Reavivados por Sua Palavra


HABACUQUE 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
4 de abril de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1375 palavras

1 Por-me-ei. Habacuque demonstra aqui claramente sua fé em Deus. Apresenta-se como alguém que toma posição, assim como um atalaia (ver Ez 3:17; 33:7), num lugar alto, a fim de ter uma visão clara de tudo ao redor e poder ver e ouvir qualquer coisa que se aproxime.

Torre. Do heb. matsor, “uma fortaleza”, isto é, um lugar a partir do qual se resiste a um cerco.

Vigiarei para ver. Habacuque acredita ter apresentado a Deus uma objeção válida ao plano de usar os caldeus como instrumentos contra Judá. (Hc 1:6, 13). Assim ele espera uma resposta (ver p. 1153, 1154).

2 Escreve. O Senhor responde à fé de seu servo e o encoraja em sua obra. A escrita daria permanência às mensagens do profeta.

Tábuas. A referência deve ser a placas colocadas em lugares públicos onde todos poderiam lê-las.

Quem passa correndo. A frase diz, literalmente: “para que seu leitor possa correr”, isto é, lê-la prontamente, fluentemente e sem esforço.

3 No tempo determinado. A visão se cumprirá no devido tempo (ver Gl 4:4).

Se tardar. Segundo o texto hebraico … embora o cumprimento da visão sobre a vinda dos conquistadores caldeus parecesse demorada, no devido tempo ela se cumpriria. Segundo o texto da LXX, a ideia parece ser de que, embora o inimigo parecesse tardar, certamente viria, conforme o predito. … A profecia de Habacuque 2:1 a 4 foi fonte de encorajamento e conforto para os primeiros crentes no Advento, conhecidos como mileritas. Quando o senhor não voltou na primavera de 1844, como se esperava a princípio, os mileritas experimentaram profunda perplexidade. Foi pouco depois do desapontamento inicial que eles viram um significado especial nas palavras do profeta: “Pois a visão aguarda um tempo designado; ela fala do fim, e não falhará. Ainda que se demore, espere-a” (NVI). Eles se apoiaram “na linguagem do profeta” (T1,52) e saíram a proclamar o clamor da meia noite: “Eis o noivo! Saí ao seu encontro!” (Mt 25:6; ver GC, 392).

4 Sua alma. Em sua aplicação primária, estas palavras reprovam o profeta por sua imprudência e falta de fé.

Justo. Do heb. tsadiq, “justo”, “sem culpa”, usado em referência a uma pessoa ou coisa que foi examinada e encontrado em boas condições. Esta frase final apresenta o caráter do homem bom em contraste com o do homem mau descrito na primeira parte do versículo.

. Do heb. ‘amunah, “constância”, “fidedignidade” ou “fidelidade”, usada aqui para descrever a relação de alguém para com Deus. A confiança em Deus vem da certeza de que Ele irá guiar, proteger e abençoar os que cumprem a Sua vontade. Habacuque afirma principalmente que o que vive por fé e confiança pura no Senhor será salvo, mas que perecerá o soberbo, que mostra orgulho obstinado e perversidade no pecado … uma pessoa “viverá ou será aceita aos olhos divinos”, pela fidelidade a Deus que, por sua vez, baseia-se na fidelidade de Deus em cuidar de Seus filhos … Embora primariamente este versículo se refira aos que, por causa de sua fé no Senhor, seriam salvos dos caldeus e encontrariam paz, ainda que Judá fosse destruída, num sentido mais amplo, o versículo enuncia uma verdade aplicável a todos os tempos. Paulo emprega essa declaração do AT mais de uma vez como tema de uma dissertação sobre a justiça pela fé (ver Rm 1:16, 17; Gl 3:11; Hb 10:38, 39).

5 Assim como. Em Habacuque 2:5 a 19, Deus enumera os pecados de Babilônia. Ele sabe que os babilônios são perversos, como Habacuque os acusa (1:13). Deus ainda está no comando dos negócios da Terra e todos – inclusive Habacuque – devem calar-se diante dEle (2:20).

Boca. Do heb. nefesh (ver com. De 1Rs 17:21; Sl 16:10).

Sepulcro. Do heb. she’ol (ver com de Pv 15:11). Como a morte e o she’ol são representados como insaciáveis (Pv 27:20; Is 5:14), assim os babilônios se reuniam e ajuntavam para si “todas as nações” e “todos os povos”.

6 Todos estes. As “nações” e os “povos” (v. 5) conquistados pelos babilônios.

Penhores. Do heb. ‘abtit, palavra que ocorre apenas aqui no AT e cujo significado é considerado como sendo “penhores”, isto é, vestes ou outras coisas dadas como garantia por dívidas. Em outras palavras, faz-se a pergunta: “Quanto tempo a Babilônia vai continuar acumulando dívidas de direito e justiça para com os povos que ela subjuga antes que esses penhores sejam resgatados mediante a aplicação de irada retribuição aos habitantes da Babilônia?

7 Os teus credores. Aqueles que os babilônios prejudicaram se levantariam e os atacariam. Historicamente, foram os medos e os persas que saquearam os caldeus e destruíram os impérios deles.

8 Despojaram a ti. Como vingança, todas as nações tomadas e saqueadas pelos babilônios, principalmente os medos e os persas, iriam destruir os caldeus (ver Rs 21:2; 33:1. A tomada de Babilônia vingaria o “sangue” que os babilônios cruelmente derramaram.

A Terra. Alguns creem que o profeta aqui se refira particularmente à Terra da Palestina.

9 Ajunta… bens mal adquiridos. Literalmente, “um ganhador de mau ganho” para a sua casa; provavelmente, uma referência à família real ou à dinastia babilônica.

Por em lugar alto o seu ninho. Uma figura que significa segurança.

11 Pedra. Uma figura notável para indicar a enormidade da culpa de Babilônia. Não só os homens, mas as coisas inanimadas iriam condenar a iniquidade dos caldeus (ver Lc 19:40).

12 Edifica. Neste terceiro “ai” (ver v.6,9), a condenação repousa sobre os babilônios porque seu poder foi edificado sobre a matança e a “iniquidade” (ver Dn 4:27; cf Mq 3:10). Babilônia foi ampliada e embelezada por despojos tomados das nações conquistadas. Embora este versículo se aplique primariamente a Babilônia, as verdades aqui declaradas são atemporais.

13 Para o fogo. Todos os edifícios e fortalezas dos babilônios erigidos por meio de trabalho escravo, no final apenas combustível para o fogo e assim, ele se fatigariam em vão (ver Jr 51:29, 30, 58.

14 A terra se encherá. Habacuque reitera um pensamento já expresso por Isaías (Is 11:9). A destruição de Babilônia tipifica a destruição de todos os ímpios no dia final.

15 Misturando… seu furor. Como o homem que dá de beber ao seu companheiro para tirar vantagem dele, os caldeus fizeram o mesmo com as outras ações, e era justo que, por sua vez, eles tivessem de beber do cálice da ira de Deus (ver Ap 14:8, 10).

Contemplar as vergonhas. Esta é uma figura que ilustra (ver Gn 9:20-23) a condição humilhante à qual as nações conquistadas eram reduzidas sob o governo iníquo e tirano dos babilônios (ver Lm 4:21).

16 Farto. O mau tratamento imposto por Babilônia aos oprimidos provocaria sua própria queda. Eles iriam beber até o fim a taça da retribuição divina.

Exibe a tua incircuncisão. Isto é, que Babilônia receba o mesmo tratamento ignominioso que dispensou a outros (ver com. do v. 15). … Em outras palavras, os babilônios deviam sofrer as mesmas indignidades e crueldades impostas aos inimigos conquistados.

17 Violência contra o Líbano. Alguns consideram que “Líbano” aqui seja uma referência ao templo de Jerusalém, que fora construído de cedros do Líbano (ver 1Rs 5; Zc 11:1, 2).

18 Aproveita. O profeta ironicamente pergunta que benefício os caldeus tiram da confiança depositada em seus deuses (ver Is 44:9, 10; Jr 2:11). Frequentemente, o AT enfatiza a loucura de se confiar em “ídolos mudos” (ver Sl 115:4-8; Jr 10:1-5; etc.).

19 À maneira. Madeira e pedra eram os materiais comuns usados no antigo Oriente para fazer estátuas.

De ouro e de prata. Estes metais preciosos eram usados para embelezar a pedra ou a madeira (Is 40:19; ver com. de Dn 3:1).

20 O senhor. Deus está em Seu templo, sentado no trono. Ele guia o destino das nações (ver com. Hc 2:5; Dn 4:17).

Seu santo templo. Habacuque, de maneira desafiadora, apresenta a diferença entre o Deus vivo e majestoso e os ídolos vãos e sem vida. Embora o profeta primariamente se refira ao templo de Jerusalém como o lugar da habitação do Deus verdadeiro, em sentido mais amplo, ele talvez estivesse pensando também no “templo” de Deus do Céu (ver 1Rs 8:27-30; Sl 11:4; Mq 1:2, 3). Devido à exaltada majestade de Deus, “toda a terra”, constituída pelos súditos do Rei do universo, é convocada a esperar, silenciosa e humildemente, diante dele (Sl 46:10; ver com. de Sl 76:8).

Cale-se. Isto é, não se atreva a questionar a sabedoria de Deus na condução do destino das ações, como Habacuque o fez (Hc 1:1; 2:1). A linguagem deste versículo é, às vezes, apropriadamente aplicada à reverência na casa de Deus, embora esse não fosse o intento original.

Toda a terra. Isto é, todos os seres humanos inclusive o profeta Habacuque (ver com. de Hc 1:13; 2:1, 4).

 

Referências: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1159-1160.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



<span>%d</span> blogueiros gostam disto: