Reavivados por Sua Palavra


NÚMEROS 27 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
6 de junho de 2022, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO NÚMEROS 27 – Primeiro leia a Bíblia

NÚMEROS 27 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

NÚMEROS 27 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



NÚMEROS 27 by Luís Uehara
6 de junho de 2022, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/nm/27

Maalá, Noá, Hogla, Milca e Tirza, as cinco filhas de Zelofeade, são lembradas como heroínas defendendo a causa da justiça. No entanto, se pararmos por aí, perderemos muito da história. Quando essas mulheres sem pai apresentaram seu pedido diante dos líderes da congregação, elas não foram ignoradas e dispensadas. Moisés, independente de qual fosse sua opinião pessoal, levou o caso ao Senhor, o verdadeiro herói nesta narrativa.

Deus viu os invisíveis daquela sociedade. Ele conhecia suas circunstâncias – a tristeza, a perda e a dificuldade que haviam enfrentado. Ele ouviu os pedidos daqueles que não tinham voz. Esse Deus atento não apenas entendeu, mas também agiu em favor delas, e em nome daqueles que, nas gerações futuras, se encontrariam em circunstâncias semelhantes.

Hoje, para a minha geração, para a sua geração, Ele é o mesmo Deus fiel. Ele vê quando ninguém mais percebe. Ele conhece as profundezas inexploradas do coração. Ele ouve até mesmo os gritos silenciosos. Ele percebe a injustiça. E ele age. Ele é o campeão indiscutível da justiça e da misericórdia em nossas atuais circunstâncias.

Obrigada, Senhor, por ser o herói desta filha também sem pai.

Sharon Szynkowski
Esposa e ajudadora do pastor das igrejas Adventistas do Sétimo Dia de Alpena e Onaway
Michigan, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/27
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



NÚMEROS 27 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
6 de junho de 2022, 0:50
Filed under: Sem categoria

1529 palavras

1 Esta narrativa está dentro do assunto da divisão da terra, cuja legislação segue o segundo censo, no capítulo anterior. […] O 27º capítulo nos ensina: 1) Como solucionar as dificuldades, levando-as a Deus; 2) A beleza do caráter: Moisés não se queixou, preocupando-se comente com o progresso do povo de Israel, vs 12-16; 3) O segredo do poder: o Espírito de Deus, v 18; 4) O líder de Israel tinha de ser um tipo de Cristo, na obra de reger, guiar e cuidar, 17  (Bíblia Shedd).

à porta da tenda da congregação. Sem dúvida, era costume de Moisés, Eleazar e dos príncipes se reunirem à porta do tabernáculo para congregar como um tribunal (Êx 18:25,26). Isso significava que, se fosse necessário, Moisés teria facilidade de se achegar a Deus e consultá-lo (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

No seu próprio pecado. Isto é, em pecados pessoais dos quais todos eram culpados, não um pecado de franco desafio ou negligência voluntária. (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

Tivera uma morte natural dentro daquela geração rebelde que não tivera licença de entrar na Terra Prometida, 14.2-4, 21-23. Não foi executado, 16.26-35  (Bíblia Shedd).

Por que se tiraria o nome de nosso pai…? As moças quiseram preservar a herança e o nome de seu pai,  (Bíblia Shedd).

Na sociedade patriarcal israelita, a herança ocorria através dos homens. Contudo, o falecido Zelofeade havia tido apenas filhas mulheres, que não poderiam, pelo costume vigente, receber nenhuma herança. Assim, seu nome não estaria ligado a nenhuma porção da terra prometida de modo que se mantivesse sua memória viva (comparar Rute 4). Isto significava puni-lo injustamente após a morte. A solução seria que suas filhas pudessem receber sua herança, neste caso (ver tb cap. 36) (Andrews Study Bible).

Essas proteções, bem como a proibição de transferências permanentes de terras de uma família para outra, estavam arraigadas no fato de que Deus era o proprietário supremo da Terra Prometida (Lv 25.23) e que Ele tinha confiado essas terras a todo o seu povo, como uma boa dádiva e uma possessão permanente a ser desfrutada (Lv 25.34; Dt 6:10-12; 8.10-13). As terras não eram simples propriedades privadas a serem transferidas com base nas convenções e acordos humanos. Pelo contrário, simbolizavam a vida com Deus. Bíblia de Genebra.

Moisés levou a causa delas. A decisão do tribunal convocado foi considerada inadequada para resolver o assunto. Como Moisés não queria tomar a decisão sozinho, levou o assunto a Deus, conforme recebera a ordem de fazer em várias ocasiões (Êx 25:22; Nm 7:89) (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).
[Vemos aqui Deus restaurando o direito das mulheres, corrigindo a noção machista corrente.]

6 Disse o Senhor a Moisés. O contato imediato e direto de Moisés com o próprio Deus é a base da formação de toda a lei dos israelitas; Deus falou claramente ao Seu servo Moisés, boca a boca, 12.8  (Bíblia Shedd).

Falam o que é justo. O Senhor aprovou a causa das filhas de Zelofeade. O caso veio à tona novamente após a entrada em Canaã (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

Certamente, lhes darás. No hebraico, a palavra “lhes” é masculina, referindo-se à descendência em potencial das moças. As filhas eram consideradas representantes dos filhos que esperavam ter (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

Quando alguém morrer. O caso das filhas de Zelofeade abriu um precedente e um estatuto formal foi constituído para solucionar casos semelhantes posteriores (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

Deus disse a Moisés que se um homem morresse sem filhos, sua herança iria para suas filhas (27:8). Mas as filhas somente poderiam conservá-la se se casassem dentro de sua própria tribo, provavelmente para que as linhas territoriais permanecessem intactas (36:5-2). Life Application Study Bible Kingsway.

Se não tiver filha. As disputas entre irmãos, com respeito a questões de propriedades, podem ser causa de grande amargura (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

11 Ao parente mais chegado. Estes deveres e direitos do parente mais próximo são iguais, na lei de vários países. Hoje, porém, a esposa tem a primazia  (Bíblia Shedd).

12 Sobe a este monte Abarim. Como Zelofeade, Moisés não entraria em Canaã. A sua hora de morrer – devido à sua desobediência em Cades (cap. 20) – estava próxima (ver em Deut. 34 o registro de sua morte) (Andrews Study Bible).

Abarim. A palavra ‘Abarim está no plural, e talvez se refira à uma cadeia de montanhas que forma a margem ocidental do planalto moabita. Pisga é outro nome de Abarim ou se refere à seção norte da cordilheira (Dt 32:49; 34:1). O monte Nebo é um cume da seção norte (Dt 32:49; 34:1). Proveniente do verbo “atravessar”, o substantivo significa “vau”, um lugar adequado para atravessar o rio. Por isso, as montanhas eram chamadas de ‘Abarim, literalmente “vaus”, por estarem situadas perto dos vaus do outro lado do rio Jordão, em frente a Jericó (cf. Nm 21:11) (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

13 serás recolhido ao teu povo. Ver com. [CBASD] de Gn 15:15; 25:8. A região do Nebo seria o local temporário de seu sepultamento. (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1, p. 1005).

14 Na contenda. No lugar chamado Meribá, “Contenda”, por causa da murmuração do povo, 20.3, e de Moisés, 20.10  (Bíblia Shedd).

fostes rebeldes. Ver Nm 20:1, 12 e 24. O pecado de Moisés e Arão (Nm 20:8-13) é chamado, nesta passagem, de rebelião. (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

15 Disse Moisés. A grandeza de Moisés no exercício da liderança é vista no fato de ele ter se colocado em segundo plano e começado a planejar o futuro do povo de Deus (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

Muitas pessoas querem ser reconhecidas como líderes. Algumas são muito capazes de atingir seus objetivos enquanto que outras cuidam intensamente das pessoas a seus cuidados. Os melhores líderes são tanto orientados a objetivos como orientados a pessoas. Life Application Study Bible Kingsway.

16 autor e conservador de toda vida. Moisés gostava de dar este título a Deus, que pela Sua Graça poupava a um povo que, pelos seus pecados, estava constantemente atraindo sua própria destruição e morte, 16.21-22  (Bíblia Shedd).

17 Saia. As expressões “saia” e “entre” são usadas para denotar as experiências comuns da vida (Dt 28:6; 31:2) Fazer sair e fazer entrar sugerem a relação de um pastor com seu rebanho (Jo 10:3-9) (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

Como ovelhas. A Bíblia, muitas vezes, usa esta palavra para descrever o povo de Deus; no Antigo Testamento, Moisés, Davi e depois o próprio Deus são sucessivamente chamados “Pastor de Israel”. No Novo Testamento, a soma destes ensinamentos se resume na pessoa de Jesus Cristo, o Bom Pastor que dá a Sua vida para que as ovelhas pudessem ter a vida em abundância, tanto na terra como nos Céus, Jo 10.1-18  (Bíblia Shedd).

18 homem em quem há o Espírito. Literalmente, “em que é espírito”. A referência aqui é à riqueza de espírito necessária, sob o temor de Deus e o controle do Espírito Santo, o único que pode habilitar o ser humano para as responsabilidades na obra do Senhor. (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1, p. 1005).

Josué possuía valiosa experiência como assistente por longo tempo de Moisés(11:28; Êx 24:13; 33:11)  e como comandante militar (Êx 17:8-13). Mas ter o Espírito era sua mais importante qualificação para liderar o povo de Deus (comparar Núm. 11:16-17, 24-29) porque estava em contato com o divino Rei de Israel e seguiria Sua liderança. Andrews Study Bible.

O substituto de Moisés é indicado por Deus: Josué, por intermédio de quem Deus continuaria a Sua obra, […] Note-se a humildade de Moisés em aceitar a indicação divina, sem pensar em um dos seus próprios filhos  (Bíblia Shedd).

impõe-lhe as mãos. Uma cerimônia de bênção (Gn 48:14) e consagração (Nm 8:10), acompanhada e executada pela orientação e pela sabedoria do Espírito Santo (Dt 34:9). Na igreja cristã, a imposição das mãos no rito da ordenação combina os seguintes três aspectos: bênção, sucessão no cargo e autoridade para ensinar (At 6:6; 13:3; 2Tm 1:6) (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

19 Perante a congregação. A cerimônia devia ter o caráter mais público possível, para que não houvesse questionamento ou dúvida quanto à autoridade de Josué (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

20 Põe sobre ele da tua autoridade. O fato de Moisés haver comissionado a Josué e repartido poder com ele enquanto Moisés ainda estava vivo [a transmissão poderia ter ocorrido após a morte e ressurreição de Moisés] garantiria uma transição tranquila (Andrews Study Bible).

A palavra traduzida por “autoridade” é usada com frequência para a majestade e o poder reais. Moisés devia começar imediatamente a transmitir um pouco de sua responsabilidade e autoridade para Josué, a fim de que ele começasse a exercê-las junto com o experiente líder.

Para minimizar vácuos de liderança, qualquer um em posição de liderança deveria treinar outros a carregar as responsabilidades que ele ou ela provavelmente deixarão. Quando você tiver a oportunidade, siga o padrão de Moisés: ore, selecione, capacite e comissione. Life Application Study Bible Kingsway.

21 Perante Eleazar. Ao que parece, a autoridade de Josué era, em certos aspectos, menos que a de Moisés. Este recebia conselhos diretamente de Deus, mas Josué devia recorrer ao sumo sacerdote, que seria um mediador entre ele e o Senhor (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

Apesar de não ter a interação face a face, como Moisés tinha (12:8; Deut. 34:10), ele receberia orientação específica através do oráculo sacerdotal do Urim e Tumim (Núm 27:21; comparar com Êx. 28:30) (Andrews Study Bible).

23 lhe deu as suas ordens. Lit. “comandou/encarregou”, isto é, o comissionou (Andrews Study Bible).



Números 27 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de junho de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Então, disse Moisés ao Senhor: O Senhor, autor e conservador da vida, ponha um homem sobre esta congregação[…] para que a congregação do Senhor não seja como ovelhas que não têm pastor” (v.16-17).

Israel vivia em uma sociedade patriarcal. A genealogia do povo era pelos nomes dos chefes das famílias, bem como o senso era realizado pela contagem dos homens. Além do que, os filhos homens eram detentores do direito de partilha de herança. O relato bíblico de hoje apresenta uma exceção com as filhas de Zelofeade. Filho da tribo de Manassés, Zelofeade não teve filhos que dessem continuidade à sua linhagem. Suas filhas, contudo, não foram passivas diante da possibilidade de ficarem sem herança e o nome de seu pai cair no esquecimento.

Apesar de ter morrido no deserto, Zelofeade não se aliou “contra o Senhor no grupo de Corá” (v.3). E mesmo não deixando descendência masculina, deixou no meio do povo uma linhagem de mulheres corajosas e decididas, que não temeram apresentar o seu caso diante do santuário, na presença dos líderes e de todo o Israel. Ainda que a lei dada por Deus a Moisés implicasse na transmissão da herança aos filhos homens, aquelas mulheres acreditavam que serviam a um Deus que olharia com justiça para o seu caso. E foi exatamente o que aconteceu. A partir da iniciativa delas, o Senhor ampliou a lei da herança conforme situações diversas.

Depois disso, o Senhor anunciou a morte do idoso líder de Israel. Moisés subiria ao “monte Abarim” (v.12) para avistar Canaã e, logo após ser recolhido, assim como se deu com Arão. Sua rebeldia “no deserto de Zim” (v.14) lhe custou a privação quanto a pôr os pés na terra prometida. Todavia, Moisés não teve particular preocupação. Não ousou questionar a vontade de Deus e nem reclamar os anos de labor do Egito ao deserto. Mas com o coração comovido e apiedado por um povo cujos desígnios eram inconstantes, fez apenas um pedido ao Senhor: que levantasse um novo líder para conduzir a nação ao cumprimento da promessa.

O Senhor, então, designou a Josué, um “homem em quem há o Espírito” (v.18) e ordenou que Moisés lhe impusesse as mãos e o apresentasse perante o sacerdote e perante toda a congregação. Aquele que andava lado a lado com Moisés, que o auxiliava de perto, foi o escolhido de Deus para dar continuidade à liderança de Seu povo. A companhia de Moisés, seu crescimento como líder, seus acertos e erros, sua humildade e compaixão, foram uma verdadeira escola para o recém-eleito chefe. Preciosas lições foram extraídas do dia-a-dia. Mesmo sem saber, Josué estava sendo preparado para a ousada tarefa de liderar Israel na posse da herança prometida.

O Administrador divino estabeleceu direitos e deveres diversos tanto a homens quanto a mulheres. Ambos sendo obedientes às instruções divinas, estão a permitir que o Senhor assuma o governo de sua vida e de sua casa. O pedido das filhas de Zelofeade representa o clamor de muitos que têm sido injustiçados e marginalizados frente a situações que estão fora de seu controle. Aquelas mulheres seriam deixadas à margem da pobreza e a família de seu pai desassistida, se não tivessem ido ao Senhor em busca de auxílio. E cada caso apresentado diante de Deus com justas intenções é visto pelo “autor e conservador da vida” (v.16) com especial consideração.

Tanto o pedido das filhas de Zelofeade quanto o pedido de Moisés implicava em continuar a história de uma família e a história de um povo. Precisamos, hoje, tomar posse do espírito daquelas mulheres e do grande líder de Israel para que a história da nossa família continue eternamente, fazendo parte do povo eleito do Senhor que desfrutará da herança eterna. Que, no fim, o Senhor possa dizer a nosso respeito: Eles “falam o que é justo” (v.7). Homens e mulheres, “em quem há o Espírito” do Deus vivo (v.18). Vigiemos e oremos!

Bom dia, homens e mulheres benditos do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Números27 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



NÚMEROS 27 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
6 de junho de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

NÚMEROS 27 – Liderança espiritual é essencial para fazer justiça e promover a condução dos planos divinos. Isso é claramente perceptível no processo de herança das filhas órfãs de Zelofeade e na ordenação de Josué, o sucessor de Moisés.

Interessante a forma educada, cortês e reverente que as mulheres aproximaram-se da liderança do Senhor: Sem arrogância, estupidez ou prepotência. Além desse legado, “o desejo sincero de participar da terra dada por Deus, manifestado pelas filhas de Zelofeade, contrasta nitidamente com o desdém com que a geração anterior tratou a dádiva”, observa Eugene Merrill.
• E nós, quanto interesse demonstramos na promessa de Cristo levar-nos para a casa do Pai? (João 14:1-3)

A presença de Josué no texto revela o interesse de Deus por bons líderes, aptos para conduzir Seu povo. Líderes não devem ser escolhidos aleatoriamente. Não é qualquer pessoa que está preparada para assumir um cargo que exige máxima responsabilidade espiritual.
• A questão não é liderar, mas ser a pessoa que Deus precisa.

Note que Josué é percebido logo no início da jornada dos israelitas, quando Moisés o chama e confia-lhe responsabilidade importante: “Escolha alguns dos nossos homens e lute contra os amalequitas” (Êxodo 17:9). Na primeira guerra que o povo de Deus enfrentou (Êxodo 17:8-16), Josué demonstrou ser general representante do Deus “que não toleraria a rebelião dos homens contra Si” (Francis Schaeffer).

O líder aprendiz busca intimidade com Deus. No Monte Sinai, “Moisés partiu com Josué, seu auxiliar, e subiu ao monte de Deus” (Êxodo 24:13). Líderes devem discipular seu liderado para ocupar seu lugar.

Bons líderes são otimistas. Josué não era pessimista, por pior que fosse a realidade, sua interpretação dos sinais era positiva – que tremenda lição! No episódio da apostasia causada pela idolatria do povo que vibrava com bezerro de ouro como se fosse deus, Josué interpretou, dizendo a Moisés: “Há barulho de guerra no acampamento” (Êxodo 32:17).

Como servo de Moisés “que não se afastava da tenda” (Êxodo 33:11), “que desde jovem era auxiliar de Moisés” (Números 11:28), que demonstrou coragem frente à oposição generalizada (Números 14:5-10), Josué era digno de ser ordenado para continuar liderança israelita (Números 27:12-23).

O discipulado de líderes da nova geração deve iniciar quando futuros líderes são ainda jovens; e, deve-se investir continuamente neles! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: