Reavivados por Sua Palavra


Equívoco na tradução e postagem no comentário devocional de Levítico 13 by jquimelli
22 de outubro de 2015, 21:26
Filed under: Sem categoria

Prezado leitor,
Lamentavelmente cometemos ontem o equívoco de traduzir e postar para Levítico 13 o comentário devocional de Levítico 14.

Porém já corrigimos o comentário devocional de Levítico 13.
Desculpem-nos a falha.



Levítico 13 – texto corrigido by jquimelli
22 de outubro de 2015, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Algumas doenças de pele davam, a quem as sofria, uma aparência de decadência associada à morte (Nm 12:12). Por isso, esta condição tornava o indivíduo ritualmente impuro, o que proibia seu contato com as coisas sagradas. Os sacerdotes eram responsáveis ​​por fazer a distinção entre uma pele pura e impura, porque eles eram os guardiões da santidade, e esse diagnóstico requeria alguma experiência.
 
Devido à “queda” em pecado (Gn 3), não só os seres humanos passaram a se deteriorar, mas também as coisas em seu ambiente. A ênfase em Levítico sobre os problemas do nosso mundo podem soar deprimente. Mas, o fato de que Deus insistiu em permanecer separado da decadência dá esperança: isto nos diz que o mal físico não faz parte do plano original dEle e, portanto, não é permanente.
 
Uma pessoa acometida com doença de pele impura deveria morar separadamente, de tal modo que outras pessoas não fossem infectadas. O objetivo principal dessa exclusão era evitar a propagação da impureza ritual, a qual poderia afetar o santuário de Deus e as coisas santas associadas a Ele. Em outros lugares na Bíblia, registra-se que Deus tenha atacado alguém com a “lepra”, como punição por um pecado grave (Nm 12, 2Rs 5, 2Cr 26), mas não há nenhuma indicação disto em Levítico 13.
 
Só porque alguém sofre fisicamente isto não prova que Deus está punindo aquela pessoa (compare João 9:1-3).

Roy Gane
Andrews University

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/lev/13 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformationorg/bhp/en/bible/lev/13
Tradução: JQuimelli/GQuimelli
Texto bíblico: Levítico 13
Comentário em áudio
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: Parábolas de Jesus, cap.14



Levítico 13 – Comentários pr Heber by jquimelli
22 de outubro de 2015, 0:45
Filed under: Sem categoria

LEVÍTICO 13 – Deus é poderoso para curar qualquer doença; porém, Ele também é totalmente sábio para orientar-nos como e quando lidar com certas doenças. “Lepra” é a palavra mais próxima para traduzir ao português o que poderia ser hanseníase, morfeia e/ou qualquer outra infecção da pele.

Essas doenças revelam a deterioração que o pecado faz na raça humana. Elas apresentam efeitos terribilíssimos que o mal tem causado no mundo. O pecado está em intensas atividades em todas as áreas, corroendo física, mental e espiritualmente ao ser humano.

Em síntese, o capítulo apresenta os seguintes pontos:

1. Diagnóstico de um caso de “lepra” (vs. 1-8);
2. Diagnóstico de um caso antigo de “lepra” (vs. 9-17);
3. Diagnóstico de “lepra” por úlcera/tumor ou queimadura (vs. 18-28);
4. Diagnóstico da “lepra” situada na cabeça ou na barba (vs. 29-44);
5. As vestes dos leprosos (vs. 45-59).

A lepra tornava imunda a uma pessoa descente; portanto, deveria isolar-se, afastada de sua casa e familiares. “As leis relativas à lepra nos ensinam que o pecador está enfermo e condenado a morte solitária” (Lislie Hardinge e Frank Holbrook).

O pecado é uma praga, e a lepra apenas ilustra essa desgraçada doença.

• Assim como a “lepra” manchava o corpo, o pecado manha a alma.
• Assim como a “lepra” contaminava a pele, o pecado contamina o coração.
• Assim como a “lepra” consumia as extremidades, o pecado consome nossa consciência.
• Assim como a “lepra” apodrecia membros do corpo, o pecado apodrece a moral humana.
• Assim como a “lepra” levava suas vítimas à morte, o pecado também mata suas vítimas.

O capítulo apresenta rituais de purificação da contaminação da lepra. Os sacerdotes tinham papel fundamental nisso. Tal purificação resultava em restauração.

O princípio é válido para nós: Ao estarmos contaminados com a praga do pecado, carcomidos pela intensa capacidade de depravação moral, carecemos de um sacerdote que nos atenda, purifique e restaure. Somente em Cristo encontramos tal Sacerdote.

Cristo cura qualquer doença!

A purificação da contaminação da lepra do pecado, oriunda do plano de salvação concretizado em Cristo, promove nossa santificação. Por conseguinte, “a busca da santidade sob a orientação do Espírito Santo de Deus é obrigatória para o cristão crescer verdadeiramente na plenitude de Cristo”, afirma Roland K. Harrison.

“Senhor… purifica-nos… santifica-nos. Amém!” – Heber Toth Armí.



Levitico 13 – Comentários selecionados by jquimelli
22 de outubro de 2015, 0:30
Filed under: Sem categoria

2 lepra. A palavra ocorre muitas vezes nos caps. 13 e 14. v. tb 22.4; Nm 5.2. Trata-se de um grupo de doenças que demonstram defeitos visíveis que serviriam de símbolos apropriados de contaminação – como também no caso do mofo (cf. 47-49). … Os sintomas descritos e o fato de que podem alterar-se rapidamente (v. 6, 26, 27, 32-37), demonstram que essas doenças não eram a hanseníase clássica. Incluem a várias outras doenças, bem como erupções cutâneas sem sequelas graves. A palavra [heb] traduzida por “lepra” pode também significar “mofo” (v. 47; 14:34; e esp 14.57). Bíblia de Estudo NVI Vida.

A lepra é muitas vezes usada na Bíblia como uma ilustração do pecado porque o pecado é contagioso e destrutivo e leva à separação. Life Application Study Bible.

na sua pele. A lepra era comum no Egito, nos tempos antigos. Sem dúvida, foi lá que Israel teve o primeiro contato com a doença. Deus havia prometido protegê-los contra as doenças do Egito, se eles O obedecessem (Êx 15:26). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 823.

será levado. Se isso acontecesse a uma pessoa, ela deveria seria levada à presença de Arão ou a um dos sacerdotes para ser examinada. A expressão “será levado” implica a relutância natural da pessoa de ir por si mesma, sabendo o que poderia significar para si e para a família o fato de estar contaminado. CBASD, vol. 1, p. 823.

praga de lepra. A palavra “lepra” deriva de uma palavra que significa “golpear”, “castigar”. A lepra era, portanto, “um castigo”. Os judeus consideravam uma pessoa leprosa como alguém castigado por Deus. Em Israel, no passado, a lepra era considerada o mais terrível dos flagelos. Pensava-se ser castigo divino por algum mal praticado. Quem quer que fosse atingido por ela – príncipe ou camponês – era excluído da sociedade e alvo de pouca simpatia ou compaixão, alguém banido. CBASD, vol. 1, p. 823.

ou a um de seus filhos. Não era necessário que o sumo sacerdote fizesse o exame. De acordo com o Talmude, os levitas não podiam ministrar os ritos sacerdotais por causa de imperfeições no corpo, podiam servir como examinadores.

será levado. Se isso acontecesse a uma pessoa, ela deveria seria levada à presença de Arão ou a um dos sacerdotes para ser examinada. A expressão “será levado” implica a relutância natural da pessoa de ir por si mesma, sabendo o que poderia significar para si e para a família o fato de estar contaminado. CBASD, vol. 1, p. 824.

O sacerdote lhe examinará. Ele devia examinar a área infectada, pois podia ou não ser lepra. Havia dois sinais básicos aos quais devia atentar: pelos brancos nas manchas e depressão na pele. Normalmente os judeus têm cabelos escuros ou pretos. Onde se manifestavam os dois indicadores, a pessoa era considerada impura.

será levado. Se isso acontecesse a uma pessoa, ela deveria seria levada à presença de Arão ou a um dos sacerdotes para ser examinada. A expressão “será levado” implica a relutância natural da pessoa de ir por si mesma, sabendo o que poderia significar para si e para a família o fato de estar contaminado. CBASD, vol. 1, p. 824.

11 lepra inveterada (ARA; NVI: “crônica”). CBASD, vol. 1, p. 824.

45, 46 Se fosse realmente leproso, o homem deveria aparecer como quem está de luto, e recluir-se em quarentena, Jó 2.7-8. … Com o desenvolvimento posterior das sinagogas, foram admitidos ao culto num lugar à parte. Entravam no local de culto antes dos demais adoradores, e saíam depois que a congregação deixava o recinto. Bíblia Shedd.

45 As vestes do leproso … serão rasgadas. Um leproso usava roupas de luto e devia agir como se a morte já o tivesse vencido. Rasgar as roupas era um sinal costumeiro de calamidade e profunda tristeza (Jó 1:20; 2:12; Mt 26:65). … O leproso devia morar sozinho, e sob nenhuma circunstância podia entrar na cidade. ele dependia da caridade alheia para viver. CBASD, vol. 1, p. 825.




%d blogueiros gostam disto: