Reavivados por Sua Palavra


Números 25 by Jeferson Quimelli
30 de novembro de 2015, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Apesar de ter seus planos frustrados (como vimos no capítulo de ontem), Balaão recobrou forças e retornou com novos planos. “Depois de chegar em casa, o poder dirigente do Espírito de Deus o deixou, e sua cobiça, que apenas estivera contida, prevaleceu. Estava disposto a recorrer a qualquer meio para ganhar a recompensa prometida por Balaque” (PP, 451). Balaão sabia que a prosperidade de Israel dependia de sua obediência a Deus. Portanto, ele voltou a Balaque com um plano para seduzir Israel à idolatria envolvendo o povo no culto licencioso de Baal.

Este culto pagão era ligado a atos sexuais imorais e apelava para a natureza carnal inferior.

A destruição dos moabitas não foi a destruição de espectadores mal informados. Eles participaram ativamente de um plano para minar o relacionamento dos israelitas com Deus. Balaão, que testemunhou o sucesso do seu plano diabólico, não escapou à justiça divina. Ele deve ter percebido que seu fim estava próximo, quando disse: “Que eu morra a morte dos justos, e o meu fim seja como o deles.” (Números 23:10). Mas isto não aconteceria assim. Ele não tinha escolhido viver a vida dos justos, e na guerra de Israel contra os midianitas, Balaão foi morto (Números 31:8).

Diariamente cuidemos para ficar longe do pecado da luxúria e ganância permanecendo bem perto de Jesus.

Nancy Costa
It Is Written Television

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/num/25 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/25 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/num/25/
Tradução: JQuimelli/GQuimelli
Texto bíblico: Números 25
Comentário em áudio
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: Parábolas de Jesus, cap.24



Números 25 – Comentários pr Heber by Jeferson Quimelli
30 de novembro de 2015, 0:45
Filed under: Sem categoria

NÚMEROS 25 – É bom quando Deus transforma maldições em bênçãos, mas é tenebroso quando Satanás transforma bênçãos em maldições. Deus fez o sexo para ser bênção na vida matrimonial assim como Deus fez a mulher para ser bênção na vida do homem (e vice versa).

Quando ela deixa-se usar por Deus, tal mulher será uma bênção; entretanto, quando ela permite ser seduzida pelo diabo será maldição tenebrosa.

Convido você a mergulhar no texto bíblico. No capítulo anterior, Balaque e Balaão seguiram, cada um o seu caminho. Cada um voltou para sua casa. Agora observe:

1. As mulheres moabitas seduziram os homens do povo de Deus e os levaram a adorar deuses pagãos, o que resultou na morte de 24.000 pessoas (Números 25).

2. As mulheres fizeram isso seguindo o conselho de Balaão (Números 31:16). Sendo que ele já havia voltado a sua terra, como entender essa questão?

• Supõe-se que Balaão ficou pensando em como resolver o fato dele não conseguir amaldiçoar ao povo de Deus.
• Ele pode ter concluído que Deus não Se afasta de Seu povo e, consequentemente, o povo será sempre invencível, protegido e abençoado; mas, se o povo envolver-se com o pecado, o povo se afastaria de Deus e seria tão fraco que criariam armadilhas para sua própria destruição.
• Balaão voltou com a ideia maquiavélica: Orientou Balaque a selecionar as mulheres mais sensuais, dizer a elas para seduzir os homens de Israel e, quando estiverem embebidos de paixão por elas, fizessem chantagem: Eles só poderiam tocar nelas se fossem adorar seus deuses em sua terra. Magnífico!
• A idolatria e a prostituição afastaram o povo de Deus de Sua proteção e a praga veio com destruição.

3. Fineias, neto de Arão, resolveu drasticamente o problema da praga mortal ferindo aos últimos amantes do pecado. Ah! Moisés recebera ordens de Deus para enforcar aqueles que encabeçaram o pecado.

O pecado seduz, cega, entorpece e mata. Pecado atrai a ira de Deus, pois afasta dEle aos que Ele ama. Por outro lado, Deus abençoa, promove e cuida de quem O ama, se compromete com a moralidade, e ousa combater ao pecado.

Cuidado para que o pecado não torne as bênçãos de Deus em maldições. Viva a plenitude das bênçãos sem corrupções… e serás bem-aventurado! – Heber Toth Armí.



Números 25 – Comentários selecionados by Jeferson Quimelli
30 de novembro de 2015, 0:30
Filed under: Sem categoria

1-3 A combinação de pecado sexual e idolatria foi ideia de Balaão (ver 31:16; Ap 2:14), o mesmo Balaão que havia abençoado Israel e parecia estar do seu lado. … Devemos ser cuidadosos em pesar as palavras e atos daqueles que dizem oferecer auxílio espiritual. Life Application Study Bible Kingsway.

Sitim. Outro nome para a região onde Israel se mobilizou para a conquista de Canaã; ficava no outro lado do rio Jordão, oposto á antiga cidade de Jericó (v. Js 2.1). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Foi a partir deste lugar que Josué enviou, posteriormente, alguns homens para espiar a terra de Canaã nas proximidades de Jericó (Js 2:1; 3:1). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 995.

prostituir-se. Ordinariamente esta terminologia é usada para designar imoralidade sexual (não necessariamente paga), cometida por mulheres (Gên. 38:24; Lev. 21:9; Deut. 22:21, etc.). Aqui ela se refere a homens israelitas se envolvendo em sexo pecaminoso mais a imoralidade espiritual da interação com seres sobrenaturais que não o Deus do concerto (desconsiderando as advertências de Êx. 34:15) (Andrews Study Bible).

2 Estas convidaram o povo. O astuto Balaão encorajou mulheres moabitas a seduzir os israelitas (31:16). Ele voltou para casa após falhar em amaldiçoar Israel (24:25). Contudo, retornou para conseguir fortuna por salvar Moabe, quando retornou com a brilhante idéia de usar mulheres para convidar israelitas para festas sacrificais pecaminosas (que incluíam carne, como benvinda mudança do maná; comparar com Prov. 7:6-27), para que eles participassem de idolatria, perdessem suas bênçãos e Deus mesmo os destruísse. Assim a nova geração cairia na mesma cilada que quase destruiu seus pais (Êx. 32). Infelizmente, a muito bem sucedida e diabólica estratégia de seduzir o povo de Deus à apostasia através de comida e sexo sobreviveu neles (Apoc. 2:14) (Andrews Study Bible).

juntando-se Israel a Baal-Peor. Desafiando abertamente a aliança estabelecida entre o Senhor e Israel, os israelitas uniram-se ao deus falso através de sua adoração idólatra. Bíblia de Genebra.

Baal era o mais popular deus de Canaã, a terra na qual Israel estava para entrar. Representado por um touro, símbolo da força e fertilidade, ele era o deus das chuvas e da colheita. Os israelitas foram continuamente atraídos á adoração de Baal, no qual a prostituição desempenhava papel importante, através de seus anos em Canaã. Life Application Study Bible Kingsway.

4 enforca-os. Os israelitas deveriam executar, empalar e expor em vez de enterrar os cadáveres (comparar com 1 Sam. 31:10; 2 Sam. 21:3-14) dos líderes dos que haviam levados outros a apostasia. Este duro tratamento mostrava a ira de Deus contra eles (ver Deut. 21:22-23; Gál. 3:13) e deveria desarraigar o mal (Deut. 1:3) para que a nação inteira não fosse destruída (Andrews Study Bible).

6 A frase “trouxe a seus irmãos” se refere ao aposento mais íntimo da tenda de uma pessoa. Claramente a mulherfoi trazida para dentro de sua tenda para sexo. Life Application Study Bible Kingsway.

uma mulher midianita. Os midianitas, que eram aparentados dos israelitas (Gên. 25:1-2) e especialmente de Moisés (Êx. 2:16-22), eram parceiros com Moabe contra Israel (Núm. 22:4,7) (Andrews Study Bible).

7 Finéas. Sendo filho de Eleazar, o atual sumo sacerdote (Arão havia morrido, 20:28), Finéias havia herdado a posição de líder dos levitas, que cuidavam e guardavam o santuário (3:32). Portanto tinha acesso a armas e sabia usá-las para livrar o sagrado acampamento do mal (Andrews Study Bible).

8 a praga cessou. A retidão de Finéias, futuro sacerdote de Israel, executou a justiça, Sl 106.30, e fez cessar a maldição que, causada pela idolatria do povo, se atribui ao conselho de Balaão que, segundo as tradições israelitas, foi a causa dessa prostituição com as filhas dos moabitas, v 1; Ap. 2:14, 20; Nm 31:16. A retidão perfeita de Cristo afasta o julgamento merecido por nós, os que nEle cremos (Bíblia Shedd).

Os 24.000 mortos (v.9) foi a maior quantidade de israelitas que morreram pela retribuição divina em qualquer período da jornada entre o Egito e Canaã (comparar com os 14.700 em 16:49 [rebelião de Corá/Coré]) (Andrews Study Bible).

11 Meu zelo. Note o leitor que Finéias é aqui destacado como quem incorporava o próprio zelo de Deus pela pureza de Seu povo. Tal zelo mereceu para Finéias a recomendação divina e a promessa de um sacerdócio perpétuo (v. 13). Bíblia de Genebra.

Este ato de Finéias revelou que ainda havia entre o povo quem mostrasse zelo pelas coisas de Deus, zelo em vindicar a retidão. Por isso, Deus reconheceu seu ato, ao ponto de o considerar um ato de expiação (v 13), aliás, a única ocasião descrita do Antigo Testamento na qual um ato, individual, não prescrito pela Lei, foi aceito como uma expiação, que escudou o povo contra a ira de Deus (Sl 106.31) (Bíblia Shedd).

Esse filho de Eleazar contrasta com a impiedade e descaso dos seus tios, Nadabe e Abiú. Bíblia de Estudo NVI Vida.

17 afligireis os midianitas. A conspiração midianita equivaleu a uma declaração de guerra. Para mostrar Sua justiça e proteger Seu povo, Deus instruiu que os midianitas deveriam ser punidos (cf. cap. 31). Os israelitas nunca estariam seguros se Deus permitisse que seus vizinhos os atacassem (Andrews Study Bible).

18 O paganismo ao redor de Israel sempre levava ao povo de Deus à idolatria. O mundanismo ao redor da igreja sempre quer levá-la ao caso de Peor e ao caso de Cosbi, ou seja, à impureza da carne e do espírito, 2 Co 7.1 (Bíblia Shedd).



Números 24 by Jeferson Quimelli
29 de novembro de 2015, 7:30
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O favor de Deus, manifestado por Israel, deveria ser uma garantia de Seu cuidado protetor a Seus filhos obedientes e fiéis, de todas as épocas. Quando no futuro Satanás inspirasse os homens maus a conspirarem contra o povo de Deus, esta ocorrência deveria ser lembrada e reforçaria a coragem e fé em Deus. Balaão profetizou que o rei de Israel seria maior do que qualquer rei dos amalequitas, que era naquele momento uma nação muito poderosa. Ele também usou a mais bela linguagem poética para descrever o futuro do povo de Deus. Antes que pudesse ser interrompido, Balaão proferiu uma linda profecia sobre o Messias e sobre a destruição final de Moabe.

Balaque ficou com medo e muita raiva, indignado com o desfecho dos acontecimentos. Balaão voltou para casa com suas esperanças de riqueza e promoção frustradas, em desgraça perante o rei e ciente de que tinha incorrido no desagrado de Deus. O Espírito de Deus finalmente o abandonou à sua ganância.

Se não defendermos o que acreditamos, cairemos diante de qualquer tentação que surgir em nosso caminho. Não podemos servir a dois senhores e esperar ter sucesso nesta vida e sermos qualificados para a eternidade.

Nancy Costa
It Is Written Television

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/num/24 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/24 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/num/24/
Tradução: JQuimelli/GQuimelli
Texto bíblico: Números 24
Comentário em áudio
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: Parábolas de Jesus, cap.23



Números 24 – Comentários pr Heber by Jeferson Quimelli
29 de novembro de 2015, 7:29
Filed under: Sem categoria

NÚMEROS 24 – Este é o terceiro capítulo em que Moisés descreve o fracasso do profeta Balaão. A mensagem clara é que por mais que se invista de várias formas possíveis é impossível atingir ao povo que tem a Deus como Senhor, guia e protetor.

É loucura pensar que lutar contra Deus obterá alguma vitória. Cegado pelo pecado com coração ambicioso, Balaão seguia seu destino tortuoso. O destino do caminho da ambição é a destruição! Ambição/ganância leva à independência de Deus – isto é, demência!

Percebendo a invalidez dos encantamentos (sete altares) Balaão desistiu deles; então passa a falar diante de todo o povo de Deus (vs. 1-2). “Desta vez Balaão abençoa todo o Israel (24.3-5), prediz que um dia terão um grande rei e um grande reino (24.6,7) e vincula o poderio deles à obra de Yahweh a seu favor (24.8,9). O oráculo final de Balaão prediz que Israel derrotará todos os seus adversários (vs. 15-24)” (Paul R. House).

• As promessas de Deus de enviar um Messias para erradicar o pecado do mundo poderiam sofrer oposição, mas certamente seriam cumpridas.

Intentando amaldiçoar, Balaão abençoou. Intentando enfraquecer o povo de Deus, Balaão profetizou sua total vitória com base na obra do Deus verdadeiro. “Balaão pronunciou, portanto, a palavra de Deus, e Deus disse que verdadeiramente se cumprirão as promessas de herança, aliança e terra. Essas são palavras de Deus, e elas são infalíveis mesmo apresentadas por um adivinho estrangeiro, mercenário e incapaz de enxergar como Balaão” (House).

De profeta, Balaão decaiu para adivinho (Josué 13:22).

• Para abençoar Seu povo Deus pode falar através de quem Ele quiser; Suas palavras a você podem vir de qualquer pessoa, até de alguém apostatado.

Balaão e Balaque representam a união religiosa com a política. Esta relação sempre foi perigosa. No tempo do fim o Armagedom significará união da política mudial com a religião mundial contra o remanescente de Deus. Entretanto, não tenha medo…

“Na verdade, os crentes sofrem certa oposição à medida que se dirigem à Terra Prometida por Deus. Essa oposição pode criar uma verdadeira e séria dificuldade. Mas, ‘nos últimos dias’, os nossos inimigos é que serão derrotados pelas mãos de Deus” (Lawrence O. Richards).

Para quem está com Deus, até maldição torna-se bênçãos. Portanto, agarremo-nos a Ele! – Heber Toth Armí.



Números 24 – Comentários selecionados by Jeferson Quimelli
29 de novembro de 2015, 0:30
Filed under: Sem categoria

as tuas tendas. A ordem na disposição do acampamento impressionou sobremaneira o profeta. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 991.

Como vales que se estendem. Literalmente, “se esticam”. Trata-se de uma provável referência às longas fileiras de tendas com amplos espaços entre elas. CBASD, vol. 1, p. 991.

Agague. É provável que o nome Agague fosse uma designação genérica dos reis dos amalequitas, como o faraó dos egípcios e Abimeleque dos filisteus (ver com. [CBASD] de Gn 20:2). CBASD, vol. 1, p. 992.

Benditos os que te abençoarem,… Israel faz parte da bênção dada a Abraão, Gn 12.3, e tudo se cumpre finalmente em Cristo (Gl 3.16). Bíblia Shedd.

A teologia da Bênção e da maldição nas promessas feitas a Abraão (Gn 12.2, 3) agora faz parte desse oráculo de bênção. Bíblia de Estudo NVI Vida.

10 bateu ele as suas palmas. Uma expressão de desprezo e sinal de grande ira (ver Jó 27:33; Lm 2:15; Ez 21:17). Balaque pode ter pensado que Balaão tinha uma aliança com Israel e estava zombando dele. CBASD, vol. 1, p. 992.

17 estrela. O rei Davi conquistou Moabe e Edom (2 Sm 8). Vários intérpretes tem aplicado esta profecia a Jesus Cristo, o filho de Davi. Andrews Study Bible.

O futuro Libertador de Israel será semelhante a uma estrela (cf Ap 22.16). Bíblia de Estudo NVI Vida.

A estrela procedente de Jacó é sempre vista como se referenciando ao Messias vindouro. Foi provavelmente esta profecia que convenceu os magos a viajarem a Israel a buscar pelo bebê Jesus (ver Mt 2:1, 2). Life Application Study Bible Kingsway.

25 voltou para a sua terra. Ver v. 11. Ao chegar a sua casa, tramou uma artimanha para produzir a queda de Israel e buscou de imediato a Moabe, a fim de revelar seu plano ao rei (PP, 451). Morreu pouco tempo depois, em batalha (Nm 31:8). CBASD, vol. 1, p. 994.



Números 23 by Jeferson Quimelli
28 de novembro de 2015, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Aqueles que estão sob a proteção de Deus são imunes à feitiçaria e bruxaria. Não há lugar para a superstição no coração de um cristão e nenhuma maldição terá efeito quando pronunciada contra um filho de Deus. Balaão sabia disso, mas ele também tinha algum conhecimento das ofertas sacrificais dos hebreus e esperava que superando-as por meio de custosas oferendas, poderia conseguir o favor de Deus e ser bem sucedido em seu plano pecaminoso.

Deus mais uma vez condescendeu em revelar a Balaão, em visão profética, não somente o futuro de Israel, mas a recompensa final de todos aqueles que O seguem através dos tempos.

Que privilégio e que misericórdia! Se Balaão tivesse aceitado a luz que Deus lhe concedera, teria cortado todos os laços com Moabe e voltado para casa em arrependimento. Mas não, ele amava a riqueza e decidiu firmemente obtê-la para si.

Este é um aviso para nós hoje. Podemos servir ao Senhor, mas se há um pecado ou hábito nocivo que estamos acariciando e não estamos dispostos a abandonar, Satanás encontrou uma porta de entrada para nosso coração.

Nancy Costa
It Is Written Television [Programa Está Escrito]

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/num/23 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/23 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/num/23/
Tradução: JQuimelli/GQuimelli
Texto bíblico: Números 23
Comentário em áudio
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: Parábolas de Jesus, cap.23

 



Números 23 – Comentários pr Heber by Jeferson Quimelli
28 de novembro de 2015, 0:45
Filed under: Sem categoria

NÚMEROS 23 – Uma grande história possui grandes lições. Nos próximos capítulos as aplicações das tristes experiências de Balaão deverão desviar-nos do caminho da ruína.

Para abrir nossa mente à mensagem divina deste capítulo considere: “O mundo tem-se tornado um leprosário de pecado, um monturo de corrupção. É um mundo que não conhece os filhos de Deus, porque não conhecem a Deus” (Ellen G. White).

Balaão não era um profeta pagão, nem judeu. No entanto, Deus o chamara para proclamar Sua misericórdia e o plano da salvação aos politeístas da mesopotâmia. Ou, no mínimo, para acalmar os ânimos das nações, explicando que Israel nada faria com aqueles que tinham certo parentesco com Abraão (ver Deuteronômio 2).

Todavia, o medo evidencia que moabitas e midianitas nada sabiam destas recomendações. Balaão deve ter negligenciado sua missão como muitos de nós negligenciamos a nossa função como cristãos.

• Quando não testemunhamos, desprezamos oportunidades que Deus nos deu para ajudar pecadores em seus temores.

Ao invés de profetizar sobre Deus para abençoar o mundo corrompido, Balaão intentava amaldiçoar o povo de Deus, tornando-se uma pedra de tropeço tanto para o povo de Deus quanto para os pagãos. Mesmo assim, Deus colocou palavras na boca desse profeta como colocou na boca da jumenta; e, então, ele falou somente o que Deus queria:

1. O primeiro discurso (vs. 7-10);
2. O segundo discurso (vs. 18-24).

Pergunto: Por que Balaão orientou Balaque a fazer sete altares para sete sacrifícios, sendo que nenhum servo de Deus agiu assim na Bíblia?

Estudos demonstram que a cultura religiosa das nações pagãs cultuava cinco planetas mais o sol e a lua, ao todo sete astros. Sendo assim, Balaão tentou afastar-se de Deus visando amaldiçoar Israel; contudo, fracassou (vs. 1-6, 11-17, 25-30).

• Mesmo em um mundo que é leprosário de pecado, um monturo de corrupção, um povo abençoado por Deus não pode ser amaldiçoado por ninguém.

A adoração aos astros sempre foi forte no paganismo, a ponto de ser absolvido pelo cristianismo, levando a igreja cristã à apostasia. O profeta Balaão é mencionado pelo apóstolo João como progenitor de doutrinas falsas entre o povo de Deus (Apocalipse 2:14).

Cuidado com ministros que seguem doutrinas de Balaão: Cegos espiritualmente, ávidos materialmente. Fique alerta: Busque sempre a verdade!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



Números 23 – Comentários selecionados by Jeferson Quimelli
28 de novembro de 2015, 0:30
Filed under: Sem categoria

Edifica-me aqui. Ao multiplicar o número de sacrifícios, [Balaão] pensou que poderia aplacar a Deus. Sua mente estava completamente dominada por conceitos pagãos sore o Senhor, segundo os quais a quantidade é mais importante do que a qualidade, e as ofertas materiais são mais eficazes do que um coração sincero e obediente. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 986.

holocausto [Oferta totalmente queimada – nada seria comido dela pelos ofertantes]. Um custoso grupo de sacrifícios invocaram o Senhor para receber uma mensagem dEle.

monte desnudo. Um monte estéril/árido era um lugar em uma alta elevação em um monte, sem vegetação. Life Application Study Bible Kingsway.

Balaão desejava ficar só; ele já estava num lugar “desnudo” (um alto), onde os altares eram construídos. CBASD, vol. 1, p. 986.

Deus. Aqui, a palavra hebraica é Elohim, que é o título de Deus como criador de tudo, capaz, portanto, de se comunicar com o espírito de um profeta que não era do povo escolhido. Bíblia Shedd.

o SENHOR. Aqui, o nome de Deus Jhwh (Jeová), o Deus que se revela como Redentor dos que nEle creem; a mudança de nome é significante, pois aqui se seguem as profecias que apontam para o Messias, o Senhor Jesus Cristo, o Redentor eterno. Bíblia Shedd.

pôs a palavra na boca de Balaão. Já se observou que assim como Deus, indo na contramão da natureza, colocou palavras na boca da jumenta, também pôs palavras na boca de Balaão, a despeito da vontade obstinada do profeta. CBASD, vol. 1, p. 986.

oráculo. Hebr. mashal, em geral traduzido por “provérbio”, mas aqui “oráculo” é apropriado. Com essa palavra, fica estabelecida a natureza inigualável das profecias de Balaão. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Como posso amaldiçoar? A peergunta indica que Balaque estava pedindo a Balaão que fizesse o impossível. A bênção de Deus repousava sobre Seu povo e a maldição de um homem não prevaleceria conra ela. CBASD, vol. 1, p. 986.

Ao homem é impossível amaldiçoar a quem o próprio Deus abençoou, Gn 12.3. Bíblia Shedd.

Balaão se viu incapacitado para fazer o que fora contratado para fazer. Deus o impediu de invocar uma maldição contra o povo dele, que era diferente das nações da terra (v.9). Bíblia de Estudo NVI Vida.

 habita só. Habitar só eera sinal de segurança (Dt 33:28; Mq 7:14). Além disso, o povo de Deus deveria se separar dos hábitos e costumes das nações ao redor. CBASD, vol. 1, p. 986.

e não se considera como qualquer nação (NVI; ARA: “não será reputado entre as nações”). Por serem escolhidos de Deus, os israelitas deveriam ser um povo particular (ver Êx 33:16; 1 Rs 8:53). Eles passaram a se considerar, porém, totalmente superiores a todas as outras nações. CBASD, vol. 1, p. 986.

10 Morra eu a morte dos justos. Esse desejo não foi atendido (ver 31.8, 16). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Isto implica que os israelitas era justos (ver tb v. 21), a despeito da necessidade frequente de Deus discipliná-los. Deus não criticava Seu povo para estrangeiros. Balaão expressou admiração pelos israelitas e desejava ser como eles, mas, desafortunadamente, ele traria a si próprio a morte do ímpio (31:8). Andrews Study Bible.

16 assim falarás. Era impossível Balaão falar contra Israel enquanto o povo de Deus permanecesse fiel à vontade divina. CBASD, vol. 1, p. 987.

18-24 O segundo oráculo de Balaão reafirma a determinação de Deus em abençoar a Israel, conferindo-lhes a vitória sobre os moabitas. O v. 21 é surpreendente, em vista dos pecados descritos em Números. Apesar das falhas deles, Deus considerava as pessoas de Seu povo como justas por causa de Suas promessas da aliança e Ele proveu os meios para o perdão deles (Gn 17.2, nota). Bíblia de Genebra.

18 Levanta-te, Balaque. “Preste atenção e ouça”. CBASD, vol. 1, p. 987.

19 Em versos, em dois pares de paralelismos, ensina-se que Deus não voltará atrás naquilo que pronunciou, e que tem poder para cumprir totalmente tudo aquilo que na Sua Palavra prometeu. Por Si mesmo jurou que vai redimir Seus eleitos e cumprir as suas esperanças, Hb 6.13-20; Rm 4.21. Prometeu aceitar todos quantos vem para Ele, dando-lhes a vitória sobre o pecado e a ressurreição gloriosa de entre os mortos. Deus não mente, Tt 1.2. Bíblia Shedd.

Deus não é homem para que minta. Essas palavras [do Senhor,v. 16] sublimes designam a imutabilidade do Senhor e a integridade da Sua palavra. Balaão, constantemente mudando, prevaricando, enganando, alterando, serve de contraste com Deus, e é um exemplo notável da distinção entre Deus e o homem. Bíblia de Estudo NVI Vida.

nem filho de homem. A palavra traduzida por “homem” tem o sentido genérico de qualquer componente da raça humana; Deus não é um mero mortal. CBASD, vol. 1, p. 988.

Se arrependa. No sentido de sentir pesar por Seus atos. A mudança de localização, os altares adicionais e os sacrifícios oferecidos não convenceram o Senhor de que errara ao não se deixar influenciar pelo primeiro lugar e as primeiras ofertas. Só quando o pecador se afasta do mal com sinceridade, Deus pode ser influenciado a reter o castigo merecido (ver Jr 18:8; 26:3; Ml 3:6-7; Rm 11:27-32). CBASD, vol. 1, p. 988.

20 para abençoar recebi ordem. Muitas vezes as bênçãos de Deus são administradas por instrumentos humanos. Muitos crentes são despertados e edificados por evangelistas, pastores e ensinadores cristãos. Bíblia Shedd.

21 no meio deles se ouvem aclamações ao seu Rei. Aclamação do Senhor como Rei no meio de um acampamento de guerra nacional, real, o que significa que a força israelita era formidável. Ao enfatizar o poder de Seu povo escolhido devido à Sua presença com eles, Deus estava misericordiosamente advertindo Balaque contra ação hostil. Ver nota em Lv 23:24 [O festival das trombetas – Rosh Hashanah, “Ano Novo” judeu – é uma lembrança da soberania da proteção divina]. Andrews Study Bible.

23 contra Jacó não vale encantamento. Deus protege Seu povo de ataques de forças ocultas, sobrenaturais (comparar Ef 6:10-18). Andrews Study Bible.

24 devore a presa. Um retrato das conquistas israelitas do passado e do futuro. Na guerra contra os midianitas, logo após o encontro entre Balaão e Balaque, nenhum israelita perdeu a vida (Nm 31:49). CBASD, vol. 1, p. 988.

26 tudo que o SENHOR falar. Balaão percebeu que não poderia ficar em silêncio se o Senhor o mandasse abençoar (Nm 22:20; 23:3, 12). CBASD, vol. 1, p. 988, 989.

27-30 Supersticiosamente, Balaque resolveu ver se outra localização ou sacrifícios adicionais poderiam trazer um resultado mais favorável. Bíblia de Genebra.

27 Balaque levou Balaão a vários lugares, procurando seduzi-lo a amaldiçoar os israelitas. ele pensou que uma mudança de cenário ajudaria a opinião de Balaão. Devemos aprender a enfrentar a fonte de nossos problemas. Mover-se/mudar-se para escapar de problemas somente deixa a sua resolução ainda mais difícil. Problemas enraizados em nós não são solucionados com uma mudança de cenário. Uma mudança de endereço ou de trabalho podem apenas distrair-nos da necessidade de transformar nosso coraçãoLife Application Study Bible Kingsway.

30 como dissera Balaão. Nesta ocasião, Balaão não se retirou para ficar só. Não fingiu estar trabalhando em alguma arte mágica secreta, mas permaneceu com Balaque no altar. Sem questionar, Balaque cumpriu as instruções dadas por Balaão. CBASD, vol. 1, p. 989.

08:18 28/11/2015



A desesperança do depressivo – uma observação pessoal by Jeferson Quimelli
27 de novembro de 2015, 18:00
Filed under: Sem categoria

Nm 22:27 a jumenta… deixou-se cair. A jumenta não podia virar para a direita nem para a esquerda; tampouco conseguiria virar para trás e fugir apressadamente. … percebeu que não havia esperança para a situação. O profeta, cego pela avareza e ira, só conseguia enxergar teimosia no comportamento do animal. CBASD, vol. 1, p. 983.

Vemos aqui, no comportamento da jumenta, um claro exemplo de como a depressão funciona em nós. Quando o emocional não vê mais esperança nas agressões de contrariedade, pressão e ansiedade que sofre – e também se impõe-, simplesmente desiste de lutar e deixa-se cair. É um conflito para o qual não se vê saída. O melhor caminho para que o deprimido se levante é alívio do fardo, aceitação e uma nova perspectiva, mais leve, da vida. [De minha experiência pessoal].




%d blogueiros gostam disto: