em coisas elevadas”, no sentido de ficar convencido. O cristão gentio não possuía mais méritos do que o judeu. Portanto, não tinha motivos pra ser vaidoso. CBASD, vol. 6, p. 670.

Quando desprezamos os outros, deixamos claro que não estamos mais vivendo pela fé. Bíblia de Estudo Andrews.

23 Eles também. Deus não só tem a vontade, mas também o poder de restaurar os que foram cortados da oliveira. CBASD, vol. 6, p. 671.

24 de maneira antinatural, foi enxertado. O procedimento normal era enxertar um broto de uma árvore cultivada numa árvore silvestre ou comum. No versículos 17-24, no entanto, usa-se a metáfora do enxerto de um ramo de oliveira brava (os gentios) na oliveira cultivada. Esse procedimento é antinatural… , e a lição é exatamente essa. Em geral, tal enxerto não valeria a pena. Bíblia de Estudo NVI Vida.

25 mistério. As chamadas religiões de mistério dos dias de Paulo empregavam a palavra grega misteryon no sentido de algo revelado apenas aos iniciados… Paulo usava o termo a algo anteriormente oculto ou obscuro, mas agora revelado por Deus para conhecimento e entendimento de todos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Plenitude. “A plenitude dos gentios” pode ser entendida como referência aos gentios que aceitam as disposições da salvação. CBASD, vol. 6, p. 672.

29 Irrevogáveis. Deus não mudou de ideia em relação a Israel, mas um remanescente dele será salvo. Deus não Se arrepende de ter chamado a descendência de Abraão e lhe ter dado dons. As pessoas podem falhar, e Deus pode mudar de método, mas nunca abandona Seu propósito. CBASD, vol. 6, p. 673.

33 Profundidade. O salmista declara que “os Teus juízos [são] como um abismo profundo” (Sl 36:6). Paulo alcança o clímax de seu raciocínio. Tudo começou com a condenação de todos os pecadores e termina com misericórdia a todos. CBASD, vol. 6, p. 674.

35 quem primeiro deu a Ele para que seja restituído?. A ideia é que Deus não deve nada a ninguém. Bíblia de Estudo Andrews.

36 Porque dEle. Este versículo dá a razão pela qual não se pode fazer de Deus um devedor. Pois todas a coisas foram criadas por Ele. Tudo o que vive deve a contínua existência e atividade Àquele que “opera tudo em todos”. E todas as coisas são dirigidas para a elaboração de Seus propósitos e a glória de Seu nome. CBASD, vol. 6, p. 675.

A Ele, pois seja a glória. Com essa breve, mas sublime doxologia, Paulo chega ao fim de mais uma seção doutrinaria e argumentativa de sua epístola. CBASD, vol. 6, p. 675.

Compilação: Tatiana W




%d blogueiros gostam disto: