Reavivados por Sua Palavra


SALMO 104 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
11 de fevereiro de 2017, 12:30
Filed under: Sem categoria

“Que variedade, SENHOR, nas Tuas obras! Todas com sabedoria as fizeste; cheia está a terra das Tuas riquezas” (v. 24).


No princípio, criou Deus os céus e a terra” (Gênesis 1:1), é o primeiro versículo das Escrituras. Ele é o Doador da vida. “Elohim” é o Criador de todas as coisas. Ele inicia a Sua Palavra como o Criador e a encerra como Criador: “Eis que faço novas todas as coisas” (Apocalipse 21:5).

Ao longo da história, a humanidade tem justificado as suas teorias sobre a origem da vida cavando em terra que já tem Dono. Em cada descoberta a ciência atribui uma porção de milhares de anos a fim de reforçar sua teoria evolucionista. Sendo que NUNCA o homem pôde ver uma espécie de ser vivo se transformar em outra. NUNCA pudemos testemunhar uma explosão que tenha originado vida. Muito pelo contrário, um macaco sempre foi e sempre será um macaco, e explosões só trazem destruição e morte.

Ultimamente, a opinião de um líder religioso mundialmente conhecido causou uma divisão no meio cristão. Ele se levantou a favor da evolução como se fosse uma intervenção divina e se referiu à criação do Gênesis como apenas uma linguagem poética, e não literal. Anular o fato de que “no princípio, criou Deus os céus e a terra” é querer anular toda a Bíblia. É duvidar do poder de Deus e da palavra que sai de Sua boca. Lembrem do que diz no final da primeira mensagem angélica para os últimos dias: “…e adorai Aquele que fez os céus, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apocalipse 14:7).

A quem decidimos acreditar e seguir? A Deus e Sua Palavra, ou a homens falíveis que assediam o mundo com tradições que não têm harmonia alguma com as Escrituras? Cuidado, amados! Deixar de crer na Bíblia como única regra de fé e prática é dar um pulo para dentro do abismo, é dar ouvidos ao pior dos enganos satânicos.

A sabedoria do SENHOR é tão vasta, que mesmo com a degradação já causada pelo pecado, ainda hoje nos deslumbramos com a natureza e seus encantadores detalhes. E da mesma forma que Deus criou todas as coisas no princípio, Ele renovará a Terra (v. 30) e o mesmo Espírito que no início “pairava por sobre as águas” (Gênesis 1:2), trará nova vida aos salvos. O Deus que no início disse: “Haja luz” (Gênesis 1:3), e que é “coberto de luz como de um manto” (v. 2), recriará este planeta sem que haja necessidade de luz artificial nem de luz solar, “porque o SENHOR Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos” (Apocalipse 22:5).

Meus amados, precisamos tomar uma decisão e deve ser HOJE (Vide Hebreus 3:15), AGORA (Vide II Coríntios 6:2)! Percebam a ligação e a perfeita harmonia entre o primeiro e o último livro da Bíblia. Há uma coerência inquestionável e uma confirmação tremenda com as palavras de Jesus: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o PRINCÍPIO e o FIM” (Apocalipse 22:13). Você seguirá as fábulas humanas ou, como o salmista, adorará o Criador? Oxalá que seja a segunda opção!

Bom dia, frutos da criação de Deus!

Desafio do dia: HOJE, oremos para que, apesar da angústia e dos enganos satânicos, estejamos sempre alicerçados na Palavra de Deus. 

*Leiam #Salmo104

Rosana Garcia Barros



SALMO 103 by jefersonquimelli
11 de fevereiro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O Salmo 103 é um dos salmos mais alegres e bonitos. Quando nosso filho era adolescente, uma vez eu li este salmo em voz alta no fim do sábado. Quando eu terminei, ele falou, com lágrimas na voz: “Isto é LINDO!”

Este Salmo é trabalhado como se fosse uma grande sinfonia musical, com quatro partes. Leia em voz alta e dê uma boa pausa após cada seção.

Na seção introdutória (v. 1-5), o orador fala para si mesmo. O Salmo 103 mostra-nos como falar para nós mesmos e ensinar à nossa alma a se lembrar de todos os benefícios do Senhor: como Ele perdoa os nossos pecados, cura as nossas doenças, nos redime da destruição, coroa-nos com graça e misericórdia e satisfaz nossa boca com coisas boas. Ele nos mostra de que modo proceder a fim de louvar a Deus.

Na segunda parte (vs. 6-14), o salmista se transforma de orador a porta-voz dos filhos de Israel, lembrando como o Senhor os livrou da opressão egípcia e foi “misericordioso e compassivo, mui paciente e cheio de amor” (v. 8 NVI).

A terceira parte (vs. 15-18) ilustra a brevidade da vida do homem sem Deus.

Na quarta seção (v. 19-22a) o salmista resume por que Deus ajuda os indivíduos e seu povo: “O Seu reino domina sobre tudo” (v. 19b). Então, o orador convida uma miríade de anjos e todas as obras de Deus para louvá-Lo.

Ao lermos o final do verso 22, podemos nos juntar ao salmista enquanto ele repete a primeira linha do Salmo: “Que todo o meu ser Te louve, ó Senhor!” (v. 22b, NTLH).

R. Lynn Sauls
Professor aposentado de inglês e jornalismo
Southern Adventist University,EUA

 

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/103 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/103/
Versão anterior expandida: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/11/18/salmo-103/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 103 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



SALMO 103 – VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO by jefersonquimelli
11 de fevereiro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

Salmo 103 – Vídeo Pr Evandro Fávero (TV Novo Tempo)



SALMO 103 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jefersonquimelli
11 de fevereiro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 103 – Nossas orações podem ser individuais ou coletivas; pessoais ou nacionais; secretas ou públicas; para nosso próprio favor ou em favor dos outros (intercessora), mas nunca de forma egoísta e/ou desprovida de sinceridade.

O Comentário Bíblico Africano observa que “no salmo 102, o salmista expressou a Deus desânimo e aflição profundos sobre sua situação pessoal e a de sua nação. No salmo 103, muda de tom e agradece pelas muitas bênçãos que Deus concedeu a ele e à nação”.

• Sempre que orarmos extraindo palavras do fundo do coração, crendo que de fato Deus nos atende, certamente seremos atendidos; porém, tanto quanto somos atendidos devemos ser agradecidos.
• Sempre que orarmos por nós, deveríamos interceder por amigos, colegas de trabalho/escola, vizinhos, conterrâneos e pelas nações para que Deus atue para o bem de todos.

O Salmo em apreço pode ser dividido em três partes:

1. Devemos render graças a Deus por diversas razões. Devemos falar de nós mesmos e entregar-nos à reflexão para relembrar cada um dos benefícios que recebemos misericordiosamente de Deus (vs. 1-5). O salmista nos ajuda:
a) Ele perdoa cada um dos nossos pecados;
b) Ele cura cada uma de nossas doenças;
c) Ele nos liberta e salva de qualquer situação;
d) Ele nos coroa com amor e misericórdia;
e) Ele nos envolve com bondade;
f) Ele nos restaura e vivifica em Sua presença.

2. Devemos, como igreja ou como nação, coletivamente render graças ao Senhor (vs. 6-18); porque…
a) Ele faz justiça aos oprimidos da sociedade;
b) Ele não nos trata como merecemos, mas com misericórdia, amor, bondade e graça;
c) Ele perdoa nossos pecados, Jesus é Seu presente para nos livrar da condenação;
d) Ele sabe de nossas limitações, fraquezas e rebeldias, e nos trata como um Pai bondoso, mas firme para nos orientar e transformar.

3. Devemos nos unir aos seres de todo o Universo para render louvores ao Soberano Senhor (vs. 19-22):
a) Os exércitos de anjos louvam e obedecem ao Senhor, devemos nos unir a eles;
b) Todos os seres viventes do Universo devem louvar ao Criador.

Faça das palavras conclusivas do salmista as tuas palavras: “E você, ó minha alma, esteja pronta para falar bem do Eterno” (v. 22).

Senhor, ajuda-nos a louvar-Te como mereces! Amém. – Heber Toth Armí.



SALMO 103 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS  by Ivan Barros
11 de fevereiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR se compadece dos que O temem” (v. 13).


Não tem uma imagem que retrate mais a paz do que a de uma criança dormindo. O rosto sereno e o sono tranquilo revelam a ausência de preocupação. A criança em tenra idade é totalmente dependente dos pais e requer cuidados especiais que jamais conseguiria prover sozinha para si. Os pais procuram oferecer ao infante tudo o que ele necessita, além de lhe ser a primeira lição que precisa aprender, de que a figura paterna deve ser a representação terrena do Pai celeste.

Quando Deus tirou o Seu povo do Egito, lhes proveu água, alimento, proteção, amor e estabeleceu regras. Ora, não é isso que todo o pai deve fazer por seus filhos? Deus manifestou “os Seus feitos aos filhos de Israel” (v. 7), como Pai, cuidando de cada uma de suas necessidades. Por mais que o povo se comportasse como um filho rebelde, ao arrepender-se, o SENHOR o perdoava e o sarava (v. 3). A isso chamamos misericórdia e compaixão (v. 8).

Imaginem que um filho desobedeceu o pai. Então, esse pai olha para ele e muito friamente diz: 

– Pode ir embora, você não me serve mais!

A atitude correta não seria a de procurar corrigir o filho e orientá-lo a não mais agir daquela forma? O nosso Pai é “assaz benigno” (v. 8). “Ele é benigno até para com os ingratos e maus”, afirmou Cristo (Lucas 6:35). E ainda disse: “Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos Céus, dará boas coisas aos que Lhe pedirem?” (Mateus 7:11).

Como ninguém, “Ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó” (v. 14). Deus conhece a nossa condição vulnerável e mortal (v. 15-16), e nos oferece a Sua eterna misericórdia e a Sua justiça “sobre todos que O temem… sobre os filhos dos filhos, para com os que guardam a Sua aliança e para com os que se lembram dos Seus preceitos e os cumprem” (v. 17-18). Agora, percebam a ligação perfeita com os textos a seguir:

“Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez os céus, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apocalipse 14:7). Quem fez céus, terra e mar? O mesmo que disse:

“Lembra-te do dia de sábado para o santificar… porque em seis dias, FEZ O SENHOR OS CÉUS E A TERRA, O MAR E TUDO O QUE NELES HÁ” (Êxodo 8 e 11). Então, o Deus que não muda (Vide Tiago 1:17), o mesmo que com o dedo escreveu os Seus mandamentos, disse que nos últimos dias, o povo de Deus, os que O temem, serão estes: “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Apocalipse 14:12).

Meus amados, se somos filhos do SENHOR e almejamos a Sua herança; se queremos um dia estar na morada dos anjos, como eles devemos obedecer a Sua Palavra e fazer a Sua vontade (v. 20-21). Sabem porquê? Porque o Pai só quer o melhor para os Seus filhos. E se Ele disse: “Não terás outros deuses diante de Mim… Lembra-te do dia de sábado para o santificar… Não matarás… Não adulterarás…” (Vide Êxodo 20), é porque Ele nos ama e os Seus mandamentos nos são uma proteção contra os nossos pecados. A transgressão da lei (Vide I João 3:4) é pecado e “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23).

Somos chamados a bendizer o nome de Deus com tudo o que somos (v. 1), e isso só é possível quando há arrependimento e total entrega à Sua vontade. Quem assim aceita viver, nem a morte o separará do amor de Deus, “que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Vide Romanos 8:38-39). Ele entregou o Seu único Filho para que mediante a vitória sobre a morte, possa em breve nos coroar “de graça e misericórdia” (v. 4) e renovar a nossa mocidade pela eternidade sem fim (v. 5).

Como uma criança, aceite os cuidados de seu Pai e seja-Lhe submisso. Lembre-se de que “se não vos converterdes e não vos tornar como crianças, DE MODO ALGUM entrareis no Reino dos Céus” (Mateus 18:3).

Bom dia, crianças do SENHOR!

Desafio do dia: Já estamos no nosso terceiro dia de oração. Hoje, oremos para que possamos aceitar o verdadeiro selo de Deus em nossa vida e para que estejamos firmes ao lado do SENHOR no grande conflito.

*Leiam #Salmo103

Rosana Garcia Barros 




%d blogueiros gostam disto: