Reavivados por Sua Palavra


DEUTERONÔMIO 12 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
27 de junho de 2022, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO DEUTERONÔMIO 12 – Primeiro leia a Bíblia

DEUTERONÔMIO 12 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL

DEUTERONÔMIO 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



DEUTERONÔMIO 12 by Luís Uehara
27 de junho de 2022, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/dt/12

Com considerável detalhamento, Moisés disse aos israelitas que havia lugares próprios e impróprios para adorar. Moisés está aqui falando aos filhos e netos dos escravos que saíram do Egito. Não seria surpreendente que ainda houvessem resquícios da mentalidade de escravos em seus pensamentos. Sua adoração era caracterizada por: “cada um fazendo o que bem entende” (v.8 NVI). E a forte tendência era a adoração de ídolos.

Tudo que estivesse conectado à adoração idólatra dos povos conquistados deveria ser destruído. Eles deveriam direcionar toda a adoração sacrifical para o seu Deus, naquele lugar único, que Ele mesmo escolheria. Esta localização ainda não havia sido definida, porque Canaã ainda não tinha sido conquistada. No tempo adequado, Salomão construiu o templo permanente em Jerusalém (2 Crônicas 3:1). Embora o Senhor tenha colocado Seu nome naquele local específico, este local não O continha (1 Reis 8:27), porque nem mesmo os céus poderiam contê-lo. O Deus que adoramos é maior do que tudo.

“Querido Deus, talvez eu também tenha ídolos modernos que retiram a Sua soberania de minha vida. Ajuda-me a separar diariamente um tempo tranquilo para estar na Tua presença, com o propósito de Te adorar em espírito e em verdade.”

John Ash
Missionário aposentado da União Missão Chinesa

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/deut/12
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



DEUTERONÔMIO 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
27 de junho de 2022, 0:50
Filed under: Sem categoria

1478 palavras

Israel só deveria adorar no lugar escolhido por Deus. Moisés exigiu a destruição de todo santuário idólatra (1-3), restringiu a adoração ao santuário central (4-14), deixou regulamentos acerca dos sacrifícios e da matança dos animais para alimentação (15-28) e advertiu contra a imitação às práticas idólatras (29-32). Bíblia Shedd.

São estes os estatutos. Deuteronômio 12:1 – 26:19 é chamado de o Livro da Aliança. A facilidade com que o povo se esquecia das exigências de Deus fazia necessária a reiteração de Sua vontade (ver Dt 6:1). CBASD – Comentário Bíblico Adventista dos Sétimo Dia, vol. 1, p. 1091.

2, 3 Ao tomarem posse do território de uma nação, os israelitas deveriam destruir todo altar pagão e ídolos na terra. Deus sabia que seria fácil para eles mudar suas crenças se começassem usar esses altares, portanto nada deveria permanecer que os tentasse a adorar ídolos. Nós também deveríamos procurar implacavelmente e remover qualquer centro de falsa adoração de nossas vidas. Podem ser atividades, atitudes, posses, relacionamentos, lugares ou hábitos – qualquer coisa que possa nos tentar a desviar nossos corações de Deus ou fazer o mal. Não devíamos considerar que somos fortes demais para sermos tentados. Israel aprendeu esta lição. Life Application Study Bible Kingsway.

Destruireis por completo. Também na vida cristã não pode haver qualquer transigência para com o mal (2 Co 6.14-17). Bíblia Shedd.

altares… colunas. Os altares eram construídos de uma ou mais pedras; a “coluna” [ou “estela”] era apenas uma pedra e, em geral, um objeto de adoração. CBASD, vol. 1, p. 1091.

4-14 Tinha de haver um lugar particular para adorar a Deus. … Jerusalém não é mencionada no Pentateuco, e tampouco foi escolhida como local do santuário central, senão muito depois de Moisés. O fato de que Deus não indicou, nessa ocasião, o lugar do Santuário, nos ensina que a orientação dada pelo Senhor, geralmente, é passo a passo, e que precisamos olhar continuamente para Ele. Nota-se também o contraste entre a ênfase do Antigo Testamento sobre um lugar, e a ênfase do Novo Testamento sobre uma pessoa (Jo 4.20-26). Bíblia Shedd.

Não fareis assim. Altares e colunas sagradas [aos povos pagãos] não deviam ser usados no culto a Deus. CBASD, vol. 1, p. 1091.

oferta das vossas mãos. Esta é uma referência às primícias dos cereais, do vinho e de outros produtos da terra que deviam ser apresentadas pelo adorador pessoalmente (Nm 18:11, 12; Dt 18:4; 26:4, 10). O adorador usava suas próprias mãos no cultivo e no preparo da dádiva. CBASD, vol. 1, p. 1092.

comereis… vos alegrareis. Alguns sacrifícios eram compartilhados pelos sacerdotes e pelos adoradores. A adoração, em Israel, era santa, reverente e alegre. A adoração a um Deus santo envolvia o arrependimento e a purificação, mas o coração redimido ficava cheio de alegria e louvor. O livro de Salmos muitas vezes exprime essa jubilosa devoção. Bíblia de Genebra.

“Alegrar-se” perante o senhor é um tema inesgotável nas Escrituras (Lv 23:40; Dt 16:11, 14; 27:7; Sl 32:11; 97:12). Por sua vez, Deus Se regozija com Seu povo (Sf 3:14-17). CBASD, vol. 1, p. 1092.

perante o SENHOR. Os sacerdotes comiam dentro do recinto do santuário (Nm 18:10), mas o povo comia somente próximo ao tabernáculo, “perante o SENHOR” (Êx 18:12; 24:11; Dt 27:6, 7). CBASD, vol. 1, p. 1092.

10 descanso. Somente quando Israel descansou, nos dias de Salomão e Davi (2 Sm 7.1; 1 Rs 5.4), é que Deus escolheu a Jerusalém como o local de Sua casa (1 Rs 3.1; 8.44). Antes disso, Silo servira temporariamente como lugar de adoração (Jr 7.12). Bíblia Shedd.

12-18 Os hebreus colocavam grande ênfase na adoração familiar. Seja oferecendo um sacrifício ou participando de uma grande festa, a família estava sempre reunida. Isto dava à criança uma atitude saudável a respeito da adoração e trazia a isso novo significado aos adultos. Testemunhar um membro da família confessar seu pecado era tão importante quanto celebrar juntos uma grande festa. Life Application Study Bible Kingsway.

12 nem herança. As oferendas dos adoradores destinavam-se, em parte, a sustentar os sacerdotes e levitas, aos quais não tinham sido atribuídas terras agrícolas para lhes pertencer (Dt 10.6-9). Bíblia de Genebra.

regozijem-se ali perante o SENHOR. A alegria, baseada nas bênçãos do Senhor, devia ser um aspecto importante da vida e adoração dos hebreus na terra prometida (v. 7, 18). Bíblia de Estudo NVI Vida.

13 não ofereças os teus holocaustos em todo lugar que vires. Posteriormente eles negligenciariam esta prescrição e ofereceriam sacrifício nos lugares altos aonde divindades pagãs eram adoradas. (Veja, por exemplo, 2 Rs 23, onde Josias destruiu os outros altares). Deveríamos tomar medidas para resguardar a pureza da adoração em nossa congregações. Se individualizarmos e adaptarmos o louvor para atender às nossas próprias preferências, perderíamos o benefícios de adorarmos como um corpo de crentes. Life Application Study Bible Kingsway.

15-28 É feita a distinção entre os animais oferecidos em sacrifício e os abatidos como alimento. Quando Israel entrasse em Canaã, muitos morariam a uma grande distância do santuário central. Tiveram, portanto, permissão para matar animais que precisassem para si mesmos, sem trazerem uma das partes para o santuário. No caso de sacrifício, o sangue teria que ser apresentado no santuário, Lv 17.1-9. Bíblia Shedd.

15 matar… nas tuas cidades. Regra idêntica foi dada nos vs. 20-21. Eles podiam abater animais e comer de sua carne em qualquer lugar, mas animais e outros alimentos consagrados a Deus só poderiam ser comidos no lugar central de adoração. Ver a nota em Lv 17.3. Bíblia de Genebra.

segundo a bênção do SENHOR… se come a carne do corço e do veado. Neste caso, refere-se a uma refeição comum. Aparentemente a caça de um veado não era mais incomum [era mais comum] naquele tempo do que o é hoje. Devido a essa refeição não ser cerimonial, não se exigia a limpeza cerimonial como no caso de uma refeição relacionada a um sacrifício (Dt 12:22; Lv 7:20). CBASD, vol. 1, p. 1093.

16 Comer sangue era proibido por várias razões: 1) era uma parte integral das práticas pagãs na terra que os israelitas estavam para entrar; 2) representava vida, que é sagrada para Deus; 3) era um símbolo do sacrifício que deveria ser feito pelo pecado. (Ver tb Lv 17:14) [além disso, hoje sabemos que o sangue não é um alimento apropriado pela toxidade e por ser vetor de doenças]. Life Application Study Bible Kingsway.

19 não desampares o levita. Esta advertência divina contra o descuido daqueles que exerciam um cargo sagrado se repete em Dt 14:27. … Os levitas podiam ser reduzidos à pobreza se o povo se descuidasse e deixasse de entregar fielmente o dízimo. O apóstolo Paulo aplica esse princípio do dízimo fiel ao ministério cristão (1Co 9:13, 14). CBASD, vol. 1, p. 1093.

21 então, matarás das tuas vacas e das tuas ovelhas. De acordo com Lv 17, aos israelitas que viviam no acampamento a caminho de Canaã era permitido apenas comer vacas e ovelhas dos seus rebanhos  (espécies das quais podiam ser oferecidas sacrifício: Lev 1-5) se fossem sacrificadas no santuário como ofertas de bem estar (ou”pacíficas”). O objetivo disso era prevenir que sacrificassem a outras divindades. De acordo com Dt 12, quando os israelitas se espalhassem na terra de Canaã, aqueles que vivessem longe do santuário poderiam matar animais de seu rebanho do mesmo modo que tratavam animais de caça, sem sacrificá-los [sem as formalidades do sacrifício]. Andrews Study Bible.

22 destas comerá tanto o homem imundo quanto o limpo. A proximidade do altar tornava o local santo, e somente os que estivessem limpos, segundo o código levítico, podiam se aproximar dali. Quando o povo comia em suas próprias casas, a pessoa que não estivesse cerimonialmente limpa podia participar também. CBASD, vol. 1, p. 1093, 1094.

23 empenha-te em não comeres o sangue. A ordem para não comer sangue está expressa de forma enfática e literalmente diz: “Seja firme em não comer sangue.” CBASD, vol. 1, p. 1094.

30, 31 Deus não queria que os israelitas sequer perguntassem a respeito das religiões à sua volta. A idolatria permeava completamente a terra de Canaã. Seria muito fácil se envolver com as sutis tentações aparentemente inofensivas. Às vezes a curiosidade pode nos fazer tropeçar. O conhecimento do mal é perigoso se o mal se torna tentador demais para ser resistido. Resistir à curiosidade a respeito de práticas perniciosas revela discrição e obediência. Life Application Study Bible Kingsway.

31 até seus filhos e suas filhas queimaram. O sacrifício de crianças era comum nos tempos antigos, especialmente na colônia fenícia de Cartago, no Norte da África. Nas antigas culturas pagãs, crianças eram, algumas vezes, sacrificadas em ocasiões de grande necessidade, como expressão de devoção aos deuses (2 Rs 3.27). Até mesmo alguns israelitas, em certas oportunidades, ocuparam-se dessa prática detestável (Jz 11.30-40; Sl 106.34-39; Jr 7.31), Bíblia de Genebra.

Ver Lv 18:21; 20:2; 2Rs 17:31; Jr 7:31; 19:5; 32:35. A prática dos povos pagãos antigos de sacrificar crianças está bem documentada. Há registros de casos isolados mesmo nos tempos modernos. CBASD, vol. 1, p. 1094.



Deuteronômio 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
27 de junho de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Lá, comerás perante o Senhor, vosso Deus, e vos alegrareis em tudo o que fizerdes, vós e as vossas casas, no que vos tiver abençoado o Senhor, vosso Deus” (v.7).

As nações que habitavam em Canaã preservavam o seu sistema de culto pagão “sobre as altas montanhas, sobre os outeiros e debaixo de toda árvore frondosa” (v.2). Através de altares, colunas, postes-ídolos e imagens de escultura, invocavam e adoravam os seus deuses através de rituais abomináveis, inclusive, queimando seus próprios filhos e filhas como sacrifícios a seus deuses (v.31). A destruição completa desses lugares de culto simbolizava a purificação de Canaã para receber o verdadeiro e único lugar do culto verdadeiro.

A fim de entrar em Canaã, o procedimento dos filhos de Israel precisava ser mudado, pois faziam “cada qual tudo o que bem [parecesse] aos seus olhos” (v.8). Como Israel, muitos almejam entrar no descanso do Senhor “cada qual” com suas opiniões formadas, com suas concepções irredutíveis e seus corações intransponíveis. Não entregam verdadeiramente o coração à boa obra do Espírito Santo e prosseguem em viver um forjado “assim diz o Senhor”, moldado segundo a inclinação da própria carne.

Será que não estamos incorrendo neste grave erro? A Palavra de Deus deve ser recebida como a voz de Deus diretamente ao nosso coração, e não como uma seta que apontamos em direção àqueles que julgamos estar errados. Quando o profeta Elias subiu ao monte Carmelo, era apenas um o seu objetivo: revelar a todos que só o Senhor é Deus. Ele não apontou o dedo para os seus irmãos, mas ergueu as mãos aos céus. Ali, ele ofereceu o agradável sacrifício e obteve do Senhor a resposta através do fogo.

Assim como Deus orientou em tudo a Israel, Ele nos deixou todas as orientações necessárias através dos escritos do Espírito de Profecia para que vivamos na Terra, nesses últimos dias, como aqueles que “manifestam estar procurando uma pátria”, os que, “agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial” (Hb.11:14 e 16); para que não incorramos na idolatria e nas práticas que corrompem o lugar que Ele elegeu como a habitação do Seu Espírito: “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1Co.6:19).

Há um lugar de descanso e de banquete preparado para os que “lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro” (Ap.7:14). Perseveremos em buscar ao Senhor de todo o nosso coração, edificando a nossa vida sobre a Rocha que é Cristo, e, de modo algum, erraremos o caminho, como está escrito: “E ali haverá bom caminho, caminho que se chamará o Caminho Santo; o imundo não passará por ele, pois será somente para o Seu povo; quem quer que por ele caminhe não errará, nem mesmo o louco” (Is.35:8). Vigiemos e oremos!

Bom dia, santuários do Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Deuteronômio12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



DEUTERONÔMIO 12 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
27 de junho de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

DEUTERONÔMIO 12 – A premissa “qualquer coisa serve”, nunca deve ser aplicada para adoração. Deus, o Ser adorado deve orientar a adoração prestada pelos adoradores. Adorar de qualquer jeito significa banalizar o Soberano do Universo que preza por seres insignificantes como nós.

Deuteronômio 12 oferece-nos princípios fundamentais para a adoração genuína, aceita por Deus:
• Deus requer exclusividade na adoração (Deuteronômio 12:1-5, 8-10, 29-32). Todos os deuses ou quaisquer parafernálias abomináveis devem ser radicalmente eliminadas da adoração, caso o adorador não deseja sofrer a frustração da rejeição. Desde celulares a conversas supérfluas tudo precisa ser erradicado no momento da adoração.
• Deus requer generosidade do adorador no ato de adorar (Deuteronômio 12:6, 11, 13-14, 26-28). Dízimos e ofertas são essenciais na genuína adoração. A conversão que não alcança o dinheiro, não permitirá que o indivíduo seja adorador por inteiro. Adoração parcial resulta em rejeição total – Caim que o diga (Gênesis 4:1-5). Dízimos sustentam os líderes espirituais; ofertas, sustentam as casas de culto. Todos são essenciais de acordo com Deus, que instituiu o Santuário e os levitas para atuarem nele.
• Deus requer unidade na comunidade de adoradores que se reúnem para adorar (Deuteronômio 12:7, 12, 15-25). Deus preza pelos relacionamentos familiares e pela comunidade. Inclusive Jesus orou pela unidade de Sua igreja em João 17. Essas reuniões não devem ser fúnebres, enfadonhas e chatas; pelo contrário, desde as crianças até os idosos, homens e mulheres, ricos e pobres, todos devem se alegrar perante o Senhor, o Qual abençoa a todos!

Deus orienta Seu povo a comer, a alegrar-se, a desfrutar a vida em Sua presença. Viver carrancudo, tenso, aflito, com ciúmes, com raiva, estressado, triste e decepcionado é para adoradores que trilham o caminho de Caim (Gênesis 4:6-8). Deus quer que Seu povo participe de refeições sociais, ajuntamentos festivos, celebração coletiva… alegremente!

Sendo que cada adorador não deve fazer o que bem entende (Deuteronômio 12:8), precisa-se esclarecer a sugestão de uma suposta carne imunda como refeição ao povo de Deus (Deuteronômio 12:15, 22), tendo em vista a proibição de tais carnes em Deuteronômio 14:1-21. No contexto de adoração de Deuteronômio 12, faz-se referência a carnes cerimonialmente impuras – não de animais imundos –, já que gazelas e veados não eram sacrificados.

Enfim, façamos sempre o que Deus pede. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: