Reavivados por Sua Palavra


I PEDRO 1 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
7 de dezembro de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO I PEDRO 1 – Primeiro leia a Bíblia

I PEDRO 1 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

I PEDRO 1 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal do Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



I PEDRO 1 by Jeferson Quimelli
7 de dezembro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/1pe/1

Ao longo deste capítulo, há um contraste recorrente entre o temporário e o eterno. Os crentes, aos quais a carta é dirigida, são estrangeiros, residentes temporários e exilados no mundo, enquanto aguardam sua herança eterna. As provações que eles experimentam são apenas temporárias, mas há uma grande alegria pela frente e algumas delas podem ser experimentadas mesmo agora, mesmo em meio às provações atuais. Houve aqueles que não entenderam as realidades da obra de Deus e do Seu amor, mas agora Jesus foi totalmente revelado. Nossas vidas humanas são frágeis e passageiras, mas uma vida baseada na Palavra de Deus durará para sempre.

Definidas desta forma, as comparações são nítidas. O apóstolo está questionando seus leitores sobre como eles estão investindo suas vidas, energia e atenção. Não faz sentido dar prioridade a coisas que simplesmente não duram. As escolhas que vêm por seguir Jesus muitas vezes não são as opções mais fáceis, mas são as mais valiosas, as mais duradouras, as mais reais. As histórias, os ensinamentos e as promessas de Jesus nos dão uma visão de longo prazo e uma perspectiva diferente para pensar acerca de nossas vidas e escolhermos viver de maneira diferente.

Nathan Brown
Escritor e editor, Signs Publishing Company, Melbourne, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1398
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



I PEDRO 1 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
7 de dezembro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

311 palavras

1 Em sua saudação, Pedro se dirige aos cristãos que vivem fora da Palestina como “peregrinos” ou “estrangeiros”, com a implicação de que esta terra é apenas temporária enquanto o céu é o lar permanente dos fiéis a Jesus. Nossa fidelidade é obtida através do poder de Deus, que nos concede uma “esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (v. 3 NVI). Cindy Tutsch, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/06/12/.

Dispersão. Literalmente, “da Diáspora” (ver com. de Jo 7:35). A palavra “diáspora” (ver vol. 5, p. 47, 48) é usada desde aquela época para se referir aos judeus dispersos entre as nações fora da Palestina. Entretanto, não se restringe a esse significado específico. Paulo classificava cristãos e gentios espalhados pela região do Mediterrâneo como membros da “diáspora”. CBASD – Comentário Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 600.

2 Eleitos. Do gr. ekletoi, literalmente, “os escolhidos” (ver com. de Rm 8:33). Os cristãos são aqui considerados escolhidos porque haviam atendido ao chamado de Deus (sobre eleição e salvação, ver com. de Rm 8:29). CBASD, vol. 7, p. 600.

13 Revelação. Do gr. apokalupsis (cf. v. 5, 7). Nessa passagem, Pedro define a caminhada cristã como a realidade crescente da presença de Jesus Cristo, uma comunhão aprofundada que ultrapassa a mais íntima das amizades terrenas. Dia a dia, a vida e a obra do Salvador serão cada vez mais reveladas ao filho de Deus, até que a “revelação”final ocorra na segunda vinda. Os que o adorarão quando O virem são os que já O conhecem nesta vida. CBASD, vol. 7, p. 601.

22 Amor fraternal. Do gr. philadelphia (ver com. de Rm 12:10). A obediência à verdade deve resultar deve resultar em amor pelos irmãos (ver com. de Jo 13:34; IJo 2:9-11; 3:10-18). CBASD, vol. 7, p. 608.

Não fingido. Do gr. anupokritos, “sem disfarce”, “sem hipocrisia”.  CBASD, vol. 7, p. 608.

Amai-vos. Do gr. agapao, afeição governada pela razão e pelo entendimento, na busca do melhor para a pessoa amada (ver com. de Mt 5:43; Jo 21:15). CBASD, vol. 7, p. 608.



1PEDRO 1 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
7 de dezembro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente” (v.22).

Já na primeira carta de “Pedro, apóstolo de Jesus Cristo” (v.1), podemos perceber a obra santificadora do Espírito Santo na vida daquele que, de todos os discípulos de Cristo, certamente era o mais impulsivo e impetuoso. Ao enfatizar a eleição de Deus, lançou por terra o conceito judaico, que por tanto tempo ele mesmo havia defendido, de conquistar a salvação por obras. A eleição divina, no entanto, não significa a obra de um Deus que escolhe uns para a salvação e outros para a perdição, “porque para com Deus não há acepção de pessoas” (Rm.2:11). Consiste, porém, na aceitação ou não do homem quanto ao chamado de Deus. A “presciência de Deus Pai” (v.2), isto é, o fato de Deus conhecer todas as coisas do princípio ao fim, não interfere em nada no livre arbítrio que Ele mesmo nos deu. Não podemos, por exemplo, ir às urnas votar em pessoas que não se candidataram à eleição, mas somente nos candidatos que cumpriram todos os requisitos legais para a candidatura. Da mesma forma, o Senhor não elege aqueles que, voluntariamente, rejeitam a “santificação do Espírito” (v.2).

A eleição divina e obra de santificação, “mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo” (Tt.3:5), ao contrário do que a maioria acredita, não é uma aquisição única e uma exposição de palavras sem sentido e gestos enlouquecidos, e sim “para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo” (v.2). Notem que a obediência vem pela santificação, como um resultado da obra contínua do Espírito Santo na vida do cristão. E assim como a aspersão do sangue do cordeiro no santuário significava a purificação dos pecados, o sangue de Cristo nos lava e nos purifica de todo o pecado. Só por meio da obra redentora de Jesus alcançaremos “a salvação preparada para revelar-se no último tempo” (v.5). Como está escrito: “Eles, pois, o venceram [Satanás] por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida” (Ap.12:11).

Aquele que experimentou o terrível preço de negar Seu Salvador, aprendeu que mesmo “contristados por várias provações” (v.6), os eleitos de Deus devem perseverar na certeza de que, Aquele que sonda os corações, “segundo a Sua muita misericórdia” (v.3), nos estenderá o mesmo olhar de amor que fez estremecer a Pedro naquele dia fatídico (Lc.22:61). Porque é na provação que a nossa fé é fortalecida e confirmado o seu valor, tornando-se “mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo”, para que “redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo” (v.7). Porque este é o resultado da nossa fé: “a salvação da [nossa] alma” (v.9). Todos os esforços estão sendo feitos na Terra “pelo Espírito Santo enviado do Céu” (v.12), e todo o Céu tem trabalhado para que a nossa “fé e esperança estejam em Deus” (v.21) e nEle permaneçam.

Como filhos da obediência” (v.14), somos chamados para sermos santos “segundo é santo Aquele que [nos] chamou” (v.15). Este processo de santificação que redunda em obediência é obra de toda uma vida. E ela não acontece simplesmente pela restrita observância da Lei, mas pela experiência pessoal de quem é guiado pelo Espírito Santo a praticar a essência da Lei: o amor. Leia com muita atenção as citações seguintes do pastor Morris L. Venden:

“Atualmente há pessoas que ficaram tão frustradas com a melhor obediência que puderam prestar em sua própria força, que decidiram abandonar totalmente sua crença na vitória. Sim, os discípulos pecaram, falharam e caíram repetidamente, mas há algo além disso! Através do contínuo relacionamento com Cristo foram transformados à Sua imagem e se tornaram mais do que vencedores por Aquele que nos amou […] Somente o cristão fiel poderá compreender e experimentar o que é realmente a obediência. Não é simplesmente outro esforço para ajudar-se a si mesmo, nem mudança de comportamento, nem o enfoque do pensamento positivo que proporciona mudanças exteriores àqueles que têm suficiente força de vontade para consegui-las. A obediência pela fé provém unicamente do coração e só é alcançada por aqueles que mantém comunhão diária com Jesus Cristo” (Como Conhecer a Deus, p. 118, 119 e 125).

Portemo-nos, pois, “com temor durante o tempo da [nossa] peregrinação” (v.17), “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis” (v.18) que fomos resgatados de nossos pecados, “mas, pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo” (v.19). Prossigamos em sermos regenerados e reavivados pela “Palavra de Deus, a qual vive e é permanente” (v.23), pois, “seca-se a erva e cai a sua flor; a Palavra do Senhor, porém, permanece eternamente.

Ora, esta é a Palavra que vos foi evangelizada” (v.24-25). Permita que ela continue te guiando para Casa! Vigiemos e oremos!

Bom dia, filhos da obediência!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Pedro1 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



COMENTÁRIO I PEDRO 1 – Pr. Heber Toth Armí by Jeferson Quimelli
7 de dezembro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

I PEDRO 1 – As cartas de Pedro visam estimular o crente à vida piedosa. Talvez seja este motivo pelo qual muitos não apreciam suas cartas.

(Muitos “crentes” se jactam de serem parecidos com Pedro, mas sempre com suas atitudes antes da conversão; infelizmente, não apreciam seus ensinamentos resultantes da inspiração do Espírito Santo após sua conversão).

Estas preciosíssimas cartas, “apesar de sua ilustre procedência, não são populares entre os cristãos, a exceção de umas poucas fórmulas que todos conhecemos, como as das ‘pedras vivas’, ou ‘povo sacerdotal’” (Marc Sevin).

· Analfabetismo bíblico é um gigantesco empecilho ao reavivamento espiritual.

Então, anima-te! Tome tua Bíblia e leia-a para orientar tua vida! O capítulo supracitado pode ser assim sintetizado:
· Restaurado do desespero em que se encontrava, o cristão passa a pautar sua vida pela esperança; a qual não é qualquer, é uma esperança viva. Essa esperança revigora em meio às adversidades impostas por uma sociedade alheia aos princípios divinos. O crente espera em Cristo, o qual prometeu levá-lo ao Céu e certamente cumprirá (vs. 1-12).
· Liberto das correntes do pecado, o cristão sai da escravidão imposta pelo diabo para viver uma experiência de liberdade e serviço ao Salvador. Longe da perversidade e da maldade, o crente passa a viver em santidade. Pautando-se pela Palavra de Deus, consciente de um juízo vindouro e o preço pago pelo sacrifício de Cristo, o cristão tem todos os recursos necessários para elevar-se da corrupção para a santificação (vs. 13-21).
· Livres do orgulho, do egoísmo e das correntes do pecado, o cristão que ama a Deus promove a união entre os irmãos. A discórdia, desarmonia e confusão não mais caracterizam ao verdadeiro cristão. O amor altruísta no coração do converso eleva o relacionamento para níveis muito mais altos que os melhores relacionamentos dos ímpios (vs. 22-25).

O segredo para uma vida cristã vitoriosa está em plantar e cultivar a semente da Palavra de Deus no coração. Sem isso é impossível, portanto, reavivemo-nos na Palavra!

Um cristão reavivado louva ao Pai…
· …por ter dado Seu Filho para morrer em seu lugar (vs. 3-4),
· …pelas provações que desenvolvem a fé (vs. 5-7);
· …pela esperança da salvação miraculosa (vs. 8-9).

Anjos querem entender como a salvação pode ser outorgada ao desgraçado pecador! É inexplicável, mas experimentável! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: