Reavivados por Sua Palavra


MARCOS 8 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
3 de junho de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Ao que lhes disse Jesus: Não compreendeis ainda?” (v.21).

Dizem que a maior parte do ministério terrestre de Jesus foi a de curar. E os relatos dos evangelhos testificam isso. Precisamos, porém, compreender o objetivo maior da cura e dos milagres. Diante de uma “grande multidão” (v.1), Jesus expôs o alimento espiritual. Durante três dias aquelas pessoas estiveram com o Mestre divino, sendo confortadas e doutrinadas por Suas palavras, cheias de doçura e verdade. Mas Jesus também reconhecia suas necessidades e limitações físicas. E mesmo em face da letargia de Seus discípulos, realizou a segunda multiplicação de pães e peixes, despedindo aquela multidão com Sua perfeita provisão.

Entre os que se reuniam para ouvi-Lo estavam também os fariseus: um grupo domesticado por suas próprias tradições e inflexível quanto ao que acreditavam como religião. Tentavam constantemente a Cristo com perguntas maliciosas ou pedidos aleatórios. Ao pedirem “um sinal do céu” (v.11), Jesus expressou uma decepção tão profunda que em lugar nenhum do Novo Testamento encontraremos a palavra grega utilizada aqui. Os líderes religiosos de Seu povo, aqueles que deveriam instruir Israel sobre o verdadeiro conhecimento eram os mais ignorantes a respeito do que realmente importava. Não tinham o rico e suficiente alimento para oferecer ao povo. Suas vidas não passavam de um fermento cuja influência levedava a influência de Cristo.

Mas os discípulos não entendiam a metáfora bem empregada por Jesus acerca dos ensinamentos dos líderes de Israel, de modo que tiveram de ouvir as duras indagações: “Ainda não considerastes, nem compreendestes? Tendes o coração endurecido? Tendo olhos, não vedes? Tendo ouvidos, não ouvis?” (v.17, 18). A maior e mais terrível perseguição não viria da parte de Roma ou de outros povos pagãos, mas daqueles que diziam seguir a Deus. Se os discípulos não entendessem que sua fé e sua vida cristã precisava de um toque diário de cura, dariam início apenas a mais uma religião de aparências, com uma visão tão turva e confusa quanto a do cego em Betsaida ao abrir os olhos pela primeira vez (v.24).

Eu vejo Jesus, hoje, tomando o Seu povo pela mão para fora de sua zona de conforto e aplicando-lhe nos olhos o que sai de Sua boca (v.23). À primeira vista, todos nós não enxergávamos senão o vulto da mensagem adventista. Contudo, creio, com convicção, de que a visão clara e perfeita já está à disposição de todos aqueles que têm buscado com genuíno interesse o reavivamento prometido. Reavivamento e reforma consiste em renúncia, em “perder a vida por causa de [Cristo] e do evangelho” (v.35). Apenas confessar que Jesus é o Cristo não é suficiente. Jesus precisa ser o nosso Senhor e Salvador pessoal. Há uma cura disponível a todos nós e esta só dará o fruto do Espírito quando entendermos que precisamos primeiro levá-la “para casa” (v.26).

A maioria esmagadora das famílias está tão destroçada e tão carente do alimento espiritual, amados! E “Não compreendeis ainda” (v.21) que “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus?” (Mt.4:4). O maior milagre não está na cura física, mas em aceitarmos carregar o instrumento de morte: “Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me” (v.34). Jesus não disse que temos que carregar a cruz dEle, e sim a nossa. Precisamos morrer para o mundo e viver para Deus! Isso não significa uma vida somente de dores e aflições, mas uma vida que mesmo sofrendo terríveis perseguições e provações, não se envergonha de Jesus e de Suas palavras. Porque, bem alimentada do pão do Céu, e com o coração ardendo pela contemplação de Cristo em Sua Palavra, seus olhos podem distinguir “de modo perfeito” (v.25) a missão que o Senhor lhe confiou, para onde deve ir e o que deve evitar (v.26).

Nunca o mundo clamou tanto por cura como agora em tempos tão difíceis e incertos. Sejamos, pois, a geração de verdadeiros adoradores que repartirá com as multidões a perfeita provisão divina. Certamente aproxima-se o tempo em que haverá “fome sobre a Terra, não de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. Andarão de mar a mar e do Norte até o Oriente; correrão por toda a parte, procurando a palavra do Senhor, e não a acharão” (Am.8:11-12). Que Jesus nos encontre reavivados por Sua Palavra “quando vier na glória de Seu Pai com os santos anjos” (v.38). Vigiemos e oremos!

Bom dia, reavivados pela Palavra de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Marcos8 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: