Reavivados por Sua Palavra


SALMO 75 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS  by Ivan Barros
14 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Deus é o Juiz; a um abate, a outro exalta” (v. 7).

Quando estava na faculdade, fui convocada algumas vezes para participar do júri popular. Não é fácil estar na posição de jurado, principalmente por se tratar de crimes contra a vida. Julgar pessoas que não conhecemos, fatos que não vimos e definir entre absolvido ou condenado, é, de fato, um dos deveres cívicos mais desafiadores que existe. Até pelo fato de ser um corpo de jurados, com pontos de vista diferentes, o que pode causar sensação de dever cumprido em uns e de injustiça em outros. Mas o julgamento descrito no Salmo de hoje, apesar de envolver a vida, não comporta jurados, mas um único Juiz. E, contrariando a justiça dos homens, o Seu julgamento é reto (v. 2) e a Sua justiça é plena de misericórdia.

Percebam que o verso 2 diz que Deus há “de aproveitar o tempo determinado” para julgar. E até que profira a sentença, Ele chama os soberbos e ímpios ao arrependimento (v. 4). O Pai, o justo Juiz já sabe qual o dia e a hora (Vide Mateus 24:36) em que há “de julgar retamente” (v. 2), e, até lá, concede a cada ser humano a oportunidade de arrepender-se e converter-se. Podemos olhar em todas as direções, procurando por pessoas ou coisas que nos ajudem, porém, o verdadeiro auxílio do qual necessitamos é Deus. Só nEle podemos encontrar a verdadeira justiça, que abate os ímpios e exalta os justos (v. 10).

Quem aceita a Cristo como seu SENHOR e Salvador, não precisa temê-Lo como Juiz. Ele sonda os corações e sabe bem quem na realidade somos. Quando os escribas e fariseus armaram aquele tribunal a céu aberto onde Cristo seria o juiz, a mulher adúltera a ré e eles e a multidão os algozes, Jesus simplesmente Se abaixou e, com o mesmo dedo que escreveu em pedra (Vide Êxodo 31:18): “Não adulterarás” (Êxodo 20:14), começou a escrever na terra. O Juiz justo, então, Se levanta e dá a Sua primeira sentença: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra” (João 8:7). Um por um foi se retirando, “acusados pela própria consciência” (João 8:9), isto é: “Digo… aos ímpios: não levanteis vossa força” (v. 4). Jesus havia Se abaixado novamente, e, novamente Se ergue para dar a segunda sentença: “Nem Eu tampouco te condeno; vai e não peques mais” (João 8:11).

Sabem, amados, Deus tem trabalhado de maneira urgente com a humanidade através do Espírito Santo. “Porque na mão do SENHOR há um cálice” (v. 8) que está prestes a ser derramado (Vide Apocalipse 14:10). E enquanto isso, Ele nos convida a declararmos as Suas maravilhas (v. 1), e não a julgarmos o que não nos compete julgar. A não ser que você esteja cumprindo um dever cívico como jurado, “quem és tu que julgas o servo alheio?” “Tu, porém, por que julgas teu irmão?” (Romanos 14:4, 10).

Que confiemos na reta justiça do SENHOR e que possamos escolher o que o salmista escolheu fazer: “Quanto a mim, exultarei para sempre; salmodiarei louvores ao Deus de Jacó” (v. 9).

Feliz sábado, justos de Deus!

Desafio do dia: Faça o bem. Envolva-se em projetos sociais. Em atender as necessidades do próximo, você não terá tempo de julgá-lo.

*Leiam #Salmo75

Rosana Garcia Barros 

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: