Reavivados por Sua Palavra


MARCOS 8 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
3 de junho de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO MARCOS 8Primeiro leia a Bíblia

MARCOS 8– COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

MARCOS 8 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal do Youtube

(pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



MARCOS 8 by Jobson Santos
3 de junho de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/mc/8

Jesus tinha acabado de realizar o incrível milagre de transformar sete pães e alguns peixes pequenos em mais do que o suficiente para satisfazer a cerca de 4.000 homens, além de mulheres e crianças.

Embora Jesus tenha feito milagres mais do que o suficiente para que as pessoas acreditassem que Ele é o Messias (João 20:31), esse não era seu objetivo principal. Jesus alimentou as pessoas porque elas estavam com fome e ele teve compaixão delas. No entanto, os fariseus imediatamente tentaram confrontar Jesus, exigindo que Ele provasse por meio de mais sinais a Sua afirmação de ser o Messias.

A resposta de Jesus encontrada no versículo 12 é de forte emoção quando Marcos descreve Jesus suspirando ou gemendo “profundamente em Seu espírito”. Jesus não ficou incomodado com o pedido em si. Em vez disso, Ele ficou entristecido por conhecer a falta de responsividade espiritual das multidões. Apesar de ensinar com autoridade sobrenatural (Marcos 1:22), aqueles ao seu redor, incluindo Seus próprios discípulos (Marcos 8:16), estavam preocupados principalmente com a satisfação imediata que poderiam obter de Jesus.

As Escrituras nos encorajam a levar todos os nossos pedidos a Deus (Filipenses 4: 6), e realmente devemos fazer isso! Mas eu me pergunto se podemos deixar de lado nosso desejo por mais sinais, encontrando satisfação no que Deus já realizou por nós. Se assim o fizermos, teremos uma fé mais vigorosa.

Tye Davis
Pastor, Igreja Adventista de Regensburg, Alemanha

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1211
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



MARCOS 8 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
3 de junho de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

453 palavras

2 três dias. A importância do ensino do Mestre foi reconhecido pelo povo. Bíblia Shedd.

11 sinal do céu. Como Elias demonstrou no monte Carmelo (1Rs 18.20-40). Bíblia Shedd.

12 suspirando profundamente (ARC). Um detalhe mencionado apenas por Marcos. Jesus estava decepcionado com a lentidão do povo para compreender a verdade espiritual. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 687.

15 fermento. Os judeus, seguindo o mandamento de Deus (Êx 13.7), evitam o uso de toda levedura na semana imediatamente após a Páscoa. Bíblia Shedd.

fermento de Herodes. Ou seja, a má influência de Herodes, particularmente seu mundanismo e caráter irresoluto. CBASD, vol. 5, p. 687.

23 Levou-o para fora. Provavelmente havia pelo menos duas razões para isto: (1) evitar a publicidade e (2) ajudar o cego a se concentrar e compreender o que Cristo estava prestes a fazer por ele (cf. com. de Mc 5:37, 40; 7:33). Jesus parece ter realizado comparativamente poucos milagres durante Seu ministério público e, na maioria dos casos, Ele estava cercado por pessoas, em grande medida, pagãs. CBASD, vol. 5, p. 688.

24 Os homens … como árvores. Este é o único caso registrado em que Jesus realizou a cura em duas etapas. Não há uma razão evidente para o uso deste método. No entanto, deve-se notar que, quando a visão foi parcialmente restaurada ao homem, sua fé aumentou e ele estava pronto a acreditar que Jesus poderia curá-lo completamente (ver com. do v. 23). CBASD, vol. 5, p. 688.

26 Na aldeia. Ou seja, Betsaida (ver com. do v. 22). Aparentemente, a casa do homem não era nesta cidade, na qual Jesus lhe disse para não entrar. Essa restrição se destinava a impedir que a notícia do milagre se espalhasse e, assim, auxiliaria Jesus em Sua intenção de garantir a discrição (ver com. do v. 22). CBASD, vol. 5, p. 688.

27 Com a confissão de Pedro começa a segunda metade de Marcos. Não mais Jesus dirige ensinamentos para as multidões, mas aos discípulos. Começam a ser dados avisos referentes a Sua morte, como também à ressurreição. Bíblia Shedd.

33. coisas de Deus. A frase significa “adotar o lado de Deus”, “comprometer-se com a causa de Deus”. Só Deus compreende realmente a profundidade do problema do pecado, como também a única solução. Bíblia Shedd.

34 negue-se a si mesmo. Impedir que o eu seja o centro da sua vida e dos seus atos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

36 alma. Uma metáfora para a vida eterna … Jesus desafia os discípulos que pretendem segui-Lo a não ter como foco a vida presente e o sofrimento que vem com ela. Perder esta vida não é nada comparado à perda da vida eterna. Andrews Study Bible.

38 na glória. Uma referência à segunda vinda de Cristo (ver com. de Mt 35:31), da qual o evento seguinte, a transfiguração, foi uma demonstração em miniatura (ver com. de Mt 16:28). CBASD, vol. 5, p. 688.



MARCOS 8 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
3 de junho de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Ao que lhes disse Jesus: Não compreendeis ainda?” (v.21).

Dizem que a maior parte do ministério terrestre de Jesus foi a de curar. E os relatos dos evangelhos testificam isso. Precisamos, porém, compreender o objetivo maior da cura e dos milagres. Diante de uma “grande multidão” (v.1), Jesus expôs o alimento espiritual. Durante três dias aquelas pessoas estiveram com o Mestre divino, sendo confortadas e doutrinadas por Suas palavras, cheias de doçura e verdade. Mas Jesus também reconhecia suas necessidades e limitações físicas. E mesmo em face da letargia de Seus discípulos, realizou a segunda multiplicação de pães e peixes, despedindo aquela multidão com Sua perfeita provisão.

Entre os que se reuniam para ouvi-Lo estavam também os fariseus: um grupo domesticado por suas próprias tradições e inflexível quanto ao que acreditavam como religião. Tentavam constantemente a Cristo com perguntas maliciosas ou pedidos aleatórios. Ao pedirem “um sinal do céu” (v.11), Jesus expressou uma decepção tão profunda que em lugar nenhum do Novo Testamento encontraremos a palavra grega utilizada aqui. Os líderes religiosos de Seu povo, aqueles que deveriam instruir Israel sobre o verdadeiro conhecimento eram os mais ignorantes a respeito do que realmente importava. Não tinham o rico e suficiente alimento para oferecer ao povo. Suas vidas não passavam de um fermento cuja influência levedava a influência de Cristo.

Mas os discípulos não entendiam a metáfora bem empregada por Jesus acerca dos ensinamentos dos líderes de Israel, de modo que tiveram de ouvir as duras indagações: “Ainda não considerastes, nem compreendestes? Tendes o coração endurecido? Tendo olhos, não vedes? Tendo ouvidos, não ouvis?” (v.17, 18). A maior e mais terrível perseguição não viria da parte de Roma ou de outros povos pagãos, mas daqueles que diziam seguir a Deus. Se os discípulos não entendessem que sua fé e sua vida cristã precisava de um toque diário de cura, dariam início apenas a mais uma religião de aparências, com uma visão tão turva e confusa quanto a do cego em Betsaida ao abrir os olhos pela primeira vez (v.24).

Eu vejo Jesus, hoje, tomando o Seu povo pela mão para fora de sua zona de conforto e aplicando-lhe nos olhos o que sai de Sua boca (v.23). À primeira vista, todos nós não enxergávamos senão o vulto da mensagem adventista. Contudo, creio, com convicção, de que a visão clara e perfeita já está à disposição de todos aqueles que têm buscado com genuíno interesse o reavivamento prometido. Reavivamento e reforma consiste em renúncia, em “perder a vida por causa de [Cristo] e do evangelho” (v.35). Apenas confessar que Jesus é o Cristo não é suficiente. Jesus precisa ser o nosso Senhor e Salvador pessoal. Há uma cura disponível a todos nós e esta só dará o fruto do Espírito quando entendermos que precisamos primeiro levá-la “para casa” (v.26).

A maioria esmagadora das famílias está tão destroçada e tão carente do alimento espiritual, amados! E “Não compreendeis ainda” (v.21) que “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus?” (Mt.4:4). O maior milagre não está na cura física, mas em aceitarmos carregar o instrumento de morte: “Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me” (v.34). Jesus não disse que temos que carregar a cruz dEle, e sim a nossa. Precisamos morrer para o mundo e viver para Deus! Isso não significa uma vida somente de dores e aflições, mas uma vida que mesmo sofrendo terríveis perseguições e provações, não se envergonha de Jesus e de Suas palavras. Porque, bem alimentada do pão do Céu, e com o coração ardendo pela contemplação de Cristo em Sua Palavra, seus olhos podem distinguir “de modo perfeito” (v.25) a missão que o Senhor lhe confiou, para onde deve ir e o que deve evitar (v.26).

Nunca o mundo clamou tanto por cura como agora em tempos tão difíceis e incertos. Sejamos, pois, a geração de verdadeiros adoradores que repartirá com as multidões a perfeita provisão divina. Certamente aproxima-se o tempo em que haverá “fome sobre a Terra, não de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. Andarão de mar a mar e do Norte até o Oriente; correrão por toda a parte, procurando a palavra do Senhor, e não a acharão” (Am.8:11-12). Que Jesus nos encontre reavivados por Sua Palavra “quando vier na glória de Seu Pai com os santos anjos” (v.38). Vigiemos e oremos!

Bom dia, reavivados pela Palavra de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Marcos8 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



MARCOS 8 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
3 de junho de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

MARCOS 8 – Seguir a Jesus tem seus desafios, inclusive sofrimentos; porém, não segui-lO resulta em consequências irreversíveis. Ele é a única solução para os dilemas do coração, a única esperança sólida para o desespero causado pela morte.

Observe estes tópicos extraídos dos 38 versículos do capítulo em pauta:
• Jesus é movido de compaixão ao observar uma multidão de pecadores e Sua motivação O impulsiona a ajudar a cada uma das pessoas que carecem de auxílio. Ele fez o milagre da multiplicação de pães e peixes novamente (ver Marcos 6:32-44) e deixou Seus discípulos perplexos (vs. 1-9).
• Jesus Se preocupa com os pecadores, principalmente quando Ele investe tanto neles, mas eles teimam em suas próprias filosofias. Após ter Se afastado da Galileia, Jesus retornou; ao encontrar-Se com os líderes religiosos, estes aproveitaram para Lhe pedir um sinal (as duas multiplicações e outros milagres ainda não eram suficientes). Mas Jesus despreza a fé que depende de sinais. Os discípulos também tinham tendência para a incredulidade e hipocrisia, mas era mais fácil lidar com eles do que com os líderes eclesiásticos – evidentemente, Jesus Se preocupe com todos os hipócritas (vs. 10-21).
• Jesus curou literalmente a um cego logo após tratar com a incredulidade dos fariseus e dos discípulos. Esta história real ilustra teologicamente a cegueira espiritual que Jesus anseia curar dos pecadores cegados pelo orgulho e por Suas ideologias que impedem de ver a realidade nua e crua do pecador e de Sua necessidade de um Salvador (vs. 22-33).
• Jesus pregou que o caminho para a nossa salvação é Ele passar pela cruz; todavia, inclui uma assimilação nossa com Sua experiência. Para tornarmo-nos Seus discípulos devemos tomar também nossa cruz, assim deixamos de viver para nós mesmos a fim de entregarmo-nos inteiramente a Ele, passando a viver exclusivamente por Ele e para Ele. Embora possa haver desafios assombrosos, o resultado será glorioso (vs. 34-38).

Jesus quer nos salvar, por mais cabeça-dura que sejamos. Ele investe, e, ao ser rejeitado, Se afasta. Mas, depois volta, investe novamente, embora o resultado seja negativo de novo (vs. 11-12). Ele Se retira, e deixa-os refletindo (v. 13).

Jesus aproveita toda oportunidade para elevar os conceitos dos pecadores. Ele usa exemplos e faz uso de perguntas retóricas (vs. 14-21). Como reagiremos? Positivamente? – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: