Reavivados por Sua Palavra


MALAQUIAS 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
26 de abril de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

933 palavras

1 Sacerdotes. Os que deviam ser os verdadeiros professores e líderes espirituais (ver com. de 2Cr 15:3) são denunciados pelo profeta (Ml 2:1-3). CBASD- Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1239.

2 Amaldiçoarei as vossas bênçãos. Possivelmente, é uma referência às bênçãos que os sacerdotes estavam acostumados a pronunciar sobre o povo (ver Lv 9:22, 23; Nm 6:23-26). No entanto, mais provavelmente seja uma referência às bênçãos que o próprio Deus outorgara sobre eles (ver p. 14, 15), como prometido pelo profeta Ageu um século antes (Ag 2:15-19). CBASD, vol. 4, p. 1239.

. A “maldição” deve estão ter ficado evidente aos sacerdotes e ao povo. CBASD, vol. 4, p. 1239.

3 Atirarei excremento. Evidência extrema de desprezo. CBASD, vol. 4, p. 1239.

Referência às fezes das entranhas dos animais sacrificados. Deveriam ser removidas do santuário e queimadas (Lv 4:11, 12). Receber excremento no rosto seria algo terrivelmente humilhante e desqualificaria o sacerdote de exercer seu ofício. Como os sacerdotes haviam profanado o Senhor (Ml 1:7), Deus os profanaria. Bíblia de Estudo Andrews.

Vossas festas (ARC). Deus não considera como Suas estas festas observadas em Sua honra, porque, na observância das mesmas, os sacerdotes expressavam nada mais que sua própria vontade e seu prazer. CBASD, vol. 4, p. 1239.

4 Minha aliança. A aliança de “sacerdócio perpétuo” (Nm 25:13) foi dada a Fineias, neto de Arão, por sua parte em eliminar a adoração de Baal-Peor do acampamento de Israel (ver Nm 25:3-13). CBASD, vol. 4, p. 1239, 1240.

Com Levi. A tribo de Levi foi escolhida por Deus para o serviço por causa da fidelidade de seus filhos em tempos de crise (ver com. de Êx 32:29). CBASD, vol. 4, p. 1240.

6 Instrução. Do heb. torah, todo o conjunto dos ensinos divinos (ver com. de Dt 31:9; Pv 3:1). Este versículo mostra que Deus pretendia que os sacerdotes fossem líderes espirituais por preceito e exemplo. CBASD, vol. 4, p. 1240.

7 Procurar a instrução. O povo tinha o direito de esperar instrução adequada dos sacerdotes sobre as questões espirituais (ver com. de 2Cr 15:3). CBASD, vol. 4, p. 1240.

10 Pai. Conforme indica o paralelo na frase seguinte, o termo se refere a Deus como pai de Israel (Êx 4:22; Os 11:1), não a Abraão, conforme alguns sugeriram. Bíblia de Estudo Andrews.

Não nos criou o mesmo Deus? De todos os povos antigos, somente os judeus honravam a Deus distintamente como criador, como indicado na observância do sábado do sétimo dia, apontado no quarto mandamento do decálogo (ver Êx 20:8-11). Dessa forma, convinha-lhes considerar seus companheiros como irmãos, acima de todos os outros. É correto esperar hoje que os que honram a Deus como criador considerem todas as pessoas como seus irmãos. CBASD, vol. 4, p. 1240.

11 Judá. Toda a nação de Judá era culpada de afastar-se de Deus. CBASD, vol. 4, p. 1240.

Adoradora de deus estranho. Mulher não israelita que adora ídolos. Os homens de Israel haviam recebido a proibição expressa de se casar com elas para não se afastarem de Deus (Êx 34:11-16; Dt 7:3, 4). Este versículo revela que o principal motivo para a proibição deste tipo de casamento não era racial ou étnico, mas a preservação da pureza religiosa do povo. Bíblia de Estudo Andrews.

12 Seja quem for. Literalmente, “o que vela e o que responde” (ARC). O primeiro, possivelmente, se refere ao vigia ou sentinela, e o segundo, ao povo ou aos soldados despertados pelos vigias para agir. Em outras palavras, embora os transgressores de Judá visualizassem o perigo vindouro, a falta de arrependimento deles requeria que todos eles fossem “eliminados”. CBASD, vol. 4, p. 1240.

13 Ele já não olha para a oferta. Enquanto eles persistissem nos maus caminhos, Deus não aceitaria os sacrifícios que levavam diante dEle. Agir assim seria confirmá-los nos maus caminhos. CBASD, vol. 4, p. 1241.

14-16 Malaquias afirma que o casamento é muito mais do que um contrato civil e envolve uma aliança permanente entre marido e mulher, tendo o Senhor como testemunha. Por isso, Deus

odeia o repúdio. Ele detestava o fato de os homens de Israel colocarem fim a seu relacionamento conjugal para se casar com mulheres estrangeiras. Esta é uma das declarações mais fortes no AT sobre o sentimento de Deus em relação ao divórcio. Bíblia de Estudo Andrews.

14 Por quê? Esta indagação é uma evidência da autojustificação cética do povo (ver com. de Ml 1:2), que se recusa a admitir a culpa (ver p. 1233, 1234). CBASD, vol. 4, p. 1241.

Mulher da tua mocidade. Talvez uma indicação de que muitos desses sacerdotes ímpios tenham despedido a esposa e tomado outra, possivelmente mulheres pagãs (ver Ed 9:1, 2; Ne 13:23-28). Também é possível que o adultério espiritual seja referido neste versículo, como no v. 11. CBASD, vol. 4, p. 1241.

15 Fez … um. O Senhor condena fortemente os homens dos dias de Malaquias que, ao divorciar-se da esposa legítima, violavam os princípios fundamentais de unidade no relacionamento matrimonial. CBASD, vol. 4, p. 1241.

16 Odeia. Deus revela Sua própria atitude pessoal quanto ao divórcio. Portanto, o homem que se divorcia da esposa legítima “cobre de violência as suas vestes”; isto é, da iniquidade, das quais ele não consegue escapar. CBASD, vol. 4, p. 1241.

17 Enfadais. A paciência divina chegou ao fim. Deus suportou por muito tempo a reclamação e o descontentamento de Seu povo. A prosperidade a a glória que eles esperavam logo fosse deles (ver p. 14) não chegaram, e, então, eles questionaram a justiça e a santidade de Deus, bem como a certeza do juízo futuro. CBASD, vol. 4, p. 1241.

Passa por bom. Às vezes, os malfeitores tentam dar a impressão de que, na verdade, são bons e de que são prosperados e abençoados por Deus por causa de sua bondade. CBASD, vol. 4, p. 1241.

O Deus do juízo. O povo não negava a existência de Deus, mas duvidava de que Ele estivesse preocupado com a conduta humana. Para propósitos práticos, eles se tornaram deístas. Os pagãos tinham um conceito semelhante de seus deuses. CBASD, vol. 4, p. 1241.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: