Reavivados por Sua Palavra


DEUTERONÔMIO 12 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
27 de junho de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

DEUTERONÔMIO 12 – A premissa “qualquer coisa serve”, nunca deve ser aplicada para adoração. Deus, o Ser adorado deve orientar a adoração prestada pelos adoradores. Adorar de qualquer jeito significa banalizar o Soberano do Universo que preza por seres insignificantes como nós.

Deuteronômio 12 oferece-nos princípios fundamentais para a adoração genuína, aceita por Deus:
• Deus requer exclusividade na adoração (Deuteronômio 12:1-5, 8-10, 29-32). Todos os deuses ou quaisquer parafernálias abomináveis devem ser radicalmente eliminadas da adoração, caso o adorador não deseja sofrer a frustração da rejeição. Desde celulares a conversas supérfluas tudo precisa ser erradicado no momento da adoração.
• Deus requer generosidade do adorador no ato de adorar (Deuteronômio 12:6, 11, 13-14, 26-28). Dízimos e ofertas são essenciais na genuína adoração. A conversão que não alcança o dinheiro, não permitirá que o indivíduo seja adorador por inteiro. Adoração parcial resulta em rejeição total – Caim que o diga (Gênesis 4:1-5). Dízimos sustentam os líderes espirituais; ofertas, sustentam as casas de culto. Todos são essenciais de acordo com Deus, que instituiu o Santuário e os levitas para atuarem nele.
• Deus requer unidade na comunidade de adoradores que se reúnem para adorar (Deuteronômio 12:7, 12, 15-25). Deus preza pelos relacionamentos familiares e pela comunidade. Inclusive Jesus orou pela unidade de Sua igreja em João 17. Essas reuniões não devem ser fúnebres, enfadonhas e chatas; pelo contrário, desde as crianças até os idosos, homens e mulheres, ricos e pobres, todos devem se alegrar perante o Senhor, o Qual abençoa a todos!

Deus orienta Seu povo a comer, a alegrar-se, a desfrutar a vida em Sua presença. Viver carrancudo, tenso, aflito, com ciúmes, com raiva, estressado, triste e decepcionado é para adoradores que trilham o caminho de Caim (Gênesis 4:6-8). Deus quer que Seu povo participe de refeições sociais, ajuntamentos festivos, celebração coletiva… alegremente!

Sendo que cada adorador não deve fazer o que bem entende (Deuteronômio 12:8), precisa-se esclarecer a sugestão de uma suposta carne imunda como refeição ao povo de Deus (Deuteronômio 12:15, 22), tendo em vista a proibição de tais carnes em Deuteronômio 14:1-21. No contexto de adoração de Deuteronômio 12, faz-se referência a carnes cerimonialmente impuras – não de animais imundos –, já que gazelas e veados não eram sacrificados.

Enfim, façamos sempre o que Deus pede. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: