Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
7 de novembro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Porque até os teus irmãos e a casa de teu pai, eles próprios procedem perfidamente contigo; eles mesmos te perseguem com fortes gritos. Não te fies deles ainda que te digam coisas boas” (v.6).

Jeremias não foi o primeiro e nem o último na Terra a questionar a prosperidade dos ímpios. O famoso Salmo de Asafe sobre o problema da “prosperidade dos perversos” (Sl.73:3) também ilustra esta queixa e o perigo de torná-la em pedra de tropeço espiritual: “Quanto a mim, porém, quase me resvalaram os pés; pouco faltou para que se desviassem os meus passos” (Sl.73:2). Em sua missão solitária e mal compreendida, Jeremias ainda tinha de lidar com pessoas que faziam questão de tornar evidente a sua prosperidade em contraste com a vida difícil do profeta. Tornou-se alvo constante de insultos e desprezo e nem a sua própria família era digna de confiança. Jeremias viveu um prenúncio do que assegurou o apóstolo Paulo: “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2Tm.3:12).

De forma respeitosa, mas sincera, Jeremias abriu o coração a Deus: “Justo és, ó Senhor, quando entro Contigo num pleito; contudo, falarei Contigo dos Teus juízos. Por que prospera o caminho dos perversos, e vivem em paz todos os que procedem perfidamente?” (v.1). A realidade era a de um povo que tinha Deus nos lábios, “mas longe do coração” (v.2); que não tinha consideração pela criação de Deus, de forma que, por causa de sua maldade, pereciam “os animais e as aves” (v.4). A resposta do Senhor, contudo, abriu os olhos do profeta para um futuro ainda mais difícil. Aquele sofrimento não era nada comparado ao que estava por vir, com a invasão de Jerusalém pelos babilônios.

Creio que estamos vivendo momentos decisivos da história deste mundo. Os acontecimentos dos últimos anos têm intensificado os sinais que apontam para o advento de Cristo, “como a mulher grávida, quando se lhe aproxima a hora de dar à luz, se contorce e dá gritos nas suas dores” (Is.26:17). Temos vivido dias de tensão econômica, política e sanitária ao mesmo tempo em que líderes mundiais discutem maneiras de congregar o mundo em um sistema unificado, alegando ser a solução para a paz mundial e para os problemas ambientais e climáticos. Enquanto isso, Satanás trabalha com afinco através de seus agentes na obra de destruir a humanidade. Nada disso, porém, pode ser comparado ao que está por vir, como descreveu o próprio Jeremias: “Perguntai, pois, e vede se, acaso, um homem tem dores de parto. Por que vejo, pois, a cada homem com as mãos na cintura, como a que está dando à luz? E por que se tornaram pálidos todos os rostos? Ah! Que grande é aquele dia, e não há outro semelhante! É tempo de angústia para Jacó; ele, porém, será livre dela” (Jr.30:6-7).

Se como Jeremias, estamos fatigados “correndo com homens que vão a pé”; “Se em terra de paz não te sentes seguro” (v.5), que dirá quando chegar o “tempo de angústia qual nunca houve” (Dn.12:1). Por mais que estejamos enfrentando dias difíceis, em que “não há paz para ninguém” (v.12), é agora o tempo de fortalecermos a nossa fé no firme fundamento da Palavra de Deus, crendo que Jesus estará conosco “até à consumação do século” (Mt.28:20), pois está chegando o tempo em que se cumprirá na Terra o que foi predito pelo profeta Ezequiel: “tão certo como Eu vivo, diz o Senhor Deus, ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no meio dela, não salvariam nem a seu filho nem a sua filha; pela sua justiça salvariam apenas a sua própria vida” (Ez.14:20). Será um tempo em que cada um responderá apenas por si mesmo, conforme o que buscou viver. Sobre isso, reforça Ellen White: “Apenas os que forem diligentes estudantes das Escrituras, e receberam o amor da verdade, estarão ao abrigo dos poderosos enganos que dominam o mundo. Pelo testemunho da Bíblia estes surpreenderão o enganador em seu disfarce. Para todos virá o tempo de prova. Pela cirandagem da tentação, revelar-se-ão os verdadeiros crentes” (O Grande Conflito, p.630).

Amados, se, como Jeremias, hoje somos incompreendidos até pelos que mais amamos, devemos, como o apóstolo João, nos achegar ao peito de nosso Salvador (Jo.13:25) e nEle descansar de nossa lida terreal. A nossa segurança e fortaleza está em obedecermos ao Seu áureo conselho: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação” (Mt.26:41). “Mal compreendem os que pecam contra Deus”, continua a irmã White, “que devem sua própria vida aos poucos fiéis a quem se deleitam em ridicularizar e oprimir” (O Grande Conflito, p.636). Portanto, meus irmãos, não percamos o foco de olhar para Cristo e cumprir a missão que Ele nos confiou. Lembremos que antes de nós e de uma maneira incomparável foi Ele perseguido, maltratado e ferido. Em nosso sofrimento, olhemos para a cruz e lembremos que assim como ela não foi o fim, mas a solução, se confiarmos na perfeita justiça do nosso Senhor e Salvador, logo participaremos de Sua vitória. Logo, “nada temos que recear quanto ao futuro, a menos que esqueçamos a maneira em que o Senhor nos tem guiado, e os ensinos que nos ministrou no passado” (Testemunhos Seletos, v.3, p.443). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, fiéis servos de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Jeremias12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Excelente! Obrigado! 🙏🙌

Comentário por Silvio Fernandes




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: