Reavivados por Sua Palavra


I Reis 10 by jquimelli
7 de maio de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O reinado de Salomão bem poderia ter sido chamado “a idade de ouro do povo de Israel”. Sua fama, sabedoria e riquezas se espalharam por todo o Oriente Médio. Alguém que realmente se impressionou com o que ouviu foi a Rainha de Sabá, também chamada de Rainha do Sul.

Houve uma troca de presentes entre Salomão e a Rainha de Sabá. No entanto, Salomão não cometeu o erro que Ezequias faria anos depois, mostrando todas as suas riquezas e se esquecendo de dar glória ao Senhor. A rainha de Sabá ficou tão impressionada com o Deus de Israel e o que Ele havia feito por Salomão, que se acredita que esta visita tenha sido fundamental para que entregasse sua vida ao Deus de Israel (cf. Mt. 12:42).

Infelizmente, muitas pessoas acumulam riquezas e nunca dão crédito ao Doador. A rainha de Sabá recebeu as bênçãos que vêm quando reconhecemos que Ele é o grande provedor. Por dar créditos a Deus, Salomão tornou-se um testemunho a todas as nações da terra!

Há muitos membros da igreja em torno do mundo que reconhecem que Deus é Quem lhes forneceu tudo o que eles têm e eles, por sua vez, dão tudo o que podem para o avanço de Sua causa. Ouvi um deles dizer: “Quanto mais eu dou, mais Deus me dá de volta!” Deus concede sabedoria, conhecimento e riqueza, e por sua vez o seu povo glorifica Seu nome e ajuda ainda mais a Sua obra!

Leo Ranzolin
Vice-presidente aposentado da Associação Geral

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/1ki/10 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/1ki/10 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/1ki/10/
Texto traduzido anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/02/10/
Tradução: Jeferson Quimelli /Gisele Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico: I Reis 10
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/23 e https://credeemseusprofetas.org/



I Reis 10 – Comentários selecionados by jquimelli
7 de maio de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

Este capítulo continua o tema da sabedoria e riqueza de Salomão que trouxe a ele fama internacional. Esta foi a era de ouro de Israel e profetas bíblicos posteriores olharam para trás com prazer e orgulho a respeito deste período da história da nação. Andrews Study Bible.

a rainha de Sabá. Pesquisas arqueológicas no sul da Arábia tendem a identificar a rainha com esse território e sua capital com Marib, no Iêmen. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 856.

10 deu ela. O que a rainha de Sabá deu a Salomão em termos de bens materiais foi pouco se comparado ao que recebeu em termos espirituais. CBASD, vol. 2, p. 857.

cento e vinte talentos de ouro (ARA; NVI: “…quatro mil e duzentos quilos de ouro”.)

14 seiscentos e sessenta e seis talentos de ouro (ARA; NVI: “…vinte e três mil e trezentos quilos.”)

paveses (ARA; NVI: “escudos grandes”). Escudos retangulares que ofereciam proteção máxima (em contraposição aos escudos redondos, menores). Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 um grande trono de marfim. Salomão usou um grande influxo de tributos para sustentar um estilo de vida extravagante (vs. 18021, 23-25). Seu trono era feito, provavelmente, de madeira adornada com marfim e ouro. … O desejo de Salomão por móveis e edifícios da melhor qualidade consistia num fardo para os seus súditos (12.4). Bíblia de Genebra.

14-23 Jesus mais tarde se referiu a “Salomão em todo o seu esplendor” (Mt 6:29). Life Application Study Bible Kingsway.

23 excedeu… em riqueza e sabedoria. Por que a bíblia coloca tanta ênfase nas posses materiais de Salomão? No Velho Testamento as riquezas são consideradas evidências tangíveis de bênçãos de Deus. A prosperidade era vista como uma prova de vida correta. No livro de Eclesiastes e Jó este conceito é colocado em uma perspectiva mais ampla. Em condições ideais, as pessoas prosperam  quando Deus faz parte de suas vidas, mas prosperidade não é algo garantido. A riqueza não prova que uma pessoa está vivendo corretamente diante de Deus e pobreza não indica pecado. De fato, uma evidência maior que uma pessoa está vivendo para Deus é a presença de sofrimento e perseguição (Mc 10:29-31; 13:13). O mais importante “tesouro” não é o deste mundo, mas do celestial (Mt 6:19-21; 19:21; 1Tm 6:17-19). A dádiva de maior valor não tem preço – é a dádiva da salvação gratuitamente oferecida por Deus. Life Application Study Bible Kingsway.

24 sabedoria que Deus lhe pusera no coração. A mais elevada sabedoria do mundo é a de Deus, que é o fundamento de toda sabedoria; é o segredo para encontrar as maiores bênçãos e os maiores tesouros da Terra. O propósito de Deus estava sendo cumprido na exaltação de Israel. As nações que fossem até Salomão ouviriam sobre seu Deus e receberiam o convite para aceitar a religião de Yahweh. Pouco a pouco, por meio desses contatos e esforços missionários, o mundo seria evangelizado. CBASD, vol. 2, p. 859.

26 carros e cavaleiros. A reunião de carros e cavaleiros é sinal de conquista militar e extensão do império pela força. O acúmulo da cavalos era contrário ao propósito divino, que instruiu ao futuro rei de Israel “não multiplicará para si cavalos” (Dt 17:16). Ganhos obtidos por esses meios provariam ser grandes perdas. Salomão não percebeu isso e logo chegou a um ponto delicado no caminho. Diante dele estava a opção da obediência, que levaria à paz e à glória permanentes, e a da desobediência, que resultaria em dificuldades, opressão e vergonha. CBASD, vol. 2, p. 859.

27 prata como pedras e cedro em abundância. Prata e cedro eram comuns, mas a piedade era rara. Quem multiplica ouro, multiplica pesar e problemas. Quem multiplica amor verdadeiro tem riqueza de paz e contentamento que ouro algum pode comprar (Pv 16:8, 16). CBASD, vol. 2, p. 859.

28 Cilícia. A Cilícia fica onde hoje é a atual Turquia. Bíblia de Genebra.

comerciantes do rei. O comércio é uma profissão honrosa e traz muitos ganhos justos e que valem a pena. No entanto, também oferece muitas tentações e, com frequência, se torna um caminho rápido para a ruína. À medida que o povo de Israel se tornava mais interessado em lucros mundanos, mais se afastava de Deus. A ambição ocupou o lugar da misericórdia, e os interesses egoístas eram satisfeitos em vez de os interesses comuns. CBASD, vol. 2, p. 860.



I Reis 10 – Comentário pr Heber Toth Armí by jquimelli
7 de maio de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

I REIS 10 – Precisamos aprimorar cada vez mais nossa religião com foco na Bíblia, antes que caiamos na acomodação, relaxo e despencamos espiritualmente morro abaixo.

Outra coisa muito importante: Devemos cuidar para não praticar a religião incorretamente; pois, alguém já disse que “a prática leva a perfeição; e a prática ruim leva ao perfeitamente ruim”.

• Aperfeiçoar uma prática equivocada é tão ruim quanto deixar de praticar algo que é bom.

Salomão está em alta, sua fama espalhou-se para longe, sua riqueza é notória, seu reino tornou-se bem desenvolvido, tudo devido à sabedoria recebida de Deus.

Analisando o capítulo em questão, John J. Bimson observa que, o autor inspirado “retorna aos temas da sabedoria e as riquezas de Salomão fazendo-o chegar a seu auge antes de contar como ele se desmoronou por sua tolice. O capítulo mostra quão longe tinha chegado a fama da sabedoria de Salomão, a ênfase está no caráter superlativo dessa sabedoria ao mesmo tempo em que ilustra como as riquezas continuavam chegando a Salomão na forma de presentes e tributos de monarcas estrangeiros”.

Não era plano divino que Israel tivesse reis. Deus ofereceu o que Salomão quisesse a fim de ajudar a corrigir o erro de Seu povo de pedir rei como as outras nações. Salomão pediu sabedoria e Deus lhe concedeu. Além disso, Deus lhe deu outras bênçãos, inclusive riquezas. Entretanto, pelo que parece, Salomão, em vez de continuar valorizando a sabedoria mais que as riquezas, o capítulo mostra que ele deu mais ênfase às riquezas.

Cuidado:

• Ambição perverte a submissão à vontade de Deus.
• Focar nas riquezas nos tira do caminho do Céu.
• Acreditar que tempo, recursos e talentos investidos no templo/igreja torna-nos livres para priorizar outras coisas no lugar de Deus é um perigo para a fé.
• A glória neste mundo é ilusória, é vangloria; devemos sempre dar glórias a Deus que nos dá sabedoria para adquirir recursos.
• Parar de investir em Deus significa investir no pecado; considerando que o salário do pecado é a morte, investir nos prazeres pecaminosos é um tipo de suicídio.
• Tirar os olhos do Abençoador para fixas nas bênçãos é um risco de alta periculosidade.

Quem segue o caminho da Bíblia não pega atalho para o inferno! Invista na vida, leia a Bíblia! – Heber Toth Armí.

134 pessoas alcançadas


1 Reis 10 – Comentário Rosana Barros by jquimelli
7 de maio de 2016, 0:40
Filed under: Sem categoria

#rpS p #1Reis10

“Todo o mundo procurava ir ter com ele para ouvir a sabedoria que Deus lhe pusera no coração” (v. 24).

A rainha de Sabá foi em busca da sabedoria aclamada pelos homens e retornou com a certeza de que era uma sabedoria divina. A Bíblia diz que a rainha “ficou como fora de si” (v. 5). Todas as suas “perguntas difíceis” (v. 1) foram respondidas com facilidade (v. 3). A fama que ela havia ouvido falar era real, e sobrepujava todas as palavras (v. 7). O rei Salomão fazia jus à sua reputação.
O que nos diz que o testemunho pessoal tem a força e o alcance que palavras não conseguem atingir. Uma coisa é ouvir falar de, outra é conhecer pessoalmente.
Uma pessoa que se diz cristã pode ter palavras bonitas a oferecer. Um cristão genuíno tem uma vida que fala mais do que palavras. Compreendem a diferença? Uma coisa é dizer que conhece a Cristo, outra é conhecê-lO de verdade. Quando, de fato, experimentamos a intimidade do SENHOR, nossa vida se torna uma declaração de que Deus é Deus! E isto não vem de méritos próprios, mas do que o SENHOR coloca no coração (v. 24).
Agora observem comigo quatro coisas que Deus havia dito que não houvesse na vida do rei, e que aconteceu no reinado de Salomão: não multiplicar cavalos; não voltar ao Egito; não multiplicar, para si, mulheres; não multiplicar, para si, prata ou ouro (Deuteronômio 17:16-17).
Nossa, Salomão foi contrário a tudo o que Deus tinha dito que não acontecesse! Ele multiplicou cavalos que vinham do Egito (v. 28 ); multiplicou carros que vinham do Egito (v. 29); sua primeira esposa foi a filha de Faraó, a qual recebeu o seu próprio palácio (1 Reis 7:8); acumulou riquezas que excediam qualquer outro rei no mundo (v. 23).
Então Salomão fez tudo o que não deveria ter feito? Infelizmente, sim. E suas escolhas erradas o levaram ao resultado desastroso que veremos no capítulo de amanhã.
Como pode, pois, Deus ter usado Salomão para manifestar a Sua glória?
Meus amados, permitam-me fazer uma grande e terrível revelação: não há na face da Terra quem pratique o bem! E eu concluí isso sozinha, foi? Não, a Bíblia que nos diz: “Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque” (Eclesiastes 7:20). E sabem quem escreveu isso? O próprio Salomão.
Mas para todo aquele que possui coração sincero, o SENHOR, no Seu devido tempo, corrige como um pai corrige seu filho. A disciplina do SENHOR é salvação para os retos de coração!
Portanto, irmãos, somos TODOS pecadores, estamos TODOS sob a mesma condição. E precisamos lembrar que existe um adversário que é real e anda ao nosso redor “como leão que ruge procurando alguém para devorar” (1 Pedro 5:8). Satanás se aproveitou dos desvios de Salomão para levá-lo à idolatria. Ele sabe quem são aqueles que têm muito a oferecer à causa de Deus, e a estes, ele observa com toda atenção procurando motivo pelo qual possa derrubá-los. O conselho de Pedro no início do mesmo verso que vimos agora, é: “Sede sóbrios e vigilantes”! Nossa mente deve estar limpa das influências que nos cercam e, ao mesmo tempo, atenta a tudo. Deus nos fez para sermos bênção para o mundo, e não maldição. Até ali, a sabedoria que Deus havia colocado no coração de Salomão tinha superado tudo o mais (v. 8). Entretanto, seus pecados o fizeram desviar-se do foco.
O desejo do SENHOR é o de brilhar a Sua luz em nós. Sobre isso Salomão também escreveu: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Provérbios 4:18). Quando permitimos que Deus nos revista de Sua justiça, e não nos desviamos de Seus caminhos, Ele vai aumentando nossa luz à medida que avançamos em nossa jornada diária. Cada dia em comunhão com o Céu recarrega nossa “bateria espiritual”, pois estamos em contato direto com a Fonte.
Somos falhos e miseráveis, mas, nas mãos de Deus somos luz do mundo (Mateus 5:14). Não somos dignos de aplauso e nem de fama alguma. Cristo em nós, eis o que deve ser visto e admirado!
As pessoas não iam ter com Salomão para conferir os seus tesouros e nem para admirar a quantidade de mulheres lindas que tinha como esposas. “Todo o mundo procurava ir ter com ele para ouvir a sabedoria que Deus lhe pusera no coração” (v. 24).
O mundo não tem sede de ver o que você tem, o mundo tem sede de ver Deus em você! E Deus procura homens e mulheres cujo desejo de ter o coração governado por Ele sobrepuje o desejo de governar a própria vida.
Salomão fez um trono magnífico para ele (v. 18-20), enquanto, aos poucos, ia retirando Deus do trono do seu coração. Que no trono do Teu e do meu viver só tenha lugar para Um: Deus.
Que o SENHOR reine soberano em nossa vida, e assim seremos Suas testemunhas, mostrando ao mundo não a nossa própria natureza, mas a revelação de Jesus Cristo!

Bom dia e um feliz sábado, luzes do SENHOR!

*Leiam #1Reis 10

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: