Reavivados por Sua Palavra


Zacarias 13 by Jeferson Quimelli
27 de outubro de 2014, 0:00
Filed under: caráter, Messias | Tags: , , ,

Comentário devocional:

“Naquele dia uma fonte jorrará para os descendentes de Davi e para os habitantes de Jerusalém, para purificá-los do pecado e da impureza.” (v. 1 NVI). Que visão cheia de graça e encorajamento! 

O capítulo 13 é uma continuação do capítulo anterior. Lá, em 12:10, encontramos a profecia sobre o Messias ser perfurado por arma [heb. daqar. Ou traspassado, que é uma expressão do NT]. Portanto, neste capítulo a expressão “Naquele dia” em 13:1 refere-se ao dia em que o Messias seria crucificado, não o “dia” do fim dos tempos. Quando o Messias morre como sacrifício de Deus e as pessoas lamentam e choram pela Sua morte, a fonte que purifica do pecado é aberta. 

Nos versos 2 a 4 o Senhor dos Exércitos promete que os ídolos e os falsos profetas, assim como o espírito imundo que a tantos tem extraviado, serão, por fim, cortados da terra. Sim, Senhor, temos aguardado muito por esse dia!

Os versos 5-6 falam da vinda do Redentor. Ele é mencionando como um agricultor servo desde a Sua juventude e, em seguida, descreve o Seu sofrimento. Ele será ferido entre Seus braços, ou seja, em Suas costas. Nos Evangelhos (Mt 27:26; Mc 14:65; 15:15; Lc 22:63; Jo 19:1,18), nos é dito como Ele foi açoitado, ridicularizado e estapeado. O versículo 6 foi citado por Ellen G. White, juntamente com alguns versos de Isaías 53, para descrever a morte de Cristo como o Servo de Deus (Atos dos Apóstolos, 226 [126], cap. 22, §17º). 

Tudo isso aconteceu quando Ele visitava a casa de Seus amigos, a casa de Davi e os habitantes de Jerusalém, que representam a raça humana. Como previsto no verso 7 e anunciado pelo próprio Jesus ao citar esta passagem em Mt 26:31, quando Jesus, o pastor, foi ferido, todo o rebanho de Seus discípulos se dispersou e fugiu.

Ele veio para fazer jorrar a fonte purificadora para o pecado e a rebelião da humanidade. Mas seus ouvintes estavam tão cegos por causa de sua maldade e cobiça, que o puseram à morte. Aqueles que eram encarregados pelo serviço do Templo e que por direito de nascimento eram os líderes do sistema religioso da época agiram como inimigos de Seu Senhor. 

Cuidemos para não usar os privilégios que temos para nossa própria autopromoção. Tudo o que temos deve ser consagrado para exaltar o Senhor que nos criou e salvou. 

É incrível ver que a maior parte das Escrituras foi escrita mais para nós, que vivemos no tempo do fim, do que para qualquer outra pessoa na história, até mais do que a audiência pública direta dos profetas. A última parte deste capítulo evidencia isso (v. 8, 9). O Senhor permitirá que o remanescente sofra provações e dificuldades, o suficiente para que desistam de seu mundanismo pecaminoso e desejo de auto-exaltação. Então eles invocarão o nome de Cristo e ansiarão pelo poder purificador de Seu sacrifício. Neste momento passaremos a ser o Seu povo e Ele será o nosso Deus. Quando isso acontecer, nós alegremente diremos: “O Senhor é o meu Deus!” (v. 9 NVI).

Sook-Young Kim
Universidade Nacional de Kyungpook 
Coréia do Sul

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/zec/13/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Zacarias 13 

Comentário em áudio



Ageu 2 by Jobson Santos
14 de outubro de 2014, 0:10
Filed under: Trabalho de Deus | Tags: , , , , ,
Comentário devocional:

Quando uma criança rebelde volta para casa, o que acontece na família? Celebração! Da mesma forma, quando Deus viu o trabalho feito por Seu povo, Ele lhes disse: “Estou feliz. Estou com vocês! Estou feliz não porque o que vocês fizeram foi perfeito, ou  impecável. Mas estou feliz porque vocês retornaram para mim”.

“Olhem para o novo templo”, Deus diz, “ele pode ser comparado com a sua primeira glória?” “Não”, respondeu o povo. Mas o Senhor disse-lhes: “Eu estou com vocês”, portanto, sejam fortes … e trabalhem. Quando o povo obedeceu ao Senhor e fez o que Ele lhes pediu para fazer, Ele revelou o seu segredo e prometeu que, em pouco tempo, o Desejado de todas as nações viria para preencher de glória este Templo. E a sua glória futura haveria de superar a sua glória passada. Aleluia!

Toda a prata e ouro pertencem a ele. Tudo o que Deus precisa de nós, hoje, é a entrega total de nossos corações e mentes a ele. Nossa oração deve ser: “Senhor, por favor, burila-nos à sua própria maneira”

Como um povo que aguarda a segunda vinda do Desejado de todas as Nações, demos de bom grado nossos corações a Deus. Subamos as montanhas para trazer madeira para a construção do templo. O principal templo que precisamos construir hoje é a nossa vida espiritual, o nosso relacionamento com o nosso amoroso Criador que nos levará a trabalharmos de coração para Ele.

Se aceitarmos este desafio e entregarmos completamente o coração ao Senhor, então nos últimos dias, o Senhor nos dirá, eu vou levá-lo para o meu reino e farei de você o meu sinete, o meu anel de selar.

“Querido Senhor Jesus, entregamos nosso coração a Ti. Aceita-nos e permita que Jesus, o Desejado de todas as Nações, nos molde e nos cubra com o Seu manto de justiça. Torna-nos especiais em Teu serviço, como um sinete real”

Emmanuel S. D. Manu

Tesoureiro da Divisão Centro-Oeste Africana

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/hag/2/

Traduzido por JDS

Texto bíblico: Ageu 2

Comentário em áudio



Ageu 1 by Jobson Santos
13 de outubro de 2014, 0:10
Filed under: Trabalho de Deus | Tags: , , , ,
Ageu 1 – Comentário devocional:
Esta mensagem de Ageu, servo do Deus Altíssimo e um dos Profetas Menores do Antigo Testamento, veio durante o segundo ano do reinado de Dario, o Grande, quando o povo tinha retornado a Judá, vindos do exílio na Babilônia. Ele deu a mensagem a Zorobabel, governador de Judá (o líder político), ao sumo sacerdote Josué (líder espiritual), e aos que restaram de Judá, que aparentemente estavam preocupados com suas necessidades pessoais em vez de com a reconstrução do Templo do Senhor . O Templo era o símbolo da presença de Deus no meio do povo, e não fazer da reconstrução deste uma prioridade era como colocar a Deus no banco de trás do carro em vez dEle ser o motorista.
Quando nossos filhos brincam com atividades do seu interesse sem controle ou atenção parental, muitas vezes o inimigo toma conta e o resultado pode facilmente ser a confusão, vazio, sofrimento e assim por diante. Quando o povo de Deus que havia retornado do cativeiro tornou-se entusiasmado com seus objetivos pessoais e particulares, o Pai amoroso enviou-lhes o Seu servo, o profeta Ageu, para adverti-los de modo que pudessem compreender. A mensagem era para lembrá-los de que, se eles não conseguissem colocar a Deus em primeiro lugar em seus planos, o fracasso e o vazio seriam o resultado: “Tendes semeado muito e recolhido pouco” (v 6, ARA). O Senhor afirma ainda: “Considerai o vosso passado. Subi ao monte, trazei madeira e edificai a casa; dela me agradarei e serei glorificado, diz o SENHOR.” (v. 7-8, ARA). Esta é a receita para a felicidade cristã hoje. “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33). “Porque sem mim”, diz Cristo, “nada podeis fazer” (Jo 15:5).
Naquela ocasião as pessoas poderiam ter dado muitas razões para justificar seus projetos pessoais. Hoje, enfatizamos que a família é nossa primeira responsabilidade e com razão, mas Ageu nos encoraja a colocar o amor a Deus e o interesse nos negócios de Deus como os principais interesses da família. Se os líderes das famílias e da igreja amam a Deus e permitem que o Seu Espírito os conduza, certamente os membros da igreja responderão positivamente aos apelos espirituais. Quando estabelecemos corretamente as nossas prioridades alcançamos o que pretendemos. Sejamos como Zorobabel e Josué: prestemos atenção a essa mensagem e tragamos felicidade ao Senhor.
“Querido Senhor, ajuda-nos a definirmos corretamente nossas prioridades, a fim de que possamos buscar a Ti e ao Teu reino em primeiro lugar. Entregamos nossa vida, nossos planos pessoais e corporativos, ao controle do Espírito Santo a fim de que tudo o que viermos a fazer Te glorifique. Amém!”
Emmanuel S. D. Manu
Tesoureiro da Divisão Centro-Oeste Africana
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/hag/1/
Traduzido por JDS
Texto bíblico: Ageu 1
Comentário em áudio

 



Miqueias 5 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

“O restante de Jacó estará no meio de muitos povos, como orvalho do SENHOR, como chuvisco sobre a erva, que não espera pelo homem, nem depende dos filhos de homens” (Mq 5:7, ARA). O plano de Deus é que seus filhos fiéis se constituam um grupo que exerça uma influência positiva sobre a terra, como orvalho ou chuvisco que traz vida à erva seca.

Note que o remanescente não é importante apenas por ser o povo fiel de Deus, mas principalmente pela missão que tem a desempenhar. O remanescente sem a sua missão não é o remanescente. 

O remanescente do tempo do fim tem a missão profética de anunciar as três mensagens de Apocalipse 14, um solene convite ao mundo para que esteja em harmonia com Deus e seus propósitos. Ele representa a Deus em meio ao outros povos.

Ser parte do remanescente não é apenas pertencer a um clube, mas ter uma tarefa a cumprir. 

Que Deus nos ajude a buscarmos a plenitude do Espírito Santo a fim de representá-Lo corretamente às pessoas da nossa geração. Fazendo assim, pelo Seu poder, cumpriremos a missão que Deus nos confiou e estaremos prontos para subir com Cristo quando Ele vier nas nuvens do céu!

Gordon Bietz
Presidente da Southern Adventist University

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/mic/5/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Miqueias 5 

Comentário em áudio  



Amós 9 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Este capítulo, a última das visões que Amós registrou, tem claramente duas seções: primeiro a destruição de Israel (vv.1-10) e, segundo, a restauração de Israel (vv.11-15).

Amós vê o Supremo Regente do Céu pronto a punir o seu povo rebelde. De pé, junto ao altar, o Senhor ordenou ao anjo destruidor que ferisse as ombreiras das portas e quebrasse os pilares. A intenção da ordem é que toda a estrutura seja destruída, o que implica a morte de todos – ninguém escapará (v.1).  Será inútil tentar fugir porque o Senhor encontrará os impenitentes no alto de Monte Carmelo, o mais alto lugar, ou no fundo do mar ou seja, o lugar mais baixo da Terra (vv.2-3). Os ímpios israelitas não estarão a salvo da espada, nem mesmo na terra do cativeiro (v.4). 

Israel seria a nação escolhida somente se obedecesse à Palavra de Deus e proclamasse o Seu nome a todas as nações. Neste sentido, Israel e a Etiópia são igualmente importantes para Ele. Ele é Aquele que tirou Israel do Egito e colocou na terra de Canaã, onde Ele havia permitido que os filisteus de Caftor e os sírios de Quir vivessem. As decisões do Senhor são definitivas, de modo que o cativeiro de Israel é inevitável.

No entanto, Deus graciosamente promete salvar um remanescente (vv-7-8). Israel será lançado, por assim dizer, na “peneira” da aflição para distinguir os verdadeiros seguidores de Deus daqueles que se apegam ao pecado. Todos os ímpios existentes entre o povo de Deus, que se rebelaram contra os Seus caminhos, serão destruídos.

Amós agora se volta do castigo do povo de Deus para a brilhante e gloriosa promessa de restauração futura. Quando Judá e Israel não conseguiram viver à altura do que Deus havia prometido fazer em benefício deles, aquilo que Deus tinha planejado somente poderia ser cumprido em parte quando os fiéis retornassem do exílio babilônico. 

A história mostra que as brechas espirituais nas paredes foram apenas parcialmente reparadas e as ruínas espirituais só foram restauradas até certo ponto. Quando o povo judeu rejeitou seu Salvador, as bênçãos e promessas a Israel foram repassadas à semente espiritual de Abraão, os seguidores de Jesus Cristo.

Os versículos 13-15 descrevem em linguagem impressionante a profusão de bênçãos que poderiam ter sido derramadas sobre o Israel literal, mas agora serão concedidas ao verdadeiro Israel de Deus. A promessa feita a Abraão de que sua descendência herdaria a terra de Canaã foi apenas parcialmente cumprida quando Josué conduziu os filhos de Israel para a Terra Prometida. O cumprimento final desta maravilhosa promessa acontecerá quando a Cidade Santa, a Nova Jerusalém, repleta com os salvos de todas as épocas, descer do céu e se estabelecer permanentemente na terra, em Canaã. Esse dia não está longe!

Deepati Vara Prasad, Ph.D.
Watchman Publishing House, Índia

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/amo/9/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Amós 9 

Comentário em áudio 



Ezequiel 11 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Existe uma tendência humana para nos compararmos – e as circunstâncias que nos cercam – com os outros. E quando fazemos isto, temos a tendência de nos vermos como melhores do que os outros. Somos tentados a pensar em termos de “nós” em oposição a “eles”. E tendemos a nos colocar no topo, especialmente quando achamos que somos abençoados e outros não.

Os vinte e cinco líderes de Judá que Ezequiel viu avaliaram a sua situação em Jerusalém como muito melhor que a de seus compatriotas que estavam no exílio. Afinal, eles estavam na Cidade Santa, a cidade de Davi , e os exilados estavam longe, vivendo em cativeiro. Parecia, pelas aparências, que aqueles que tinham a liberdade de andar pelas ruas de Jerusalém tinham o favor de Deus (“nós somos a carne”, a parte boa do sacrifício, v. 3)  e os que estavam na Babilônia, não. Foram julgados por Deus e receberão a Sua ira.

Quando você está convencido de que está certo e Deus clareia o seu entendimento, mostrando que você está errado, isto pode ser um grande choque. Esta inversão da maneira de pensar aparentemente foi um choque para Ezequiel. Ele pede enfaticamente: “Ah! Soberano Senhor! Destruirás totalmente o remanescente de Israel?” (v. 13). Em outras palavras: “Se essas pessoas que estão em Jerusalém estão enfrentando julgamento, que se dirá de nós? Teremos alguma chance?”

A mensagem de Deus através de Ezequiel é preocupante. Aqueles que estavam em rebelião contra Ele ou que cultivavam uma religião apenas passiva receberiam o julgamento de Deus. A glória de Deus havia abandonado aqueles que professavam ser algo que não eram e sua situação parecia muito sombria.

Mas – e isso é muito importante – a glória de Deus não os havia deixado completamente. A sentença contra essas pessoas não significava o fim do povo de Deus. Um remanescente sempre existiu. Havia um remanescente dos fiéis de Deus (alguns em Babilônia e outros em Judá) e, em pouco tempo, eles iriam experimentar a restauração.

Note que quando a Shekinah, a glória da presença de Deus, fez o Seu caminho para fora do Templo e de Jerusalém, fez uma última parada (v. 22, 23) acima da montanha que fica a leste da cidade. Essa elevação, mais tarde conhecido como o Monte das Oliveiras, não é apenas o lugar onde Jesus se reuniria com seus discípulos para orar, mas é o lugar onde Jesus subiria ao Céu, depois de Sua ressurreição. É o lugar onde, quando Ele voltar com o seu povo depois do milênio, Seus pés irão tocar novamente a terra e o monte se dividirá em dois, abrindo um lugar para a Nova Jerusalém descer (Zc 14:4 e O Desejado de Todas as Nações, p. 829).

Assim como no tempo de Ezequiel, hoje também existem aqueles que presumem ter a salvação por uma religião formal ou professam uma coisa enquanto vivem outra. Mas existe ainda um remanescente. Para estes, a salvação só é recebida por ter a glória de Deus, a Sua presença, no templo de seu coração. 

Jesus está ansioso para residir em seu coração e libertar você do pecado. Você vai convidá-lo a entrar? Se você o fez, isto é uma ótima notícia! Louvado seja o Senhor!

Pr. Eric Bates
EUA

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/eze/11/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Ezequiel 11 

Comentário em áudio 



Jeremias 46 by Jobson Santos
16 de junho de 2014, 0:04
Filed under: profecias | Tags: , , , ,

Comentário devocional:

Este capítulo dá início a uma nova seção do livro de Jeremias (capítulos 46-51), com declarações proféticas acerca de várias nações e tribos.

Jeremias 46 está dividido em três seções: (1) os versículos 3-12: a palavra profética de Deus a respeito do exército de Faraó-Neco, que foi acampar ao norte junto ao rio Eufrates perto de Carquemis; (2) os versículos 14-24: a palavra profética de Deus sobre o rei babilônico Nabucodonosor, que viria e derrotaria os egípcios; e (3) os versículos 27-28: uma palavra de encorajamento de Deus para o Seu povo Israel.

Olhemos a primeira seção. Aqui Jeremias prediz a derrota do exército egípcio por Nabucodonosor junto ao rio Eufrates. A partir destes versos descobrimos que o exército egípcio incluía tropas mercenárias de Etíopes, Líbios e Lídios (v. 9). O exército era tão numeroso que parecia a inundação do rio Nilo sobre a terra (v. 8). Então o versículo 10 afirma que o próprio Deus iria intervir e ajudaria Nabucodonosor a derrotar o exército egípcio. Haveria tristeza na terra do Egito, porque os poderosos soldados egípcios seriam derrotados e falhariam em sua campanha militar (v. 11, 12). Essa profecia cumpriu-se no quarto ano de Jeoaquim, rei de Judá.

Na segunda seção, temos uma mensagem de Deus para os judeus que viviam no norte do Egito em lugares como Migdol, Mênfis e Tafnes. O texto original hebraico do versículo 15 pode ser traduzido assim: “Por que o deus Ápis fugiu?” (NVI). O significado é: “Por que o deus-touro egípcio fugiu sem ajudar o exército egípcio?” A seção refere-se ao exército da Babilônia, comandado por Nabucodonosor, como sendo tão poderoso quanto as montanhas de Tabor e Carmel na terra de Israel (v. 18); e se refere ao Egito como uma bezerra que não consegue nem mesmo afugentar moscas que a picam (v. 20). Menciona ainda que o exército babilônico viria contra o Egito com machados, como cortadores de lenha (v. 22, 23).

A terceira seção é uma profecia e um encorajamento aos Judeus que viviam no Egito e aos cativos na Babilônia para que retornassem à sua pátria Israel. Deus diz: “Quanto a você, não tema, meu servo Jacó! Não fique assustado, ó Israel! Eu o salvarei de um lugar distante, e os seus descendentes, da terra do seu exílio. Jacó voltará e ficará em paz e em segurança; ninguém o inquietará” (versículo 27, NVI).

Deus é verdadeiramente o Restaurador da relação de aliança que Ele tem com Seu povo. E como Ele agiu no passado, assim Ele agirá para com o povo de Deus hoje, quando o Senhor voltar e nos levar para casa.

Yoshitaka Kobayashi
Japão



 Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/46/

Traduzido por JDS/JAQ

Texto bíblico: Jeremias 46



Isaías 29 by Jobson Santos
25 de março de 2014, 0:15
Filed under: profecias | Tags: , ,
Comentário devocional:
Neste capítulo Isaías refere-se a Jerusalém com o simbólico nome de “Ariel” que significa “leão de Deus”. Jerusalém será cercada por exércitos e artefatos de cerco (v. 3b- c). A cidade será humilhada até o pó (v. 4).
Na Segunda Vinda, a multidão de inimigos do remanescente, se tornarão como a poeira (v. 5a). Os mais cruéis se tornarão como a palha que o vento leva (v. 5b). Satanás e seus aliados serão punidos pelo “Senhor dos Exércitos” “com tempestade e furacão e chamas de um fogo devorador” (v. 6, NVI).Depois do milênio, a tentativa de atacar a Nova Jerusalém celestial que desceu do céu não terá sucesso. Cristo, o Messias guerreiro, lidará com os inimigos do seu povo (v. 7-8).

Isaías fala então contra as pessoas que se aproximam do Senhor com palavras, mas não com o coração (v. 13). Eles pretendem possuir um estilo de vida que agrada a Deus e adorar a Deus, mas continuam em pecado (v. 15). Isto é algo tão absurdo como a argila voltar-se para o oleiro e dizer “Ele nada sabe” (v. 16, NVI).

Após a Segunda Vinda e o Milênio, haverá uma nova criação e todos os males serão erradicados. A terra vai se transformar num campo fértil (v. 17b ). Satanás, o cruel, será eliminado. “O zombador desaparecerá e todos os de olhos inclinados para o mal serão eliminados” (v. 20).

Então o Senhor diz do seu remanescente, que como Abraão estão cheios de fé “Jacó não será mais humilhado; e o seu rosto não tornará a empalidecer.” (v. 22, NVI). O remanescente verá  a obra do Senhor no meio deles e permanecerá no temor do Deus de Israel (v. 23).

Querido Deus,
Enche-nos com o Espírito Santo a fim de que estejamos preparados para os eventos finais. Abra a nossa compreensão dos Teus caminhos e torna-nos receptivos à Tua verdade. Amém.

 

Koot van Wyk
Coreia do Sul

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/29/

Traduzido por JDS/JAQ

Texto bíblico – Isaías 29: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/isaias/is-capitulo-29/




%d blogueiros gostam disto: