Reavivados por Sua Palavra


MATEUS 8 by jquimelli
2 de fevereiro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Leia primeiro, em espírito de oração, o texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/mateus/mt-capitulo-8/

Comentário Devocional

Quando Jesus terminou o Sermão da Montanha, “as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade” (Mat. 7:28-29 NVI). Ao colocar o Sermão do Monte nesta parte específica do Evangelho, Mateus apresenta a autoridade de Jesus, em primeiro lugar, na pregação. Neste capítulo e no próximo, Mateus apresenta a autoridade de Jesus em ação.

A coleção de milagres relatados por Mateus demonstra inequivocamente a autoridade de Jesus. Em primeiro lugar, Jesus tem autoridade sobre as doenças. Mateus demonstra isto apresentando histórias de cura do leproso, do servo do centurião e da sogra de Pedro (versículos 1-17). Em segundo lugar, Jesus é apresentado como aquele que tem autoridade sobre a natureza, quando Ele acalma a tempestade (versos 23-27). Em terceiro lugar, Jesus tem autoridade sobre os poderes demoníacos (versos 28-34).

Hoje podemos enfrentar doenças, mas lembremo-nos de que Jesus tem autoridade sobre elas. Nossos campos podem estar sob perigo de seca, mas lembremo-nos de que Jesus tem autoridade sobre a natureza. Finalmente, podemos ser atormentado por demônios, mas lembremo-nos que mesmo os demônios sabem quão poderoso é o nosso Senhor Jesus.

Oleg Kostyuk
Hope Channel Program Host

 

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/mat/8  ou https://www.revivalandreformation.org/?id=1183

Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/11/09

Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli

Comentário em áudio Pr Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/Reavivados/Reavivados02-02-2018.mp3

Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/

 



MATEUS 8 – PR COMENTÁRIO ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
2 de fevereiro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria


MATEUS 8 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMI by Maria Eduarda
2 de fevereiro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

MATEUS 8 – Leia e medite atentamente com oração e discernimento nos 34 versículos de Mateus 8.

É necessário ter motivação correta ao seguir a Jesus; do contrário, Ele prefere que não O siga. Qualquer seguidor teórico ou interesseiro é descartado. Qual a motivação correta? Que tipo de seguidor de Cristo você é?

Reflita! Jesus…

• …realizou muitas curas (um leproso, um criado, a sogra de Pedro e muitos endemoninhados foram restaurados); isso atraiu multidões. Note que Jesus não começou curando para atrair discípulos, mas ensinando (veja Mateus 5 a 8).

• …cumpriu ao pé da letra à Palavra de Deus revelando a relevância do Antigo Testamento sem nada ignorar do que havia sido escrito (v. 17; Isaías 53). O verdadeiro discípulo não ignora e nem despreza as Escrituras que Jesus valorizou.

• …percebeu discípulos interessados em segui-lO por causa de curas e milagres, por isso foi direto ao ponto quando falou a esse tipo de seguidores: “‘Está mesmo disposto a isso? Saiba que não costumamos a ficar nas melhores hospedagens’. Outro seguidor pediu: ‘Mestre, preciso que o Senhor me libere por alguns dias. Tenho de cuidar do funeral de meu pai’. Jesus recusou: ‘Prioridades em primeiro lugar! Seu compromisso deve ser com a vida, não com a morte! Siga-me! Busque a vida!’” (vs. 20-20).

• …dormiu num barco quando sobreveio uma terrível tempestade, quando O despertaram, acalmou a tempestade com uma declaração; os que O seguiam perguntaram quem era aquele homem. Só quem segue a Jesus desinteressadamente por amor experimentará milagres (vs. 23-27).

• …veio libertar pessoas, não do jugo romano, mas do jugo do pecado, da opressão dos demônios e das correntes do mal; mas muitos ficam indignados com Ele por isso, mas outros O buscam exatamente por isso (vs. 28-34).

Imagino que este Jesus seria rejeitado por muitos cristãos modernos. Há muitos que pregam para entreter, outros para iludir; muitos gostam do Jesus que satisfaz ambições por bens materiais, faz curas e milagres aqui e agora, mas não querem o Jesus que salva, perdoa e liberta do pecado.

Contudo, há também aqueles que amam a Jesus, assumem compromisso com Ele independente das consequências. Se você pertence a este perfil de discípulo, tua vida será diferente daqueles que são indiferentes a Cristo!

Vamos reavivar o verdadeiro discipulado bíblico? – Heber Toth Armí.



MATEUS 8, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de fevereiro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no reino dos céus” (v.11).


Considerada como um castigo de Deus, a lepra era uma das piores, se não a pior doença que existia. Desprezados e condenados à reclusão, os leprosos eram obrigados a ficar longe do convívio social e a anunciar à distância a sua triste sorte, gritando: “Imundo! Imundo!”.

Imagino o desespero das pessoas que cercavam Jesus quando aquele leproso fez o inesperado: aproximou-se. Provavelmente, ele estava esperando que Jesus descesse do monte e que as multidões se dispersassem para ter a chance de encontrá-Lo, mas “as multidões O seguiram” (v.1). Ele não poderia perder a sua única oportunidade de cura e num ato de fé e coragem, se aproxima e adora Aquele que reconhece como o seu Salvador. Jesus, então, faz o que por muito tempo aquele homem não sentia. “Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe” (v.3). E o toque da Onipotência aliado à fé da sofredora alma tornou puro o que era imundo.

Igualmente desprezados pelos judeus, os oficiais romanos não passavam de inimigos. Os centuriões eram encarregados de cuidar de cem soldados. E após o relato do leproso, o registro da fé do centurião romano é usado por Cristo como uma ilustração acerca da salvação para todos os povos. Enquanto Israel desprezava o seu Resgatador, aquele estrangeiro reconheceu o poder que há no Verbo da Vida (v.8). Uma só palavra, uma única ordem de cura, e, “naquela mesma hora, o servo foi curado” (v.13).

Chegando à casa de Pedro, Jesus se depara com outra enfermidade. Desta vez, era a sogra de Pedro que estava “acamada e ardendo em febre” (v.14). “Mas Jesus tomou-a pela mão, e a febre a deixou” (v.15). A sequência de curas relatadas neste capítulo não foi ao acaso. Um leproso, um estrangeiro e uma mulher. Os grupos de pessoas mais rejeitados por Israel. Jesus toca no leproso, exalta a fé de um estrangeiro e Se compadece de uma mulher tomando-a pela mão. Eis o Deus da Bíblia! Eis Aquele que mostrou a verdadeira face do Pai (Jo 14:9-10) e que cumpriu fielmente a profecia: “Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças” (v.17).

Seguir a Jesus quando tudo se revela em bênçãos é fácil, difícil é continuar O seguindo quando surgem as dificuldades e as tempestades da vida. São nesses momentos que nos é dada a oportunidade de clamar: “Senhor, salva-nos! Perecemos!” (v.25). O fato de Jesus estar dormindo em um momento de tanta turbulência para os discípulos não mudava o fato de que Ele estava no barco. Há uma frase de um filme, que aprecio muito, que diz: “Quando o aluno está fazendo prova, o professor fica em silêncio”. As provas não surgem para nos destruir, mas são permitidas a fim de nos fortalecer. E quando clamamos com fé, Jesus repreende os ventos e o mar da vida, e faz-se “grande bonança” (v.26).

De um mar em fúria, Jesus e Seus discípulos se deparam com endemoninhados furiosos (v.28). Ele poderia tê-los ignorado, afinal não tinha quem apelasse por eles. Mas Aquele que lê corações assistiu a angústia de alma daquelas vítimas do inimigo. Reconhecendo que diante deles estava o Filho de Deus, os demônios rogam para que Jesus os enviasse a uma manada de porcos. Assim foi feito e a manada precipitou-se “despenhadeiro abaixo” (v.32), e morreu. A notícia alarmou toda a cidade que, indo ao encontro de Jesus, não se maravilhou ao ver os que antes eram furiosos algozes em homens serenos, mas rogou para que Jesus fosse embora dali.

Encontramos exemplos de pessoas que foram ao encontro de Jesus e de Jesus indo ao encontro de pessoas. No toque, na palavra, Ele oferecia muito mais do que a cura, mas um amor que promovia a verdadeira alegria. Infelizmente, muitos têm ido ao encontro de Jesus simplesmente para dizer que Ele vá embora. Enxergam suas frustrações e dificuldades como sendo Sua culpa, perdendo o sublime privilégio de Sua companhia. Jesus, “meramente com a palavra” (v.16), deseja realizar em nossa vida a perfeita cura do coração.

Vá ao Seu encontro, agora, assim como você está e, certamente, você não sairá do mesmo modo.

Bom dia, curados por Cristo Jesus!

Peça a Deus com fé: “Senhor, se quiseres podes purificar-me” (v.2).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Mateus8
#RPSP



Mateus 8 – Comentários selecionados by jquimelli
2 de fevereiro de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

1 descendo. Encerrou-se um dos cinco grandes grupos de ensinamentos que Mateus ajuntou, nos cap 5-7; os outros encontram-se nos cap. 10, 13, 18 e 24-25. Bíblia Shedd.

2,3 leproso. Ninguém poderia por em perigo a sua pureza ritual ou física entrando em contato com eles, muito menos tocá-los. Mas Jesus não apenas o curou. Jesus o tocouAndrews Study Bible.

4 não o digas a ninguém. Talvez por várias razões: 1) Jesus não queria ser considerado somente operador de milagres, 2) não queria que seu ministério de ensino fosse prejudicado pela publicidade exagerada de seus milagres de cura e 3) não queria que sua morte fosse precipitada, i. e., ocorresse antes de Ele ter terminado o Seu ministério. V. 9.30. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Moisés ordenou. As leis sobre a lepra (V. cap 13 e 14) eram pormenorizadas, e o conceito da quarentena teve seu início naquela época. A palavra traduzida por “lepra” (heb çãra’ath) é uma definição genérica de várias desordens na pele, havendo rara coincidência com o tipo mais comumente conhecido. Para os hebreus, simbolizava o pecado, por ser nojento, contagioso e incurável. Jesus, ao curá-la, revela parte da natureza do Seu ministério. Bíblia Shedd.

5 um centurião. Oficial do império Romano, comandante de uma centúria ou destacamento de 100 soldados. Bíblia Shedd.

11 tomarão lugares à mesa com Abraão. Era assombroso e escandaloso Jesus retratar gentios impuros comendo com os santos patriarcas. … Comer junto demonstrava companheirismo, amizade e solidariedade. Andrews Study Bible.

tomarão lugares. Do gr. anaklino, “reclinar”. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 379.

14, 15 Esta passagem dos evangelhos indica que Pedro era casado e que possuía casa, como se vê em Mc 1.29. Paulo menciona que Pedro levava a esposa nas viagens missionárias. Bíblia Shedd.

17 para que se cumprisse. Mateus mostra a Jesus Cristo como o Rei prometido pelas profecias do AT. Por isso há tantos textos que vinculam Jesus com as profecias (93 citações). Bíblia Shedd.

18 muita gente. Multidões seguiam Jesus por onde quer que fosse (ver Mt 4:25; Mc 3:7; 4:1) e, como resultado disso, Ele frequentemente tinha pouco ou nenhum tempo para comer (ver Mc 3:20; DTN 333). Enquanto atravessava o mar, vencido pela fraqueza e fome, logo adormeceu (DTN, 334). Ministrar às necessidades físicas e espirituais do povo exigia, mesmo dEle, o desgaste de forças que deviam ser restauradas com descanso e alimento. Foi por essa razão que o Salvador buscou algumas horas de descanso de Seu trabalho incessante. CBASD, vol. 5, p. 380.

19-22 O chamado de Jesus, “segue-Me” tem precedência sobre todas as obrigações e responsabilidades. Andrews Study Bible.

19 um escriba. Como um homem culto, instruído e de elevada posição social, sem dúvida, seria mais difícil para um escriba se acostumar às privações da vida de um discípulo do que para um pescador, por exemplo. … Alguém acostumado ao conforto de um lar, como provavelmente era o caso desse escriba, talvez achasse a vida itinerante difícil e desagradável. Testemunhas do evangelho devem estar sempre dispostas a enfrentar dificuldades como bons soldados de Jesus Cristo (ver 2Tm 2:3).  CBASD, vol. 5, p. 381.

22 sepultar meu pai. Com toda probabilidade, o pai ainda gozava de boa saúde e o tempo de sua morte estava num futuro indeterminado. … Se o pai já estivesse morto, é pouco provável que Cristo tivesse ordenado que ele negligenciasse o que, nos países orientais, até hoje se considera um dos deveres mais sagrados de um filho dedicado. … Era como se dissesse a Cristo: “Eu gostaria de Te seguir, mas não posso fazer isso enquanto meu pai viver.” Em resposta, Cristo disse: “Reconheço teu dever para com teus pais, contudo, teu dever para com o reino dos Céus tem prioridade.” CBASD, vol. 5, p. 382.

deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Que os espiritualmente mortos sepultem os fisicamente mortos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

23-27 Jesus ia atravessando o lago da Galiléia, saindo de Cafarnaum e indo para Gadara, uma travessia de 10 km. Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: