Reavivados por Sua Palavra


Judas by Jeferson Quimelli

Comentário Devocional:

O capítulo de hoje vem com outra saudação surpreendente. O pastor Judas afirma claramente seu laço familiar com Tiago (seu irmão), mas humildemente refere-se a si mesmo como um “servo de Jesus Cristo” (v. 1 NVI). Muitos estudiosos acreditam que Judas foi um dos meio-irmãos de Jesus! Quão inspirador é testemunhar uma verdadeira liderança-serviço.

A parte realmente cativante da saudação é a descrição dos santos (você e eu): “aos que foram chamados, amados por Deus Pai e guardados por Jesus Cristo: Misericórdia, paz e amor lhes sejam multiplicados”(v. 1b-2 NVI). Ser capaz de cumprimentar com tal carinho extravagante e inclusão requer uma conexão viva com Jesus. A saudação de Judas resume a sua carta.

Com a preocupação e a paixão do coração do pastor amoroso, Judas, em seguida, adverte os leitores para os perigos daqueles que gostariam de tirar nossos olhos de Jesus e anular a Sua graça. A cautela inclui lembrar daqueles que foram libertos da escravidão do Egito, mas foram destruídos por causa de sua incredulidade. A exortação é ampliada com um lembrete das razões da destruição de Sodoma e Gomorra. Poderia isso acontecer conosco? Não deveríamos tomar cuidado para não cairmos? Caim, Balaão e Coré caíram – que garantia temos de que também não cairemos?

Graças ao Senhor, esperança e encorajamento emergem no convite a perseverar! Não desista, mesmo que hajam escarnecedores ao nosso redor. Espere pacientemente, edifique-se na fé, orando no Espírito Santo. Ousamos nós sair, neste ou qualquer outro dia, sem estas atitudes? E que em nossa caminhada – estejamos à procura de qualquer um que possa ser salvo, mesmo “… arrebatando-os do fogo” (v 23 NVI).

Para finalizar, vem a doxologia que coroa a saudação de abertura: A promessa de que Deus é capaz de nos impedir de cair, “… e para apresentá-los diante da sua gloriosa presença sem mácula e com grande alegria, ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todos os tempos, agora e para todo o sempre!” (vs. 24-25 NVI). Amém! A doxologia completa o círculo iniciado na saudação: Jesus é capaz de nos salvar, e o fará – se O permitirmos!

Peter Landless
Diretor mundial dos Ministérios de Saúde
Estados Unidos
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jud/1/
Traduzido por JAQ/GASQ/IB
Texto bíblico: Judas 
Comentário em áudio 



III João by Jeferson Quimelli
26 de junho de 2015, 1:00
Filed under: companheirismo, relacionamento | Tags: , , , , , ,

Comentário devocional:

Através das horas de um determinado dia, temos a oportunidade de cumprimentar pessoas – família, amigos, colegas de trabalho, aqueles que nos auxiliam e, às vezes, até mesmo aqueles que nos incomodam. Como são os nossos cumprimentos? Calorosos ou vazios?

Eu amo a saudação na qual João saúda a seu amigo amado, Caio: “Amado, oro para que você tenha boa saúde e tudo lhe corra bem, assim como vai bem a sua alma” (v 2 NVI). Que saudação! Que bênção ele pronuncia! Alguns argumentam que essa era a maneira de João dizer: “Eu espero que você esteja bem e prosperando em todos os sentidos.” Do ponto de vista tendencioso de um médico que é apaixonado pela Mensagem de Saúde Adventista, a qual enfatiza a totalidade do corpo, mente e espírito, tomo coragem e também a permissão de enfatizar o modo como valorizamos o conceito de bem-estar holístico [NT: O ser humano como um todo].

Nós podemos ser completos, embora possamos estar fracos fisicamente – “plenitude no quebrantamento” – através da habitação do Espírito de Deus que transforma nossas vidas. Sim, é importante buscarmos a saúde total.

João elogia Gaio por sua fidelidade e carinho por todos, incluindo estranhos. De modo semelhante a II João, o apóstolo se preocupa e se alegra com seus “paroquianos” (ou convertidos), que continuam em seu relacionamento com Jesus. Esta inquietação pastoral é uma virtude que devemos imitar em nossos relacionamentos na família de fé, apoio, cuidado e partilha. Ao mesmo tempo, João adverte contra o comportamento de divisão de Diótrefes, prometendo tratar desse assunto em sua próxima visita (e isto não é apenas uma crítica, mas comentários sobre o que ele logo pretende colocar em prática!). Em seguida, ele nos encoraja a imitar aqueles que seguem a Jesus, o nosso exemplo divino, e, então cita Demétrio.

Assim como fez em sua carta anterior, João deixa muito por dizer, preferindo tratar algumas questões pessoalmente, em particular. Mas, eu suspeito que (como eu, pessoalmente, preferiria fazer), tratar do assunto com a congregação toda. 

Que ao conversamos, enviarmos mensagens de texto, escrevermos, tuitarmos, e talvez até nos comunicarmos especialmente através de nossa linguagem corporal, possamos imitar o coração, a mente e as instruções de Jesus.

Ah, e que assim como João, possamos tornar nossos cumprimentos positivos, edificantes e memoráveis!

Peter Landless
Diretor mundial dos Ministérios de Saúde da IASD
Estados Unidos




Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/3jn/1/
Traduzido por JAQ/GASQ/IB
Texto bíblico: 3 João 1 
Comentário em áudio 



Hoje leremos II João! by Jeferson Quimelli

Hoje teremos o privilégio de ler mais uma carta do discípulo do amor.

Desfrutemos com calma e meditação esta bênção que Deus nos concede!




II João by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

É encorajador e até mesmo emocionante reencontrar aqueles que um dia foram estranhos ao amor e à graça de Jesus e, desde que O encontraram, permaneceram fiéis. Isto é ainda mais significativo se fomos, de alguma forma, instrumentos em incentivar tal despertamento. João, “a quem Jesus amava” (Jo 13:23), expressa sua alegria ao encontrar esses seus “filhos na fé” ainda fiéis e mantendo relacionamento com Deus.

O apóstolo enfatiza o mandamento de Deus: “… que nos amemos uns aos outros” (v. 5 NVI). E, em seguida, define o amor como caminhar “em obediência aos Seus mandamentos … e Seu mandamento é que andemos em amor” (v.6 NVI). Nesta dupla ênfase, João não deixa dúvida de que Deus quer que nos amemos genuinamente. 

Ele continua a dar conselhos muito diretos sobre não fazer companhia àqueles que não seguem a doutrina de Cristo, a ponto de nem mesmo recebê-los em nossa casa. Isto pode parecer extremo, à primeira vista. Não temos nós o dever de levar a mensagem da salvação a todos? Não devemos ser hospitaleiros a todos? Na verdade, João está aqui alertando contra o perigo da comunhão intencional com aqueles que desejam desestabilizar a nossa fé, crença e relacionamento com Jesus. Nos dias atuais esta é uma perigosa tendência, mesmo na família da fé.

Na sequência desta breve carta a uma congregação não identificada, João faz referência a “uma senhora escolhida por Deus” (v.1 NVI), e encerra com saudações a uma outra “irmã”, também não identificada, cujos “filhos … enviam saudações.” Mas ele escolhe deixar muito ainda a ser escrito, esperando pela oportunidade de “visitá-la e conversar com você face a face, para que a nossa alegria seja completa” (v. 12 NVI).

À medida que prosseguimos em nossas atividades diárias hoje, repletas de mensagens de texto, tweets, blogs e e-mails, esforcemo-nos em manter nossas conversas e comunicações centralizadas em Cristo e, assim, manter completa a nossa alegria.

Peter Landless
Diretor mundial dos Ministérios de Saúde da IASD
Estados Unidos

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/2jn/1/

Traduzido por JAQ/GASQ/IB

Texto bíblico: 2 João 

Comentário em áudio 



I João 5 by Jeferson Quimelli
24 de junho de 2015, 1:53
Filed under: pecado, relacionamento, religião viva | Tags:

Comentário devocional:

Em 1 João 5 o apóstolo retoma muitos de seus temas favoritos ao apresentar seus argumentos finais contra os perturbadores mentirosos “sem pecado”. A primeira metade do capítulo levanta a questão da Trindade novamente tendo em vista a negação de que Jesus é o Cristo divino. As pessoas que negam a Jesus não têm a vida eterna, porque “essa vida está em Seu Filho. Quem tem o Filho, tem a vida; quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida” (5:11, 12). Uma das grandes tentações ao longo da história da igreja tem sido a de fazer de Jesus ou totalmente humano ou totalmente divino ao invés de aceitá-Lo como a pessoa absolutamente única que Ele é. É o fato de que Ele é ao mesmo tempo plenamente humano e plenamente divino que lhe possibilita ser o Salvador do mundo (ver Heb. 1, 2).

Um segundo tema levantado na primeira metade do capítulo 5 é uma visão adicional sobre a relação entre o amor e os mandamentos de Deus. Aqui encontramos uma das mais importantes contribuições de João à compreensão cristã a respeito de como viver responsavelmente. Diariamente devemos refletir sobre esse tema à medida que procuramos determinar o que significa ser um cristão, o que significa desenvolver um caráter semelhante ao de Cristo.

A segunda metade do capítulo destaca novamente o problema com o qual o livro começou: o pecado e suas implicações. Mas aqui o apóstolo enfatiza a diferença entre “pecado que leva à morte” e “pecado que não leva à morte” (5:17 NVI). “Toda injustiça é pecado”, ele afirma, “mas há pecado que não leva à morte” (5:17 NVI). E que pecados são esses que não levam à morte? Os que são confessados (1:9). Deus ouve nossas penitentes orações e as responde (5:14, 15). Tais pessoas não vivem vidas em rebelião, porque são nascidos de Deus (5:18; cf. 3:6, 9, à luz de 3:4).

E o que 1 João significa para a minha vida? Que eu devo ser honesto comigo e com Deus sobre mim mesmo e minhas faltas; que eu tenha por certo que Jesus é o Cristo plenamente divino; que eu deixe Deus aperfeiçoar Seu caráter de amor em mim enquanto me relaciono com meus companheiros membros da igreja e com o mundo ao meu redor. Isso é o que João chama de “vida eterna” (1:2; 2:25; 3:15; 5:11, 13, 20).

George Knight
Estados Unidos
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1jn/5/
Traduzido por JAQ/JDS/IB
Texto bíblico: I João 5 
Comentário em áudio 



I João 2 by Jeferson Quimelli
21 de junho de 2015, 1:00
Filed under: amor, Jesus, pecado, relacionamento, religião viva, santificação | Tags: ,

Comentário devocional:

O segundo capítulo de 1 João apresenta mais algumas reivindicações dos mentirosos do capítulo 1 que se julgavam “sem pecado”, causando problemas na igreja.

Mas antes dele apresentar essas reivindicações João nos concede um pouco mais de evangelho puro; algumas das melhores porções do Novo Testamento. “Meus  filhinhos”, ele pastoralmente observa: “escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo”(vs. 1, 2 NVI). As declarações dos evangelhos não conseguem ser muito melhores do que isso.

Mas João precisa voltar a falar a respeito dos mentirosos “sem pecado”. O capítulo 2 denuncia mais duas mentiras aos problemas dos “santos”. Em primeiro lugar, eles afirmam estar na luz, mas não estão realmente andando nos mandamentos de Deus. Aqui o apóstolo está lidando com algo mais grave do que quebrar os Dez Mandamentos. Ele coloca o dedo no problema central nos versos 7-17. No versículo 9, João chega ao coração do problema: “Quem afirma estar na luz, mas odeia seu irmão, continua nas trevas” (NVI). Um dos fatos tristes da história da igreja é que há muitos que pensam que podem amar a Deus sem amar aos seus semelhantes.

A segunda metade de João 2 lida com uma mentira ligada à Trindade. Eles negavam que Jesus era o Cristo divino e, portanto, estavam também negando o Pai (vs. 22, 23).

Estes eram membros da igreja que davam trabalho. Mas mais uma vez o apóstolo tem uma solução ao estilo do evangelho: “Filhinhos, agora permaneçam nEle para que, quando Ele se manifestar, tenhamos confiança” (v. 28 NVI). João encerra o capítulo com o pensamento de que todo aquele que é verdadeiramente justo fará tudo “nEle” (vs. 28, 29).

Aquele que permanecer no divino Cristo não só encontrará perdão (1Jo 1:9), mas também andará na luz dos mandamentos de Deus (vs. 3-6), especialmente o mandamento de amar os irmãos e irmãs (v. 9). De fato,  permanecer nEle irá transformar nossas vidas em todos os sentidos.

George R. Knight
Estados Unidos

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1jn/2/
Traduzido por JAQ/JDS/IB
Texto bíblico: I João 2 
Comentário em áudio 



I Pedro 1 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Em sua saudação, Pedro se dirige aos cristãos que vivem fora da Palestina como “peregrinos” ou “estrangeiros”, com a implicação de que esta terra é apenas temporária enquanto o céu é o lar permanente dos fiéis a Jesus. Nossa fidelidade é obtida através do poder de Deus, que nos concede uma “esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (v. 3 NVI).

Eu estive dentro da escura e úmida prisão Mamertina em Roma, de onde Pedro pode ter escrito esta carta. Pedro realmente compreendia o que as palavras julgamento, desgraça, e perseguição significavam! No contexto do seu próprio sofrimento, ele lembra a seus leitores que as provações produzem uma qualidade mais forte de fé, assim como o ouro é testado e refinado pelo fogo.

Os leitores de Pedro provavelmente não tinham visto Jesus com seus olhos físicos, mas a despeito disso eles podiam experimentar uma união espiritual com Ele. Nós, também, podemos contemplar à frente a recompensa que receberemos de Jesus, na Sua vinda. A esperança da igreja naquela época e também agora continua a ser o breve retorno de Jesus Cristo. O desdobramento do plano de salvação continua a ser um tema de grande interesse, mesmo entre os anjos (v.12)!

Depois de estabelecer a razão para vivermos de modo santo (Cristo, Sua ressurreição e a segunda vinda), Pedro continua com conselhos práticos para a vida diária. Em um mundo que clama por indulgência sensual, os apelos do apóstolo para que sejamos cuidadosos com o que entra em nossa mente são mais relevantes do que nunca. Quando obedecemos à verdade por meio do Espírito, também aprenderemos a amar uns aos outros com um coração puro (v.22).

Cindy Tutsch, DMin
Estados Unidos
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1pe/1/
Traduzido por JAQ/JDS/IB
Texto bíblico: I Pedro 1 
Comentário em áudio 



Tiago 1 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Tiago, um meio-irmão de Jesus e influente líder na igreja (Gl 1:18,19) escreveu para o povo de Deus espalhado pelas nações do mundo (v. 1). Ele os chama de “amigos” e os encoraja em sua caminhada com Cristo, que permitam que Deus efetue a Sua boa obra na vida deles (v. 21). Tiago os incentiva a crescer espiritualmente através do exercício continuo da fé que eles têm em Deus (vs. 2, 3). E o que ele disse a eles se aplica a nós hoje.

Como exercer fé? Confiando diária, semanal e anualmente que Deus nos ajudará através das tempestades que nos sobrevêm na jornada da vida. Cada vez que sobrevivemos e suportamos a uma tentação, a nossa fé se torna mais forte, trazendo-nos para mais perto de Deus (v. 12). À medida que a nossa fé se torna mais forte, estaremos melhor preparados para os desafios futuros que certamente virão.

Nunca devemos culpar a Deus por permitir que tentações e provações venham sobre nós (v. 13). Deus não provoca ansiedade, dor ou sofrimento sobre uma pessoa só para ver se ela é leal. As tentações que enfrentamos muitas vezes vêm de um coração não-consagrado (v. 14). Às vezes intencionalmente e às vezes de forma não intencional, cedemos a elas, o que nos levará para mais longe do nosso amado Senhor.

Não se deixe enganar por aqueles que dizem que tudo que você tem a fazer para ser salvo é conhecer a palavra de Deus. O Diabo viu, ouviu e conheceu pessoalmente a Cristo, o “Verbo” (João 1:1-3) e, mesmo assim, ele preferiu a rebelião. Nós não devemos apenas conhecer, mas experimentar um relacionamento com o Senhor e viver a Sua vontade para a nossa vida, como registrada em Sua Palavra (vs. 21-22).

Os Dez Mandamentos foram dados ao homem como um espelho de sua condição espiritual. Se ele não olhar no espelho, ele não pode saber como está ou qual sua condição espiritual. A lei de Deus reflete áreas em nossa vida que precisam ser lavadas no sangue do sacrifício de Jesus Cristo por nós (vs. 23-25). Ao apontar nossas culpas a lei nos incentiva a buscarmos o remédio que é Cristo. Ao vermos nossa necessidade e transmitirmos a Deus o nosso desejo de sermos limpos, Ele nos abençoará, capacitará e nos susterá ao diariamente escolhermos fazer a Sua vontade.

Robin Pratt
Estados Unidos

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jam/1/
Traduzido por JAQ/JDS
Texto bíblico: Tiago 1 
Comentário em áudio 



II Timóteo 3 by Jeferson Quimelli
19 de maio de 2015, 1:00
Filed under: crescimento espiritual, relacionamento, Vida Cristã | Tags: ,

Comentário Devocional:

O primeiro livro da Bíblia registra os primórdios da humanidade: “E o Senhor Deus formou o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente “(Gn 2: 7). Observe que Adão estava sem vida até que a sua forma empoeirada recebeu o sopro de Deus.

Ancorado neste registro histórico, Paulo afirma que a força da vida do cristão é encontrada nas Escrituras: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra “(vs. 16, 17).

Assim como a vida veio a Adão pelo sopro de Deus (Gn 2:7), a Escritura é o sopro de vida para a nossa alma, sem a qual estamos espiritualmente sem vida. Aqui reside o problema de todos os seres humanos descritos nos versos iniciais deste capítulo. Desprovido da vida das escrituras, suas almas estão à deriva em um mar de auto-gratificação. Nenhum Porto da Salvação ou Sólida Rocha existe na qual possam lançar âncora contra as tempestades e provações da vida.

Se não concentrarmos nosso tempo e energia à obtenção de um relacionamento com nosso Senhor, através do estudo diário da Bíblia e oração, o resultado final será evidente “aparência de piedade, mas negando o seu poder” (v. 5) para transformar a vida do vencedor.

A maioria dos habitantes da Terra estão longe de Deus, seu pensamento está continuamente em si mesmo. Eles andam de lá para cá sobre a terra à procura de um momento fugaz de prazer. E há pessoas cujos nomes estão registrados nos livros da igreja e que fielmente pagam o dízimo – eles podem até ser anciãos na igreja – mas, quando o sino do julgamento soar, eles restarão perdidos! Parecer importante e ter o nome listado no livro da igreja não fornece nenhum poder capaz de superar os pecados em sua vida.

Colocar-se em estreita proximidade com Cristo, através do estudo diário de Sua palavra viva, é a chave para se tornar tudo o que Deus quer que você seja. Esta proximidade permite que Ele introduza em você o Seu Santo fôlego de vida, tornando-o sábio para a salvação.

Torne sua a prática diária de escavar profundamente na palavra de Deus – siga os veios de ouro puro que levam diretamente ao seio daquEle que ama muito você. Ao você abrir as Escrituras, faça-o com reverência e santo temor. Lembre-se, você tem em suas mãos o sopro de Deus, pronto para infundir em você a força santificadora do Espírito Santo. “Ele [Jesus] soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo” (João 20:22). Lembre-se, tudo tem a ver com Deus! “Eis que farei entrar o Espírito em vós, e vivereis” (Ez. 37:5 ARA).

Que a nossa oração diária seja: “Senhor, introduza em mim o Seu Santo fôlego de vida.”

Jim Ayer
Vice-Presidente
Rádio Mundial Adventista
Conferência Geral

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/2ti/3/
Traduzido por JAQ/GASQ
Texto bíblico: II Timóteo 3
Comentário em áudio



I Timóteo 6 by Jeferson Quimelli
16 de maio de 2015, 1:00
Filed under: dinheiro, relacionamento, testemunho | Tags: ,

Comentário devocional:

A maioria de nós não vive em uma sociedade de senhores e escravos. Então como podemos aplicar o conselho dos versos 1-5? Bem, nós vivemos em uma sociedade de empregador e empregado, de professor e aluno, de ricos e pobres, de marido e mulher, pais e filhos. Como posso me relacionar com meu empregador ou com quem trabalha para mim, assim como todas as outras pessoas com quem estou em contato diariamente? Um cristão não deve ser hostil a um empregador ou supervisor ou membro da família, mas sim, provar que vive como Jesus, mesmo através dos aborrecimentos da vida diária.

Os versos 6-10 podem ser a antítese do “evangelho da prosperidade.” Nós todos conhecemos as palavras, “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males” (v. 10, NVI). Aceitemos esta verdade e aprendamos a gerenciar nossa renda de acordo com ela. Coloquemos Deus em primeiro lugar em nossas vidas, busquemos o Seu conselho e direção e todas as coisas ocorrerão de acordo com a Sua santa vontade.

Nos versos 11-16, Paulo se dirige diretamente a Timóteo, e faríamos bem em aplicar a nossas vidas: “Você, porém, homem de Deus” (v. 11). “Homem de Deus”, que título! Quem merece tal nome? “Mas tu, ó mulher de Deus.” “Tu, ó Juventude de Deus” – “fuja de tudo isso [cobiça] e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão … até a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo” (vs 11, 14, NVI). Este é o objetivo do Senhor para cada um de nós. Esta é em grande parte a nossa maneira de testemunhar ao mundo.

Lembro-me de visitar uma pessoa que trabalhava em um escritório onde Mable, uma de nossos membros da igreja também trabalhava. A pessoa disse: “Mable é a melhor cristã que eu já conheci.” As circunstâncias da vida de Mable tornavam difícil para ela estar presente todos os sábados. Apesar de irregular em sua presença aos cultos, ela mostrava Cristo brilhando de dentro para fora, influenciando aqueles com quem ela trabalhava, assim como seu marido incrédulo.

Ser fiel a Cristo e Sua doutrina é a mensagem desta carta a Timóteo, e o tema de Reavivamento e Reforma.

Como o meu amor por Jesus cresceu nestes últimos dois anos? Pode o Mundo ver Jesus em mim?

David Manzano
Pastor aposentado
Collegedale, TN USA
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1ti/6/
Traduzido por JAQ/GASQ
Texto bíblico: I Timóteo 6 
Comentários em áudio 




%d blogueiros gostam disto: