Reavivados por Sua Palavra


I JOÃO 5 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
19 de dezembro de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO I JOÃO 5 – Primeiro leia a Bíblia

I JOÃO 5 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

I JOÃO 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal do Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



I JOÃO 5 by Jobson Santos
19 de dezembro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/1jo/5

Entremeado ao longo de I João, culminando no capítulo final, existe um fio condutor: o amor a Deus é revelado na obediência.

O teste decisivo do nosso amor a Deus é uma vida obediente. A verdadeira obediência não é perfeccionismo legalista ou desempenho voltado para o trabalho. Não estamos tentando ganhar a salvação ou apaziguar um Deus irado. Em vez disso, tendo recebido o amor divino, obedecemos com alegria. Ao nos deleitarmos em ser amados, expressamos nosso amor por meio de sermos obedientes em pensamentos e ações. O amor nos capacita a obedecer.

Obedecer aos mandamentos de amor de Deus não é oneroso quando transborda de um coração cheio de amor. O amor alimenta a obediência.

Infelizmente, muitas pessoas obedecem por medo: medo do castigo, medo de perder a aprovação de Deus, medo de estarem eternamente perdidos. Obedecer por medo indica que não estamos cheios de amor. O amor não expulsou o medo.

Deus deseja estabelecer laços com cada um de nós por meio do amor, não do medo. Os laços baseados no medo destroem a verdadeira intimidade espiritual. Temendo não estar à altura, obedecemos e agimos com base na ansiedade e na compulsão, que sempre destroem a sensação de segurança. O amor de Deus destrói o medo para que possamos formar laços de amor seguros com nosso Salvador.

O amor perfeito de Deus nos liberta para obedecer fruto de um amor exuberante e não de um medo exagerado.

Lori Engel
Capelã, Eugene, Oregon, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1410
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



I JOÃO 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
19 de dezembro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1131 palavras

1-5 Resumo dos cap 1-4. Mostra que o amor uns pelos outros, o amor a Deus e a guarda dos mandamentos são elementos inseparavelmente ligados na vida daqueles que creem em Jesus (sobre o cumprimento da LEI de Deus, ver Mt 22:36-40; Jo 14:15; Rm 13:8-10; Gl 5:14). Bíblia de Estudo Andrews.

1 crê. Uma fé ativa e constante, não um pensamento ou sentimento ocasional. Bíblia de Estudo Andrews.

2 todo aquele que ama o Pai ama também o que dele foi gerado. João escreveu numa época em que os membros da família eram estreitamente ligados entre si, numa unidade sob o comando do pai. O apóstolo podia, portanto, citar a família como ilustração para demonstrar que quem amar a Deus, o Pai, amará naturalmente os filhos de Deus. Bíblia de Estudo NVI Vida.

3 não são penosos. Os nascidos de Deus naturalmente passam a amar e a se parecer com o Pai (3:9; 4:7,8; 5:1; Mt 11:28-30). Bíblia de Estudo Andrews.

Não porque os próprios mandamentos sejam leves ou fáceis de se obedecidos, mas, como explica João no v. 4, por causa do novo nascimento. Quem nasceu de Deus pela fé é capacitado a obedecer pelo Espírito santo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Em contraste com as minuciosas obrigações do legalismo judaico (Mt 23.4), o jugo de Cristo é suave (Mt 11.30; cf Rm 12.2). Bíblia Shedd.

4 vence o mundo. Isto é, vive de acordo com o amor e os mandamentos do Pai, não segundo os caminhos do mundo (2:15, 16). Trata-se de uma promessa reclamada pela fé. Bíblia de Estudo Andrews.

Vencer o mundo é conquistar a vitória sobre seu padrão pecaminoso de vida – outra maneira de se referir à obediência a Deus (v. 3). Bíblia de Estudo NVI Vida.

6-13 O testemunho convicto de que quem crê no Filho de Deus tem a vida eterna. Bíblia de Estudo Andrews.

6 água e sangue. Provável representação do batismo de Jesus, que deu início a seu ministério terrestre, e de sua morte na cruz, a qual marcou seu término (Jo 15:26). Bíblia de Estudo Andrews.

Ensinamento contrário aos dos heréticos gnósticos que diziam que cristo se encarnou no homem Jesus por ocasião do Seu batismo, mas que o deixou antes da Sua morte. Bíblia Shedd.

João insiste em que Jesus Cristo é Deus, além de homem (1.1-4; 4.2; 5.5). Agora assevera que foi esse Deus-homem Jesus Cristo quem entrou em nosso mundo, foi batizado e morreu. Jesus era o Filho de Deus, não somente no batismo, mas também em sua morte (v. 6b). Essa verdade é extremamente importante porque, se Jesus morreu somente como homem, sua expiação sacrificial (2.2; 4.10) não teria sido suficiente para eliminar a culpa da humanidade. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Tanto a morte como a ressurreição de Cristo eram negadas pelos [gnósticos] docéticos, os quais negavam a natureza humana de Cristo (4.2). Bíblia de Genebra.

7 três. A lei [do] AT exigia “duas ou três testemunhas”(Dt 17.6; 19.15; v. 1Tm 5.19). Bíblia de Estudo NVI Vida.

No Céu. Evidências textuais apoiam (cf. p. xvi [do CBASD]) a omissão da variante “no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra.”… O texto como se apresenta na [versão] ARA não se encontra em nenhum manuscrito grego anterior aos séculos 15 e 16. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 746. [Obs: O CBASD apresenta interessante exposição adicional sobre esta adição, por Erasmo, ao texto grego da Vulgata, adição esta chamada de Comma Joanina.]

8 O Espírito, a água e o sangue. São aspectos do único batismo de Jesus por nós (Ef 4.4n). O batismo do Espírito (1Co 12.13) e na água (At 2.38) são para todos os que crêem. Bíblia Shedd.

testificam. Sobre quem é Jesus (1:1-3; 5:11). Bíblia de Estudo Andrews.

10-13 O testemunho de que quem crê no Filho de Deus tem a vida eterna. Jesus habita naqueles que creem nele e, por meio de sua presença, os cristãos têm segurança e experimentam a vida eterna hoje (sobre a SEGURANÇA cristã de salvação, ver Jo 3:14; 5:22; Rm 8:31-39). Bíblia de Estudo Andrews.

10 O testemunho (cf Rm 8.16). Refere-se à segurança e paz internas providas pelo Espírito (Fp 4.7). Bíblia Shedd.

11 a vida eterna … está no Seu Filho. Essa é a verdade central da mensagem cristã. Bíblia de Genebra.

13 O Evangelho de João [Jo] foi escrito para despertar a fé (20.31). A primeira epístola [1Jo] foi escrita para dar certeza da fé. Bíblia Shedd.

14-21 Uma síntese das certezas que os cristãos têm em Jesus. Bíblia de Estudo Andrews.

14 se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade. Quanto a outra condição prévia para a oração, v. 3.21, 22. Bíblia de Estudo NVI Vida.

16 seu irmão. A passagem deixa claro o valor da oração intercessora em favor dos que estão presos no pecado. Bíblia de Estudo Andrews.

Não para a morte. Parece inegável que João identifica classes de pecado, pois, um pouco mais adiante, neste mesmo versículo, fala de “pecado para a morte”. Porém, o contexto deve ser mantido em mente. Nos v. 14 e 15, ele deu a segurança de que as orações dos crentes serão respondidas. Aqui ele aplica a promessa a um tipo específico de oração (a que se faz em favor de alguém) e explica em que circunstância ela pode ser eficaz. Ao fazê-lo, ele discute duas classes de pecados: aqueles em que há ou não esperança para o pecados. Na primeira classe, a oração pode ser uma ajuda eficaz para a redenção; no segundo, como João explica mais tarde, não há garantia de que a oração será eficaz. Geralmente se entende que o pecado para a morte é o pecado imperdoável ([o pecado para o qual não se pediu perdão e anestesia a consciência, anulando a ação do Espírito] ver com. de Mt 12:31, 32). Portanto, o pecado que não é para a morte é qualquer outra forma de pecado em que um irmão pode cair. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 746.

pecado para morte. A rejeição do testemunho do Espírito, como os oponentes de João faziam, só pode levar à morte (4:1-3; Mt 12:31; Jo 16:7,8; sobre as consequências do PECADO, ver Rm 6:23; Gn 3:1-6). Bíblia de Estudo Andrews.

19 O mundo inteiro jaz no maligno. Isto no sentido que a humanidade é passivamente controlada pelo diabo e seus anjos (Ef 2.2; 6.12). Bíblia Shedd.

Ninguém pode escapar à rede de tentação, pecado e condenação do maligno sem o socorro divino. Mas as pessoas também não podem fugir de sua responsabilidade tentando culpar outro agente, a saber, o diabo, por sua própria situação (Gn 3.12-13). Paradoxalmente, a escravização ao pecado é voluntária (Tg 1.13-15). Somente o Filho de Deus pode destruir a servidão e substituí-la por uma vida de perdão, gratidão e obediência (3.8). Bíblia de Genebra.

21 guardai-vos dos ídolos. Ou seja, de dar preferência a alguém (2:22; 4:1) ou a algo (2:15, 16) em lugar de Deus. Bíblia de Estudo Andrews.

Todo substituto de Deus é um ídolo. João provavelmente refere-se aos erros doutrinários, morais e éticos que, na prática, são idolatria (cf 1 Co 10.12). Bíblia Shedd.



1João 5 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
19 de dezembro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e praticamos os Seus mandamentos” (v.2).

Estamos vivendo no limiar do grande conflito e, como última igreja de Cristo, somos chamados para fazer parte do Seu remanescente: “os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap.14:12). “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os Seus mandamentos; ora, os Seus mandamentos não são penosos” (v.3). E “a vitória que vence o mundo” (v.4) é a nossa fé em Jesus, pois Ele mesmo venceu o mundo (Jo.16:33). O batismo de Jesus, representado pela água, e a Sua morte, representada pelo sangue, significam a confirmação da nova aliança entre Deus e Seu povo. Todo aquele que deseja seguir o exemplo do Mestre, e ser batizado seguindo a Sua ordem, encontrará resistência como Ele mesmo encontrou. E a menos que esteja munido da armadura de Deus (Ef.6:10), revelará uma fé frágil que sucumbirá à primeira prova.

Assim como “o Pai, a Palavra”, que é Cristo “e o Espírito Santo” são um (v.7), fomos chamados a sermos um com o Senhor como Suas testemunhas na Terra. Gosto de pensar que “o Espírito, a água e o sangue” (v.8), representam as três atuações de Deus na vida do cristão:

1. O sangue, quando aceitamos a Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas;
2. A água, como o batismo, o lavar regenerador de Deus no coração e início da carreira cristã;
3. O Espírito, que nos guia a toda a verdade, nos convence do pecado, da justiça e do juízo, levando-nos a uma vida de santificação em Cristo Jesus (Jo.16:8-13).

Estes três “são unânimes num só propósito” (v.8), o propósito de preparar um povo para reencontrar o Seu Deus. Todo aquele, pois, que nisto crê, “tem, em si, o testemunho” (v.10). “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no Seu Filho” (v.11). Portanto, se temos o Filho, temos a vida; se, porém, não temos o Filho, não temos a vida (v.12). Quando o apóstolo Paulo declarou: “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gl.2:20), ele não declarou ter alcançado o estágio final da perfeição, mas a sua entrega, unida à constante obra do Espírito Santo, inculcava em sua mente a fé firme na fiel promessa: “E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mt.28:20). Por isso que ele denominou a batalha espiritual de “bom combate” (2Tm.4:7), porque todo aquele que é nascido de Deus e “não vive pecando”, tem como seu fiel guarda Jesus, o Senhor dos exércitos, “e o Maligno não lhe toca” (v.18).

A oração intercessora, neste grande conflito em que vivemos, terá um papel decisivo nesses últimos dias. Quando um servo ou uma serva de Deus ergue suas súplicas altruístas e empenha-se diariamente a abençoar seus irmãos através de suas orações, sua própria vida recebe um novo fôlego, o Espírito Santo imprime em sua mente o verdadeiro senso de missão e derrama em seu coração o amor de Deus em generosas porções. Não podemos desistir daqueles que Cristo adquiriu com Seu precioso sangue. O “pecado para morte” (v.16) é aquele em que o pecador se recusa a ouvir a voz de Deus e repele o Espírito Santo de sua vida. Aquele que sonda os corações e conhece as intenções nos chama a fazer parte de Seu grande exército, “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef.6:18).

Se “sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno” (v.19), tanto mais precisamos nos firmar nas verdades eternas e perseverar em uma vida de oração. Certamente, somos alvo das orações de alguém, ou de alguns, assim como podemos ser instrumentos de Deus para conduzir pessoas a Cristo por este ministério tão grandioso. O silêncio do suplicante diante dos homens é transformado pelo Espírito em “gemidos inexprimíveis” diante do trono de Deus (Rm.8:26). Façamos uso deste recurso tão grandioso em benefícios! Só a eternidade revelará o seu real alcance. Imitemos o sublime Exemplo: “Tendo-Se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto e ali orava” (Mc.1:35).

Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (v.20). Sigamos, pois, os Seus passos. Vigiemos e oremos!

Feliz semana, exército de oração!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1João5 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



I JOÃO 5 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
19 de dezembro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

I JOÃO 5 – Fica claro nestes cinco capítulos que “não há nada mais importante na vida cristã do que o amor”; que contrasta com o amor de quem não tem Cristo, pois, “somente porque experimentamos o amor que vemos na cruz é que amamos da maneira que distingue o cristão” (Leon Morris).

Morris ainda destaca que “é impressionante que” as cartas de João, “que dão tanta ênfase ao amor, tenham mais referências aos mandamentos de Deus do que qualquer outro livro do Novo Testamento”.

Assim, já na introdução do capítulo, João atesta que, “o teste da verdade para saber se amamos ou não os filhos de Deus é este: amamos a Deus? Guardamos Seus mandamentos? A prova de que amamos a Deus está na guarda dos Seus mandamentos, e eles não parecem difíceis” (vs. 1-3).

Avance em teu estudo. O esboço de Merrill F. Unger auxilia a obter visão mais geral do capítulo em questão:
1. Fé e comunhão:
• A fé nos insere na comunhão (vs. 1-3);
• A fé traz a vitória (vs. 4-5).
2. Testemunho e comunhão:
• O testemunho a respeito do Filho (vs. 6-10);
• A crença no testemunho de Deus (vs. 11-12).
3. A oração e a comunhão:
• A importância da certeza (v. 13);
• O poder da oração (vs. 14-15).
4. A comunhão na oração e o cristão pecador:
• A oração e o problema do pecado grave (vs. 16-17);
• O pecado e seu remédio (vs. 18-20);
• Incumbência final (v. 21).

A fé que não está pautada no amor é insignificante, sem valor para Deus. A fé que não se submete aos mandamentos divinos é deficiente, falha e insuficiente para agradar a Deus, pois está desprovida de submissão ao Salvador. A prática do amor altruísta é o cumprimento da Lei de Deus (Romanos 13:8; Tiago 2:8).

Aquele que é cristão de verdade, ama genuinamente; quem ama de verdade, apreciará grandemente a comunhão com Deus e com os membros de Sua igreja. A fé não repele, ela aproxima e atrai!

A fé em Jesus concede vitória sobre o pecado e o mundanismo; ela dá garantia de vida eterna, certeza da resposta às orações, e transforma nosso coração. Nascer de Deus significa renunciar ao mundo radicalmente.

Após refletir nessas profundas verdades, resta-nos erguer e reavivarmo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: