Reavivados por Sua Palavra


2Reis 4 – Comentário Rosana Barros by Jeferson Quimelli
23 de maio de 2016, 0:40
Filed under: Sem categoria

#rpRp #2Reis4

“Partiu, pois, dele e fechou a porta sobre si e sobre seus filhos; estes lhe chegavam as vasilhas, e ela as enchia” (v. 5).

As duas primeiras histórias do capítulo de hoje retratam duas diferentes realidades: a primeira de uma viúva pobre com dois filhos e a segunda de uma mulher rica que não tinha filhos. Duas situações: pobreza e riqueza. Dois dilemas: o risco de perder dois filhos e o sonho da maternidade tornando-se em pesadelo de morte.
A pergunta feita por Eliseu à viúva não veio da boca do profeta, mas da boca de Deus: “Que te hei de fazer?” (v. 2).
Ao lerem o Novo Testamento, já perceberam que, em alguns relatos de cura, Jesus faz a mesma pergunta aos enfermos? Por exemplo: Jesus perguntou a dois cegos o que eles queriam que lhes fizesse (Mateus 20:32). Ora, mas não era óbvio que os homens desejavam enxergar novamente? Para que a pergunta? Porque a pergunta requer de nós uma resposta, e a nossa resposta pode ser a afirmação da nossa fé, confiança e dependência total do SENHOR ou de nossa rejeição à provisão divina. O que a viúva chamou de NADA (v. 2), Deus transformou em TUDO o que ela e a sua casa precisavam. Porque o que denominamos NADA, com Deus, passa a ser TUDO!
A ordem foi que ela pegasse emprestado vasilhas com seus vizinhos, com quantos pudesse conseguir. As bênçãos que Deus concede a um lar devem ser bênçãos compartilhadas. As vasilhas dos vizinhos podem representar todos aqueles que o SENHOR coloca em nosso caminho para que sejamos seus abençoadores. Temos em nossas mãos o privilégio e a responsabilidade de enchermos outros lares com o “azeite” do amor de Deus. Mas, para que isto aconteça, antes, precisamos “fechar a porta” sobre nós e nossos filhos e, juntos, enchermos as vasilhas até que transbordem. Não podemos encher a “vasilha” de ninguém se, antes, não estivermos com a nossa cheia. Não dá para apresentarmos Jesus a outras pessoas, se nem mesmo O conhecemos. Atrás da porta de nossa casa deve haver uma família unida em um só propósito: receber do SENHOR o “azeite” do Espírito Santo para que sejamos Seus cooperadores na busca por outras famílias. Quando compreendermos que o compartilhar é muito melhor do que o receber, nós e nossa família viveremos “do resto” (v. 7) felizes e satisfeitos com a provisão do SENHOR. Porque o resto de Deus não é do pior que sobrou, mas do melhor que fartou.
A mulher rica entendeu isto, e decidiu compartilhar de seus bens materiais com o “santo homem de Deus” (v. 9).
E foi por dar sem esperar NADA em troca, que o SENHOR lhe concedeu TUDO que ela sempre sonhou: um filho.
Só que o sonho durou pouco e o filhinho tão esperado e tão amado, morreu. O que mostra que os nossos sonhos neste mundo podem ser frustrados, mas com Deus, ainda que estejamos sofrendo em amargura (v. 27), ainda que o céu pareça ter desabado sobre nós, podemos responder como aquela mulher enlutada: “Tudo bem” (v. 26). A serenidade daquela mulher é espantosa. Primeiro ela diz a seu marido que vai ter com Eliseu e nem o informa da morte do filho. Se prepara como se fosse a passeio. Depois, ao Eliseu mandar Geasi a seu encontro, ela diz que está tudo bem. Como assim tudo bem? Seu único filho havia morrido!
O homem de Deus entrou naquele quarto e “fechou a porta sobre eles ambos e orou ao SENHOR” (v. 33). O quarto que a mulher havia preparado para o profeta virou palco de um grande milagre. Meus amados, quando surgem problemas que ultrapassam as nossas possibilidades, Deus entra em cena para nos mostrar que nEle não existem impossibilidades. Eu não conheço o teu problema, mas o SENHOR conhece e Ele te pergunta hoje: “Que queres que Eu te faça?” É um filho que está nas drogas? Quando você pensar que a porta se fechou, Deus, no tempo certo, fará um milagre e lhe dirá: “Toma o teu filho” (v. 36).
É a dificuldade financeira? Confia no Deus Provedor, “porque assim diz o SENHOR: Comerão, e sobejará” (v. 43).
É algo que você julga não ter solução? Uma verdadeira “morte na panela” (v. 40)? Ele transforma o luto em júbilo (v. 37) e onde havia mal, em banquete e alegria (v. 41). Como a mulher rica apegou-se a Eliseu, diga hoje ao SENHOR:
—”Não Te deixarei” (v. 30). Ainda que debaixo de ameaças (v. 1-7); ainda que não tenha o que sempre sonhei (v. 14); ainda que em luto (v. 26); ainda que não veja saída para o meu problema (v. 40); ainda que pareça que tenho pouco (v. 43), ou mesmo nada (v. 2); NÃO TE DEIXAREI, MEU DEUS! Porque só o SENHOR toma do pouco ou do nada, e transforma em um TUDO abundante (v. 44)!

Bom dia, filhos do Deus da perfeita provisão!

*Leiam #2Reis 4

Rosana Garcia Barros


2 Comentários so far
Deixe um comentário

AMEM DEUS É O MEU TUDO

Comentário por ANTONIO CARLOS JOSE SOARES

uauuuu que irmã usada!!!! comentário maravilhoso, me arrupiei todim!

Comentário por Juliano Ferreira




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: