Reavivados por Sua Palavra


Zacarias 11 by Jeferson Quimelli
25 de outubro de 2014, 0:00
Filed under: correção, liderança, profecias, relacionamento | Tags: ,

Comentário devocional

O pinheiro, o cedro e o carvalho (Zac 11:1-3) representam os líderes proeminentes. Continuando o pensamento do capítulo anterior, os líderes do povo são reprovados mais uma vez. Eles vendem o rebanho de Deus por dinheiro e se enriquecem, sem ter pena deles. Eles compram e matam o rebanho, mas não se sentem culpados. 

Deus não teria simpatia desses habitantes da terra. Isso é mostrado nos versos seguintes (6-14). O Senhor tomou duas varas e deu a uma o nome de “Favor”, que pode ser traduzido também como doçura, graça ou beleza. Mas o Senhor quebrou este bastão, com o qual estava conduzindo o rebanho. O verso 10 diz que Deus quebrou o bastão para ilustrar que a aliança entre Ele e Seu povo estava quebrada. 

No verso 14 o Senhor tomou a outra vara que tinha sido chamada de “União” (ou “Ligação”) e também a quebrou. Ao quebrá-la, Ele mostrou que a aliança de irmandade entre Judá e Israel tinha sido quebrada. 

Quando a “Graça” está quebrada, nosso relacionamento vertical com Deus também se quebra. Quando a “União” se quebra, nossa relação horizontal com as pessoas ao nosso redor também se rompe. Quando você e eu deixamos o Senhor ou não O seguimos totalmente, os vários relacionamentos que mantemos são afetados e se quebram.

Os versos 12 e 13 são citados nos Evangelhos como uma profecia que se cumpriu em Judas ao ele trair Jesus por 30 moedas de prata (Mat 26:15; 27: 3-10). Deus pediu ao povo através de Zacarias que Lhe colocassem preço e eles pesaram 30 moedas de prata. Por isso, Deus diz a Zacarias que este era o valor pelo qual O valorizavam. Como lemos em Mateus 26 e 27, este foi o preço da vida de Jesus estimado por Judas e pelo sumo sacerdote, justamente o preço habitual de um escravo. 

Zacarias não era bem vindo como profeta pelos líderes arrogantes e autoritários. Jesus também não foi bem vindo pelos líderes de sua época. E você? Que valor você dá para Jesus? Valorizemos ao Senhor com tudo o que temos e de todo o nosso ser, como Ele nos tem valorizado. Amemos ao Senhor acima de tudo, como Ele nos amou. A restauração do nosso relacionamento com Deus abrirá portas para melhores relacionamentos com o nosso próximo e resultará em vida eterna.

Na última parte do capítulo, os líderes recebem uma repreensão severa, sendo comparados a um pastor infiel. Ele não confortam os que estão tristes nem curam os quebrantados. Os que são fortes o suficiente para resistir, ele não as alimentam ou as fazem crescer, utilizando-os para seu benefício próprio, como um pastor que come a carne dos das suas ovelhas gordas. Eles são chamados de “pastores inúteis.” Deus está muito infeliz com eles. “Ai do pastor imprestável, que abandona o rebanho!” 

Sook-Young Kim
Universidade Nacional de Kyungpook 
Coréia do Sul

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/zec/11/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Zacarias 11 

Comentário em áudio 



Zacarias 1 by Jobson Santos
15 de outubro de 2014, 0:12
Filed under: Trabalho de Deus | Tags: , , , ,
Comentário devocional:

O ano era 520 aC quando o Senhor chamou Zacarias para unir-se a Ageu a fim de despertar os Judeus que retornaram a Jerusalém vindos do cativeiro na Babilônia. Dezesseis anos se passaram desde que Zorobabel os levara de volta para sua terra natal prometida. Eles chegaram com a autoridade do rei persa. Com entusiasmo as pessoas se estabeleceram em suas cidades e, em seguida, reuniram-se em Jerusalém, onde os sacerdotes tinham construído um altar para o Deus de Israel. Sacrifícios da manhã e da tarde passaram a ser oferecidos. A festa dos Tabernáculos foi celebrada. Em seguida, o alicerce do templo foi construido.

Em seguida, surgiram problemas com as pessoas ao redor. O trabalho foi interrompido. O profeta Ageu levou-os a renovar seus esforços para completar a missão que Deus tinha para eles – a reconstrução do Templo. O templo de Deus e seus serviços os uniu como nação e iria separá-los das práticas das nações ao seu redor. As primeiras palavras de Zacarias, (vs. 1-6) foram para convence-los da veracidade das palavras de Deus. Lá na Babilônia seus pais foram forçados a admitir: “O Senhor dos Exércitos fez conosco o que os nossos caminhos e práticas mereciam, conforme prometeu” (v. 6, NVI).

Esta lição é para nós. Nossa segurança está em Deus. Devemos crer em Suas palavras. A mensagem do homem montado no cavalo vermelho, “a terra está em repouso”, refere-se ao fato de que o conflito sobre a soberania Persa tinha acabado. Dario, o novo rei era mais favorável aos judeus. O Senhor disse: “Estou me voltando para Jerusalém com misericórdia, e ali o meu templo será reconstruído” (v. 16, NVI).  Seu povo estava para cumprir a missão para a qual Ele os havia trazido de volta. Os quatro chifres são explicados como aqueles que trabalharam contra o povo de Deus. A quatro carpinteiros-artesãos, referem-se a Zorobabel, Neemias, Ageu e Zacarias.

A mensagem é que Deus está muito ciente dos acontecimentos na Terra. Ele está particularmente consciente dos esforços feitos para prevenir a Sua igreja de cumprir a missão a ela confiada. Este capítulo faz-me perguntar: A minha primeira preocupação é ter uma boa vida neste mundo? Ou a minha primeira preocupação é apoiar a última igreja de Deus e participar proclamando as mensagens de Apocalipse 14:6-12 a todo o mundo?

David Manzano
Pastor aposentado
Estados Unidos

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/zec/1/

Traduzido por JDS

Texto bíblico: Zacarias 1

Comentário em áudio



1000 seguidores! by Jeferson Quimelli
6 de agosto de 2014, 21:39
Filed under: alegria, Estudo devocional da Bíblia, gratidão | Tags: , ,

Estamos em festa, porque ultrapassamos 1000 seguidores!
É uma bênção ter vocês como nossos companheiros nesta jornada abençoada!
Vocês são a nossa maior motivação. É uma honra trabalhar para o povo de Deus, que ama a Sua Palavra!
A Deus, que nos dá inspiração e força para o trabalho, toda honra e glória!

Equipe Reavivados



Isaías 60 by Jeferson Quimelli
25 de abril de 2014, 0:00
Filed under: Israel, prosperidade | Tags: , ,

Comentário devocional:

Como um magnífico nascer do sol, um novo dia iria amanhecer para o povo redimido de Deus depois de uma noite de terrível escuridão. O exílio babilônico levaria o povo de Deus a um dos pontos mais baixos em sua experiência como a nação escolhida. Eles se sentiriam totalmente abandonados por Deus (v.15) e desprezados pelas nações, cobertos, por assim dizer, por uma espessa mortalha negra. Muitos anos antes deste desastre finalmente acontecer, Deus enviou ao Seu povo uma mensagem que iria fazer brilhar uma luz no fim do túnel. Como o nosso Deus é gracioso em fazer isso!

Em capítulos anteriores de Isaías encontramos a promessa de Deus de que Ele iria levantar um “messias”, Ciro da Pérsia, para livrá-los do cativeiro físico. Muito mais importante, porém, Ele lhes promete que o Messias há muito esperado os livraria do cativeiro moral, da escuridão espiritual de sua cegueira, rebelião e idolatria. O Servo Sofredor consertaria o relacionamento quebrado deles com Deus. Verdadeiramente a glória do Senhor se levantaria sobre eles com a cura em Suas asas.

Por ocasião da criação, quando as trevas cobriam a terra, após a ordem divina: “Haja luz!”, um novo mundo começou a surgir. De modo semelhante, a obra salvadora do Messias traria a promessa de um “novo céu e uma nova terra”. Os fundamentos do Reino de Deus seriam postos.

O batimento cardíaco do novo reino será a adoração. Deus expressa Sua esperança de que o remanescente, ao retornar, seja um testemunho vivo das bênçãos de viver em harmonia com Deus. Isaías descreve a “vida abundante” que eles teriam por serem uma nação governada por Deus e obediente a Sua Lei de Amor. Seria um tempo de prosperidade, saúde e alegria tão convincentes que nações e reinos afluiriam para lá a fim de tributarem honra ao Senhor Deus, o Santo de Israel.

Jerusalém seria uma cidade de paz e louvor, de justiça e retidão; uma cidade cujas “portas permanecerão abertas; jamais serão fechadas, dia e noite” (v. 11 NVI). Tristeza e alienação não mais existiriam (v. 15, 20). Não haveria necessidade de sol nem de lua, porque Deus seria sua luz eterna, a sua glória eterna (v. 19). O universo inteiro seria parte deste poderoso e maravilhoso Reino.

A visão deixa claro que nenhuma falha humana impedirá  os propósitos finais de Deus, tanto para este planeta quanto para o universo. Qualquer indivíduo ou comunidade que aceita a redenção de Deus se retira das trevas para a aurora gloriosa da Verdade de Deus. Para eles, o Reino de Deus chegou (60:1)! Eles desfrutarão da “vida abundante” prometida por Jesus (João 10:10).

Cheios da presença da “Luz do Mundo”, levantar-se-ão e brilharão, como luzes neste mundo escuro (Mt 5:14,15). Serão como brotos plantados por Deus para manifestação da Sua glória (v. 21b).

Neste assunto não existem dúvidas. Tão certo como o grande “Eu Sou” existe, isso de fato acontecerá … mas , “na hora certa” (v. 22 b NVI)!

Aleta Bainbridge
Sydney, Austrália

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/60/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Isaías 60 



Esdras 8 by Jeferson Quimelli
1 de junho de 2013, 0:00
Filed under: confiança em Deus | Tags:

Comentário devocional:


Há momentos em nossa caminhada com Deus quando professamos uma coisa, mas agimos de forma diferente. Afirmamos que Deus é todo-poderoso, mas nos cercamos com “proteções” humanas.

Esdras nos dá um exemplo de como manter coerência entre fé e prática. Em vez de pedir ao rei por soldados para escoltá-lo e ao povo que ia consigo, um ato que poderia significar que ele não estava confiante que Deus iria protegê-lo, Ezra escolheu pedir a proteção de Deus. 

Ele proclama um jejum “para nos humilharmos perante o nosso Deus, para Lhe pedirmos jornada feliz para nós, para nossos filhos e para tudo que era nosso” (v. 21). Ezra acreditava que “A boa mão do nosso Deus é sobre todos os que O buscam, para o bem deles; mas a Sua força e a Sua ira, contra todos os que O abandonam” (v. 22). E Deus respondeu à sua oração (v. 23).

Quando Deus nos dá uma responsabilidade, devemos fazê-la com fidelidade, sabendo que somos responsáveis ​por ela ​perante Deus. Ezra alertou os homens que foram designados para transportar as ofertas voluntárias de que eles haviam sido separados para o Senhor e que essas ofertas eram santas. A oferta foi contada e lhes confiada para que a protegessem, e assim eles o fizeram.

“Santo de Israel, conceda-nos pessoas em quem possamos confiar, e ensina-nos a confiar em Ti.”


Pardon Mwansa

Vice-Presidente Geral

Conferência Geral

Trad JAQ/GASQ



II Crônicas 32 by Jeferson Quimelli
20 de maio de 2013, 0:00
Filed under: confiança em Deus | Tags: , ,

Comentário devocional:

Imediatamente após as reformas de Ezequias lemos sobre a invasão da terra de Judá por Senaqueribe, rei da Assíria. Quando Ezequias descobre que o rei da Assíria tem a intenção de fazer guerra contra Jerusalém, ele reúne o povo e o exorta a não temer: “Com ele [Senaqueribe] está o braço de carne, mas conosco, o Senhor, nosso Deus, para nos ajudar e para guerrear nossas guerras” (verso 8). Nós não precisamos lutar nossas batalhas sozinhos, mas podemos combinar a nossa força humana com o poder de Deus.

Ezequias em suas reformas espirituais procurou eliminar as falsas religiões da terra. Senaqueribe, em suas ameaças, não reconheceu nenhuma diferença entre as falsas religiões e a verdadeira.

Ele compara Deus a qualquer outro deus: “Agora, pois, não vos engane Ezequias, nem vos incite assim, nem lhe deis créditos; porque nenhum deus de nação alguma, nem de reino algum pôde livrar o seu povo das minhas mãos, nem das mãos de meus pais, quanto menos vos poderá livrar o vosso Deus das minhas mãos? “(V. 15).

Senaqueribe chama a atenção para sua experiência passada – suas vitórias sobre as outras nações – para tentar convencer o povo de que o seu Deus também será derrotado. Entretanto, as previsões do mundo nem sempre se cumprem. Deus, como revelado nas Escrituras, é o nosso único Guia confiável. Apegue-se ao que Deus diz que é correto, independente do que o mundo esteja dizendo a respeito. 

Ezequias confiou no Deus verdadeiro, e este não o desamparou. Após a oração de Ezequias e Isaías, o exercito do arrogante Senaqueribe foi destruído sem que o povo de Deus precisasse lutar.

Peçamos a Deus que nos ajude a confiar nEle, nas verdades da Sua Palavra, independente da descrença que vemos no mundo ao nosso redor.

 

Michel Lee

Geração Juventude para Cristo

Trad JAQ/JDS


II Crônicas 30 by Jeferson Quimelli
18 de maio de 2013, 0:00
Filed under: alegria, liderança | Tags: ,

Comentário devocional:

A história encontrada em 2 Crônicas 30 é uma das minhas narrativas favoritas do Antigo Testamento. Talvez porque eu goste muito de grandes reuniões ou de reviver tradições antigas ou, ainda, pela idéia de duas semanas felizes de festa. 

O rei Ezequias correu risco de constrangimento ao convidar pessoas das tribos de Israel. O risco deles não virem a Jerusalém era muito grande. Afinal de contas fazia muitos anos que Israel e Judá não celebravam a Páscoa juntos.

Ezequias corajosamente chamou o seu reino à fidelidade – e conseguiu. As pessoas “se humilharam e foram a Jerusalém” (v. 11). Elas tiveram um tempo tão agradável juntas que concordaram coletivamente em ficar mais sete dias. Não tinha havido tanta alegria na terra desde os tempos do rei Salomão. Foi um tempo de purificação e renascimento, um ponto de mudança drástica para os filhos de Israel.

Alguns irmãos que vieram das tribos do Norte não haviam se purificado, conforme a Lei estipulava. Compreendendo a sinceridade do povo em buscar a Deus, ainda que de modo imperfeito, Ezequias autorizou que eles participassem da Páscoa e suplicou o perdão de Deus para eles. O relato bíblico diz que “o Senhor ouviu a oração de Ezequias e não castigou o povo” (2 Crônicas 30:20, NVI).

Eu acho comovente que tudo isso tenha acontecido na Páscoa, um belo prenúncio do Cordeiro por vir, morto pelos pecados do mundo. Este mesmo Cordeiro nos convida a vir a Deus, assim como estamos, a fim de que Ele possa nos perdoar e purificar.Será que aceitaremos o convite do Cordeiro pascal?

Olivia Knott
Geração Juventude para Cristo
Trad JAQ/JDS


II Crônicas 29 by Jeferson Quimelli
17 de maio de 2013, 0:00
Filed under: liderança | Tags: , ,
Comentário devocional:
 
Ezequias conclama a nação para o reavivamento e a reforma. Ao contrário de seu pai Acaz, a ascensão de Ezequias ao trono deu início a uma época de renovação espiritual em todo o país. Neste capítulo, o verbo “santificar” é usado oito vezes e o verbo “limpar” três vezes. O primeiro passo para reavivamento e a reforma é um compromisso com a completa preparação do coração.

O chamado de Ezequias começa com os líderes, sacerdotes e levitas (vv. 4-5; 20). Depois que eles se reconciliaram e se consagraram ao Senhor, seguiu-se um culto poderoso entre os líderes da nação (vv. 28, 33-34). Quando os líderes foram reavivados e “foi restabelecido o culto no templo do Senhor” (v. 35 NVI), os membros da igreja deram os mesmos passos, como o próximo capítulo indica.
 
Valmy Karemera
Geração Juventude para Cristo.
Trad JAQ/JDS


II Crônicas 22 by Jeferson Quimelli
10 de maio de 2013, 0:00
Filed under: santificação | Tags:

Comentário devocional:

Joás, o rei menino, está entre os mais famosos que reinaram em Israel e dentre eles foi o mais jovem. Este jovem inicialmente subestimado chegou à liderança nas piores circunstâncias, depois de gerações de líderes terem levado Israel à apostasia. A família de Acabe fez tudo o que podia para manter o controle sobre o povo de Deus. Houve uma guerra ininterrupta entre o Senhor e aqueles que buscaram fazer avançar a religião de Baal. Tão grande foi a apostasia que tomou conta de Israel e embriagou seus promotores que a própria avó de Joás, Atalia, tentou matá-lo para manter-se no poder.

No entanto, no meio dessa apostasia e seus terríveis resultados encontramos a chave para o avivamento. O avivamento do grupo começa com o avivamento pessoal. E o avivamento pessoal começa por esconder-se: “E ele estava com eles, escondido na casa de Deus, seis anos, e Atalia reinava sobre a terra” Crônicas 22:12). É uma poderosa lição! Enquanto a apostasia reinava, destruía e aparentemente vencia, Joás se escondia na casa de Deus. Assim como Elias se escondeu em Querite (1 Reis 17:03) e permaneceram no cenáculo (Atos 1:3), Joás se escondeu na casa de Deus. Ele se escondeu na presença de Deus.

É somente quando nos retiramos e nos escondemos na presença de Deus é que desenvolvemos os elementos necessários para sermos agentes de reavivamento e reforma. É somente quando a Sua Palavra está escondida em nosso coração (Sl 119:11) que podemos quebrar o mal que habita em nós. O pecado não confessado e abandonado nos leva a querermos nos esconder da face de Deus (Apocalipse 6:16).

Tem você o desejo de ser um agente de reavivamento e reforma da igreja de Deus, mas não tem certeza se Deus pode te usar? Creia, Ele pode! Oculte-se nEle e veja o que acontece.
Israel Ramos
Cofundador
Geração Juventude para Cristo
Trad JAQ/JDS

– – – – – – –

Texto bíblicoII Crônicas 22



II Crônicas 14 by Jeferson Quimelli
2 de maio de 2013, 0:00
Filed under: confiança em Deus | Tags: , ,

Comentário devocional:

Você pode imaginar o que é ter um exército de um milhão de homens e trezentos carros de guerra vindo contra você? Foi exatamente isso que o rei Asa de Judá enfrentou. Ele estava bem preparado. Ele havia fortificado cidade após cidade com muralhas, torres, portas e ferrolhos. Ele até havia derrubado os lugares altos, os pilares sagrados e imagens de madeira. Seria o suficiente?

Ouça a sua incrível oração: “Senhor, não significa nada para Ti ajudar, seja com muitos ou com aqueles que não têm poder; ajuda-nos, ó Senhor, nosso Deus, porque em Ti, e em teu nome viemos contra esta multidão, ó Senhor, Tu és o nosso Deus, não deixe que o homem prevaleça contra ti! “(v. 11).

E o exército de um milhão de homens foi superado! Esta história é para nós. “A oração de Asa é aquele que todo crente cristão pode apropriadamente oferecer. Nós lutamos em uma guerra, não contra a carne e o sangue, mas contra os principados e potestades, contra hostes espirituais da maldade nas regiões celestes (cf. Ef 6:12). No conflito da vida, temos de enfrentar agências do mal que se arregimentaram contra o certo/direito. Nossa esperança não está no homem, mas no Deus vivo. Com plena certeza de fé, podemos esperar que Ele unirá Sua onipotência aos esforços de instrumentos humanos, para a glória do Seu nome. Vestida com a armadura de sua justiça, podemos obter a vitória sobre todos os inimigos” (Profetas e Reis, p.111).

Hoje é o dia da vitória. Faça a oração de Asa e acredite!

 

Pastor Scott Griswold

Recrutador de Missionários

Apoio a Projetos para o Sudeste da Ásia

Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


– – – – –

Texto bíblicoII Crônicas 14

FonteBlog da Bíblia




%d blogueiros gostam disto: