Reavivados por Sua Palavra


SALMO 107 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
19 de maio de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 107 – Leia a Bíblia antes

SALMO 107 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

SALMO 107 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)



SALMO 107 by Jeferson Quimelli
19 de maio de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/107

Quando o problema envolve os filhos de Deus, Ele ouve os seus gritos e os resgata da angústia.

Você está perdido em um terreno baldio emocional, sedento de graça e faminto de esperança? Deus pode libertar você, estabelecendo seu coração em segurança, satisfazendo sua alma com coisas boas. Agradeça!

Você está atolado na mais sombria escuridão, prisioneiro de seus próprios vícios e erros? Deus pode tirar você das trevas e remover seus grilhões, libertando seu coração cativo. Agradeça!

Seu corpo está atormentado pela doença, aproximando-se cada vez mais da porta da morte? Deus pode curá-lo, resgatando-o da sepultura que acena. Agradeça!

As tempestades financeiras e relacionais ameaçam sua família? Deus ainda pode enfrentar as tempestades iminentes em sua vida. Agradeça!

Não importa os desafios monstruosos que você enfrenta, deixe a mensagem melódica do Salmo 107 proporcionar consolo: Deus é especialista em operações de SOS. Ele está constantemente em missões de busca e salvamento, buscando o que está em perigo. Confie em Seu coração salvífico.

Depois de resgatado, nunca se esqueça: você tem uma história para contar, uma história que só seu coração pode contar. Agradeça por Seu amor infalível e conte Suas obras maravilhosas. Que todos os sábios ponderem o grande amor do Senhor!

Lori Engel
Capelã (atualmente com deficiências)
Eugene, Oregon EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=831
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli



SALMO 107 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
19 de maio de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

791 palavras

O Salmo 107 inicia o Livro Cinco do livro dos Salmos (ver p. 705). Em questão de beleza poética este poema se classifica entre as mais sublimes produções da literatura. Sua construção é singular e foi composto para ser cantado alternadamente. As estrofes são simétricas. Primeiro há uma descrição da calamidade, então um clamor por auxílio seguido de resposta imediata. segue-se, então, um chamado ao agradecimento complementado pelo motivo do chamado. Os duplos refrões com suas variações são muito sugestivos (ver v. 6-9, 13-16, 19-22 e 28:32). Depois da introdução (v. 1-3), em que os redimidos são convidados a louvar a Deus, o salmista apresenta quatro sequências marcantes de pensamentos em quatro estrofes. A primeira estrofe (v. 4-9) descreve o cuidado de Deus com os peregrinos no deserto. A segunda (v. 10-16) retrata a Deus como o libertador de prisioneiros. A terceira estrofe (v. 17-22) define a Deus como o grande médico. A quarta (v. 23-32) apresenta a Deus como soberano do mar. Neste ponto a estrutura literária do poema é alterada. Os v. 33 a 42 falam da bênção que sobrevêm aos justos e da maldição como porção dos perversos. O salmo termina com um apelo para que o sábio reflita sobre os fatos apresentados e compreenda melhor a benignidade de Deus (v. 43). CBASD – Comentário Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 980.

1 Bom. Do heb. tov. A bondade é um dos grandes atributos de Deus. Deus não é somente bom, mas é também a fonte da qual flui toda a bondade. CBASD, vol. 3, p. 980.

Misericórdia. Do heb. chesed, “amor divino” … O salmista estava consciente de que a bondade e a misericórdia de Deus o acompanhavam constantemente (ver com. do Sl 23:6). CBASD, vol. 3, p. 980.

2 Digam-nos os redimidos. Embora os seres humanos tenham se vendido ao adversário por meio de seus pecados, o Céu pagou um preço infinito para comprá-los de volta (ver GC, 416). Os redimidos de todos os povos têm motivos para dizer que Deus é bom e que a Sua misericórdia dura para sempre. Deveríamos contar o que Deus tem feito por nós com mais fervor, e o amor por Ele se aprofundará na medida em que é expressado (ver PJ, 298). CBASD, vol. 3, p. 980.

5 Desfalecia neles a alma. Esta é uma descrição gráfica da condição do povo no deserto. O desespero os dominou devido às lamentáveis circunstâncias. Tal condição não convém aos redimidos. Deus deseja que Seu povo seja alegre. Para aqueles que afirmam confiar nEle, “o desânimo é pecaminoso e irrazoável” (PR, 164). CBASD, vol. 3, p. 980.

7 Caminho direito. O caminho direito é o caminho reto. Os caminhos do pecado são tortuosos. O caminho reto é o mais fácil e rápido para o lar celestial. CBASD, vol. 3, p. 980.

8 Rendam graças. Recordar o que Deus fez ao resgatar o ser humano da escravidão do pecado e não harmonizar as vozes em adoração e gratidão Àquele que fez tantas maravilhas certamente é uma demonstração de ingratidão. CBASD, vol. 3, p. 980.

10 Assentaram nas trevas. Ver com. de Sl 23:4. As prisões antigas eram, geralmente, galerias escuras, e os pés e mãos dos prisioneiros eram presos a grilhões de ferro. Numa cela escura e triste o acusado esperava sua sentença. Esta é uma ilustração de todos os filhos de Adão antes que o grande Libertador viesse para abrir as portas da prisão e os libertasse. A obra do Redentor era abrir a prisão aos que estavam presos e proclamar liberdade aos cativos (ver Is 61:1; Lc 4:17, 18). CBASD, vol. 3, p. 981.

11 Desprezado o conselho. Eles não apenas desobedeceram; eles desprezaram o conselho de Deus. Quando as pessoas e as nações não seguem o plano de Deus e são infiéis a Ele, trazem sobre si perplexidade e problemas. CBASD, vol. 3, p. 981.

21 Rendam. Ver com. do v. 8. Por que as pessoas não louvariam tão grande Deus, médico e doador da vida? É difícil compreender por que pessoas pelas quais Deus fez tanto se esquecem de Sua misericórdia. Quando o Mestre andou pelas planícies da Palestina e curou todo tipo de enfermidade, deparou-Se constantemente com a ingratidão. Ele perguntou: “Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove?”Apenas um leproso voltou para agradecer, e ele era um samaritano (Lc 17:15-18). CBASD, vol. 3, p. 981.

22 Ações de graças. Do heb. todah, “canção de ação de graças”. Quando acompanhada do repúdio ao pecado, representa confissão. CBASD, vol. 3, p. 981.

30 Desejado porto. Ao leme há um capitão que conduz os seres humanos em segurança ao porto celestial, para alegria deles. CBASD, vol. 3, p. 982.

34 Deserto salgado. Do heb. melechah, “sabor salgado”, “região salgada”. Quando um inimigo desejava destruir um local e torná-lo improdutivo, ele o cobria com sal (ver Jz 9:45; cf. Gn 19:24-28). CBASD, vol. 3, p. 982.

39 Reduzir-se. As pessoas se tornam orgulhosas com seu sucesso material quando não reconhecem a Deus como aquele que produz o crescimento. Deus os humilha com a pobreza com o intuito de salvar-lhes a alma. CBASD, vol. 3, p. 982.



SALMO 107 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
19 de maio de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor, e Ele os livrou das suas tribulações” (v. 6, 19 e 28).

Por mais que saibamos que neste mundo teremos aflições, nunca estamos suficientemente preparados para enfrentá-las. Elas nos causam uma sensação de impotência, tristeza e desânimo. Todos nós passamos por momentos angustiosos e, muitas vezes, difíceis de entender. Alguns acontecem não por nossa própria vontade. Outros são resultado de nossa própria insensatez. Porém, apesar de nos serem agentes negativos, há uma promessa divina que faz com que possamos enxergar uma luz no fim do túnel: “Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor de todas o livra” (Sl.34:19).

Cristo mesmo nos advertiu: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo” (Jo.16:31). Os “remidos do Senhor” (v.2) não estão livres de passar por tribulações. Lembremos que ainda somos pecadores e que este mundo não é o Céu. Estamos sujeitos a passar “pelo vale da sombra da morte” (Sl.23:4), mas precisamos confiar de que o Senhor Deus está conosco e que usará a Sua vara e o Seu cajado para nos consolar.

Quantas vezes causamos o nosso próprio infortúnio por andar “errantes pelo deserto” (v.4). O deserto não surge em nossa vida para nos fazer cair, e sim para nos educar e fortalecer. Lembrem do exemplo de Cristo (Leia Mt.4:1-11). O que vai tornar o nosso deserto em bênção ou maldição são as nossas escolhas. Somos livres para escolher andar “por ermos caminhos” (v.4), ou ser conduzidos por Deus “pelo caminho direito” (v.7). Somos livres para escolher nos rebelar “contra a palavra de Deus” (v.11), ou por ela sermos sarados e libertos do poder da morte (v.20). Somos livres para escolher entre a estultícia (v.17) e a sabedoria (v.43).

A segunda voz angélica nos faz uma séria e urgente advertência: “Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição” (Ap.14:8). Babilônia representa um sistema religioso que ensina o engano, um falso sistema de adoração. E o Senhor, por intermédio do Seu profeta, nos faz o seguinte chamado: “Fugi do meio da Babilônia, e cada um salve a sua vida; não pereçais na sua maldade; porque é tempo da vingança do Senhor: Ele lhe dará a sua paga” (Jr.51:6). Um apelo semelhante é feito em Apocalipse 18:4, quando o quarto anjo anuncia a mensagem do Senhor: “Retirai-vos dela [Babilônia], povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos”.

Amados, Deus não permite que sejamos tentados além das nossas forças (1Co.10:13). E nem que sejamos provados se não for para o nosso crescimento e amadurecimento cristão. Jesus tornou-se semelhante a nós e como homem venceu as tentações e suportou as provações para nos deixar exemplo de que, se seguirmos os Seus passos, como Ele e com Ele, sairemos “vencendo para vencer” (Ap.6:2). Portanto, rendamos “graças ao Senhor por Sua bondade e por Suas maravilhas para com os filhos dos homens!” (v.8, 15, 21, 31) e “[tenhamos] por motivo de toda alegria o [passarmos] por várias provações, sabendo que a provação da [nossa] fé, uma vez confirmada, produz perseverança” (Tg.1:2-3). E qual é a perseverança dos santos? “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap.14:12). E aquele “que perseverar até o fim, esse será salvo” (Mt.24:13). “Quem é sábio atente para essas coisas e considere as misericórdias do Senhor” (v.43). Vigiemos e oremos!

Bom dia, sábios de Deus!

Desafio da semana: Estude a Bíblia com alguém via vídeo conferência. Peça ao Espírito Santo por sabedoria e para lhe indicar quem esteja interessado.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo107 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 107 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
19 de maio de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 107 – O livro de Salmos está dividido em cinco livros menores:

LIVRO I – Salmos 1-41
LIVRO II – Salmos 42-72
LIVRO III – Salmos 73-89
LIVRO IV – Salmos 90-106
LIVRO V – Salmos 107-150

O Salmo 107 é a abertura do quinto e último livro dentro do Livro de Salmos. Sua introdução (vs. 1-3) “dá ao salmo seu âmbito histórico na grande libertação de Israel do exílio, o tema sobre o qual o restante do salmo dá as variações. A palavra ‘remidos’ traz ecos do costume que obrigava o parente a se interpor para livrar seu aparentado próximo da dívida ou da escravidão. Deus fizera exatamente aquilo; e a palavra ‘congregou’ responde precisamente à oração de 106:47. Esta combinação entre a petição e a resposta tem persuadido alguns expositores que os Salmos 105-107 formam uma trilogia, a despeito da fronteira tradicional entre os Livros IV e V, contando a história da graça de Deus na Sua escolha e cuidado de Israel (105), Sua longanimidade e castigos (106) e, finalmente, Sua recuperação da nação (107). Kirkpatrick indica que há um elo entre os três na expressão ‘as terras’, que cristaliza a promessa (105:44), o castigo (106:27) e o salvamento (107:3)” (Derek Kidner).

O Salmo nos oferece quatro quadros em que pessoas experimentaram o livramento do Senhor quando clamaram com fervor: Os…

• …perdidos e errantes do deserto (vs. 4-9);
• …presos/cativos/escravos (vs. 10-16);
• …enfermos/doentes (vs. 17-22);
• …marinheiros solapados por tempestade violenta (vs. 23-32).

Deus está no controle de tudo e pode agir em qualquer adversidade, contudo, precisamos clamar a Ele com sinceridade (vs. 33-42).

Derek Kidner conclui seu comentário deste Salmo dizendo que “o livro de Oseias encerra-se com uma nota semelhante a esta [v. 43]: uma lembrança sóbria no sentido de não sermos levados pela eloquência, numa resposta pouco profunda àquilo que Deus fez em profundidade, ou na participação puramente imaginativa num capítulo da história. Neste quadro quádruplo da qual houve livramento, o leitor deve se reconhecer a si mesmo, e é a fidelidade de Deus que agora deve louvar com nova compreensão”.

Conforme o Salmo, Deus é…

• Bom;
• Misericordioso/gracioso;
• Fiel;
• Libertador/salvador;
• Abençoador.

Deus nos liberta das nossas aflições e nos redime dos nossos pecados para que O louvemos e anunciemos a Sua salvação (vs. 1-3). Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: