Reavivados por Sua Palavra


LUCAS 3 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO LUCAS 3Primeiro leia a Bíblia

LUCAS 3 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

LUCAS 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal do Youtube

(pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



LUCAS 3 by Jobson Santos
14 de junho de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/lc/3

Como filhos e filhas de Deus, todos nós somos chamados a viver uma vida de retidão, que é algo que somos incapazes de fazer, a menos que o Espírito Santo esteja vivendo em nós. É necessário entregarmos totalmente nossas vidas e nossos bens para sermos úteis na colheita de almas.

Quando andamos perto de Deus, as pessoas nos odiarão sem motivo. João, por exemplo, não fez nada a Herodes, mas disse a ele a verdade da Palavra de Deus com convicção. Herodes foi advertido acerca da sua impiedade, mas escolheu encarcerar João, em vez de abandonar seus caminhos perversos. Ele teve a oportunidade de corrigir todos os erros que cometeu, mas recusou a salvação e perdeu-se eternamente.

O Espírito Santo é a pessoa da Trindade que nos dá o poder de pregar como João o fez e é o Espírito Santo que deu a Jesus e seus discípulos o poder de realizar milagres e atrair pessoas a Deus. É possível frequentar a igreja por décadas, devolver nossos dízimos, ocupar cargos na diretoria, sem que o Espírito Santo habite em nós.

Irmãos e irmãs, examinemos nossos corações e nos rendamos completamente a Deus, orando pelo derramamento do Espírito Santo. Só assim poderemos trabalhar juntos para levar almas a Jesus e terminar a obra, para que Ele venha e nos leve para casa. Senhor, por favor, ajude-nos a permanecer fiéis até o fim.

Iris Finch
Membro do Conselho, Ex-Presidente do ministério Dream Jamaica

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1222
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



LUCAS 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

759 palavras

1 Tibério. refere-se ao ano 26 ou 27 d.C. Bíblia Shedd.

Pôncio Pilatos. No seu testamento, Herodes, o Grande, deixou a Judeia para seu filho Arquelau, e outros territórios para seus filhos Filipe e [Herodes] Antipas. Porém, Arquelau governou tão mal que os romanos o removeram no ano 6 d.C. e indicaram seu próprio governador. Pôncio Pilatos foi o quinto governador da Judeia, servindo ali de 26-36 d.C. Bíblia de Genebra.

…foi destituído por Tibério … por má conduta no cargo. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 785.

Um tetrarca era o governador da quarta parte de uma região. Nota textual NVI.

2 Os judeus tinham só um sumo sacerdote por vez. Anás tinha sido deposto pelos romanos que, para o seu lugar, escolheram Caifás, seu genro. Os romanos cuidavam para que Caifás exercesse as funções oficiais, porém muitos judeus ainda consideravam Anás o verdadeiro sumo sacerdote. Bíblia de Genebra.

veio a Palavra de Deus. A mensagem de João Batista não era dele mesmo, mas era a palavra dinâmica do próprio Deus. Bíblia de Genebra.

3 batismo de arrependimento. O batismo é o sinal público de mudança interna. O arrependimento precede o batismo, que o sela e relembra futuras obrigações. Bíblia Shedd.

Os judeus batizavam os gentios, se eles desejassem fazer parte do povo de Deus. A veemência da prática de João era uma forma de chamar os judeus a se submeterem ao rito que consideravam convenientes só para os gentios. João buscava uma mudança no coração dos judeus. Bíblia de Genebra.

4 Preparem o caminho. Antes de um rei sair em viagem a um país distante, as estradas por onde ele passaria eram melhoradas. De modo semelhante, a preparação moral e espiritual para o Messias se fez por meio do ministério de João, que focalizava o arrependimento e o perdão do pecado, além da necessidade de um Salvador. Bíblia de Estudo NVI Vida.

7-8 Uma forte advertência é dirigida àqueles que reivindicavam a Abraão como pai. O fato de ser judeu não livraria ninguém do juízo vindouro. Bíblia de Genebra.

víboras. Longe de serem filhos reais de Abraão (Rm 4.16), aos olhos de Deus, eram geração de serpentes venenosas (o diabo, cf Jo 8.44). Bíblia Shedd.

pedras. Um trocadilho hebraico com “filhos” (banim) e “pedras” (abanim), significando que Deus pode dar aos que carecem de dignidade humana a mais alta posição com o Seu filho. Bíblia Shedd.

9 está posto o machado à raiz. Esta frase aponta para um juízo certo e repentino. Bíblia de Genebra.

fogo. Um símbolo de juízo. Bíblia de Genebra.

11 duas túnicas. Uma túnica era semelhante a uma longa camiseta de baixo. Como não eram necessárias duas dessas peças, a segunda devia ser dada a alguém que dela precisasse. Bíblia de Estudo NVI Vida.

12 publicanos. Os impostos romanos eram cobrados por agentes que pagavam pelo direito de cobrar impostos numa cidade. Eles pagavam aos romanos aquilo que foi tratado e coletavam mais para o seu próprio salário. Eram fortemente tentados a se enriquecerem, coletando muito mais do que seria razoável. Os coletores judeus eram desprezados como colaboradores da força romana de ocupação. Eram excluídos da vida religiosa das sinagogas e do templo. Bíblia de Genebra.

14 As profissões de cobrador de impostos e de soldado não eram condenadas em si mesmas – só as práticas antiéticas a elas associadas. Bíblia de Estudo NVI Vida.

16 não sou digno de desatar-lhe as correias. Nas escolas rabínicas, o aluno não pagava a seu professor. Exigia-se que ele prestasse serviços, mas não o de desatar as sandálias, que era considerado um trabalho muito servil. João coloca-se em uma posição humilde. Bíblia de Genebra.

batizarácom fogo. O contexto (17) parece exigir o sentido de prova, de julgamento (cf Lc 12.49-53; 1Co 3.13). Bíblia Shedd.

17 Inextinguível. Gr asbesto, um fogo que, pela sua fúria, não pode ser apagado. Bíblia Shedd.

19 Herodes. Antipas, filho de Herodes, o Grande, que matou as crianças de Belém. Bíblia Shedd.

19-20 Herodes Antipas divorciou-se de sua esposa e casou-se com sua sobrinha Herodias, que era também sua cunhada (Mc 6.17, nota). João denunciou este feito escandaloso e Herodes mandou prendê-lo na fortaleza de Maquero, a leste do mar Morto. Bíblia de Genebra.

21 Jesus identificou-se com os pecadores por submeter-se ao batismo deles. Bíblia de Genebra.

estando Ele a orar. Lucas destaca o ensino e a prática da oração por Jesus (5.16; 9.18, 28; 11.1; 22.41-46), o que não só provê um bom exemplo aos Seus discípulos, mas também confirma Sua humanidade (cf Hb 4.15; 5.7). Bíblia Shedd.

38 filho de Deus. No início, o ser humano foi criado à imagem de Deus. Por meio da fé em Jesus Cristo nosso privilégio é ser criados novamente à Sua semelhança. CBASD, vol. 5, p. 796.



LUCAS 03 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
14 de junho de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“E aconteceu que, ao ser todo o povo batizado, também o foi Jesus; e, estando Ele a orar, o céu se abriu” (v.21).

O ministério profético de João Batista consistia em preparar um povo não somente para receber o Messias, mas também para a transição entre a antiga e a nova aliança. O batismo tornou-se o novo símbolo de pertencimento, o início de uma nova vida através da “remissão de pecados” (v.3); a cerimônia que marca o início de uma vida de santificação e relacionamento pessoal com Deus. Sendo Satanás o inimigo de nosso relacionamento com Deus, certamente sua obra consiste em destruir a fé do cristão e levá-lo a pensar que o Senhor não pode aceitá-lo. Mas a mensagem de João às multidões, apesar de ser dura à primeira vista (v.7), deve ser considerada por seu objetivo, que é o de declarar ao pecador que existe graça para ele.

Iniciando com uma lista de todas as autoridades locais da época e encerrando com a genealogia de Jesus, o capítulo de hoje apresenta a diferença entre o governo da Terra e o governo do Céu. Todos os nomes citados no começo, por mais que seus cargos lhes conferissem privilégios, não podem ser comparados com o nome acima de todos os nomes que encerra o capítulo. Ao vir a João “a palavra de Deus” (v.2), “pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados” (v.3), descortinou-se perante o mundo o que já estava previsto desde a sua fundação (Ap.13:8). A autoridade maior da igreja de Deus, o sumo sacerdote, que deveria compadecer-se “dos ignorantes e dos que erram, pois também ele mesmo está rodeado de fraquezas” (Hb.5:2), era o primeiro a erguer uma pedra na direção do pecador. Deus conferiu a um andarilho do deserto um poder que autoridade humana nenhuma poderia superar.

Movido pelo Espírito Santo, João Batista chamava o pecado pelo nome. Mas ele não apontava os pecados de seus conterrâneos com o fim de puni-los, e sim de corrigi-los e endireitar “as suas veredas” (v.4). Diante das multidões, sua voz clamava em favor dAquele que viria após ele, preparando os corações para recebê-Lo. Seu discurso era de fácil compreensão diante de todos. Difícil era colocá-lo em prática. Quando as multidões lhe perguntaram: “Que havemos, pois, de fazer?” (v.10), a sua resposta, em resumo, foi: Pratiquem o amor altruísta (v.11). Esta é a fonte dos “frutos dignos de arrependimento” (v.8). Aos publicanos, João disse: Sejam honestos (v.13). Aos soldados: Cumpram sua função com justiça (v.14). E a Herodes, replicava o mandamento, que diz: “Não adulterarás” (Êx.20:14).

A finalidade de João colocar o “dedo na ferida” daqueles que o ouviam não era para magoá-la ainda mais, mas para que os “feridos” sentissem a dor de quem necessita de cura. Eles estavam prestes a testemunhar o batismo dAquele que nem precisava passar por este símbolo, mas que o fez para nos dar o exemplo. Do “Filho amado” (v.22), ao “filho de Deus” (v.38), a genealogia de Jesus Cristo revela que geração após geração o homem não pôde criar uma alternativa sequer que fosse capaz de salvar. Somente em Jesus o mundo pôde contemplar “a salvação de Deus” (v.6). Somente Ele venceu os grilhões da morte. Aquelas respostas dadas por João ao povo não representavam salvação por obras, mas os frutos da salvação, ou seja, a consequência de quem já foi salvo.

Os terríveis resultados da queda do primeiro Adão teriam finalmente a perfeita solução, “porque, se, pela ofensa de um só, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só Homem, Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos” (Rm.5:15). Cabe a nós, portanto, aceitarmos este dom gratuito de Deus e, batizados “com o Espírito Santo” (v.16), praticar a nossa fé em Cristo seguindo “os Seus passos” (1Pe.2:21). Para Deus, não importa qual a função ou o cargo que desempenhamos neste mundo, “porque para com Deus não há acepção de pessoas” (Rm.2:11). Que o Espírito Santo continue nos guiando “a toda a verdade” (Jo.16:13), fazendo de nós Seus atalaias dos últimos dias, que anunciam “o evangelho ao povo” (v.18). Vigiemos e oremos!

Bom dia, atalaias de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Lucas3 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



LUCAS 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

LUCAS 3 – Sendo sírio de nascimento e grego de fala e cultura, possuindo formação superior, Lucas converteu-se a Cristo e, então, passou a acompanhar a comitiva do convertido apóstolo Paulo, participando ativamente de algumas de suas viagens missionárias (Atos 16:10; 20:6; 27:1; 28:16).

Assim, o dr. Lucas tornou-se ligado intimamente a Paulo, o qual o chamou de “médico amado” (Colossenses 4:14). O apego de Lucas foi tanto pelo apóstolo dos gentios, que, num dos momentos mais difíceis, o apóstolo escreveu: “Somente Lucas está comigo” (II Timóteo 4:11).

Paulo era um teólogo muito culto, e Lucas um doutor também culto. A conversão de ambos foi uma bênção para o cristianismo. Certamente Paulo influenciou muito a Lucas na compreensão de Cristo através das páginas do Antigo Testamento.

Visando fortalecer a fé cristã dos gentios convertidos e suscitar interesse nos descrentes, o evangelho escrito por Lucas revela um Salvador compassivo e terno, acessível a todos, principalmente aos desprezados da sociedade, como mulheres e crianças, pobres e estrangeiros, viúvas e ladrões, publicanos e pecadores de toda espécie.

Após esta introdução, leia o capítulo supracitado; depois considere estes pontos:
• Estando Israel politicamente oprimido por líderes políticos cruéis, pérfidos, traiçoeiros e sem escrúpulos, e eclesiasticamente em desordem, Deus utilizou como porta-voz um pobre homem do deserto após quatro séculos de jejum do dom profético. Sua mensagem era para arrependimento, visando preparar ao povo para a chegada do Messias (vs. 1-13).
• Após apresentado e batizado por Seu precursor João Batista, Jesus recebeu capacitação sobrenatural para iniciar o ministério pelo qual viera ao mundo (vs. 14-22). A Trindade manifestou-Se aos presentes naquela ocasião; Jesus no Jordão, o Espírito Santo veio sobre Ele, e, então ouviu-se a declaração do Pai cumprindo a profecia de Isaías 42:1.
• Após provar Quem era Jesus pela pregação de João Batista, e de atestar Sua credencial pela aprovação de Deus Pai e a capacitação do Espírito Santo, Lucas prova que Jesus é o Messias pela genealogia. Jesus é descendente de Davi, herdeiro do trono; e descendente de Abraão, por meio de quem toda família da terra seria abençoada; descendente de Adão, Jesus e Deus que Se tornou homem para salvar a humanidade (vs. 23-38).

Como filho de Adão, Jesus veio para salvar ao mundo inteiro. Aceitaremos Sua oferta? – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: