Reavivados por Sua Palavra


MARCOS 9 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
3 de março de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

MARCOS 9 – Ser discípulo do Messias é a essência do cristianismo bíblico. Observe:

1. A transfiguração de Jesus foi um antegozo do reino de Deus vindo com poder. Sua aparência completamente transformada permitiu que os três discípulos tivessem o privilégio de um lampejo de Sua glória (vs. 1-8). O discipulado cristão é uma experiência na presença da glória divina que resulta em transformação humana.

2. O exorcismo eficiente diante de um exorcismo impotente dos discípulos de Cristo ensina-nos preciosas lições, porém, parece que a lição principal é que a paciência de Jesus com a lentidão espiritual dos Seus servos tem limites; é preciso tempo com Deus antes de obter vitória sobre o mundo espiritual da maldade, e isso é um assunto importante e urgente (vs. 14-29).

3. Muitas coisas que os discípulos veem o Messias fazendo e falando geram questionamentos, indagações e até discussões devido a incompreensões (vs. 9-13, 30-34). Contudo, Jesus trabalha a mente e o comportamento de Seus discípulos:

a) Pensando que o reino de Deus envolvia poder e status, os discípulos precisam aprender que a humildade e submissão a Deus e a Cristo conduzem ao caminho para o reino celestial (vs. 33-37).

b) Pensando em exclusividade e orgulho por seguirem a Jesus os discípulos precisavam aprender tolerância e amor para com aqueles que fazem a obra de Cristo mas pertence a um grupo diferente (vs. 38-41).

c) Pensando que não importa aos outros as próprias atitudes, os discípulos de Jesus devem conhecer as consequências por fazer tropeçar em vez de encorajar as pessoas a seguirem a Cristo. É melhor ser bênção que pedra de tropeço (vs. 42-48).

d) Os discípulos de Cristo devem pensar em ser sal na sociedade. Ter sal em si mesmo é um apelo a viver conforme o ideal de Cristo; isso significa ser um exemplo vivo aos moribundos do pecado (vs. 49-50).

O capítulo apresenta discussões entre os discípulos, mas Jesus encerra mostrando que discussões e rivalidades ameaçam o caráter do cristianismo. Viver em paz e harmonia entre si é como o sal para temperar a sociedade insípida.

Desavenças, divisões, mania de grandeza e ambições roubam a credibilidade do evangelho na sociedade. Entretanto, um grupo de crentes unidos é um poderoso testemunho em favor de Cristo. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: