Reavivados por Sua Palavra


MATEUS 10 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
8 de maio de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO MATEUS 10 – Primeiro leia a Bíblia

MATEUS 10 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

MATEUS 10 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR. ADOLFO SUÁREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR. VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



MATEUS 10 by Jobson Santos
8 de maio de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/mt/10

Os discípulos de Jesus devem ter experimentado algo semelhante a um passeio de montanha-russa. Espiritualmente, eles estavam subindo cada vez mais. A eles foram confiados poderes especiais para curar enfermos, purificar leprosos, ressuscitar mortos e expulsar demônios (Mat. 10:8). Mas então, de repente, eles ouviram Jesus dizer que não será assim o tempo todo. A perseguição virá; eles serão espancados, expulsos de suas sinagogas e até mesmo seus parentes os perseguirão (Mat. 10:16).

Quando falamos sobre Cristianismo hoje, temos a tendência de diminuir a importância de seguir a Jesus. Frequentemente falamos sobre todas as bênçãos que a vida cristã pode trazer, falamos sobre a recompensa final do céu. Mas esta mensagem de Jesus é diferente. Ele disse que a vida cristã não é apenas uma jornada bela e alegre, mas também pode envolver dor e sofrimento. Podemos ser odiados e perseguidos, mas é isso que às vezes significa carregar a cruz e seguir a Jesus (Mt 10:38).

Por que os cristãos estão dispostos a sofrer por causa de Jesus? A resposta é nosso amor por Ele em razão de que Ele nos amou primeiro (1 João 4:19).

Oleg Kostyuk
Docente, AdventHealth University, Orlando, Flórida, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1185
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



MATEUS 10 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
8 de maio de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

855 palavras

2 apóstolos. Esta é a única vez que Mateus chama os discípulos de “apóstolos”. A palavra significa “enviados” e, portanto, se ajusta ao contexto deste discurso. Andrews Study Bible.

4 Zelote. O fato de Jesus ter chamado um zelote (que apoiavam a violência que Jesus condenou no Sermão do Monte) e Mateus, o cobrador de impostos (a nêmesis [objeto de ira e vingança] dos zelotes), demonstra a graça e abertura de Jesus e Seu desejo de construir a comunidade cristã unificada. Andrews Study Bible.

5 rumo aos gentios. Ou, “o caminho dos gentios”, isto é, qualquer estrada que conduzisse a uma comunidade na qual predominassem gentios. Por exemplo, os doze não poderiam visitar nenhuma das cidades de Decápolis, onde a maior parte da população era gentílica. É provável que o motivo dessa restrição fosse que Jesus não quisesse fazer nada que suscitasse desnecessariamente o preconceito contra Ele enquanto houvesse oportunidade de trabalhar pelos judeus. Além disso, os próprios discípulos não estavam preparados para trabalhar pelos vizinhos gentios e o preconceito que compartilhavam com todos os judeus contra os gentios, sem dúvida, teria efetivamente frustrado seus esforços, ainda que de maneira involuntária. Essa proibição não foi feita aos setenta quando foram enviados cerca de um ano depois; pelo contrário, eles começaram sua obra entre os samaritanos (ver DTN, 488). Naquele tempo, a situação tinha mudado. O próprio Jesus, que fora rejeitado na Galiléia, trabalhou em favor dos samaritanos e gentios; além disso, instruiu os discípulos a fazerem o mesmo (ver Mt 28:19, 20; At 1:8). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 391.

samaritanos. Raça de sangue misto, resultante dos casamentos mistos entre os israelitas deixados para trás, quando o povo do Reino do Norte foi exilado, e os gentios trazidos para o país pelos assírios (2Rs 17.24). Havia acrimoniosa hostilidade entre os judeus e os samaritanos nos dias de Jesus (v. Jo 4.9). Bíblia de Estudo NVI Vida.

9-11 Estes versículos ensinam o servo de Cristo a tomar uma atitude de fé com a obra missionária, aceitando as condições de vida que Cristo e a comunidade dos fiéis lhe ofereceram. Bíblia Shedd.

12 saúdam-na. A saudação dos judeus era shalom, “paz”. Bíblia de Estudo NVI Vida.

14 sacudi o pó. Os judeus, sob o domínio romano, desenvolveram um costume de afastar, de maneira mais dramática e completa, qualquer contato com os não-judeus, considerando o próprio pó de seus pés imundo como a putrefação da morte. Bíblia Shedd.

… como ato ato simbólico quando saíssem daquele lugar ritualmente impuro. Aqui Jesus instrui Seus discípulos a fazerem o mesmo com as cidades e povoados judeus que recusassem recebê-los ou ouvir a sua mensagem. Andrews Study Bible.

16 prudentes como as serpentes. Devem ser capazes de enxergar através das astúcias dos ímpios, sem praticar eles mesmos esses ardis. Porém, há certos traços característicos da serpente que não devem imitar, assim como algumas características da ovelha. CBASD, vol. 5, p. 393.

19 não se preocupem quanto ao que dizer. Não deve ser usado por pregadores como desculpa para a falta de preparo dos sermões! V. Lc 21.14, 15. Bíblia de Estudo NVI Vida.

23 fugi. Jesus deixa claro neste verso que o martírio não deve ser buscado. Fuja da perseguição! Andrews Study Bible.

Não há virtude em sofrer perseguição como um meio de se obter mérito nos livros do Céu. CBASD, vol. 5, p. 394.

28 alma. Aqui Jesus está usando o termo “alma” significando “vida eterna”: Não tema aquele que pode lhe tirar da vida presente (corpo), mas tema Aquele que lhe pode tirar a vida eterna (alma). Andrews Study Bible.

32-36 O capítulo inteiro, e este trecho especialmente, projeta uma nota de urgência na mensagem de Cristo, mostrando que é exclusiva na sua situação e no seu propósito, e que é dogmática quanto ao caráter único e insubstituível da pessoa de Cristo. O cristianismo moderno, como tem sido superficial, está longe de arcar com as exigências desta mensagem. Bíblia Shedd.

34 não penseis. Jesus desfaz a opinião errônea que alguns dos discípulos aparentemente tinham de que a mensagem que levariam seria somente de paz. Eles não deviam se surpreender, no seu trabalho de casa em casa …, se surgissem diferenças como resultado de seu ministério. CBASD, vol. 5, p. 396.

não vim trazer paz. “Paz” no sentido de comodismo, ócio e ausência de lutas, Jesus não trará, enquanto o mundo não estiver em comunhão com Deus. Bíblia Shedd.

O evangelho às vezes provoca conflito por causa das profundas diferenças e desavenças que surgem entre aqueles que o aceitam e aqueles que não o aceitam. Andrews Study Bible.

38 toma a sua cruz. O criminoso romano carregava a sua cruz para o lugar de execução. O crente salvo por Cristo carrega consigo a mesma cruz: a renúncia de si mesmo para servir unicamente a Cristo, mesmo até à morte (Gl 2:20). Bíblia Shedd.

Tomar a cruz de Cristo e seguir após Ele significa sofrer sem reclamação ou arrependimento a censura de amigos e parentes e suportar a reprovação das pessoas com paciência e humildade. CBASD, vol. 5, p. 397.

42 der a beber. Talvez usado como ilustração do menor serviço que se pode fazer a alguém. Com certeza, era mínimo, mas muitas vezes, o mais importante e necessário nas terras bíblicas, onde a água sempre foi escassa. CBASD, vol. 5, p. 397.



MATEUS 10 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
8 de maio de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Sereis odiados de todos por causa do Meu nome; aquele, porém, que perseverar até ao fim, esse será salvo” (v.22).

O discurso de Jesus neste capítulo é um verdadeiro choque de realidade para Seus discípulos. Formado o Seu pequeno grupo especial, Cristo tomou o cuidado de adverti-los quanto à sua missão e as dificuldades que envolveriam a mesma. O público alvo do discipulado seria “as ovelhas perdidas da casa de Israel” (v.6), o que não era uma tarefa fácil, dada a incredulidade do povo quanto ao ministério messiânico de seu Mestre. Jesus expôs algumas características que devem compor a vida de Seus seguidores. São elas:

1. Devem manter o foco (v.5-6);
2. Pregar “que está próximo o reino dos céus” (v.7);
3. Viver o amor prático (v.8);
4. Depender de Deus mediante uma vida altruísta: “de graça recebestes, de graça dai” (v.8);
5. Ter uma vida simples (v.9), mas com dignidade (v.9);
6. Ser corteses (v.12);
7. Ser prudentes (v.14 e 16);
8. Ser cuidadosos (v.17);
9. Confiar na ação e na provisão divina (v.19);
10. Estar disposto a abrir mão da própria vida por amor a Cristo (v.39).

Diante de um mundo secularizado e individualista, provavelmente vivemos em uma das piores épocas de se praticar o discipulado. Apesar do direito fundamental quanto à liberdade de crença ainda poder ser proclamado e defendido, parece que quanto mais liberdade temos, mais nos acomodamos em nossas confortáveis igrejas, pregando um evangelho que na realidade não vivemos. O evangelho prático conforme os métodos e instruções de Cristo requer renúncia. E perante à sociedade, inclusive a religiosa, uma vida de abnegação não combina com o estereótipo da prosperidade criado por tradições humanas. Cristo não disse que os Seus seguidores viverão de esmolas, e sim que “digno é o trabalhador do seu alimento” (v.10). Mas Ele também não prometeu riquezas ou prestígio, pelo contrário, nos advertiu acerca das dificuldades e perseguições. Ele prometeu sim, recompensas eternas, “tesouros no Céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam” (Mt.6:20).

A nossa missão é estar constantemente aprendendo na escola de Cristo e, mediante a ação do Espírito Santo, falaremos e viveremos conforme a Sua guia. Não temos o que temer diante dos que desejam o nosso mal, pois eles podem até resumir a nossa jornada nesta terra, mas não podem nos tirar a vida eterna em Cristo Jesus. A nossa família deve sempre ser o nosso primeiro público alvo na pregação do evangelho, porém, Jesus também nos advertiu que nem sempre seremos amados ou bem-vindos, inclusive pelos da nossa “própria casa” (v.36).

Uma coisa é certa: Jesus lançou por terra a teologia barata de que a vida de Seus seguidores são só flores. Contudo, também deixou bem claro de que Ele tem cuidado de nós (v.31). Aquele que amou até à morte uma humanidade ingrata e imerecedora, espera que, de igual forma, possamos viver o maior dos dons: o amor. Amor a Deus e amor ao próximo é o que deve reger a nossa vida e nos impulsionar a almejar seguir os passos de Jesus (1Pe.2:21). Em um tempo profético onde o amor de quase todos está esfriando (Mt.24:12), perseverança é o segredo da vitória final. Onde o ódio impera, aquele que perseverar no amor certamente manifestará “plena luz” (v.27) e “será salvo” (v.22).

Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap.14:12). Assim como um filho que ama a seus pais tem prazer em obedecê-los, aquele que ama a Deus Lhe obedece e busca viver o amor. Um verdadeiro discípulo de Cristo não é aquele que se esforça por mostrar que suas obras O testificam, mas aquele cuja vida escondida em Cristo manifesta o Seu caráter. Que o Espírito Santo derrame em nosso coração o amor de Deus (Rm.5:5) e faça de nós verdadeiros discípulos:

Nisto conhecerão todos que sois Meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (Jo.13:35). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, discípulos de Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Mateus10 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



MATEUS 10 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
8 de maio de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

MATEUS 10 – O desleixo com o evangelho verdadeiro, a mornidão espiritual dos membros da igreja, a duplicidade de vida e de caráter, a indiferença a Deus e ao próximo, e o namoro com o pecado, levam mais pessoas renderem-se aos pés do diabo do que a entrega aberta a pecados.

Qualquer prioridade ou qualquer outra escolha que interfira entre você e Deus te “levará à rejeição por parte de Jesus, [e causará] a perda da vida eterna” (David S. Dockery).
• Permitirás Deus ser prioridade em tua vida?

Após convocar oficialmente Seus discípulos à missão evangelística (vs. 1-4), Jesus dividiu Seu sermão em duas partes:
1. Requisitos para a evangelização: Os enviados por Cristo, a) devem sair em dupla, b) viajar sem fardos e sem impedimentos, c) depender da hospitalidade de pessoas cheias de bondade, d) não ater-se ou distrair-se com quem despreza o verdadeiro evangelho, e, f) delimitar a esfera de ação (vs. 5-16).
2. Os resultados da evangelização: Os enviados de Jesus 1) enfrentariam rejeição por parte de religiosos e não-religiosos, familiares e autoridades políticas; por isso, 2) deveriam ter atitudes corretas frente às dificuldades: Temer a Deus, não as pessoas (vs. 17-31).

Curiosidades:
• Primeira: O texto contraria a crença da maioria dos religiosos de que a alma não morre (v. 28).
• Segunda: O melhor e mais fiel dos cristãos enfrentam tribulação, embora Deus cuida, protege e preserva àquele que Lhe pertence (vs. 29-33).
• Terceiro: Cruz não significa dificuldade, mas morte; ou seja, quem não morrer plenamente para o EU não pertencerá a DEUS (vs. 34-39).

Observe que, apesar das dificuldades, as recompensas compensam aos que aceitam tornarem-se seguidores de Jesus e colocarem Deus acima de tudo, inclusive da família, e, receberem, hospitaleiramente, outros servos de Cristo (vs. 32-42).

Agora reflita:
• Que tipo de evangelho você conhece?
• Que evangelho foi pregado a você?
• Como é apresentado o evangelho em tua igreja?
• Você pensa que pratica ou realmente pratica o evangelho?
• Você tem certeza que vive o evangelho bíblico?
• O evangelho que você abraçou não está corrompido ou foi adulterado?

Nem todo evangelho pregado no mundo pode ser considerado verdadeiro pela Bíblia. É tempo dos verdadeiros servos de Deus levantarem a voz e proclamar com intrepidez o que Jesus realmente disse e fez.

“Senhor, reaviva-nos!” – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: